LILY ALLEN - A VERSÃO BRITÂNICA DO CONTROLE MENTAL

Lily Allen já não é mais nova na indústria da música, já faz um bom tempo que ela lançou seu primeiro disco e alcançou sucesso mundial. Se você está por dentro da música, você provavelmente já ouviu falar dessa artista alguma vez. Britânica, a cantora começou sua carreira cedo, ganhando notabilidade postando material na Internet, o que atraiu milhares de ouvintes e fez com que ela conseguisse mais rápido um contrato para lançar seu disco. Seu primeiro álbum, lançado em 2006, vendeu mais de 2 milhões de cópias e atingiu o topo das paradas inglesas.LEIA O RESTANTE AQUI
,

Nicki Minaj "Only" ou Como Rappers pagam Tributo a Seus Senhores da Elite

[ domingo, 23 de novembro de 2014 | 0 comentários ]

 
O vídeo com a letra da canção "Only" retrata Nicki Minaj como uma ditadora em um ambiente semelhante ao nazista. Seus acólitos Lil Wayne, Drake e Chris Brown representam vários ramos da elite oculta. Por que rappers querem glorificar um regime que matou e oprimiu milhões - especialmente as minorias? Porque eles são marionetes da elite - e a elite secretamente adora ditaduras opressoras.

"Lyric Videos" geralmente são vídeos simples que mostram a letra de uma canção. Deixe isso para Nicki Minaj e sua equipe e eles transformam um vídeo lírico em uma saudação perturbadora para ditaduras violentas e uma homenagem a seus senhores da elite. Depois de "canalizar" o molestador de crianças condenado, Roman Polanski, com seu "alter-ego" Roman Zolanski, Nicki Minaj agora desempenha o papel de Hitler literalmente. Embora alguns possam dizer que o vídeo é "uma maneira de dizer que a gravadora Young Money domina o rap", não é. A única razão pela qual a Young Money está obtendo grande exposição é porque seus "artistas" estão empurrando ativamente a Agenda da elite (veja meus inúmeros artigos sobre Nicki Minaj e Lil Wayne). Também vale a pena mencionar que a mesma ditadura emulada nesse vídeo enviou milhões de pessoas para campos de concentração e massacraram a maioria delas. E isso só aconteceu há algumas décadas. Quem gostaria de estar associado a isso? Ninguém, exceto os peões Illuminati que são ditos o que tem que fazer. A elite oculta sempre secretamente aprovou as medidas da Alemanha nazista (veja como a Operação Paperclip trouxe 1500 de trabalhadores nazistas para a América). E, por meio da negação gradual dos direitos básicos e liberdades combinada com o aumento de táticas do estado policial, a elite está procurando ativamente orientar a América de volta para essa direção. O vídeo de Nicki Minaj está tentando fazer todo aquele horror parecer legal e sexy de alguma forma.

"Only", no entanto, não é só sobre a Segunda Guerra Mundial na Alemanha. Trata-se da elite oculta de hoje e suas tendências totalitárias. Cada artista na canção retrata uma "filial" da elite - um "ângulo" do qual eles controlam as massas. O rap costumava ser sobre a "luta contra o poder" - é agora é sobre "servir o poder". Por esta razão, Nicki Minaj, Drake, Lil Wayne e Chris Brown são retratados como chefes de um regime opressivo, ditatorial e militarista - que é para onde a elite quer nos levar.

Nicki Minaj: A Líder Carismática

 Todas as ditaduras precisam de um líder carismático que as massas ignorantes temerão e idolatrarão. Esse papel é desempenhado por Minaj.

  Minaj está em pé na frente de aviões de guerra que vão para guerra em 
algum lugar. Sim, aparentemente, guerra é agora algo legal. Uma antena
 é usada para espalhar a sua propaganda. 

  Quando Minaj diz "Yo", o som sai da antena e transforma o mundo
 em vermelho. Isso representa como os políticos espalham a propaganda
 da elite que permanece nas sombras.

  Esta é uma réplica do portão de Brandemburgo, durante a Alemanha nazista. 
A única diferença é que vemos o logotipo da Young Money nos banners ao invés
 de uma suástica... e há também Nicki Minaj ampliada cirurgicamente em cima.

  Desfile nazista sob o Portão de Brandemburgo, 1930.

  Em cada lado de Minaj estão figuras encapuzadas escuras. Elas 
são a elite sombria secretamente controlando o líder carismático?

Chris Brown - O Militar 

A elite depende de uma força militar de alta tecnologia para invadir países e oprimir seu próprio povo através de um policial militar. Chris Brown faz o papel do general.

  Chris Brown como um general, em pé na frente de armas. 

Note que Chris Brown está vestindo o uniforme de um general americano - dando a entender que o vídeo é sobre uma ditadura moderna. Trata-se da elite ocultista procurando trazer uma Nova Ordem Mundial. Outras imagens apontam para a mesma direção.

  Imagens de mísseis modernos atirando são mostradas, enquanto 
Chris Brown está cantando. Será que sofremos tanta lavagem cerebral 
para nos alegrarmos enquanto assistimos a mísseis explodindo?

  Em várias ocasiões, vemos imagens de câmeras de vigilância
filmando você, o espectador. Vigilância de alta tecnologia é um
 importante elemento parte da Nova Ordem Mundial. 

Não havia câmeras de vigilância durante a Segunda Guerra Mundial. Mostrar câmeras de vigilância permite que você saiba que é sobre o estado policial que a elite está tentando trazer agora. Nos últimos anos, tem havido um esforço constante para mostrar câmeras de vigilância em vídeos de música para normalizar a sua existência. Eles querem que você pare de perceber que o "Big Brother" está te observando.

Drake - Religião de Estado

Por que Drake, que é judeu, está participando de um vídeo que é muito inspirado na Alemanha nazista? Ele está consciente de que, se ele tivesse vivido na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, ele seria mandado para um campo de concentração para viver em condições terríveis, até sua execução? De qualquer forma, no vídeo, Drake está vestido como um padre católico, mas a sua "Igreja" não é o cristianismo - é uma religião de Estado criado pela ditadura.

  O logotipo de YM está no banner dentro da Igreja (e no chapéu de
 papa do Drake), indicando que essa religião foi criada para servir
 aos interesses da ditadura. 

  O livro de Young Money. Provavelmente está cheio de letras de rap terríveis.

Lil Wayne - Mega-Corporações 

Existe uma pessoa que parece ser mais corporativa do que Lil Wayne? A resposta é: Sim, existe. Lil Wayne, no entanto, representa a mega-corporação que são de propriedade da elite mundial.

  Lil Wayne de terno dentro de uma sala de reuniões
 para tomar decisões de negócios importantes. 

Mega-corporações são "ramos de negócios" da elite e sempre tem sua palavra nas decisões internacionais (pesquise sobre executivos de corporações que assistem às reuniões do Grupo Bilderberg e da Comissão Trilateral). Essas corporações possuem os meios de produção de várias indústrias e possuem quase todos os meios de comunicação.

  O logotipo YM em outdoors, para que você saiba que a elite usa meios de
 comunicação para promover a sua ditadura, como se fosse um produto. 


 O rosto de Lil Wayne na televisão: Filmes, vídeos de música 
e programas de TV são usados para promover a ditadura.

Conclusão

O vídeo com a letra da música de "Only" causou polêmica devido ao sua saudação à Alemanha nazista. Mas ele vai mais longe do que isso. Trata-se de uma ditadura moderna, com vigilância de alta tecnologia, armamento militar avançado e propaganda de mídia de massa. Em suma, é sobre as várias maneiras que a elite de hoje está tentando trazer um governo totalitário para o mundo - a Nova Ordem Mundial. Embora o vídeo faça com que os artistas pareçam poderosos e no controle, eles permanecem peões, usados para colocar um rosto "atraente" para o regime que a elite está tentando trazer.

Por que esses artistas aceitariam estar sendo associados com a guerra, a opressão, a morte, o sofrimento humano e a loucura militarista? Porque ninguém perguntou os seus pontos de vista políticos, eles têm que fazer aquilo que lhes forem dito. E isso é o que Young Money está fazendo.

Fonte: VC

Veja Mais
Fergunson: Prova que os EUA está se tornando um Estado Policial Militarizado 
Protestos em São Paulo: Uma Apresentação da Agenda do Estado Policial 

 

, ,

Lily Allen: A Versão Britânica da Indústria Illuminati de Controle Mental

[ domingo, 16 de novembro de 2014 | 6 comentários ]

Lily Allen já não é mais nova na indústria da música, já faz um bom tempo que ela lançou seu primeiro disco e alcançou sucesso mundial. Se você está por dentro da música, você provavelmente já ouviu falar dessa artista alguma vez. Britânica, a cantora começou sua carreira cedo, ganhando notabilidade postando material na Internet, o que atraiu milhares de ouvintes e fez com que ela conseguisse mais rápido um contrato para lançar seu disco. Seu primeiro álbum, lançado em 2006, vendeu mais de 2 milhões de cópias e atingiu o topo das paradas inglesas. Feito impressionante para quem estava apenas começando em um mercado super competitivo,  no qual o número de vendagens está cada vez menor. A cantora foi até mesmo indicada a premiações importantes como o Grammy Awards e o Brit Awards.

Para alguns, Lily Allen seria a versão britânica de Britney Spears ou Miley Cyrus. Embora Lily pertença a indústria inglesa, o simbolismo oculto, encontrado frequentemente no trabalho de artistas mainstream da indústria americana, é também facilmente identificado em seu trabalho. Aliás, há simbolismos oculto no trabalho dessa artista desde o início de sua carreira. Isso implica que Lily foi recrutada cedo e que não há diferença entre a indústria americana e a britânica. Na verdade, os "chefes" são os mesmos e, para conseguirem sucesso no mercado mundial Illuminati, os artistas britânicos são geralmente submetidos aos mesmos procedimentos que os demais: iniciação e controle mental.

A capa do primeiro disco de Lily Allen traz os primeiros símbolos 
ocultos, entre eles o famoso piso maçônico e a mão chifrada.

Vídeo da música "LDN" - o quadriculado preto e branco na camiseta do 
rapaz não é aleatório. Durante o vídeo, a artista aparece de vestido vermelho -
 cor do sacrifício e da iniciação.

No vídeo da música "The Fear", Lily Allen parece estar sendo iniciada
 em uma mansão de elite. O chão quadriculado preto e branco, característico 
desses rituais ocultos, não poderia faltar nesse vídeo.

Não demorou muito tempo após o lançamento de seu primeiro disco e Lily Allen já estava fazendo notícia pelas suas estranhas aparições em público e pelo seu abuso de álcool e drogas. Embora seja fácil sempre colocar a culpa nas drogas e no álcool, esse tipo de comportamento errático parece ser um dos primeiros sintomas que uma vítima de controle mental monarca começa a apresentar. Drogas e álcool são sintomas de um problema muito mais profundo, de que algo não vai bem na mente.

Por volta de 2008, amigos e familiares começaram a se preocupar com Lily e imploraram para que ela fosse submetida a um centro de reabilitação "rehab" (lembre-se que rehab é uma palavra código para reprogramação em termos de controle mental). Sua situação começou a se assemelhar a de outras estrelas que, após alguns anos de sucesso, caminharam em direção a um padrão de autodestruição. Embora de forma mais leve, muitos temeram que Lily fosse se tornar a versão britânica do escândalo de Britney Spears (uma escrava MK óbvia).

Assim como Britney Spears, durante a época do "surto", Lily Allen fez aparições públicas com perucas ou com cabelo colorido. A troca da cor do cabelo ou a "troca de perucas" representa a alternância das personas, pois quando alguém sofre de transtorno de múltipla personalidade (que é o resultado final do controle mental), cada personalidade tem sua característica emocional e comportamental.

Lily Allen com o cabelo rosa. Cores diferentes de
 cabelo e perucas são indicadores de mudança de persona.

Sheezus

Afastada da mídia desde o lançamento do seu segundo álbum, Lily Allen retornou à música com o sucessor de It’s Not Me, It’s You. Após o período de promoções, performances e shows do álbum, em 2009, a agenda da cantora tornou-se restrita a sua vida pessoal, priorizando o desejo da cantora em construir uma família e engravidar. Lily ficou muito tempo fora dos grandes holofotes e durante esse período, a cantora fez apenas participações artísticas menores. Depois de sofrer mais um aborto espontâneo, ela engravidou do seu atual marido, Sam Cooper, em 2011, dando luz à Ethel Mary e, em 2013, nasceu a segunda filha do casal, Marnie Rose.

Depois de muitos rumores e polêmicas a respeito de sua vida e comportamento, Lily retornou neste ano com o seu terceiro álbum, "Sheezus". Embora o disco não tenha sido um grande sucesso (mas temos que levar em conta que em 2014, pouquíssimos álbuns foram bem sucedidos), "Sheezus" é o trabalho mais simbólico que a cantora já lançou. O próprio nome já esconde bastante significado e indica que Lily, além de estar aparentemente iniciada no ocultismo, como a maioria dos artistas mainstream, é mais uma escrava Beta de mente controlada.

Capa do disco "Sheezus" de Lily Allen. Em entrevista, a cantora
 confirmou que "Sheezus" (she = ela) é a versão feminina de Jesus e 
que baseou o nome do disco no conceito de "Yeezus", de Kanye West.

Em 2013, Kanye West lançou o disco "Yeezus" e na ocasião dissemos que o nome reflete o objetivo das sociedades secretas: ascender da humanidade à divindade. "Yeezus" seria a fusão de Kanye West, o homem, com Jesus Cristo. Os mistérios ocultos afirmam transformar homens em deuses através da iniciação espiritual. Nessa mesma linha, o "Sheezus", de Lily Allen, tem o mesmo objetivo, mostrar que a divindade não é algo intocável, e que ela também pode ascender à divindade igualmente. Essa identificação com o conceito oculto do trabalho de Kanye West pode indicar que ela também está "mergulhada" em alguma dessas sociedades secretas.

O vídeo para a música "Sheezus" está cheio de simbolismos piscando em questão de segundos e deixa claro que o conceito de seu álbum não é nenhum pouco espiritual.

Lily e chifres de diabo. Eu acho que "Sheezus" não é a versão feminina de Jesus.

Um triângulo em um do de seus olhos, deixando claro que esse vídeo é Illuminati.

Além do título simbólico de seu terceiro álbum e do vídeo "Sheezus", Lily Allen retornou ao mundo da música lançando o vídeo "Hard Out Here", que, embora pareça satirizar a indústria da música pop e o controle dos "chefes" sobre o corpo e imagem das cantoras, mostra Lily Allen também como mais uma escrava Beta dessa indústria.
 
No vídeo "Hard Out Here", Lily se comporta como uma perfeita 
Beta-kitten, glamourizando a "prostituição" e o comportamento
 hiper-sexualizado de uma escrava  Beta-kitten, enquanto canta 
"está difícil aqui fora para uma vadia".

Embora a letra da música de "Sheezus" e o vídeo "Hard Out Here" contenham elementos que nos faz pensar que a cantora pudesse estar realmente satirizando o cenário pop (que, de fato, se tornou nada mais do que um ringue, em que uma cantora tenta ser melhor ou vender mais do que a outra, com roupas e vídeos apelativos), o comportamento de Lily Allen não é nenhum pouco diferente das demais "divas" do pop. Na música "Sheezus", ela cita Katy Perry e Lady Gaga, por exemplo, porém, essa crítica pareceu apenas estratégia para chamar atenção em torno do lançamento de seu disco, pois Lily, assim como as demais, também está dentro do ringue e quer vender, não medindo esforços para isso.

Neste ano, Lily Allen fez aparições na turnê de Miley Cyrus para ajudar a 
promover o então fracassado "Sheezus". Eu acho que se ela estivesse realmente 
criticando a indústria da música pop do fundo do seu coração, Miley Cyrus
 provavelmente seria a última opção para se juntar.

Air Balloon

Talvez os elementos mais expressivos que indiquem a participação de Lily Allen na cultura de controle mental MK estão no vídeo "Air Balloon", em que a cantora aparece ao lado de zebras e onças em um cenário composto por imagens gráficas. Seria mais um vídeo de música aleatório se não conhecêssemos o significado oculto desses elementos.

 Borboletas monarcas aparecem o tempo todo em torno de sua cabeça.A borboleta
monarca é o principal símbolo da programação monarca...uma maneira de mostrar 
que sua mente está sob controle. A mesma programação monarca que 
impera na indústria americana.

Aliás, dezenas de borboletas monarcas aparecem no vídeo...

 Além da borboleta monarca, vemos outro símbolo importante do controle mental
Beta. Lily Allen aparece com uma chita. Uma referência à programação Beta que 
transforma mulheres em escravas sexuais "felinas" (kitten).

A dualidade preto e branco, sempre presente nesses tipos de vídeo,
 é referenciada aqui por esta zebra. Foram bastante criativos desta vez.

Cogumelos começam a brotar do chão. Cogumelos estão relacionados a 
alucinógenos, que são utilizados no controle mental para fazer a vítima
 dissociar-se completamente. Uma alusão ao filme "Alice no País
 das Maravilhas", um filme sobre controle mental.

 De repente, Lily Allen começa a levitar e flutuar para fora do planeta...uma forma
 de mostrar a sua dissociação da realidade. A dissociação é uma ferramenta 
chave no controle mental monarca.

 Enquanto Lily paira no espaço, uma imagem sombria de Jesus crucificado
 passa por perto. Uma forma de dizer que por meio do controle mental, Lily Allen
 atingiu o status de "Sheezus"... ela conseguiu ascender da humanidade à divindade.

Conclusão

Embora Lily Allen seja britânica e tenha aparentemente satirizado as cantoras pop atuais no álbum "Sheezus", não há nada que indique que ela não seja também uma escrava MK e que não esteja sob controle dos mesmos manipuladores. O simbolismo encontrado em seu material, seu comportamento e seu relacionamento com outros artistas revelam que ela está dentro do mesmo ringue, disputando uma fatia da atenção do público. O vídeo da canção "Air Balloon" deixa tudo mais claro com referências à programação monarca e é tão expressivo quanto os vídeos de Rihanna ou Lady Gaga. Lily também precisa promover a mesma agenda que os demais artistas do outro lado do Atlântico. Recentemente, a cantora  mostrou-se decepcionada com as vendagens de "Sheezus" e pôs a culpa nela mesma...é, como diz a letra de sua própria música... "está difícil aqui fora para uma vadia".

Veja Mais
Lana Del Rey diz "Queria estar Morta" e o Sacrifício da Indústria da Música em "Born to Die"
Ariana Grande: A Nova Queridinha da Indústria da Música Illuminati? 
 
 

,

"Desenhos Secretos" de Michael Jackson revelam Referências ao Controle Mental

[ terça-feira, 11 de novembro de 2014 | 4 comentários ]

Michael Jackson deixou uma grande quantidade de obras de arte - e seu simbolismo é muito revelador. Elas fornecem uma visão rara de suas lutas interiores e, mais importante, estão cheias de imagens e gatilhos relacionados ao controle mental monarca. 

A história de Michael Jackson é a história de tudo o que está errado na indústria do entretenimento. Empurrado para a ribalta desde a tenra idade, Jackson tornou-se um escravo literal da indústria da música. Enquanto no auge do estrelato, MJ, de forma lenta mas precisa, metamorfoseou-se em uma pessoa completamente diferente. Apesar de suas mudanças físicas terem sido as mais óbvias, ele também mostrou sinais de abuso psicológico pesado. Será que ele foi submetido à programação monarca durante uma fase crucial da sua vida? Novas pistas parecem levar a essa direção.

Uma coleção de desenhos nunca vistos antes, feitos por Michael Jackson, estão agora à venda por um homem da Flórida, e o seu simbolismo é bastante revelador. Os desenhos estão completamente em linha com a "arte" temática MK caracterizada neste site, tais como as pinturas feitas pela sobrevivente MK-Ultra Kim Noble (veja o artigo sobre ela aqui). Aqui estão os desenhos.

 Este desenho mostra um rosto sorridente que está ligado a vários fios. Os 
fios estão conectados com o que parecem ser caixas de comutação. Será esta 
uma referência à tortura eletrochoque? Além disso, parece haver pequenos 
chifres crescendo na sua cabeça. 

 Um relógio estranho em que apenas o número 7 está visível. MJ 
parecia estar obcecado com esse número particular - que não é
 uma obsessão incomum de escravos MK.

  Esta ilustração descreve o rosto de MJ e o número sete acima dele. 
A metade inferior do rosto está deformada como se estivesse sendo 
eletrocutada. É esta uma outra referência à tortura eletrochoque?

  Esta imagem mostra uma visão de raio-x do corpo. De acordo com a fonte 
original "no campo da arte-terapia isso pode indicar um possível descompasso entre
 o corpo, mente e realidade". Em outras palavras, esta imagem pode representar MJ 
sendo dissociado de seu corpo e da realidade - o objetivo da programação Monarca.

 Esta imagem descreve três pessoas - um homem e uma mulher e uma criança. 
As três pessoas no entanto, têm a mesma cara (e a mesma expressão facial), 
que pode sugerir o fragmento da personalidade núcleo em opostos dualistas
 (masculino e feminino) e da emergência de uma nova persona (a criança).

  A assustadora cara de um palhaço desenhada em um fundo vermelho (uma 
reminiscência de sangue, raiva e violência). Combinadas com o rosto perturbador, 
as palavras "Eu realmente te amo" parecem ser insinceras, como se viessem 
de um malandro (o manipulador MK?). 

  O conceito de espelhamento, dualidade e
 uma persona criança aparecem novamente.

  Esta imagem é MKULTRA. É tudo sobre o conceito de dualidade e a 
separação da personalidade. Dos guarda-chuvas que estão em sentidos opostos 
aos rostos espelhados exibindo emoções opostas e o xadrez no fundo é uma das 
pistas mais claras insinuando que MJ foi submetido ao controle mental. Além
 disso, partes de seu corpo aparecem "pregadas", que é como os escravos 
MK são programados para sentir. 

 As pinturas de Kim Noble - uma sobrevivente MK - muitas vezes apre-
sentam os temas da dualidade, a divisão da persona núcleo e trauma. 

  A capa de "Blood on the Dance Floor" de MJ é extremamente simbólico. De
 pé sobre um piso quadriculado maçônico, MJ está vestindo vermelho - a cor do
 sacrifício. O nome "Blood on the Dancefloor" é uma referência ao sacrifício de
 sangue no chão maçônico ritualístico. 

Embora grande parte da vida de Michael Jackson ainda seja um mistério, esses desenhos incrivelmente significativos podem adicionar um pedaço do quebra-cabeça. Eles contêm muitos dos temas centrais de controle mental Monarca e são permeados de conceitos com os quais escravos MK parecem obcecados.

Fonte: VC

Veja Mais
O Mundo do Controle Mental Através dos Olhos de uma Artista com 13 Alter Personas
Michael Jackson aparece em Holograma no Billboard Music Awards... e é usado para a Agenda Illuminati 
 
  

, ,

Simbolismo Illuminati em Novo Desenho da Cartoon Network "Clarêncio, o Otimista"

[ domingo, 2 de novembro de 2014 | 4 comentários ]

"Clarêncio, o Otimista" é um desenho da Cartoon Network lançado neste ano. A série gira em torno de uma garoto que é otimista sobre tudo. O desenho causou polêmica alguns dias atrás quando foi dito que um dos episódios iria mostrar um beijo gay, mas a CN resolveu censurá-lo devido às críticas. Todavia, o simbolismo Illuminati não foi removido e mostra quem são os patrões da Cartoon Network.
 

Veja Mais
Arthur - Desenho Illuminati  
Disney Ainda Expõe as Crianças a Simbolismos e Temas Questionáveis no Desenho "Gravity  Falls"
 
 

Imagens Simbólicas (setembro & outubro/14)

[ segunda-feira, 27 de outubro de 2014 | 7 comentários ]

Esse é o logo da coleção de joias da cantora Kesha, que ela intitula "Olho
 Mal". Esse explícito simbolismo oculto é uma prova de que ela continua 
sendo um fantoche manipulado pela triste indústria Illuminati.

Gwen Stefani está de volta na indústria e para se certificar que está fazendo a coisa 
certa, ela volta fazendo o sinal Illuminati do "um olho". Gwen já foi mencionada neste 
site pelo simbolismo de controle mental em um de seus vídeos da década passada. 
(Veja aqui Gwen Stefani e o Simbolismo Oculto de "What Are You Waiting For")

Mais sinal do "um olho".

No vídeo "Baby Don't Lie", vemos Gwen Stefani em um ambiente virtual com pirâmides
dualísticas pretas e brancas e roupas da mesmas cores, enquanto caminha sobre uma pista 
amarela. Será uma referência à estrada de tijolos amarelos de "O Mágico de Oz"?

Quando Gwen Stefani estava junto do grupo No 
Doubt, havia bastante simbolismos também.

Chris Brown foi notícia este mês por fazer comentários conspiratórios a respeito do Ebola
mas talvez seja apenas para marketing. No vídeo "New Flame" com participação de Usher e
Rick Ross, o cantor aparece de branco na frente de um triângulo em chamas. 

Mais tarde, percebemos que é um 'X' em chamas. O 'X' tem vários significados no
simbolismo oculto, um deles é o sinal de Osíris (que está relacionado ao deus sol).

Ainda no mesmo vídeo, vemos Usher em uma escada, com uma dama de
 vermelho. Uma alusão à escada maçônica? O vídeo é sobre iniciação oculta.

A escada dos graus da maçonaria.

 Daniel Radcliffe, famoso pelo papel de Harry Potter, agora
na capa do filme "Horns" (O Pacto), com o sinal do "um olho",
chifres e uma cruz invertida com a mensagem: "ele trará o demônio
 em você". Bastante apropriado para a indústria Illuminati.

Cena do filme "O Pacto" - Daniel Radcliffe sobre um piso quadriculado 
preto e branco. O filme e seu enredo estão cheios de simbolismo oculto.

Katy Perry em frente ao Castelo Harvard Lampoon, construído pelo Illuminatus
William Randolph Hearst. Essas construções são geralmente usadas como locais 
de iniciação. Na legenda, a cantora escreveu "eu nunca mais fui a mesma".

Depois, Katy Perry tira foto com um medalhão Lampoon sobre um olho.

Miley Cyrus com óculos contornados por pílulas (controle mental 
MK) e sorvetes cobrindo os seus seios. Esse é o retrato da cultura MK.

Selena Gomez fazendo o sinal do "um olho".

Rita Ora também precisa fazer a mesma coisa.
 
Aliás, Rita Ora anda exibindo bastante estampa
 felina ultimamente - símbolo da programação Beta.

Aqui, além da estampa felina, Rita posa de Marilyn 
Monroe, a protótipo da programação Beta.

A banda britânica London Grammar em frente a uma
 pirâmide Illuminati no Lollapalooza. Por que será?

Veja Mais