Polícia Italiana desmonta Rede de Elite que Fazia Lavagem Cerebral em Crianças

segunda-feira, 1 de julho de 2019 Leave a Comment

A polícia italiana descobriu uma rede de elite que incluía um prefeito da cidade, renomados psicoterapeutas, advogados e assistentes sociais. O grupo fazia lavagem cerebral em crianças usando técnicas de eletrochoque e as vendia para pessoas ricas.

Dezoito pessoas foram presas pela polícia italiana por supostamente fazer lavagem cerebral em crianças a fim de elas pensarem que seus pais abusaram delas, e assim vendê-las para "pais adotivos". A rede incluía o prefeito de Bibbiano, médicos, psicoterapeutas e assistentes sociais. Segundo a mídia italiana, as transações envolvendo crianças chegavam a centenas de milhares de euros. Além disso, descobriu-se que alguns dos pais adotivos abusavam sexualmente de crianças que compravam.

A rede usou técnicas horríveis para fazer lavagem cerebral nas crianças - todas elas usadas na Programação Monarca.


Para fazer lavagem cerebral nas crianças, as pessoas presas supostamente forjavam desenhos infantis com conotações sexuais e usavam a terapia de eletrochoque como uma "pequena máquina de memória" para criar memórias de abuso falsas, enquanto os terapeutas são acusados ​​de se vestir de personagens de histórias infantis malvados.

– France24, Italy arrests 18 for allegedly brainwashing and selling children


Depois de vender as crianças, a rede armazenava os presentes e cartas que eram enviadas para elas pelos seus pais biológicos em um armazém descoberto pela polícia.

Apelidada de "Anjos e Demônios", a investigação começou em 2018 e revelou que a rede operava sob o pretexto de ajudar crianças em situações difíceis colocando-as em famílias adotivas. No entanto, o esquema é uma máscara para o tráfico de crianças. Um artigo no Corriere Della Sera explica como qualquer desculpa era usada para afastar as crianças de suas famílias para justificar seu sequestro e lavagem cerebral. Aqui está uma tradução livre:


"Eles os removiam de suas famílias usando uma medida de emergência, apoiada por sinais de sofrimento, mas quase nunca de abuso. Qualquer desconforto manifestado por menores era suficiente para removê-los de seus pais. Um pretexto era bastante, uma simples suspeita, como os gemidos de uma criança enquanto ele estava no banheiro, faria com que os assistentes sociais acusassem seus pais de abuso sexual".


A polícia se recusou a dizer quantas crianças estavam envolvidas ou qual idade.

Sistema de Elite

 A prefeitura de Bibbiano e o prefeito Andrea Carletti.

O epicentro da rede foi a estrutura pública da cidade. De fato, isso foi conduzido por Cura di Bibbiano - o serviço regional que supostamente ajuda as crianças vítimas de abuso. Entre os cérebros estão Claudio Foti e sua esposa Nadia Bolognini - "renomados" psicoterapeutas que são também os fundadores da organização sem fins lucrativos Hansel e Gretel. Outros suspeitos incluem Fausto Nicolini, advogado e diretor geral do Hospital de Reggio,

O prefeito de Bibbiano, Andrea Carletti, é acusado de cobrir os crimes dos vários assistentes sociais e funcionários da prefeitura.

Embora a esfera política da Itália afirme que a rede era apenas "elementos desonestos" dentro do sistema, ela é, na verdade, apenas a ponta de um iceberg muito repugnante.

The Vigilant Citizen

Veja Mais


0 comentários »

Leave your response!

NÃO serão aceitos comentários que:

- Forem desagradáveis;
- Contiverem LINKS, SPAM, endereços eletrônicos;
- Usarem CAPS excessivamente;

Seus comentários poderão levar algumas horas para aparecer nesta página. Eles não serão necessariamente respondidos pelo autor.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste site.