Imagens Simbólicas (janeiro/13)

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013 26 comentários

Adele para a revista "Rolling Stones", seguindo a tendência de esconder "um 
olho". Será que foi assim que ela chegou ao topo do mundo? Note a PNL aí.

will.i.am e seu "um olho" transhumanista. De maneira sutil, a revista promove o 
transhumanismo "O surgimento das máquinas: aviões não patrulhados, robôs
 cirúrgicos e super-computadores". Espera aí: aviões não patrulhados não é o
que o governo quer utilizar para espiar civis também?

Rihanna escondendo seu "um olho" de novo, de novo, de novo, de novo...

...e de novo, de novo, de novo....

...e de prêmio, ela ganha destaque na capa da revista 
Billboard, com os dizeres: "Rihanna - o mundo é dela".

Olha quem está de volta! Cyndi Lauper, o megasucesso dos anos 80, com um
 jeito peculiar de expressar o simbolismo de controle mental. Borboletas e claves 
musicais sob um chão quadriculado preto e branco representando a dualidade. 
Uma maneira de mostrar que artistas da música estão sob o controle mental?

Ke$ha e uma cruz invertida em seu acessório.

A atriz inglesa Keira Knightley na estrada de tijolo 
amarelo. Referência a Dorothy e o "Mágico de Oz"?

Cartaz de um Show da banda Eyes to the Sky.

 Single "Monolithium" da banda Eyes to the Sky...bem Illuminati!

Bem mais explícito ainda é essa capa do CD de Ras Bernardo, 
ex-vocalista do Cidade Negra, lançado após sofrer um atentado em 2012.

Capa do ábum "Audio Secrecy" da banda Stone Sour...mais simbolismo!

Por que o rapper Cassidy decidiu colocar essa camiseta? Um trocadilho com "ill" e "illuminati"?

Um leitor do blog trouxe essa imagem flagrante em um
 loja. Algumas marcas gostam de esbanjar simbolismo.

Cena do vídeo "New York City" de Joey Ramone.

Essa caixa de bolas de golfe da Nike apresenta o olho e o triângulo bem na sua cara.

Tem alguma coisa muito estranha também acontecendo com a indústria de livros! Assustador!

Veja Mais

"Prometeu": Um Filme sobre Alien Néfilim e Iluminação Esotérica

terça-feira, 29 de janeiro de 2013 23 comentários

 
O filme de ficção científica "Prometeu" explora as teorias sobre as origens da humanidade e sua relação com visitantes extra-terrestres. Enquanto a maioria possa achar essa premissa muito "fictícia", muitos aspectos do filme, na verdade, simbolicamente refletem algumas crenças e filosofias da elite oculta. Vamos analisar o significado esotérico do filme "Prometeu".

Não há escassez de filmes envolvendo alienígenas furiosos esses dias, e nós definitivamente podemos adicionar
"Prometeu" à lista. No entanto, embora a maioria desses filmes de alienígenas esteja centrada em atirar em suas caras horríveis antes que eles destruam a Terra, "Prometeu" tem uma história subjacente que lida com questões atemporais que intrigam a humanidade; perguntas como "De onde viemos?" e  "Por que estamos aqui?"... e mais uma boa dose de tiros nas caras horríveis dos alienígenas.

Dirigido por Ridley Scott, o filme foi originalmente destinado a ser uma sequência para o filme "Alien", um clássico de 1979, mas o produto final tem pouca relação com ele. O filme conta a história de cientistas que descobrem artefatos antigos retratando visitantes de outro planeta. Para investigar essa descoberta, os cientistas obtêm o apoio de uma empresa gigante e embarcam em uma  missão espacial para encontrar o planeta de onde os alienígenas vieram e para fazer-lhes perguntas importantes. A premissa é baseada na teoria de Antigos Astronautas, que estipula que milhares de anos atrás, os primeiros seres humanos estavam em contato com uma raça alienígena superior.


Como o nome do filme sugere,
"Prometeu" também está repleto de referências mitológicas e simbolismo que dão ao filme um sentido subjacente esotérico. Enquanto o filme é, a princípio, sobre os seres humanos irem para o espaço para encontrar seus criadores alienígenas, "Prometeu" também pode ser visto como uma metáfora para a iluminação espiritual, como é retratado por sociedades secretas ocultistas. Vamos olhar para os conceitos explorados no filme. 

 Os Engenheiros?

No início do filme, um
alienígena humanóide desembarca  na Terra e bebe um líquido estranho. 

 Um alienígena é deixado na Terra por uma nave espacial enorme.

Depois de beber o líquido, o alienígena completamente se desintegra e cai na água.


 O alienígena é desintegrado ao nível do DNA e interage
 com a água da Terra para criar uma nova forma de vida.

Na água, o DNA aciona uma
reação biogenética e, a um nível microscópico, vemos células individuais que começam a multiplicar-se. Essa é a teoria do filme sobre como a vida humana surgiu na Terra. Na tela do filme com o título, é mostrada uma única célula se multiplicando. Assim é como a vida humana começou na Terra.

 O título do filme aparece mostrando uma única célula multiplicando-se, criando vida na Terra.

O filme então avança rapidamente até 2089, onde dois arqueólogos, Elizabeth Shaw e Charlie Holloway, estão à procura de uma caverna na Irlanda. Lá, eles descobrem uma pintura desenhada por um homem das cavernas, que retrata os seres humanos procurando por uma formação de estrelas no céu. Os pesquisadores descobrem que essa formação de estrela em particular pode ser encontrada na arte de várias culturas antigas.


 A formação de estrelas nesta pintura da caverna é semelhante às
 formações de estrela encontradas na arte egípcia, suméria e maia antiga.

Os arqueólogos acreditam que os alienígenas (os quais eles chamam de "Engenheiros") vieram dessa formação de estrelas particular e disseminaram vida humana na Terra. Isso faz com que eles embarquem em uma missão espacial para encontrar o planeta e procurar respostas dos Engenheiros.


A premissa do filme é fortemente inspirada pela
teoria dos Antigos Astronautas originalmente proposta por autores como Eric Von Daniken e Robert Temple. De acordo com essas teorias, a humanidade foi criada ou "ajudada" por visitantes de outro planeta, que deixaram vestígios duradouros na história humana.

O diretor de
"Prometeu", Ridley Scott, parece acreditar nessa teoria. Em uma entrevista ao Hollywood Reporter, ele afirmou:
 

 "A NASA e o Vaticano concordam que é quase matematicamente impossível que podemos estar onde estamos hoje sem que haja um pouco de ajuda ao longo do caminho... É para isso que nós estamos olhando (no filme), em algumas das idéias de Eric Von Daniken de como é que nós, seres humanos, aparecemos".

- Hollywood Reporter, “Ridley Scott’s New Alien Movie Influenced by Ancient Astronaut Theory
 

Vamos dar uma olhada na teoria dos Antigos Astronautas.

Antigos Astronautas 

Os defensores da teoria Antigos Astronautas acreditam que grande parte do conhecimento humano, cultura e religião são remanescentes de uma "cultura-mãe" alienígena. Monumentos antigos considerados demasiadamente avançados para a tecnologia da época, tais como Stonehenge, Ilha de Páscoa e a Grande Pirâmide de Gizé são considerados prova de um contato alienígena. Eric Von Daniken também afirma que a arte antiga e a iconografia em todo o mundo contêm descrições de veículos espaciais, criaturas não humanas inteligentes e tecnologia avançada. Ele afirma que as culturas que não tiveram contato uma com o outra tinham temas semelhantes em sua arte, provando que havia uma fonte comum para o seu conhecimento.

 
 Uma pintura da caverna real encontrada na Itália é dita estar representando 
os Antigos Astronautas visitando a Terra. Essa imagem foi provavelmente
a inspiração para a pintura rupestre encontrada em "Prometeu".

 Hieróglifo egípcio é dito descrever máquinas voadoras. 

 Em Prometeu, semelhanças entre os artefatos da civilização egípcia, maia, suméria e
 outros antigos levam a equipe de pesquisa a buscar os "engenheiros" da humanidade.

Os defensores da teoria dos Astronautas Antigos afirmam que muitos textos religiosos antigos contêm referências a visitantes do espaço. Dois dos principais trabalhos citados são o Livro de Gênesis e o Livro de Enoque, que ambos mencionam a existência na Terra de seres enigmáticos gigantes chamados Néfilins. 


 Os Sentinelas e os Néfilins

O livro de Gênesis menciona a presença na Terra de seres chamados Néfilins (a versão King James usa o termo Gigantes). Esses seres são descritos como híbridos que são o resultado da procriação entre as fêmeas humanas e os "filhos de Deus".


"Quando os seres humanos começaram a aumentar em número sobre a terra e as filhas nasceram com eles, os filhos de Deus viram que as filhas dos humanos eram bonitas, e eles se casaram as que escolheram. (...) Os Néfilins estavam na terra naqueles dias, e também depois, quando os filhos de Deus foram às filhas dos humanos e tiveram filhos com elas."

    
- Gênesis 6:1-4 (Nova Versão Internacional)

 

Em Números 13, os Néfilins são mencionados mais uma vez, descritos como seres gigantes  destrutivos que pareciam bastante diferentes dos seres humanos normais.


 "E eles espalharam entre os israelitas um relatório negativo sobre a terra que haviam explorado. Eles disseram: "A terra que exploraram devora aqueles que vivem nela. Todas as pessoas que vimos lá são de tamanho grande. Vimos os Nephilins lá (os descendentes de Anaque vêm do Nephilins). Nós parecíamos gafanhotos em nossos próprios olhos, e nós vimos o mesmo neles ".

    
- Números 13:32-33

 

  
O livro apócrifo de Enoque expande sobre os
Néfilins e seus originadores, os Sentinelas. De acordo com o texto que data de 300 a.C, os Sentinelas eram um grupo formado por 200 "filhos de Deus", que desobedeceram a Deus e desceram à Terra para procriar com seres humanos. Eles disseram ter ensinado humanos habilidades avançadas, como a metalurgia, metalurgia, cosméticos, feitiçaria, astrologia, astronomia e meteorologia. Visto que os Sentinelas desobedeceram a Deus, eles também foram chamados de anjos caídos.

 A prole dos Sentinelas foram os Néfilins, descritos como gigantes que viveram entre os humanos. Eles finalmente se tornaram uma presença destrutiva na Terra e é dito terem consumido "todas as aquisições dos homens". A fim de se livrar desses seres da Terra (junto com os humanos que se misturaram com eles), Deus criou o Grande Dilúvio. A fim garantir a sobrevivência da humanidade, no entanto, Noé foi avisado por Deus para construir a arca. 

Outro antigo texto judaico, O Livro dos Jubileus, afirma que 10 por cento dos espíritos desencarnados dos Néfilins foram autorizados a permanecer na Terra depois do dilúvio, como demônios, para tentar deixar o ser humano perdido até o Juízo Final. É por isso que a elite ocultista é tão empenhada em corromper as massas com materialidade e perversão?

Então, quem eram os Sentinelas e os Néfilins? Muitos diferentes pesquisadores têm proposto várias interpretações diferentes, incluindo uma classe de seres humanos ricos, demônios ou uma antiga super-raça. Os defensores da teoria  dos Antigos Astronautas acreditam que eles eram na verdade alienígenas que foram enviados à Terra para supervisionar a evolução da humanidade - daí o seu nome "Os Sentinelas". 

A premissa de "Prometeu" é muito influenciada por essa teoria como os alienígenas do filme são seres gigantes que vieram à Terra para criar e ensinar a humanidade. 

 A equipe finalmente encontra um de seus "engenheiros", um alienígena gigante. 
 Infelizmente, o alien não se sente à vontade de ter uma discussão sobre as origens 
 da humanidade e arranca a cabeça de David, o Androide (o cara do lado esquerdo).

Descobrir que os alienígenas eram parte da evolução humana não é importante do ponto de vista científico por si só, mas também do espiritual, como isso poderia potencialmente tornar muitas religiões completamente obsoletas. Todos os sistemas de crenças seriam completamente questionados, ou pelo menos revistos para incluir o "ângulo alienígena". 

Dilema Espiritual

As implicações espirituais da missão espacial são sutilmente refletidas no filme, através de várias cenas questionando a relevância do cristianismo nesse contexto engenhado por alienígena.

 No início da viagem, o capitão do navio instala uma árvore de Natal. Ele é questionado 
pelo seu superior "Que diabos é isso?", e o capitão responde: "É Natal!". O fato de essa
 missão espacial que altera a história ocorrer durante a época de Natal (o feriado que
 celebra o nascimento de Jesus Cristo) dá-lhe um significado religioso. 

Elizabeth, a herói do filme, com orgulho e destaque, usa uma cruz cristã ao redor do pescoço.
 Este pendente torna-se simbólico do dilema espiritual que resulta das conclusões da missão. 

Quando o navio chega ao seu destino, a tripulação descobre um edifício abandonado construído por uma civilização alienígena contendo... alienígenas mortos. Depois de executar testes em um dos corpos, a tripulação percebe que os extraterrestres são de fato os criadores da vida humana na Terra. Em outras palavras, a teoria dos Antigos Astronautas está correta e seres de outro planeta foram de fato os "engenheiros" da humanidade. Uma vez que Elizabeth confirma essa descoberta para seu namorado Charlie, ele imediatamente a questiona sobre a validade de seu pingente de cruz:


    - OK, acho que você pode jogar a cruz de seu pai fora agora.
    
- Por que eu iria querer fazer isso?

    
- Porque eles nos fizeram.

 

Elizabeth então dá um "uau" digno de resposta:


- E quem os fez?
 

Ela, portanto, não vê uma contradição entre acreditar no cristianismo e na teoria dos Antigos Astronautas simultaneamente. Ela ainda acredita que Deus é o criador acima de tudo... mas agora  tem que adicionar os alienígenas para a equação. 

Após essa discussão profunda, Elizabeth e Charlie têm relação sexual na nave espacial. O que o casal não sabe é que Charlie foi injetado com DNA alienígena por David, o Andróide. 

 Antes de Charlie visitar Elizabeth em seus aposentos, David, um robô com uma mente 
inquisitiva, faz Charlie beber uma bebida contendo DNA alienígena, sabendo que ele iria
 se relacionar sexualmente com Elizabeth e ela, portanto, dar à luz a uma criança 
meio-alienígena. Observe a árvore de Natal ao fundo. 

O casal faz relação sexual sem proteção e Elizabeth logo descobre que está grávida. Ela imediatamente percebe que sua gravidez está muito, muito errada, como se seu filho não fosse humano, e muito hostil. Considerando o fato de que a missão acontece durante o tempo de Natal, Elizabeth se torna uma espécie de anti-Virgem Maria. Em vez de dar à luz ao Cristo, ela dará à luz a uma criatura meio estranha... não muito diferente do Néfilim. 

 Ao descobrir sua gravidez, o pingente de cruz de Isabel é removido e 
guardado, simbolicamente significando que sua fé cristã não é mais válida. 

Elizabeth consegue "abortar" a monstruosidade. Então, a missão dá errado e todo mundo morre, exceto ela. Depois de quase desistir, Elizabeth, aparentemente, tem uma epifania e fica determinada a descobrir a verdade sobre os alienígenas. Aparentemente, eles abandonaram a humanidade há muito tempo e estavam mesmo planejando destruir a Terra. Algo deve ter dado muito errado com a evolução humana. 

No final do filme, ela coloca a cruz de volta em torno de seu pescoço, o que significa que ela não perdeu a fé e que sua busca da verdade é agora muito espiritual. Não se trata mais de ciência, mas sobre a necessidade humana básica de ter perguntas existenciais respondidas. 

Elizabeth coloca de volta sua cruz e está determinada a 
descobrir a verdade sobre os Engenheiros alienígenas. 

O filme inteiro pode ser interpretado como uma metáfora espiritual - uma busca de iluminação. O título do filme em si, "Prometeu", é muito indicativo do significado esotérico subjacente do filme. 

Prometeu e a Busca pela Iluminação 

Na mitologia grega, Prometeu é um titã, a raça primeva de divindades que veio antes dos Olimpianos. Ele roubou o fogo dos deuses para dá-lo à humanidade - um ato que permitiu o progresso e civilização. Para realizar o ato de trazer fogo (um símbolo do conhecimento divino) para a humanidade, Prometeu tornou-se uma figura importante na mitologia de escolas de mistério, como a Maçonaria e Rosacrucianismo, que se baseiam no uso de conhecimento oculto, a fim de alcançar a divindade. 

 Prometeu, uma figura favorita da elite iluminista, é bem visível no Rockefeller Center. 

O equivalente judaico-cristã de Prometeu é Lúcifer, um "anjo caído" de grande inteligência, que, uma vez "favorito" de Deus, desafiou-o e trouxe uma nova forma de conhecimento para a humanidade. O nome Lúcifer é o latim para "portador da luz", que é exatamente o que Prometeu realizou, trazendo o fogo para o homem.  

Essa "luz" é dita ser o conhecimento oculto ensinado nas escolas de mistérios, já que permite que "os seres humanos iluminados" subam de volta para a divindade. A história dos Sentinelas e do Néfilins descrita acima também parece seguir o mesmo arquétipo, uma vez que conta a história de "filhos de Deus" se rebelando contra seu governo e descendo para a Terra, ensinando conhecimento importante a humanidade. Além disso, como Lúcifer, os Sentinelas são apelidado de "anjos caídos". Onde, portanto, veja que há um monte de inter-conectividade nesses mitos e simbolismo do filme. 

No início da viagem espacial, o presidente da corporação que financia a missão tem um reunião e dá um discurso sobre a importância da missão:


 "O Prometeu Titan queria dar igualdade à humanidade com os deuses e por isso, ele foi expulso de Olimpo. Bem, meus amigos, a hora finalmente chegou para o seu retorno".
 

No filme, Prometeu é o nome da nave espacial que transporta os seres humanos aos seus Engenheiros alienígenas. Ele representa simbolicamente os humanos usando o "fogo" (conhecimento) que foi dado a eles para subir de volta à divindade (seus criadores alienígenas) por seus próprios meios. Esta metáfora de iniciação espiritual é uma reminiscência das muitas histórias mitológicas encontradas ao longo da História que escondem um significado semelhante esotérico. 

No entanto, Escolas de Mistérios acreditam que a iluminação não é dada a todos, mas apenas para alguns poucos escolhidos e isso é apropriadamente refletido em "Prometeu". No filme, todas as pessoas que estavam a bordo para fins egoístas, monetários ou insinceros morreram. Só  quem estava lá pela verdade e com uma forte fé espiritual sobreviveu. Esse tipo de narrativa está a par com histórias alegóricas de iluminação espiritual afirmando que apenas o verdadeiro coração vai chegar a esse estado superior de ser. 

Além de Elizabeth, outro personagem não-humano sobreviveu: David, o Android. 

 Por volta do fim do filme, David tem sua cabeça cortada, mas, já que ele é um robô, 
ele ainda funciona. Elizabeth pega a cabeça e continua sua jornada, simbolicamente
 significando que ela precisa de intelecto humano puro e tecnologia para alcançar
 a iluminação.

David tem capacidade intelectual grande, fazendo-o acreditar que ele é superior aos seus colegas humanos. Apesar deste fato, ele é, no entanto, fundamental para a busca de Elizabeth - uma sutil mensagem informando que o transhumanismo é importante na evolução humana.

No final do filme, David não entende por que Elizabeth deseja continuar sua busca por seus criadores. A diferença é que ela tem uma alma e ele não. É por esta razão que ela volta a coloca a cruz no pescoço. Sua busca não é simplesmente uma missão espacial, é uma peregrinação espiritual para descobrir de onde ela vem. 

Na cena final do filme, Elizabeth decide não voltar para a Terra (representando a 
materialidade e o baixo ego) e continua a procurar pelos Engenheiros (representando
 iluminação e divindade). Sua busca não acabou e, portanto, pode haver uma sequela. 

Conclusão

Enquanto a maioria dos espectadores provavelmente pensaram que "Prometeu" era um "filme decente de alienígenas", mergulhando um pouco mais profundo em seu significado e simbolismo revela  uma outra interpretação. Inspirando-se na teoria de antigos astronautas, "Prometeu" propõe uma reconfiguração radical da história e teologia, um produto que faz da humanidade um produto de "deuses criadores" extra-terrestres. O filme também mistura essa busca de conhecimento científico com as questões espirituais e metafísicas, tornando essa história não só sobre alienígenas com raiva, mas sobre questões existenciais atemporais. 

Como o título do filme sugere, a história de seres humanos que vão para o espaço para encontrar seus criadores tem um significado esotérico subjacente, visto que ela pode ser interpretada como uma metáfora para a iluminação espiritual. O Prometeu Titan é uma figura central em escolas de mistério ocultistas; uma figura arquetípica de um "rebelde lá de cima", que trouxe o conhecimento divino para a humanidade - com todos os benefícios e as perdas que isso gera. Sociedades secretas ocultistas acreditam que esse conhecimento fornece o caminho de volta para a divindade. Da mesma forma que a nave Prometeu deixa a Terra para encontrar os Engenheiros, iniciantes ocultos procuram deixar o plano material para atingir a iluminação e "ser um" com o Grande Arquiteto do Universo. 

Dito isto, há alguma verdade para as muitas histórias e mitologias que se referem a uma figura divina que vem de cima para transmitir conhecimento para a humanidade? As figuras de Prometeu, Lúcifer, e os Sentinelas do Livro de Enoque tem base de fato para elas? Existe uma fonte de "fora" para o conhecimento avançado e esotérico da humanidade? Houve algum dia os Néfilins, uma "super-raça" na Terra, ajudando a humanidade a desenvolver-se, mas acabaram a corrompendo? É esse o "elo perdido" na evolução humana? É a razão pela qual a humanidade é auto-destrutiva e de alguma forma fora de sincronia com o resto do planeta? Será que essa fonte exterior vêm de alienígenas como sugerido em "Prometeu" ou de anjos caídos e/ou demônios, como escrito em textos antigos? É essa a fonte externa por trás dos ensinamentos de sociedades secretas e por trás... dos Illuminati?



Concordo com a sua cara, Keanu. Lol, de fato.

Fonte: VC

Leia Mais
Katy Perry "ET" e a Agenda Reptiliana 
O Simbolismo Esotérico no Vídeo Viral "I, Pet, Goat II"