,

O Significado Oculto de Childish Gambino "This Is America"

domingo, 20 de maio de 2018 Leave a Comment

"This Is America" claramente foi aprovado por essa geração, mas será que há mais no personagem interpretado por Donald Glover do que nossos olhos conseguem enxergar? Vamos analisar o simbolismo de "This Is America" e sua importância no clima social de hoje.

Depois de mais de 100 milhões de visualizações do YouTube em menos de uma semana e intensa atenção da mídia, é seguro dizer que "This Is America" alcançou o status invejável de "fenômeno cultural". Combinando imagens violentas com dança interpretativa, o vídeo transmite uma mensagem que é clara, mas ambígua; óbvia, mas enigmática. Ele espelha uma cultura popular que está em crise e um novo movimento do orgulho negro renascendo de um útero totalmente tóxico.

Diferentemente do clima social de hoje, o vídeo é tenso, amargo e pontuado por atos de violência sem sentido. Acontecendo dentro de um armazém abandonado, o vídeo celebra - mas também critica - a América negra em um mundo que se sente cada vez mais como um hospício claustrofóbico. A música, as letras e as imagens visuais do vídeo lidam com a dualidade. "This Is America" reflete sobre o que está errado na América de hoje enquanto perpetua isso; denuncia a violência sem sentido enquanto a normaliza; fala da América enquanto a renuncia.

No centro desse fenômeno cultural está Donald Glover, um artista multi-talentoso que é mais conhecido por seus vários papéis em programas de TV como "Community" e filmes como o próximo "Han Solo: Uma História Star Wars". As participações anteriores de Glover no mundo da música - sob o nome artístico de Childish Gambino - geraram uma resposta quase morna do mundo da música. Muitos críticos sentiram que sua entrega lírica não era convincente e que Glover era muito “Hollywood” para ser levado a sério como um rapper.

No entanto, é exatamente a experiência de Hollywood de Glover que dá à "This Is America" uma qualidade impressionante e inquietante. O personagem que ele interpreta - um homem sem camisa, com muita barba e um tanto desequilibrado é divertido, mas profundamente perturbador. Ele faz todos os tipos de movimentos legais de dança, ele canta todos os tipos de rimas legais - mas também mata pessoas. Seu próprio povo.

Na verdade, é o talento da atuação de Glover que dá ao vídeo a qualidade que faz chamar a atenção. Tudo no vídeo é precisamente coreografado, até as expressões faciais de Glover. Por esse motivo, os espectadores rapidamente entendem que há uma "distância" entre Donald Glover e o papel que ele desempenha em "This is America". As emoções retratadas não são naturais e genuínas, são teatrais. Glover está desempenhando outro papel. Mas que papel ele está realmente fazendo?

Desde o seu lançamento, o vídeo esteve sujeito a intermináveis ​​interpretações. Glover está desempenhando o papel - como muitos já teorizaram - da própria América? Embora as pessoas por trás do vídeo tenham se recusado a explicar o significado do vídeo, um dos produtores do clipe, Ibra Ake, disse à NPR:


"Não acho que somos tão cerebrais ou calculados quanto as pessoas pensam. Nosso objetivo é normalizar a negritude”.


De fato, o vídeo normaliza algumas imagens e conceitos. Embora vários comentaristas tenham atribuído todos os tipos de significados a cada detalhe encontrado no vídeo, eles acabaram não vendo as mensagens mais óbvias. E se a verdade fosse mais simples? E se Glover incorporasse uma versão caricatural do que ele realmente é: um artista? Mais precisamente, um artista que pertence aos altos poderes e que é usado para atrapalhar e desestabilizar a América negra. Vamos ver o vídeo.

Esta é a América?

O vídeo começa com um homem negro pegando um violão e cantando uma melodia feliz e esperançosa.


Nós só queremos festejar
Festa só para você
Nós apenas queremos o dinheiro
Dinheiro só para você
Eu sei que você quer festejar
Festa só para mim
Garota, você me faz dançar (sim, garota, você me faz dançar)
Dance e agite o frame


Enquanto o homem toca violão, Gambino fica parado ao fundo de costas.

Quando a câmera volta para ele, seu violão desaparece e ele está encapuzado. Ele está prestes a ser executado.

Esta foto de Gambino atirando em um negro encapuzado na cabeça tornou-se
 um meme instantâneo. O fato de essa cena ter atingido um status quase icônico
 na cultura pop é um reflexo bastante triste da cultura da morte atual.

A posição estranhamente contorcida de Gambino é reminiscente das representações clássicas de Jim Crow.

Jim Crow era um personagem negro estereotipado
 interpretado por um ator branco com o rosto pintado. 
O personagem foi associado à segregação
 institucional nos Estados Unidos.

Jim Crow era um artista teatral “negro” que perpetuava estereótipos destrutivos para os negros. Não ao contrário do personagem de Gambino.

Uma vez que Gambino atira no homem na cabeça, o humor muda drasticamente. A música de alegre muda para uma batida agitada, pesada e quase nauseante, como diz Gambino: “Esta é a América”.

Após o tiroteio, um garoto reverentemente recebe a arma de
 Gambino em um pano vermelho. Como visto nos artigos anteriores, o vermelho
 é frequentemente usado como um símbolo de sacrifício. Todo o assassinato
 teve um sentimento ritualístico.

Ao atirar no cantor negro, Gambino mata um elemento puro e saudável da cultura negra e o substitui por um pastiche de rap moderno, repleto de versos clichés e vários chavões.

Enquanto recita esses novos versos, Gambino sorri de forma maníaca e 
dança como se nada tivesse acontecido enquanto o corpo do guitarrista 
executado é arrastado por algumas crianças. O entretenimento ruim
 substitui o entretenimento saudável.

Embora muitos percebam que o personagem de Gambino é uma encarnação da própria América, o fato é que o vídeo descreve abertamente o conceito de "violência negra sobre o negro”. E, embora o verso do rap possa ser interpretado como uma crítica ao "rap gangsta", ele também perpetua exatamente isso.

O segundo refrão é realizado por um coral gospel. Mais uma vez, Gambino dá um fim abrupto nos cantos animados e alegres do coro.

Gambino atira em todo o coral com um fuzil Kalashnikov.

Muitos interpretaram essa cena como uma referência ao tiroteio em massa de uma igreja pelo supremacista branco Dylan Roof. Embora essa seja uma possibilidade, há mais nessa cena chocante. 

Mais uma vez, Gambino é quem atira no coral, da mesma maneira indiferente que ele atirou na cabeça do cara com um violão. Mais uma vez, testemunhamos a violenta queda de uma parte saudável da cultura negra. Ao longo da história da América, as igrejas têm sido a pedra angular das comunidades negras, servindo como um encontro semanal de pessoas locais compartilhando valores comuns. Esta profunda mistura de espiritualidade e comunidade levou muitos líderes da igreja a se tornarem alguns dos líderes mais influentes da América negra.

Ao atirar no coral, Gambino - uma celebridade negra que faz parte do sistema de entretenimento de elite - simbolicamente derruba um pilar da comunidade negra, enquanto canta, mais uma vez, "This is America". Há algo insidiosamente perverso na cena do coral. Sonoramente, quando a filmagem ocorre, a música muda de vozes agudas para uma batida grave, que é uma experiência auditiva um tanto satisfatória. Portanto, aqueles que assistem ao vídeo repetidamente antecipam o tiroteio e, inconscientemente, acabam gostando dele.

Após o tiroteio em massa, uma criança novamente pega a arma reverentemente 
dentro de um pano vermelho. Outro sacrifício. Gambino sai impune enquanto as
 pessoas correm para a cena. O crime provavelmente será atribuído a outra pessoa.

Após o tiroteio em massa, um motim acontece atrás de Gambino, visto que pessoas correm e carros se incendeiam. O segundo verso continua com clichês de rap, aludindo sucessivamente a roupas de grife, ganhar dinheiro com o tráfico de drogas e atirar nos inimigos.

Durante o segundo verso, Gambino dança com crianças de escola, 
ignorando completamente os problemas que acontecem ao seu redor. 

Assim, a mesma pessoa que atirou no coral da igreja (e saiu impune) agora distrai os espectadores com movimentos de dança e versos de rap modernos. Crianças em idade escolar dançam em torno dele porque as celebridades de propriedade de elite são muito influentes sobre os jovens.

Enquanto Gambino e as crianças dançam, 
um cavaleiro com capuz cavalga ao fundo.

Enquanto Gambino distrai os estudantes e os telespectadores com movimentos de dança, todos ignoram o cavaleiro, prenunciando guerra e morte.

Depois do caos, Gambino acende um baseado e começa a dançar.

Gambino dança rodeado de carros antigos.

À esquerda, está o cara com o violão que levou um tiro na cabeça no começo do vídeo, aparentemente ainda vivo, apesar de encapuzado. Embora Gambino (representando a indústria e seus peões) tenha assassinado esse símbolo saudável da América negra no início do vídeo, essa influência às vezes é necessária, mas somente se for simbolicamente encapuzada e sujeita às regras da elite.

A garota à direita é a SZA, uma nova favorita da indústria. Fato interessante: Tanto Donald Glover quanto SZA estiveram no Met Gala de 2018, que foi uma reunião da indústria de elite.

Glover e SZA no Met Gala - um evento 
de moda bizarro e altamente simbólico.

No final do vídeo, Glover foge quando uma 
multidão de pessoas irritadas o persegue.

Por que Gambino está tão assustado e por que essas pessoas enfurecidas acabam o perseguindo? É esse o destino daqueles que se vendem para a indústria e acabam indo contra o seu próprio povo? Porque, como vemos continuamente, uma vez que a indústria usa e abusa deles, ela também geralmente se livra deles.

Conclusão

"This Is America" tem o mérito de desencadear o debate e incitar a reflexão. O intenso uso do simbolismo pelo vídeo, combinado com uma conclusão em aberto, levou a uma infinidade de interpretações e até uma busca total por "detalhes ocultos".

No entanto, a mensagem principal do vídeo não está oculta; está bem na nossa cara. Na verdade, é tão intrínseca que alguns sentem a necessidade de atribuir referências obscuras a suas cenas mais perturbadoras para racionalizá-las.

Embora muitos teorizem que Gambino incorpora a América como um todo, o estranho personagem sem camisa estrelando o vídeo é claramente um artista. Desde a referência a Jim Crow até a dança e o rap, o personagem é profundo na cultura negra, sendo prejudicial ao seu próprio povo. Ele simbolicamente derruba elementos profundamente arraigados do folclore e da espiritualidade para produzir uma nova cultura baseada em valores vãos, materialistas e autodestrutivos.

Por esta razão, é preciso ter cuidado com as celebridades que alegam estar "acordadas" enquanto estão sob contrato com grandes gravadoras que são de propriedade dos mais poderosos conglomerados do mundo. Suas mensagens são artificiais, sua liberdade artística é limitada e, se algum tipo de crítica social é permitida, é porque serve aos interesses daqueles que assinam seus contracheques. Agora, tudo se resume à divisão: divisão entre raças, sexos e inclinações políticas. Dividir e conquistar ainda é uma estratégia válida. Muitos daqueles que alegam estar "despertados" são, na verdade, propriedade daqueles que estão pensando em colocá-lo para dormir... enquanto ao mesmo tempo afirmam "Esta é a América".

Fonte: The Vigilant Citizen

Veja Mais


28 comentários »

  • Vinícius Novaes said:  

    muito boa análise .. parabens !

  • Unknown said:  

    oi Danizudo , se puder faça uma analise do casamento do principe Harry com Meghan Markle na Capela de São Jorge onde haviam muitas referencias dos iluminatti

  • Anônimo said:  

    O mais curioso é que todos os críticos e pseudointelectuais aplaudiram esse videoclipe exaltando o fato de ele ser polêmico, revolucionário, e questionador. Contudo, todos se esquecem que o tema do "racismo" é algo que está na moda hoje em dia.
    O que tem de "questionador" em abordar um assunto que está o tempo todo na mídia e usando do mesmo discurso empregado por ela?

    Além disso, a forma como o entretenimento norte-americano aborda o assunto é racista e muito prejudicial aos negros. Apenas acusa os brancos de preconceituosos e que os negros ainda continuam sendo vítimas da sociedade.

    Eles vão ficar falando isso até quando? Sofrimento e escravidão, senão a maioria, todos os povos do planeta já experimentaram em algum momento histórico. Ou será que os descendentes dos romanos estão em dívida histórica até hoje com o restante da Europa?

  • Anônimo said:  

    Análise perfeita! Parabéns!

  • Gabriel Previato said:  

    Fala do clipe da Elohim, "F**k your money". totalmente sobre programação monarca explícita e repleto de simbolismos.

  • Marina de Oliveira said:  

    Dividir foi o que o governo do PT mais fez aqui.

  • Anthony Santsu said:  

    Li e vi várias interpretações desde videoclipe e essa não foi a melhor.
    O vídeo apresenta várias outras referência que não foram mostradas nessa interpretação do VC.
    Enfim parecem querer nos mostrar apenas uma coisa, querer nos Direcionar para apenas o que ele quer que vejamos.
    Infelizmente, pra mim, vem perdendo credibilidade.

  • Anônimo said:  

    Danizudo! Vc precisa ver o novo clipe da Christina Aguilera com a Demi Lovato! Por favor, faz um post sobre esse clipe!

  • Anônimo said:  

    ''Por esta razão, é preciso ter cuidado com as celebridades que alegam estar "acordadas" enquanto estão sob contrato com grandes gravadoras que são de propriedade dos mais poderosos conglomerados do mundo.''

    Essa parte me lembrou o Justin Bieber , as pessoas estavam dizendo que o mesmo se converteu ou estava frequentando a igreja. Enquanto nao sair literalmente da industria nunca vai estar livre tem que quebrar contrato , ficar disttante da mídia. Não é pq ele vai a igreja ou que diz ser cristão que esta liberto, ele ainda é propriedade da industria .

  • Renata N.K said:  

    Danizudo, faz uma análise do novo clipe da Christina Aguilera com a Demi Lovato - Fall In Line - tem a ver com controle -, não surpreende muito já que são duas ex-estrelas da Disney, né! Obrigada

  • Luana Carvalho said:  

    Olá danizudo, a minha interpretação a esse clipe é um pouco diferente da sua
    * O Rapaz qu toca violão faz referencia a duas coisas: representa a música negra que era um sucesso e ele se assemelha ao Tracy Martin (Pai de um dos jovens assassinado por ser negro). Quando ele aparece enacapuzado ele faz referencia aos escravos e a E também a kumkusclam (Acho que é assim que se escreve);
    * Depois que o raper assassina o rapaz, ele faz um olhar esquisito (Um dos olhos está sem ifechado) faz referência ao Uncle Ruckus ( do desenho The Boondocks) que é um cara racista e que acha que é "branco por traz da doença de pele";
    * A dança do clipe é uma referência a imagem que marcou a época da lei Jim Crow nos EUA (Lei que aprova a segregação racial e também foi um personagem "negro" interpretado por um branco)
    * A Calça cinza que o cantor usa é das tropas confederadas Jean Wool (Ligado a segregação) e ele compara os policiais com essas tropas;
    * Os estudantes são uma homenagem a aqueles que morreram na Africa do sul, reivindicando educação de qualidade;
    * O coral sendo morto, faz referência ao massacre na igreja;
    * A arma sendo pegada com carinho siginifica q ue a arma é a mais importante que a vida, é só você vê o rapaz sendo arrastado como um lixo;
    * Esse clipe faz uma acusações aos jornais que insiste em não mostrar a realidade de não só dos Estados Unidos e sim do mundo;
    *Tem um rapaz que comeete suicidio, faz referência ao aumento de suicidio no país;
    * Ele canta "Isto é um celular, é uma arma" referencia o caso do Trayvon Martin, adolescente que foi perseguido e morto por um vigilante de bairro na Flórida. Ele estava com um capuz e conversando no celular com a namorada O vigilante foi absolvido.
    * Ele está corredo dos racistas fazendo referência ao filme "Corra".

  • Gabriel Previato said:  

    Marina de Oliveira, ainda tá nessa de PT? Ainda não percebeu que esse partido já saiu do poder há 2 anos e tudo só piorou no Brasil com a direita no poder??? Não tá vendo a tão temida "venezueização" do Brasil acontecendo com o golpista do Temer??? Afffff!

  • Anônimo said:  


    Olá Danizudo, faz uma análise do novo clipe da Christina Aguilera com a Demi Lovato - Fall In Line.

  • Er said:  

    Vai chorar branquelo?

  • Anthony Santsu said:  

    Exatamentw isso.
    As mesmas análises que fiz.
    Acho estranho analisarem com um único viés.
    Com um único ponto de vista.

  • Lili D. said:  

    Compartilho de sua opinião.

  • Unknown said:  

    Acabou de postar um vídeo no YouTube sobre o clipe

  • Anônimo said:  

    Acabou de postar um vídeo no YouTube sobre o clipe

  • Anônimo said:  

    Sinceramente eu entrei sedenta por todas as referências que esse clipe tem, mas aqui estão bem poucas.

  • Anônimo said:  

    oi. Cara, será que você realmente não pode falar sobre BTS? Os vídeos deles, aparentemente são um prato cheio de simbolismo pra uma matéria sua. Eu gostaria muito de ouvir a sua opinião a respeito, então por favor, se possível, dedique uma matéria a isso.

  • Anônimo said:  

    Temer n é de direita

  • Anônimo said:  

    Concordo!

  • Unknown said:  

    Fala sobre a Shakira!

  • Ana Beatriz said:  

    Mas se perceberemos antes de matar o coral em alguns segundos ele fica sério como se fosse uma ordem para matar eles .E tambem acho que o objetivo do video seria distrair os telespectadores com a dança e tal,e não perceber atrás dele todo o caos que a América tem,como as violências,guerras,tem uma parte do video que mostra alguns adolescentes no teto pegando fogo,porém eles estao com o celular gravando eles,acho que isso tambem fala como o celular tambem esta dominando as mentes jovens e fazendo que eles nao perceberam tudo o que ocorrem com eles.E no final quando o Gambino é perseguido por homens claro mostra de como ele não serve mais para a indústria e se ele nao serve,a industria pode fazer o sacrifício de sangue dele como ele fez com seu povo negro e claro com a frase This is America claramente represetando os Eua com o cavalo branco atrás represetando as guerras que ocorreram tempos atrás e até hoje tambem ocorre,desde de o 11 de setembro os norte-americanos estao criando inimigos inexistentes e guerras que são proposital com o objetivo de reduzir a população principalmente negros,que foi o caso de todas essas mortes de negros no video,pelo menos foi pelo meu ponto de vista

  • Anônimo said:  

    É mais fácil pras pessoas acreditarem em "teorias da conspiração" e ocultismo, do que se livrar dos próprios preconceitos né. Um sociólogo já disse que as pessoas não aceitam o que estiver fora dos padrões. Então é mais comodo dizer que tudo na mídia q for fora dos padrões é obras do diabo, satanismo, elite oculta e os caramba. Sinceramente, fanatismo religioso me anoja, cumbram-se com suas intolerâncias a negros, gays e mulheres usando discurso religioso e teorias loucas, vcs são doentes.

  • Anônimo said:  

    Concordo com tudo. O pessoal daqui gosta do Trump.

  • Leave your response!

    NÃO serão aceitos comentários que:

    - Forem desagradáveis;
    - Contiverem LINKS, SPAM, endereços eletrônicos;
    - Usarem CAPS excessivamente;

    Seus comentários poderão levar algumas horas para aparecer nesta página. Eles não serão necessariamente respondidos pelo autor.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste site.