Férias do Autor & O Plano Mestre

sábado, 21 de dezembro de 2013 42 comentários

2013 está chegando ao fim e, provavelmente, este foi um dos melhores anos de minha vida. Também, este foi o nosso quarto ano com o projeto Knowledge is Power. Como o tempo passa rápido e como eu mudei durante esses anos! Fiquei mais velhinho, mais experiente, mais ocupado, mas não foi só isso; eu sempre costumo dizer que fui eu quem mais aprendeu com toda essa história. Esses anos de postagens fizeram com que eu mudasse minha visão de mundo radicalmente, vocês não imaginam o quanto.

Todos devem ter percebido que não tenho mais o mesmo tempo que tinha em 2010 (quando eu dedicava toda a minhas férias e feriados para fazer posts novos). Hoje, minha vida mudou tanto que já não tenho mais o mesmo ritmo de antes. Nesses últimos anos, fiz duas pós-graduações, comecei a trabalhar em dois empregos, ou seja, muita coisa para uma pessoa só. Em 2013, decidi separar mais tempo para diminuir minhas atividades, descansar um pouco, passear, viajar, cuidar da saúde, praticar esportes, respirar ar puro (esse tipo de coisa que não devemos esquecer de fazer). Por esta razão, meus posts diminuíram nos últimos meses. Definitivamente, não é fácil cuidar de um site e fazer tantas outras coisas ao mesmo tempo. Também, não é fácil fazer análises de tudo o que aparece, e eu obviamente não sei tudo. Porém, acredito que já contribui bastante para esse tema, e meu pensamento está agora em contribuir com outros tipos de informações.

Com isso em mente, passei o ano todo pensando em uma série que resumisse tudo que ainda preciso dizer para as pessoas, mas ainda não consegui. Durante esses anos, recebi perguntas diariamente, mas não nunca consegui responder a todos. Percebi que muitas dessas perguntas são sempre as mesmas, geralmente dúvidas relacionadas a religião. Por esse motivo, decidi criar mais uma série (O Plano Mestre) que será lançada em janeiro, cujo o tema central será religião, filosofia e história, por uma perspectiva diferente; será uma tentativa de responder a essas dúvidas. Essa série descreve o que realmente sinto e quem eu realmente sou. É tudo que sempre quis dizer para as pessoas mas nunca consegui.

Em meados de abril/13, ainda não havia nada em minha cabeça a respeito da série. Aos poucos fui pesquisando e a série começou a tomar um formato. Hoje eu sei exatamente o que eu quero transmitir. Está na hora de mostrar que a verdade pode não ser exatamente o que as pessoas pensam que é. Embora isso pareça um pouco óbvio, muitas delas ainda não sabem e, possivelmente, vão ficar chocadas, bravas e angustiadas, especialmente quando se depararem com o fim da série, onde se encontrarão os vídeos mais reveladores. Meu conselho é que assistam primeiro à série completa antes de formularem sua avaliação. O objetivo não é dizer que sou eu quem está certo. Pelo contrário, o objetivo está em mostrar que aquele que cuida estar certo precisa talvez caminhar um pouco mais.

Para que a série tenha início dia 6 de janeiro, ainda preciso trabalhar um pouco mais nela. Por essa razão, farei uma breve pausa nas atividades do blog e no canal YouTube até lá. Prepararei outros vídeos e posts nesse período também. Até o dia da estreia, usarei as redes sociais (Twitter, Facebook, Instagram) para adiantar informações sobre o trabalho. Fiquem atentos.

Imagens Simbólicas (novembro & dezembro/13)

terça-feira, 17 de dezembro de 2013 27 comentários

Jared Leto mostra o simbolismo do "um olho" em capa de revista
 e um anel com o "olho que tudo vê" para deixar as coisas mais óbvias.

 Para esta outra revista, ele também esconde um olho e deixa à mostra o 666 com a mão.

Esta é a revista Vogue UK edição dezembro: simbolismo monarca - Mickey, coruja...

A capa do single natalino de Leona Lewis "One More Sleep" mostra
 o sinal do "um olho". A indústria Illuminati não tira férias de Natal.

 Simbolismo do "um olho" com Lady Gaga na capa da revista Attitude.

Este pôster é do ano passado, mas mostra o quanto eles não se cansam
de associar a imagem de Michael Jackson com a borboleta monarca.

Jim Sichko é um padre da Diocese de
 Lexington. Ele tem laços com Hollywood e 
sua elite política. Sem muita surpresa, ele faz
 o sinal do Um Olho na capa de seu livro.

Gisele Bündchen andando por aí com o "olho que tudo vê" estampado em sua blusa.

Mais e mais leitores nos enviam flagras de roupas com o simbolismo
 Illuminati. Estão se tornando indispensáveis artigos como esta blusinha. A
 mensagem estampada: "minha alma pertence a você", "garota sortuda".

 Mais...

Uncle Jed ganha o programa de talentos Australia Got Talent e promove o "olho que tudo vê".

Miley Cyrus se apresentando no AMA, com um gatinho
simbolizando a programação BETA/sex-kitten. Para não deixar
dúvidas, o gatinho também faz o sinal do "um olho".

 Também no AMA, Rihanna não esqueceu de fazer o sinal Illuminati.

Lady Gaga nunca se cansa de mostrar o simbolismo do "um olho".
 Este foi feito no especial da rede ABC do Dia de Ações de Graças.

Cena do filme "Dr.Dolittle" mostra o símbolo da Ordem
 da Estrela do Oriente (a versão feminina da Maçonaria).

Símbolo da Ordem da Estrela do Oriente.

A campanha outono-inverno da Louis Vuitton 2013 gira em torno de máscaras
 à la "De Olhos Bem Fechados". O pequeno vídeo " Initiation au voyage" (com
 David Bowie) descreve um baile de máscaras "mágico". Louis Vuitton lançou uma
 série de fotos mostrando a indumentária dos convidados - e adivinhem? Eles 
estão cheios de simbolismo Illuminati/MK-Ultra . Nesta, o rapaz tem um 
tapa-olho,  para enfatizar o sinal inevitável do "um olho". 

 Este cara está usando máscara dupla - um
 tema que parece ser favorito em "festas da elite".


Imagem de um convidado de um baile de máscaras real
dado pela família Rothschild em 1972. Leia o artigo aqui.

 Outra convidada ostentando o tema do rosto múltiplo. Em simbolismo MK-
Ultra, isso é usado é usado para representar as várias personas de um escravo.


Em simbolismo MK, um espelho quebrado representa a psique fragmentada
 dos escravos. Claro, esta máscara só pode representar um espelho quebrado, 
mas, considerando-se as imagens dos outros trajes, há definitivamente 
um tema de múltipla personalidade acontecendo ali.

 Que mãos são estas em seus olhos? De manipuladores MK de novo?

Algo "estiloso" está escondendo o olho da modelo. Juntando com
o vestido xadrez, este anúncio é um "olá" para a elite ocultista.


Veja Mais

, ,

A Interpretação Esotérica do Filme "9": Anunciando a Era de Hórus

terça-feira, 10 de dezembro de 2013 29 comentários


 "9", de Tim Burton é um filme de animação que foi lançado no dia 9/9/09. Embora alguns críticos tenham afirmado que o filme "não tinha substância", ele, no entanto, transmite, através de mensagens poderosas, muito simbolismo. Ele ainda define uma "nova era" para a humanidade, como visto por sociedades secretas ocultistas. Nós vamos analisar o significado esotérico de "9".

Atenção : spoilers gigantescos à frente!

"9" se passa em um mundo pós-apocalíptico, escuro, onde máquinas inteligentes que auto-reproduzem destruíram toda a vida na Terra. Neste cenário desolado, uma pequena relíquia da humanidade continua: Nove bonecos de pano animados pela alma de um cientista. Esses bonecos, no entanto, são constantemente alvo das máquinas que estão determinadas a erradicar qualquer coisa parecida com a vida na Terra. Os bonecos devem, portanto, se unir para lutar e destruir esses robôs do mal .

O parágrafo acima resume muito bem o enredo de "9" em sua totalidade - e isso é provavelmente o que a maioria dos espectadores entenderam do filme. No entanto, como todas as obras infundidas com uma dimensão esotérica, há mais no filme do que os olhos possam perceber. Através de simbolismo e referências, o filme descreve a humanidade como um todo e a fase de transição pela qual está passando. Mais precisamente, "9" descreve o mundo como visto por sociedades ocultas secretas e a "nova era" que eles todos estão prevendo: a Era de Hórus ou a Era de Aquário.

Antes de analisarmos o filme, vamos entender a filosofia oculta por trás dele. 

A Era de Hórus 

A elite ocultista acredita que a humanidade precisa passar por um período de grande tribulação para que ela "se livre de suas impurezas". De acordo com os escritores ocultistas, essas "impurezas" incluem as religiões tradicionais e governos como os conhecemos. Manly P. Hall, um maçom de grau 33, descreve o que deve acontecer na próxima fase da humanidade. Mais tarde, vamos ver como isso se encaixa perfeitamente com a visão retratada em "9".


 "Os pregoeiros dos Mistérios falam de novo, oferecendo a todos os homens bem-vindos à Casa da Luz. A grande instituição da materialidade falhou. A falsa civilização construída pelo homem se transformou e, como o monstro de Frankenstein, está destruindo o seu criador. A religião vagueia sem rumo no labirinto de especulação teológica. A Ciência bate em si mesma impotentemente contra as barreiras do desconhecido. Somente a filosofia transcendental sabe o caminho. Só a razão iluminada pode levar a parte consciente do homem para cima, para a luz. Somente a filosofia pode ensinar ao homem a nascer bem, viver bem, morrer bem, e em medida perfeita nascer de novo".

 - Manly P. Hall, The Secret Teachings of All Ages


O ocultista mais importante do século 20, Aleister Crowley, afirmou que os últimos 2000 anos foram a "Era de Osíris". Osíris era o "rei dos vivos e governante dos mortos" e sua era foi caracterizada por governos fortes e religiões, nomeadamente "a ênfase sobre a morte, o sofrimento, a tristeza e a negação do corpo" do cristianismo. No entanto, desde o século 20, Crowley afirma que a humanidade entrou na Era de Hórus, que é o filho de Osíris. Nesta fase, os seres humanos iriam aprender a tornar-se seus próprios deuses.


 "Em linguagem simples, o Aeon de Hórus significa que a divindade está sendo passada para o indivíduo que precisa aprender a ativar e encontrar o deus interior dentro deles mesmos. Esse último Aeon vê o começo do fim do poder e da autoridade divina sendo possuída por reis, rainhas, religiões, governos, grandes instituições e ditaduras, que cada vez mais todos começam a falhar espetacularmente. O indivíduo terá a oportunidade de se tornar totalmente livre, no comando de seu próprio destino espiritual."

- Paul Dunne , The Magic of the New Aquarian Age and the New Aeon of Horus


Através de simbolismo sutil, "9" descreve a queda da autoridade (principalmente da Igreja Cristã), em uma era nova governada pela filosofia luciferiana de obter divindade por meio de suas próprias forças. Usando bonecos de pano e muito pouco diálogo, "9" descreve a base dessa filosofia oculta e mostra como ela vai prevalecer. 

Os heróis do filme são eles próprios o produto de um conceito ocultista antigo: São homúnculos, "pequenos homens" artificialmente criados através de um processo mágico. Eles são o epítome do homem brincando de Deus e dando a vida .

 Homúnculo


 O cientista cria 9, o último dos nove homúnculos que permanecem na Terra. 

Homúnculo (latim para "pequenos homens") é um conceito que pode ser encontrado em vários documentos alquímicos antigos. No folclore judaico, o Golem, um ser antropomórfico animado criado inteiramente da matéria inanimada, está documentado no Talmud e no Sefer Yetzirah (há até mesmo relatos de Cabalista rabinos animando com sucesso esses Golems).

Por um breve momento, o filme reconhece as raízes ocultas da sua premissa:

  Visível por cerca de meio segundo, a capa deste livro explica a origem dos
 bonecos de pano e indica o significado oculto por trás de todo o filme. Você pode
 reconhecer o símbolo onipresente do Olho Que Tudo Vê dentro de um 
triângulo. No entanto, o título do livro é ainda mais revelador. 

O título do livro, "Annuls of Percelsus", diz basicamente aos telespectadores: "Este filme é baseado na filosofia hermética e na alquimia". Percelsus foi um dos ocultistas mais famosos do Renascimento. Seu trabalho no campo do hermetismo, alquimia e medicina ainda é minuciosamente estudado até hoje, em praticamente todos os círculos ocultistas.


"Em qualquer assunto de Realização e Ritual, Percelsus é uma autoridade mágica imponente. Ninguém tem realizado obras maiores do que as suas, e por essa mesma razão ele esconde a virtude de cerimônias e somente ensina em sua filosofia oculta a existência desse agente magnético que é a onipotência da vontade, ele resume também toda a ciência de caracteres em dois sinais, as estrelas macro e microscópica. Era suficiente para os adeptos, e era importante não iniciar o vulgar. Percelsus, portanto, não ensinou o Ritual, mas ele praticou, e sua prática foi uma seqüência de milagres." 

 - Eliphas Levi, Rituel de la Haute Magie
 

 A obra de Percelsus "De Natura Rerum" (1537) é a primeira obra alquímica que menciona a criação de homúnculos. Na verdade, ela descreve uma técnica para criar um "homenzinho" utilizando esterco de cavalo e esperma humano.

O conceito de criação de homúnculos posteriormente apareceu em outros textos ocultos seminais, como a obra Rosacruziana "Casamento Alquímico de Christian Rosenkreutz" (1616) e de Johann Wolfgang von Goethe, "Faust - Parte 2" (a lenda alemã sobre um homem que faz um pacto com o diabo). Mais recentemente, Aleister Crowley e seus seguidores ficaram obcecados com a criação de um homúnculo  (Crowley usava o termo "Moonchild"). Crowley até mesmo acrescentou a criação de um homúnculo como uma "instrução secreta" quando se iniciou ao 10º grau na OTO (uma sociedade secreta ocultista).

Com essa referência , "9", portanto, bate em uma parte crucial do ocultismo ocidental.

 Gravura do século 19 representando a criação de 
um homúnculo em "Faust parte II", de Goethe.

 Em "9", os bonecos de pano leem "Annuls of Peracelsus" e 
encontram um desenho que documenta a sua criação. Esse desenho
 foi provavelmente inspirado na gravura de Faust acima. 

Além da criação de um homúnculo, o filme inclui também outras partes da pesquisa de Peracelsus, tais como o uso de Talismãs mágicos carregados e uma ferramenta que Peracelsus utilizou para tratar os pacientes. 

Entender que a história por trás de "9" está mergulhada no ocultismo antigo dá ao enredo do filme uma cor específica: ele descreve o mundo como visto pelos membros de sociedades secretas ocultistas. A evolução dos personagens em "9" diz tudo. 

Os Personagens 

Os heróis do filme são nove bonecos de pano criados por um cientista que infundiu alma dentro deles, a fim de dar-lhes vida. Ele, então, morreu, junto com o resto da humanidade. Cada um dos bonecos de pano incorpora uma parte da alma do cientista e personifica um de seus traço. Em uma escala maior, cada um desses bonecos de pano representa um grupo dentro da humanidade como um todo. O destino de cada boneco representa o que os ocultistas preveem que acontecerá na Era de Hórus. 

1: O Papa 

Os bonecos de pano são nomeados e numerados na ordem em que são criados, então 1 é o mais antigo do grupo. Sua posição de autoridade e as suas vestes distintivas fazem dele o líder do grupo. Dado o seu traje, é bastante claro que 1 representa o poder e a autoridade da Igreja Católica (e as religiões em geral).
 
 1 usa uma capa e detém um cetro, símbolos de poder. Em seu 
chapéu está amarrada uma moeda, simbolizando a riqueza da Igreja.

1 é teimoso, medroso, dogmático, covarde, e mente pequena. Em suma, ele representa todos os defeitos da Igreja como percebido pelos grupos ocultistas de elite. Na primeira parte do filme, uma força todos os bonecos se esconderem em uma catedral decrépita, desencorajando seus seguidores para se aventurarem fora dela. Ele quer que seus seguidores fiquem escondidos e ignorantes visto que ele acredita que isso é a melhor maneira de permanecer vivo. 

À medida que o filme avança, no entanto, 1 perde a sua autoridade, seu cetro e sua capa. Ele até perde a moeda em seu chapéu. Esse período de transição, em última análise, representa a queda das religiões na Era de Hórus e sua perda de poder, riqueza e autoridade. 

  Em um momento, a Catedral de 1 é atacada por robôs de um olho 
só, tocando fogo nela, forçando o grupo a se esconder na biblioteca.
 É difícil encontrar uma imagem mais reveladora que represente 
a queda das religiões no limiar de uma nova era.

Depois que a Catedral é queimada, o grupo se esconde na Biblioteca. Lá eles descobrem "Annuls of Peracelsus", um livro de ocultismo descrevendo a criação dos bonecos de pano. 1 é contra os bonecos lerem esse livro. 

 Quando os bonecos abrem o livro Peracelsus, 1 rasga a página que descreve a sua criação. 

 Em um momento, 1 diz:


 "A ciência das Trevas. O que esse lixo inútil faz por nós? Esqueça!"
 

 Para tal, 9 responde: 


- Você sabe de alguma coisa. O que você sabe?
 

1 responde: 


- Eu sei o suficiente para deixar o antigo mal deles apodrecer. Olha o que eles fizeram conosco.
 
  
Será que essa cena representa elites religiosas segurando conhecimento oculto enquanto proíbem seus seguidores de procurá-lo? 1 fala exatamente como as sociedades secretas veem a Igreja e como eles querem que o mundo veja a Igreja... a fim de abandoná-la.

9: O portador da Luz

9 é o herói do filme. Não diferente de 1, ele também está associado a um objeto que tem um significado pesado: uma lâmpada em uma vara . 

  O poster do filme retrata 9 segurando a lanterna elétrica. Note que 
a data de lançamento do filme foi 9-9-09 , um olá para a numerologia
 ocultista e um dos flertes do filmes com o número da besta, 666. 

9 é praticamente o oposto do 1. Ele é o mais jovem do grupo, intrépido, corajoso, curioso, e resolveu resolver seus problemas pelos seus próprios meios. Em suma, ele é como os grupos ocultistas se enxergam. 9 também tem o emblema favorito de escolas de mistério, uma tocha acesa - um olá para Prometeu, o portador do fogo (conhecimento divino) para a humanidade.

  "Prometeu traz Fogo", por Heinrich Friedrich Füger. 

A versão judaico-cristã de Prometeu é Lúcifer, que é uma palavra latina que significa  portador da luz". 9 representa a interpretação de Lúcifer das Escolas de Mistérios: Um salvador que "iniciou" a humanidade para o conhecimento divino e abriu um caminho para a divindade (Lúcifer deu a Adão e Eva o conhecimento do bem e do mal) .

Enquanto 1 aparentemente aguarda uma intervenção divina para salvar o mundo, 9 representa o conceito Luciferiano/Prometeniano de alcançar a divindade através de nossos próprios meios. No final do filme, 9 faz exatamente isso e ainda traz a vida de volta na Terra.

Neste filme, que se passa em um período de transição da humanidade - entre a Era de Osíris e a Era de Hórus - 9 simbolicamente representa o princípio luciferiano de derrubar religiões tradicionais... e salvar o mundo. 

Outros Personagens Notáveis 
 
 6 é um visionário obcecado com um símbolo que acaba por ser o 
talismã necessário para guardar os bonecos. Se você olhar atentamente
 para os esboços de 6, você pode notar que eles contêm três 6.

  5 é um inventor que perdeu um olho. Na verdade, ele diz a certa 
altura: "Na verdade eu não me importo de ter um olho. É mais fácil para 
mim, posso me concentrar em uma coisa de cada vez, entende...? "Ele
 é um dos muitos "olás" para os sinais do "um olho" no filme. Na 
verdade, todos os robôs do mal no filme também tem um olho. 

Aqui está um robô do mal com um olho só.

Aqui está outro robô caolho do mal. Em suma, se você estiver olhando 
aos bonecos de pano ou aos robôs, há sempre alguma coisa relacionada
 ao "um olho" só acontecendo. É uma maneira de dizer que todo o
 filme é uma mensagem da elite oculta?

  3 e 4 são gêmeos e trabalham de historiador e arquivista. 7 é uma guerreira 
destemida e a única mulher do grupo. Esses três personagens rejeitaram a
 regra de 1 na Catedral e buscaram refúgio na Biblioteca, o lugar onde todo o 
conhecimento (incluindo o conhecimento oculto) é armazenado. Quando a 
Catedral é queimada, todas os bonecos (incluindo 1) escondem na Biblioteca. 
Mais uma vez, o conhecimento e a coragem são retratados como 
o oposto de 1, o representante da religião.

 O Expurgo para Salvar a Humanidade 

Os bonecos fogem da Catedral que se queima e buscam refúgio na Biblioteca, onde 3, 4 (o historiador e arquivista) e 7 (a guerreira) já vivem.

Essa parte da história é reveladora porque representa a "evolução" que as sociedades secretas ocultistas querem ver no mundo. Desde o tempo dos Cavaleiro Templários, sociedades secretas ocultistas têm acusado a Igreja de sufocar conhecimento, ciência e progresso. É difícil encontrar um escritor oculto que não extensivamente denuncia o papel da Igreja em censurar conhecimento oculto e punir aqueles que o ensinavam ou praticavam. O movimento da Catedral para a Biblioteca representa, portanto, o abandono das religiões para o conhecimento.

Mudar-se para a Biblioteca não é, contudo, suficiente. Os robôs ainda encontram os bonecos e os atacam. No final, os sacrifícios devem ser feitos e alguns elementos devem ser "eliminados" para que o grupo sobreviva. 

A elite oculta enxerga a evolução da humanidade como um processo alquímico em curso. O objetivo da alquimia é transformar metais brutos em ouro e acredita-se que a humanidade precisa se transformar usando o mesmo processo. A primeira fase da Grande Obra alquímica é chamada Nigredo - escurecimento. Essa fase representa o processo de queima, transformando a matéria-prima em cinzas negras, a fim de quebrá-la e removê-la de suas impurezas. Em "9", o mundo está indo definitivamente pela fase Nigredo: está escuro, queimado e em ruínas. 

O final do filme é também extremamente simbólico. 9 cria uma fogueira na forma de uma estrela de cinco pontas para libertar as almas dos bonecos que foram mortos pelos robôs.

  9 cria uma fogueira que vai libertar as almas de 1, 2, 5 e 8. Na Nova Era, 
os ocultistas acreditam que alguns elementos da humanidade devem ser 
"purificados". Embora eles possam ter sido úteis durante o período
 anterior, eles são agora considerados ultrapassados. 

  Os quatro bonecos que permanecem vivos para ver a Nova Era
 são 9, 7, 3 e 4... por coincidência, os quatro que desafiaram a regra
  de 1. Essa é basicamente a mensagem de todo o filme. 

Depois da fogueira, 7 pergunta a 9:


"O que acontece em seguida?" "Eu não sei exatamente. Mas esse mundo é nosso agora. É o que fazemos dele."
 


Em seguida, começa a chover e nós vemos os organismos vivos nas gotas de água. O expurgo permitiu a vida ser trazida de volta para a Terra e somente os representantes do princípio luciferiano sobreviveram. 

Conclusão

Quando damos um primeiro olhar, superficial, ao filme "9" e seu material promocional, somos inclinados a pensar que é um filme infantil, com  um toque um pouco "dark". Os críticos resumiram o filme como sendo "bonitinho com pouca substância". Eles podem ter entendido a mensagem de que muita tecnologia é ruim, mas a verdadeira mensagem esotérica, e mais profunda, foi provavelmente perdida pela maioria. 
 
No entanto, quando se entende o conhecimento por trás usado para construir o enredo, as referências ocultas e a filosofia global do filme, é fácil ver uma dimensão inteiramente diferente para o filme. "9" fala sobre a humanidade atravessar um período de transição, abraçando um salvador Prometeniano/Luciferiano e destruir o Estado de poderes tradicionais, como a religião. 

Aleister Crowley acredita que esse período de transição é agora. Ele chamou essa nova era de Aeon de Hórus. Hórus era o filho de Osíris e Ísis, e, por essa razão , acredita-se que a humanidade está a tomar as características de uma criança. Depois de encontrar a "Raiz da Revelação", em um museu egípcio (era a exposição nº 666 ), Crowley escreveu o seguinte sobre a vindoura Nova Era:
 

 "Hórus rege o presente período de 2,000 anos, começando em 1904. Em todos os lugares seu governo está criando raízes. Observem vocês mesmos a queda do senso de pecado, o crescimento da inocência e da irresponsabilidade, as estranhas modificações do instinto reprodutivo com tendência a tornar-se bissexual ou hermafrodita, a confiança infantil no progresso combinado com medo pesadelo da catástrofe, contra os quais estamos ainda metade dispostos a tomar precauções.

Considere o afloramento das ditaduras, possível somente quando o crescimento moral está em seus estágios iniciais, e a prevalência dos cultos infantis como Comunismo, Fascismo, Pacifismo, Doenças Mentais, Ocultismo, em quase todas as suas formas, religiões sentimentalizadas ao ponto de extinção prática.

Considere a popularidade do cinema, o rádio, as associações de futebol e competições de adivinhação, todos os dispositivos para acalmar bebês irritadiços, nenhuma semente de finalidade neles.

Considere o esporte, o entusiasmo infantil e a fúria que ele provoca, nações inteiras perturbadas por disputas entre garotos.

Considere a guerra, as atrocidades que ocorrem diariamente e deixam-nos impassíveis e dificilmente preocupados.

 Somos crianças."

 - Aleister Crowley, Book of the Law on New Aeon/Age of Horus


Isto é o que o filme "9" mostra. Mas há uma pergunta que o filme não responde: a humanidade está organicamente entrando nessa fase da História ou está sendo forçada e provocada pelos poderes constituídos a fim de que alcancem sua própria "Grande Obra"? 

Fonte: VC

Leia Mais
A Indústria da Música Exposta - Parte 6 - A Filosofia Satânica  
Lady Gaga e a Era de Hórus

O Cartão de Natal Kardashian 2013: Um Tributo à Indústria do Entretenimento Illuminati

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013 38 comentários

Se houvesse um prêmio para o cartão de Natal com menos cara de cartão de Natal na história do mundo, eu acredito que o cartão de Natal Kardashian 2013 levaria o prêmio. Dirigido pelo fotógrafo de moda elitista David Lachapelle, o cartão é uma soma bastante sombria e deprimente do mundo do entretenimento - uma indústria governada por uma elite sombria que está transformando a cultura popular em um terreno baldio tóxico preenchido com celebridades vazias, como as Kardashians.

A grande panorâmica do cartão está cheia de simbolismo e referências descrevendo tudo o que a indústria de entretenimento Illuminati é. A foto se passa em um cinema abandonado, um que parece destruído e vandalizado. Veja o cartão na imagem acima (clique para ampliar) .

 Há muita coisa acontecendo ali, então vamos olhar para ele da esquerda para a direita.

  Primeiro, há Kim Kardashian posando com uma roupa reveladora. Suas 
curvas são a principal razão pela qual toda a sua família é famosa agora.
 É talvez por isso que há um grande sinal de dólar ao lado dela.

Por trás das irmãs Jenner estão duas pirâmides Illuminati, completas com o 
Olho Que Tudo Vê. O cartão não poderia ser mais claro sobre quem é o "dono"
 de toda esta família. Espalhados pelo cartão estão manequins desmembrados,
 um símbolo que é usado frequentemente para representar o Controle Mental, 
uma prática que é bastante na indústria do entretenimento Illuminati. 

 Kylie (esquerda) usa um cocar em forma de vulva fazendo-a parecer como uma espécie de sacerdotisa. As irmãs estão sobre uma pilha de revistas de "culto a celebridades", o lixo sobre o qual suas carreiras são construídas (Kanye retratado como Jesus na capa da Rolling Stones faz parte do mesmo). Por trás das irmãs (na base da pirâmide) está uma quase irônica caixa 
de Wheaties, com Bruce Jenner quando ele era um atleta olímpico.

Khloe Kardashian posa sentada no banco de trás de um carro (por quê?), enquanto o 
filho de Kourtney Mason deita em cima, com um olhar de como se a vida fosse uma 
chatice para ele. Acima deles está um boneco de papelão parecendo o menino Jesus,
 com uma glória em torno de sua cabeça. Será que é o bebê North West? A matriarca 
da família, Kris Jenner, parece com algum tipo de rainha do  Egito, enquanto 
Bruce, em angústia, está preso em um tubo, a ponto de ficar sem ar. Entre elas 
há a palavra "caixa", talvez tudo isso signifique transações de dinheiro. 
Acima de ambos está marcada a palavra "fama", o que implica que eles
 estão prontos para fazer o que for preciso para serem famosos.


 Ao lado de Bruce está um manequim desmembrado vestindo
 suas medalhas olímpicas. Será que Bruce perdeu seu status de
 "herói" para se tornar um fantoche encapsulado
 da indústria do entretenimento? 

Contrastando com a obsessão da família pela a fama e a fortuna, há imagens de mães e bebês africanos no fundo. É claro que ninguém parece se preocupar com eles, o mundo prefere fofocar sobre a família que é "famosa por ser famosa". 

Em suma, isso resume qual é a cultura popular do cartão em 2013: Illuminati, o controle mental, a superficialidade, a exploração de crianças, o entorpecimento mental por todos os lados e o desperdício de tempo com idiotices. Feliz Natal!

Fonte: VC

Leia Mais

,

O Verdadeiro Significado de Katy Perry "Unconditionally"

terça-feira, 3 de dezembro de 2013 43 comentários

Mais uma vez, um vídeo de música pop revela, por meio de simbolismo oculto, os processos pelos quais os artistas devem se submeter para conseguir fama e sucesso na indústria da música. A temática é sempre a mesma; "você precisa ser iniciado em uma ordem secreta, por meio de um ritual característico, e receber uma nova alter-persona". O vídeo de Katy Perry "Unconditionally" é mais um que explora os mesmos temas (iniciação, sacrifício e controle mental). Esses vídeos e apresentações servem como celebrações da cultura de controle mental da indústria do entretenimento Illuminati. Em suma, a música refere-se a sua iniciação e dedicação a essa "ordem" a qual ela (agora) pertence, e que apesar dos processos para conseguir chegar lá serem feios e sujos, ela a amará para sempre...incondicionalmente.


Leia Mais
Ciara "I'm Out" - Mais Um Vídeo de Iniciação Oculta 
A Iniciação Oculta de Taylor Swift no Brit Awards 2013  

,

Terry Richardson Acusado de Explorar e Abusar de Modelos

segunda-feira, 25 de novembro de 2013 16 comentários

O importante fotógrafo de moda Terry Richardson é frequentemente mencionado neste site (especialmente na seção Imagens Simbólicas), visto  que seu trabalho muitas vezes encarna tudo o que está de errado com a indústria do entretenimento: exploração, desumanização, violência, "hipersexualização", pedofilia... tudo isso misturado com um monte de simbolismo Illuminati. A vibe insalubre e suja que emana de seu trabalho levou-me a referir a ele como " Terry o assustador"... mas o fator assustador não pára por aí. 

Durante anos, especialistas do setor afirmam que Terry Richardson usa sua posição de poder na indústria para atrair, explorar e abusar de jovens ​​modelos e celebridades facilmente influenciáveis - transformando ensaios de foto regulares em conteúdo adulto não intencional. Terry é às vezes descrito como o "Jimmy Savile americano", pois suas ações são conhecidas, mas raramente denunciadas, visto que ele continua recebendo um "joinha" favorável (a sua marca favorita) da elite ocultista. 

  Obama acha que está tudo certo com ele.

  Dois minutos depois... 

Ao longo dos anos, Richardson se transformou em um encontro um tanto inevitável para celebridades que vêm e vão, e que buscam reconhecimento. Para muitas modelos no entanto, esses encontros se transformaram em prostituição forçada. Sabendo que recusar este fotógrafo significaria ser demitida de sua agência, as modelos se sentem forçadas a obedecer às exigências degradantes e abusivas de Richardson. Aqui está um artigo do New York Post resumindo reclamações contra Richardson. 


 Expondo Terry Richardson, o 'pervertido' favorito da moda

 Ele é o Annie Leibovitz de sua geração, tendo fotografado cada celebridade culturalmente relevante da década passada - Lady Gaga , Rihanna, Beyoncé . Ele é o homem por trás da mudança controversa de Miley Cyrus e diretor seu vídeo de "Wrecking Ball". Em 2007, ele fotografou Barack Obama para a Vibe. Seu trabalho aparece em quase todas as grandes publicações de moda, e ele tem feito campanhas para marcas de luxo de bilhões de dólares.

Ele também gosta de ser chamado de "tio Terry", disse de a si mesmo que teria copulado com uma ovelha, e uma vez embarcou em um projeto chamado "Breaking In The Carpet", fotografando-se ejaculando em tapetes de quartos de hotel aleatórios.

Mas na indústria da moda, Terry Richardson - ele da  camisa xadrez, óculos enormes e do onipresente gesto do  "joinha" - é notório por anos, os relatórios desenfreados de exploração sexual e abuso de suas modelos.

"Eu era um garoto tímido", ele disse, "e agora eu sou um cara poderoso, com um tesão, dominando todas essas meninas."

Ao longo das duas últimas semanas, Richardson, de 48 anos, obteve uma nova realização. Ele é o primeiro fotógrafo de seu calibre a ser alvo de uma petição online: "Vogue, H&M, Mango, Supremo e todas as outras marcas: Parem de usar o alegado agressor sexual Terry Richardson como seu fotógrafo".

A petição é o trabalho de uma menina de 18 anos de idade, dos arredores de Londres, chamada Alice Louise. Ela não tem conexão com a indústria da moda que não seja como consumidora. Desde sexta-feira, sua petição tinha mais de 12.000 assinaturas.

 "Você começa a questionar por que você vê este homem em todos os lugares enquanto existem denúncias, e suas imagens explícitas apresentando a si mesmo, que simulam estupro, engasgos e sufocamento, ainda estão flutuando em torno da Internet", diz Louise. "Os potenciais predadores não devem ser elogiados na indústria da moda."

"Na semana passada, a H&M anunciou, via Twitter, que está reconsiderando novas colaborações com Richardson: "Se essas acusações forem verdadeiras, é totalmente inaceitável para nós. Atualmente não estamos trabalhando com Terry Richardson".

Equinox também parou com Richardson, que tinha feito suas três últimas campanhas. "O ponto natural está agora a explorar uma nova direção", disse a empresa em um comunicado.

Richardson se recusou a falar sobre essa história, mas divulgou um comunicado através de seu agente.

 "O fato de ele não estar filmando a nova campanha da Equinox não tem nada a ver com a petição", disse. "Tanto que Terry está trabalhando atualmente com uma longa lista de clientes de alto nível, então nós realmente não sabemos a que você está se referindo."

"Eu sou um pervertido"

Os primeiros relatos de abuso de Richardson veio à tona em 2010, quando a supermodelo Rie Rasmussen disse a Page Six que ela teria se encontrado com ele em Paris.

 "Eu disse a ele: 'O que você faz é completamente degradante para as mulheres. Espero que você saiba que você apenas se deita com meninas porque você tem uma câmera, muitos contatos de moda e consegue colocar suas fotos na Vogue'.

 "A supermodelo Coco Rocha também disse que ela havia trabalhado com Richardson uma vez, e foi tão desconfortável que ela disse aos agentes que nunca mais iria. Mas Rocha era, até então, poderosa o suficiente para fazer tal exigência. As modelos mais novas, Rasmussen disse a Page Six, "têm muito medo de dizer não, porque a sua agência colocaram elas nesse trabalho, e [elas] são jovens demais para arrumar briga." 

 Após o confronto de Rasmussen, uma modelo chamada Jamie Peckfoi adiante. Ela desfilou para Richardson, quando ela tinha 19 anos, e escreveu que seu primeiro ensaio com ele foi bastante manso: "Ele falou em tons efeminados de alguém tentando muito não parecer sexualmente ameaçador, apesar do fato de que ele era basicamente andando em um traje moderno pedófilo", escreveu ela. Ele pediu a ela para chamá-lo de tio Terry, e ela posou nua enquanto dançava aos Yeah Yeah Yeahs. Em seguida, ela foi embora. 

Na segunda sessão, disse Peck, Richardson pediu a ela para tirar a roupa, ela disse que  estava menstruada. Então ela disse: "Ele me pediu para tirar o meu supositório para ele brincar", acrescentando que ele gostaria de usá-lo para fazer chá. "Eu recusei educadamente", escreveu Peck . "Foi então que ele decidiu apenas ficar nu".

"De acordo com Peck, Richardson levava-a para o sofá, enquanto mencionava grandes nomes, disse que ela deveria sair com ele e seus amigos famosos, em seguida, pediu-lhe para masturbá-lo enquanto suas assistentes a encorajavam. Depois que Richardson chegou ao clímax, uma de suas assistentes lhe entregou uma toalha e ela fugiu, sentindo-se envergonhada e como se precisasse de duas duchas.

 "Uma aspirante a modelo chamada Felice Fawn então postou uma troca de mensagens instantâneas que ela teve com um homem que se identificou como Richardson, perguntando se ela iria posar para ele, sob certas condições: "Eu sou um pervertido", escreveu ele. "Diariamente 20 modelos oferecem-me sexo para colocá-las na fama." Fawn não aceitou, e Richardson não assinou: "Teria tirado foto de você e publicado com certeza, mas sem problemas" ( Richardson mantém um impostor que realizava essa troca.)

Em novembro de 2012, Bruce Willis e  de filha de Demi Moore Scout twittou que "na noite passada Terry Richardson tentou por o dedo em mim". Eu não o deixei, obviamente. Mas eu deixei ele me fotografar de topless na casa de banho. "(Willis afirmou mais tarde que os tweets eram fictícios e feito para um projeto da escola.) 

Objetos de Luxúria

Richardson nasceu em 14 de agosto de 1965, em Nova York. Seu pai, Bob Richardson, era um fotógrafo de moda bem-visto. Ele também era bissexual e um esquizofrênico bipolar. Quando Bob tinha 43 anos, ele deixou a mãe de Richardson para a então Anjelica Huston, de 17 anos de idade, que mais tarde disse que Bob foi tão abusivo que ela tentou cometer suicídio.

Quando Terry tinha 9 anos, sua mãe sofreu um acidente de carro devastador que a deixou em coma por uma semana.

Sua recuperação foi angustiante. "Ela estava de fraldas, não conseguia andar ", disse Terry . "Isso fez-me ficar muito atraído por pessoas disfuncionais".

"Richardson abandonou a escola no 10º ano, e com 18 era um viciado em heroína. Ele começou a trabalhar com seu pai em ensaios fotográficos e começou a trabalhar por conta própria depois de ganhar uma campanha publicitária para a estilista britânica Katharine Hamnett.

 "Eu mandei um monte de fotos pessoais - pessoas com o suas genitálias para fora e tudo isso - e três dias depois, eles me chamaram e disseram que eu ganhei a campanha.

 "Em 1996, Richardson casou-se com a modelo Nikki Uberti e depois de ter sido diagnosticado com câncer, trocou-a pela modelo Shalom Harlow.

 "Eu era solteiro", ele disse, "e eu estava querendo explorar a sexualidade".

 "Quando ele teve seu primeiro show em New York Deitch Projects, em 2004, alguns dos artistas da galeria ameaçaram cortar os laços em protesto".

 Terry estava incomodado com todos os tipos de feministas de primeiro ano", disse Gavin McInnes da revista Vice. Entre os indivíduos de Richardson: uma jovem prostituta viciada em metanfetamina de Nova Jersey, tirou fotos de topless, e seu assistente Alex tirou foto agachado embaixo de uma mesa, com Richardson. Aquele show tornou-se um livro, "Terryworld".

Imagens altamente sexuais têm sido comuns na fotografia de moda há décadas. Helmut Newton e Guy Bourdin integraram uma altamente sofisticada estética erótica na moda, mas também trabalharam com as mulheres que eram de idade. Os anúncios da Calvin Klein empurraram ainda mais as fronteiras nos anos 80 e início dos anos 90, mas nunca houve um fotógrafo de moda tão prolífico, rentável e suspeito como Terry Richardson.

Ele tornou-se o fotógrafo dominante do nosso tempo, e é um reinado curiosamente teimoso. Deixando de lado seu comportamento pessoal, o seu trabalho técnico e artístico parece emocionalmente e culturalmente preso. Se você é uma jovem, celebridade feminina - menor - você foi filmada da mesma maneira: contra um pano de fundo branco, mal vestida, e, provavelmente, colocando algo em sua boca. De Blake Lively a Kate Upton, de Lindsay Lohan a Beyoncé, o tratamento é o mesmo.

Em quase todos os cartazes e capas de revista o que vemos é isso. Estamos vivendo no mundo de Terry - de fantasias aspiracionais de um menino de 12 anos de idade, as mulheres são nada mais que objetos clichês de luxúria ou degradação. Sua perversão nem é mais mesma original, e será, provavelmente, um tédio os seus visuais, que ao invés de ultrajar seu comportamento pessoal, marcará o seu declínio.

Em 2010, a atriz de "Glee" Dianna Agron estava morta depois de uma sessão de GQ com Richardson. A configuração: ela e a co-estrela Lea Michele fizeram umas garotas de torcidas safadas perseguindo um trio masculino com o colega de elenco Cory Montieth. Agron mais tarde pediu desculpas aos fãs que haviam ficado "desconfortáveis".

Em 2012, Chloë Sevigny admitiu que os métodos de Richardson eram muitas vezes manipuladores, e que pelo menos ela, como uma celebridade, foi capaz de impor limites: [Modelos Jovens] saem de lá e chorando, o que foi que eu fiz?"

Matérias de Capa

Muitas poucas pessoas vão falar sobre Richardson. Mesmo os raros editores que lhe vetaram - Kate Betts, quando ela estava na Harper Bazaar e Dennis Freedman, ex-W - nunca comentaram.

Terry Richardson dirigiu o vídeo da música "Wrecking Ball", de Miley Cyrus .

Uma fonte anônima do setor de moda disse que apesar de saber do "comportamento predatório bem completo de Richardson, [ ele é ] tolerado porque o pessoal da indústria é apenas ovelhas. Há apenas um pouco de fotógrafos que têm o poder, um pouco de editores. . . todos os outros apenas seguem este pequeno grupo.

"Ainda mais desconcertante: O mundo de revistas de moda é uma das poucas indústrias dominadas por mulheres. Como eles continuam a empregar um homem que provavelmente nunca deixariam sozinho com uma filha ou amigo é uma proeza de racionalização.

Também é difícil conciliar o apoio cúmplice de celebridades cujas imagens públicas estão em oposição a todos que Richardson representa: Madonna, que recentemente disse a Harper Bazaar que ela havia sido estuprada quando veio pela primeira vez a Nova York, foi fotografada por Richardson, por essa mesma questão. Lena Dunham, autodenominado feminista de sua geração, foi fotografada em sua roupa de baixo por Richardson para a revista V. Gloria Steinem posou com Richardson em um evento no ano passado, mas através de um porta-voz disse que ela não tinha ideia de quem ele era na época.

Uma vez que estas alegações vieram à tona, Richardson deu quase nenhuma entrevista. Em 2012, ele disse ao jornal The New York Times que os relatos de seu comportamento explorador eram "dolorosos".

Hoje, Richardson diz que está limpo e sóbrio. A respeito de tirar fotos de meninas com "prostitura" escrito nas suas testas enquanto elas dão-lhe oral ou ser enfiado em latas de lixo, enquanto elas fazem o mesmo - Richardson, em 2004 , disse que estava cansado de tudo isso. "Ultimamente, eu me pego pensando que eu realmente adoraria me estabelecer, casar, ter filhos, ter uma relação regular."

Na sexta-feira, Richardson ainda estava solicitando modelos amadoras em seu site: "Se você tem 18 anos ou mais de idade, do sexo masculino ou do sexo feminino, e gostaria de posar nua ou de topless para um próximo projeto, entre em contato .

  - New York Post


Como mencionado no artigo anterior, a modelo de Alice Louise criou uma petição em Change.org pedindo para as grandes empresas pararem de lidar com um suposto abusador (sinta-se livre para assinar). O trabalho de Terry Richardson representa perfeitamente a mentalidade da indústria do entretenimento: exploração, abuso, degradação, fetichização da infância, imagens satânicas e assim por diante... E ele não é uma "anomalia " na indústria... ele é o padrão.

Fonte: VC

Leia Mais
Jimmy Savile: Um Exemplo Clássico de Abusador da Indústria do Entretenimento Protegido pela Elite  
Corey Feldman irá revelar o nome dos pedófilos de Hollywood