Imagens Simbólicas (novembro & dezembro/14)

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014 14 comentários

Lil Wayne exibe sua nova tatuagem no queixo: o olho que tudo
 vê. É provavelmente um mimo para os seus "chefes Illuminati".

Madonna continua zombando das teorias Illuminati. Ela recentemente postou 
esta imagem e escreveu basicamente um resumo do que ela disse na entrevista para
 o The Guardian na semana passada. Madonna está simplesmente sendo usada para
 descredibilizar e espalhar desinformação e ela é a pessoa perfeita para isso, tendo 
em vista sua influência na cultura pop.

Madonna escreveu...e ainda usou a hashtag #knowledgeispower:

"O verdadeiro Illuminati surgiu durante a era do Iluminismo! 1650! Eles eram filósofos, escritores e cientistas!" A libertação da mente do estado dogmático da ignorância era o ideal. Nada a ver com magia negra ou dinheiro ou poder! Estavam iluminados em seu pensamento, por isso, os Illuminati! Obrigado pelo elogio ! #knowledgeispower #rebelheart #illuminati

 -Madonna

Já dissemos neste artigo que Madonna está sendo usada para espalhar desinformação e descredibilizar as teorias acerca da elite oculta Illuminati (assim como tantos outros, especialmente Dan Brown), ao mesmo tempo que chama atenção para o confuso lançamento de seu álbum. 

Mas a vida de um peão da Elite tem que continuar.

Mesmo após ser usada para ridicularizar as teorias sobre os Illuminati, 
Madonna tem que continuar promovendo a Agenda Beta Kitten. Estampa felina
 e estilo Marilyn Monroe, que foi a pioneira da programação kitten na indústria
 do entretenimento. Nossa, eu quase acreditei na Madonna.

 Ela também postou esta imagem e disse "um dos presentes
mais estranhos que encontrei debaixo da árvore hoje". Ou 
 seja, outra forma de zombar e dizer "vocês são idiotas por 
acreditarem em tudo o que eu falo".


Neste ensaio para a revista Interview, Madonna posa com um aparelho
dourado prendendo sua cabeça, como se estivessem nos dizendo que sua
mente está presa e ela não pode pensar por si mesma. A sua boca foi
silenciada por uma flor, representando o controle deles sob sua fala.


Madonna em frente a uma cruz, mas ao invés de "Cristo" estar ali, vemos
 serpentes, pois é claro...a serpente é o "deus" da Elite oculta..e não "Cristo".


Como se não bastasse sua irmã Miley Cyrus, Noah Cyrus também anda
postando imagens estranhas. Aqui a vemos em uma espécie de mesa cirúrgica,
 sob uma superfície com o quadriculado preto e branco...ela ainda escreveu na
legenda: "Algo legal está por vir". O que será? Controle mental?


Há pouco tempo atrás, Noah Cyrus já estava tirando fotos bastante
perturbadoras ao lado de um "stripper pole". Estava ela ensaindo para
 a programação Beta Kitten?

Charli XCX  mal chegou à indústria e já sabe o que tem que
 fazer para continuar relevante: o sinal do "um olho".
 
Cheryl na capa de seu novo álbum. O sinal do "um olho" aqui é marcado por
 uma listra que revela que por dentro ela é felina, isto é, programação Beta Kitten.


Sim, Cheryl confirma.


Dakota Fanning fazendo o sinal do "um olho". Lembra
 dessa garota... do filme mais explícito de controle mental?


Paris Hilton e orelhas simbolizando o
 controle mental MK. Eu nunca duvidei.


Da mesma forma, Rita Ora passeando por aí
 com orelhas de Mickey. Isso não pode ser normal.


Beyonce está de férias com a família na Islândia, mesmo de férias,
eles não se esquecem de lembrar daquilo que os colocou no topo.


A atriz americana Amber Tamblyn - as cabeças 
de manequim representando diferentes personas.

Jennifer Lopez e o sinal do "um olho" 
na capa da revista Harper's Bazaar

Como o ano estava acabando, eles não tiveram tempo para escolher outra 
imagem para passar no telão do show da Wanessa Camargo e então tiveram 
que escolher o "olho que tudo vê" dentro do triângulo. Simples!

Fala sério!



Veja Mais
Imagens Simbólicas (setembro & outubro/14) 
Imagens Simbólicas (julho & agosto/14)

Ex-Contratante da CIA confirma: O ISIS foi Completamente fabricado pelos EUA

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014 3 comentários

No artigo ISIS: Uma Criação da CIA para justificar a Guerra no Oriente Médio e a Repressão no Ocidente, foi dito que o ISIS estava sendo usado pela mídia e pelo governo americano apenas como uma ferramenta para justificar a guerra e a invasão na Síria e para causar medo e pânico em todo o mundo. Ainda, ele teria sido criado pelas mesmas forças que o combatem hoje. Meses após o início dos ataques aéreos contra alvos do ISIS, aquilo que era apenas especulação começa a se confirmar: os ataques aéreos estão sendo considerados insuficientes. Steven D. Kelly, um ex-contratante da CIA fala abertamente o que ele pensa sobre o ISIS no vídeo a seguir.


Veja Mais
Aécio Neves e Geraldo Alckmin Convidados Ilustres da Maçonaria  
Diretor de 'X-Men', Bryan Singer, Acusado de Abusar de Adolescente 

,

A Mensagem Distorcida por trás de Viktoria Modesta "Prototype"

terça-feira, 23 de dezembro de 2014 28 comentários

Viktoria Modesta é uma cantora que teve sua perna esquerda amputada abaixo do joelho em 2007. O vídeo "Prototype" usa essa deficiência para enviar uma mensagem distorcida para os telespectadores. Não, o vídeo não é sobre "dar poder e liberdade". Trata-se exatamente do oposto: o controle da elite sobre as massas e a indústria do entretenimento.

Viktoria Modesta é o novo rosto da campanha "Born Risky" da Channel 4, que é basicamente uma tentativa de ser ousado e chocante com temas como deficiência e homossexualidade. A emissora de televisão britânica pagou mais de £200.000 para passar uma versão curta do vídeo "Prototype" de Viktoria Modesta durante a final do X Factor, atingindo mais de 10 milhões de telespectadores. Em seguida, o vídeo se tornou uma sensação viral e ainda foi comercializado como uma "cura" para o "pop maçante e fabricado" do X Factor. Aparentemente, essa "cura" é produzir a mesma porcaria produzida por qualquer outro artista pop... mas com uma perna protética pontuda... e às vezes brilhante. Tão inovador.

O Channel 4 é na verdade um outro braço do monstro horroroso que é mídia de massa. Todos os centros de marketing sabem que os jovens gostam de coisas que são rebeldes, então as pessoas por trás de Modesta embalou o mesmo pop insípido, que temos ouvido durante anos, como sendo algo revolucionário. Atrás dessa "rebelião" está uma maneira distorcida de empurrar a agenda em curso da elite. Isso está, na verdade, em perfeita continuidade com os temas frequentemente abordados neste site: A promoção do transhumanismo, do estado policial, do controle mental dos artistas, da propaganda de mídia e assim por diante.

No entanto, a maioria das pessoas vai se distrair com a perna pontuda de Modesta. E se alguém ousar questionar seu talento "modesto", aqueles que estão se afogando no politicamente correto vão dizer: "Como você se atreve a criticá-la? Você não vê que ela é deficiente? Isso significa que tudo o que ela fizer é bom. E corajoso. E motivador. Estou tão inspirado por ela agora. Uau."

Sinto muito, mas o fato de que ela ter uma prótese não significa que ela não possa ser uma marionete Illuminati, pois ela é. A letra da música e as imagens do vídeo não podem ser mais claras... a menos que você esteja distraído com sua perna pontuda.

Prototype

O vídeo começa com palavras que preparam você para uma revolução fenomenal no mundo da música.

 Um novo tipo de artista pop?? Uau! Eu não posso esperar para ver isso! 

Acontece que o novo tipo de artista pop é só o fato de ela ter uma perna pontuda. *tosse*

 Produto da Elite 

A primeira cena do vídeo nos permite saber que Viktoria não é um "novo tipo" de nada, ela é mais um fantoche empurrando a mesma agenda como as dezenas de outros antes dela. Ela está cercada por aqueles que secretamente a controlam.

 Viktoria senta em um trono, enquanto três homens em
 vestes vermelhas a cercam. Um deles possui uma seringa. 

Sente-se por um segundo e reflita sobre as implicações da cena acima. Em um cenário que é um tanto místico e etéreo, Viktoria está cercada por três homens em vestes vermelhas. Quem são eles? Será que eles representam a elite oculta por trás da indústria do entretenimento? Talvez. Um deles segura uma agulha e a injeta com algum tipo de droga. Viktoria então parece relaxar e perder a consciência. Assim, desde o início, somos informados de que Viktoria é controlada por pessoas sombrias. Não só contratualmente, mas fisicamente.

Além do subtexto de controle mental disso tudo, a canção é sobre transhumanismo, que é o movimento em direção à fusão de seres humanos com robôs. Como afirmei em vários artigos (especialmente em A Agenda Transhumanista), o transhumanismo é uma parte integrante da Agenda da elite e é continuamente promovido como "o caminho do futuro" em vídeos de música e filmes.

A mensagem da canção é basicamente sobre a humanidade ser robotizada e informatizada - e que isso é o caminho do futuro. Aqui está o primeiro verso:


Outra vida, preenchida com peças 
Placa de circuito, corações de conexão 
Nostalgia para o futuro
Estamos brincando de Deus
E agora é a hora 
Nós somos sem limites, não estamos confinados 
É o nosso futuro 
 

O segundo verso apresenta Viktoria dizendo a seus manipuladores para "montá-la" como se ela fosse um robô. Isso é uma mensagem positiva? Não, isso é o que um escravo de mente controlada diria ao mestre.


Monte-me, peça por peça
Descasque o incompleto, o modelo do futuro
 

Depois de testemunhar Viktoria sendo literalmente drogada e controlada por figuras obscuras, ela é então lançada para o mundo e, por meio de propaganda de mídia de massa, ela é percebida como uma heroína.

O Peão da Elite como Um Herói

A imagem de Viktoria é então usada para influenciar pessoas de todas as idades. E essa influência não parece ser positiva em tudo. Nós primeiro vemos uma menina assistindo a um desenho animado de Viktoria Modesta e recebendo literalmente uma lavagem cerebral.

  Um desenho animado de Viktoria Modesta na TV. Rebeldes não criam 
desenhos para influenciarem as mentes dos jovens. A elite totalitária sim. 

  A menina então pega uma boneca que, curiosamente, tem uma 
cabeça vazia. Será que isso representa as massas ignorantes? 

  Imitando exatamente o que ela está vendo na TV, 
a menina arranca a perna dessa pobre boneca. 

Por que é que a menina está fazendo isso? O quanto isso pode ser positivo? Mas isso não é tudo!

  A menina então começa a perfurar outra boneca com aquela perna arrancada. 

Em suma, o único efeito verdadeiro do desenho animado sobre a menina é que ele a deixou violenta e destrutiva. Nós depois a vemos chutar a TV.

 No final do vídeo, a mãe da menina chega e a abraça bem forte olhando para 
a TV dizendo "O que você fez com a minha filha, sua prostituta do diabo?"

 O desenho animado de Viktoria então assustadoramente pisca para 
a mãe, como se estivesse dizendo: "Você não pode me parar." Bônus
 adicional: O sinal Illuminati do um olho. 
 
Viktoria não apenas influencia as meninas pequenas. Outras pessoas também estão sob seu feitiço estranho e sua reação é sempre um tanto negativa.

  Esse cara está fazendo uma tatuagem de Viktoria mas ele parece confuso e 
deprimido ao fazê-la. Ele parece não saber por que está realmente fazendo isso. 

 Um menino na escola vandaliza uma mesa em bom estado com o
 símbolo de Viktoria. Seu professor, em seguida, olha para ele com horror.

  Mais tarde no vídeo, Viktoria é mostrada uma imagem de um cara que realmente 
corta sua perna para ser como Viktoria. Esse cara é o maior idiota na História. 
E ele provavelmente está morto agora, devido à grande perda de sangue. 

Como cortar sua perna pode ser de alguma forma algo positivo? Isso é automutilação e autodestruição. Esse é o efeito do "movimento" de Viktoria sobre as pessoas. E isso é também o que, em um nível mais sutil, a mídia de massa faz com os nossos cérebros.

Mas como não admirá-la? Ela é tão legal. Ela não só tem uma perna pontuda como também encontra tempo para ter relações bissexuais com pessoas albinas. Tão inquietante.

 "Montada" por seus manipuladores, esse "protótipo" também 
é feito para ser uma "sex kitten", como a maioria das estrelas pop.

Estado Policial

Viktoria é então presa por um serviço policial secreto do tipo Gestapo, que também bate muito no cara albino. Ela é então levada para uma sala de tribunal em um ambiente simbólico.

  Três feixes de laser vermelho se cruzam para formar um triângulo. Viktoria 
fica no topo, efetivamente formando o "Olho Que Tudo Vê" desse triângulo. 

No comecinho do vídeo, Viktoria estava sentada em uma cadeira, enquanto três homens vestidos de vermelho a assistiam. Ela agora está cercada por três linhas vermelhas. As linhas portanto simbolizam ela estar sendo "protegida" pela elite.

 No final do vídeo, vemos uma pirâmide feita a partir de
 feixes de laser vermelho. Ela representa a elite oculta. 

Quando o agente pergunta a Viktoria: "O que você diz em sua defesa?", Ela usa sua perna brilhante para refratar os feixes no rosto do agente. Isso basicamente significa: "Você não tem nenhum poder sobre mim, eu sou enviada pelos seus superiores" Em suma, o "julgamento" é uma farsa. Todos eles trabalham para a mesma elite.

Ainda Um Fantoche

O vídeo termina com uma cena que é quase insuportável. Viktoria anda pra lá e pra cá com uma prótese pontuda em um piso feito de vidro. O resultado é tão agradável quanto pregos lentamente riscando um quadro-negro. O final também nos lembra o que essa "estrela pop do futuro" realmente é. Um fantoche, usando uma máscara "beta kitten".

 Pendurada por duas cordas, Viktoria pula e gira como
 um fantoche. E essa é a verdadeira mensagem do vídeo.

Conclusão

"Empowerment", do inglês, significa "dar poder ou liberdade". "Prototype" é o oposto. Desde o início, Viktoria está visivelmente drogada e efetivamente perde o poder sobre o seu próprio corpo e mente, ela canta sobre ser "montada" com peças robóticas e seus fãs recebem uma lavagem cerebral pela televisão, que os leva a fazer coisas destrutivas. Ninguém no vídeo ganhou poder ou liberdade... exceto aqueles que estão por trás de Viktoria, em silêncio, lucrando com o "movimento" criado artificialmente no vídeo.

"Prototype" é um produto típico da mídia de massa criado pela elite. Ele é dissimulado e enganoso. Não se trata de "dar poder", de aceitação ou qualquer outro chavão que eles adoram jogar em nós. "Prototype" é sobre a elite manipular as massas usando "pop stars" robóticos. Lembra do idiota que cortou sua perna para ser como Viktoria? Isso é como eles nos enxergam. Você é um idiota? Ou você é um cidadão vigilante?
 


Fonte: VC

Veja Mais  
 Kimbra - Uma Nova Artista sob Controle Mental 
Emeli Sandé "Clown": Vendendo a Alma para a Indústria da Música? 

, ,

Madonna canta Sobre os Illuminati em Nova Música Vazada...e diz o Óbvio

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014 27 comentários

Nessa semana, Madonna, a grande sacerdotisa da indústria da música, deve ter ficado um pouco irritada quando soube que várias músicas de seu novo álbum vazaram na internet. A cantora disse que essas canções eram apenas "demos" antigos, mesmo assim elas foram disponibilizadas para download no iTunes mais tarde como parte do álbum "Rebel Heart". O que mais chamou a atenção foi o fato de a tão esperada faixa intitulada "Illuminati" estar entre as músicas vazadas. Nessa faixa, a cantora menciona figuras notáveis como Barack Obama, Lady Gaga e Oprah Winfrey e afirma que essas celebridades ​​e figuras políticas não pertencem ao "grupo secreto Illuminati" que alguns "teóricos da conspiração" acreditam controlar o mundo.

Sabemos há muito tempo que surgiu entre os artistas mainstream, como Jay Z, Beyonce, Lady Gaga e Rihanna, uma tendência para referenciar os illuminati e usar simbolismo e linguagem corporal comumente associado com a elite oculta e o controle mental MK. Isso culminou com a especulação de que os Illuminati estariam usando a cultura pop para aclimatar lentamente as pessoas a sua existência, ou simplesmente como uma maneira dissimulada de mostrar ao mundo quem controla a indústria do entretenimento. Dessa forma, a canção de Madonna disse o óbvio quando afirma que essas celebridades não pertencem aos Illuminati. Eles realmente não fazem parte.

Os Illuminati são um grupo de banqueiros e empreendedores mais ricos e poderosos no mundo, muitos de linhagem sanguínea antiga, e são donos da maior parte dos bancos centrais e grandes corporações. Essas celebridades não pertencem a essa grupo seleto, mas são "peões", que devem fazer aquilo que são mandados, promovendo simbolismo oculto, a cultura do controle mental, da degradação moral e, ainda, promovendo esse emaranhado ocultista como a nova filosofia das massas.

Nestes seguintes trechos da canção, vemos declarações bastante reais.

 
Não são pentagramas ou feitiçaria
 

Madonna está dizendo que não há ocultismo nisso tudo, mas ela mesma é praticante da Cabala, uma das principais raízes da magia negra que originou os ensinamentos da maior parte das escolas esotéricas atuais.


 
 Rihanna não conhece a Nova Ordem Mundial.
 

Sim, é verdade. A maior parte desses artistas são escravos de mente controlada que têm pouco controle sobre sua consciência. Eles provavelmente sabem pouco sobre os verdadeiros objetivos da Elite oculta...ou seja, seus patrões, e Rihanna, no entanto, promove muito bem a Agenda Illuminati.

 
Os pais fundadores escreveram na parede 
E agora a mídia está enganando a todos nós
Para o certo e para o errado
 

Exatamente. Os pais fundadores a quem a música se refere são provavelmente os maçons, que projetaram os EUA e deixaram pistas quase que explícitas de que pretendem instaurar um governo único mundial. E não é novidade que a mídia engana a todos.

É verdade também que o número de artistas tentando chamar a atenção mencionando as "teorias de conspiração" está aumentando. No entanto, isso também é parte da agenda para descredibilizar esses assuntos. Portanto, é lógico que Madonna (ou aqueles em controle de sua carreira) estava querendo aumentar a atenção em torno de si, mas note que, embora ela declare música que essas figuras não fazem parte dos Illuminati, ela nunca mostra descrença nesse grupo oculto e ainda refere a eles como a "verdade e a luz". Infelizmente o público em geral não perceberá esses detalhes.

Aqui está a letra da música:

 
Não é Jay Z e Beyonce
Não é Nicki ou Lil Wayne
Não é Oprah e Obama
Papa ou Rihanna
Rainha Elizabeth ou Kanye
Não são pentagramas ou feitiçaria
Não estão tentando fazer dinheiro
Magia negra ou Gaga
Gucci ou Prada
Montada em um gato dourado

 [Refrão]

O olho que tudo vê está vigiando hoje à noite
Isso é o que é 
Verdade e luz
O olho que tudo vê está vigiando hoje à noite
Nada a esconder 
Segredos dentro
É como todo mundo nesta festa, brilhando como Illuminati 
É como todo a gente nesta festa, brilhando como Illuminati

É a iluminação que começou tudo 
Os pais fundadores a escreveram na parede 
E agora da mídia nos enganar todos
Para o certo e para o errado
É hora de dançar e transformar essa escuridão em algo
Então deixe o fogo queimar, esta música está eletrizante
Nós vamos viver para sempre, o amor nunca morre 
Começa hoje à noite 

Rihanna não conhece a nova ordem mundial 
Não é cantos criptografado de platina
Não é Isis ou Phoenix, as câmeras do Egito
Não faça isso em algo sórdido 
Não é Steve Jobs ou Bill Gates 
Não é o que você ama Estados Unidos
Não é um Beaver ou um Braun
Clinton ou Obam'
Ou alguém que você ama odiar
 

Madonna falou abertamente em entrevista para o The Guardian sobre a canção Illuminati. Na entrevista, ela explica a ideia de quem são os Illuminati.

 
“’Illuminati’ é uma música que eu escrevi entre março e abril. As pessoas estão sempre usando a palavra Illuminati, mas eles sempre se referem à isso da forma incorreta. Muitas vezes me acusam de ser membro dos Illuminati e eu acho que na cultura pop atual, os Illuminati são vistos como um grupo de pessoas poderosas e bem sucedidas que estão trabalhando pelos bastidores para controlar o universo e não pessoas com consciência, não pessoas que são iluminadas”.
 
“Os verdadeiros Illuminati foram um grupo de cientistas, artistas, filósofos, escritores, que surgiram no que foi chamado por Era do Iluminismo, quando não havia composições, arte, criatividade e nem mesmo espiritualidade, e a vida estava parada numa mesmice. E logo depois disso, tudo floresceu. Então tivemos pessoas como Shakespeare, Leonardo DaVinci, Michaelangelo e Isaac Newton e todas essas mentes incríveis, grandes pensadores, todos foram chamados de Illuminati [...] Então quando as pessoas se referem a mim como membro dos Illuminati, eu sempre tenho vontade de agradecer. Muito obrigado por me colocar nesta categoria. Mas antes de agradecer, eu senti que precisava escrever uma música sobre o que eu acreditava que os Illuminati eram ou não.”  

No artigo A Ordem dos Illuminati: Suas Origens, Seus Métodos e Sua Influência Sobre os Eventos Mundiais, explicamos quem realmente são os Illuminati. Os Illuminati não foram pessoas brinlhantes como o DaVinci. Esse tipo de informação encontramos em livros do Dan Brown ou outras porcarias produzidas por Hollywood para espalhar desinformação (veja este artigo). Os Illuminati da Baviera foi uma sociedade secreta que se infiltrou em diversas lojas maçônicas da Europa e permaneceu em sigilo por séculos. E sim, Madonna não faz parte dos Illuminati, quem foi que disse isso? Isso é óbvio. Ela é apenas um fantoche usado para empurrar uma agenda e mensagens específicas. A música de Madonna está tentando distorcer os fatos e ridicularizá-los, e ela foi a artista perfeita para fazer isso, visto que é uma das celebridades mais influentes da indústria da música até os dias atuais.

Veja Mais
Madonna - Análise em Give Me All Your Luvin' 
Madonna - Simbolismo na Nova Turnê MDNA 

, ,

"O Mundo Fantástico de Oz" - Um Filme Disney Assustador que é Claramente Sobre Controle Mental

sábado, 20 de dezembro de 2014 18 comentários

A produção Disney de 1985 "O Mundo Fantástico de Oz" é descrita por muitos críticos como um dos filmes infantis mais aterrorizantes já feitos. Embora muitas de suas cenas sejam realmente um pesadelo para as mentes dos jovens, há um fato que é ainda mais preocupante: O filme é na verdade sobre uma menina que está sendo submetida ao mundo sádico do controle mental baseado no trauma.

Quando "O Mundo Fantástico de Oz" foi lançado em 1985, o filme teve uma recepção um tanto fria. Enquanto os telespectadores estavam esperando uma sequela do clássico "O Mágico de Oz" de 1939, o filme se destinou a uma experiência muito mais sombria. Embora "O Mágico de Oz" destaque munchkins cantando sobre pirulitos, "O Mundo Fantástico de Oz" apresenta Dorothy sendo levada para um hospital psiquiátrico imundo, amarrada em uma cama de eletrochoque... e, em seguida, as coisas pioram.

Descrito por um crítico de cinema como "sombrio, assustador e às vezes aterrorizante", "O Mundo Fantástico de Oz" é um desses filmes que faz pensar por que eles foram comercializados para as crianças. No entanto, quando se compreende o significado subjacente do filme, as coisas fazem mais sentido. O filme é secretamente sobre o controle mental baseado no trauma, a prática mais sádica conhecida pelo homem, de modo que aqueles por trás desse filme provavelmente tiveram um prazer sádico em assustar os jovens espectadores ao redor do mundo. 

"O Mundo Fantástico de Oz" descreve simbolicamente o processo horrível de controle mental baseado no trauma vivido por uma jovem. Também conhecido como MKULTRA, o controle mental é sobre submeter vítimas a trauma que é tão intenso que faz com que elas dissociem, ou desconectem-se, da realidade como um mecanismo de resposta para proteger a sua mente consciente. O manipulador do escravo, em seguida, cria um alter-persona programável que ele possa manipular. (Se você não tem ideia do que estou falando, leia este artigo: O Controle Mental Monarca - Suas Origens e Técnicas). Através da fantasia, "O Mundo Fantástico de Oz" descreve o processo de programação de uma menina que dissociou da realidade para um mundo criado pelo seu manipulador.

"O Mágico de Oz": A Ferramenta de Programação Favorita da Elite Oculta

Em meu artigo sobre "O Mágico de Oz", eu expliquei como o filme foi usado no MKULTRA como uma ferramenta de programação em escravos de controle mental. Da mesma forma que Dorothy vai "além do arco-íris" para fugir para a Terra de Oz, os escravos MK, que estão sendo brutalmente torturados, são ditos para irem "além do arco-íris" e dissociar da realidade para escapar do trauma insuportável. 


"O Mágico de Oz foi escolhido no final de 1940 para ser a base para a programação de controle  mental baseada no trauma da comunidade Illuminati de Inteligência. Como uma forma de reforçar o efeito da programação, os escravos monarcas são condicionados para colocarem itens de gatilho em suas vidas."

– Fritz Springmeier, The Illuminati Formula to Create a Mind Control Slave
 

Embora O Mágico de Oz tenha sido escolhido e distorcido para tornar-se uma ferramenta de programação, "O Mundo Fantástico de Oz" foi feito por encomenda para se tornar um ode ao controle mental. Baseado em L. Frank Baum "A Terra de Oz" e "Ozma de Oz" (livros 2 e 3 da série), a produção Disney adicionou vários elementos-chave ao conto para torná-lo sobre controle mental. Por exemplo, nos livros, Dorothy não é enviada para um hospital psiquiátrico para ser eletrocutada. Por que esse fato inquietante foi adicionado ao filme? "O Mundo Fantástico de Oz" segue o mesmo roteiro básico como vários outros filmes usados no controle mental, como "Alice no País das Maravilhas", "Labirinto - a Magia do Tempo" e até "Coraline": Uma menina curiosa que escapa da realidade para explorar uma terra de fantasia cheia de diversão e aventura, onde se aplicam regras. No entanto, no mundo MK, a terra de fantasia é realmente um símbolo para a dissociação - o lugar onde a mente foge a fim de lidar com o trauma.

Vamos olhar para a estranheza perturbadora que é "O Mundo Fantástico de Oz". 

"O Mundo Fantástico de Oz"  

O filme começa onde "O Mágico de Oz" parou. Dorothy está em seu quarto e fica pensando na terra mágica de Oz. A tia Em está preocupada porque a menina não conseguiu ter uma boa noite de sono. O que ela faz sobre essa situação? Ela decide levá-la para um "terapeuta" que se especializa em eletrocutar seus pacientes de volta à razão. Ótima maneira de cuidar das crianças, não é?

  Antes de Dorothy sair, ela encontra uma chave com o símbolo de Oz. Ela
 representa a chave para a sua personalidade núcleo - seu verdadeiro eu. 

 Na clínica, vemos o Dr. Worley segurando a chave. Isso representa
 ele assumindo sua mente e tornando-se seu manipulador MK.

Dr. Worley diz a Dorothy "Eu sei exatamente o que vai animá-la!", E apresenta-lhe a sua máquina de eletroconvulsoterapia. 

  Dr. Worley diz a Dorothy que sua máquina tem olhos e uma boca. Isso 
prediz o fato de que esta máquina se tornará um personagem real no mundo
 distorcido de Oz - o mundo para o qual Dorothy será levada para dissociar.

 Enquanto olha para a máquina, Dorothy vê o reflexo de uma outra menina. A 
máquina de eletrochoque é a porta de entrada para a sua alter-persona Ozma.

  O enfermeira-chefe, vestida com um vestido preto
 assustador, leva Dorothy para o quarto dela.

Enquanto Dorothy anda pelos corredores escuros e assustadores da instituição, podemos ouvir "pacientes" gritando e lamentando. Esse lugar não é nada menos do que um sítio de programação MKULTRA. O controle mental não existia no século 19 (o tempo em que o filme se passa), e esta parte inteira do filme foi adicionada pela Disney. 

 Depois de ser mantida em isolamento por um tempo, 
Dorothy é forçosamente amarrada a uma cama. 

Dorothy é levada para uma sala onde o médico-chefe (manipulador de mente) está esperando com sua máquina de eletroconvulsoterapia.

  Dorothy está sendo preparado para o eletrochoque. 

Dorothy no entanto parece ter sorte. Bem quando Dr. Worley liga a máquina, a energia acaba. Neste momento, estamos sob a impressão de que Dorothy foi evitada de ser eletrocutada devido a uma queda de energia perfeitamente cronometrada. No entanto, como o resto de todo o filme vai nos dizer claramente, que esse não foi o caso. Dorothy tinha infelizmente sido eletrocutada, mas isso é sutilmente implícito. Na verdade, o choque foi tão violento e intenso que a levou a dissociar da realidade. As luzes que saem na sala simbolizam sua personalidade núcleo saindo. Deste ponto em diante, as "aventuras" de Dorothy representam ela passando pelos estágios da programação de controle mental, estando completamente dissociada. O que acontece com Dorothy imediatamente após o apagão é relevante.

 O alter persona de Dorothy aparece do nada para recuperá-la.

Quando Dorothy pergunta a Ozma sobre as pessoas que ela ouve gritar, Ozma responde que elas são "doentes que foram danificados e trancados em um porão". Em outras palavras, eles são escravos MK. 

Oz - A Terra da Dissociação

Ozma leva Dorothy para a Terra de Oz - que representa a psique interior do escravo dissociado. Completamente criada e manipulada pelo manipulador, Oz faz com que Dorothy seja uma estranha em sua própria mente. As coisas que ela vê e percebe são uma versão completamente distorcida da realidade vivida por Dorothy na instituição mental. 

Várias pistas indicam que, apesar de estar na Terra de Oz, Dorothy ainda está fisicamente na instituição mental. Em primeiro lugar, todas as pessoas que vemos na instituição existem na Terra de Oz... como uma versão assustadoramente maluca da percepção de um escravo MK dissociado.

  A enfermeira-chefe da instituição torna-se Mombi a bruxa
 má na terra de Oz. O enfermeiro que amarrou Dorothy
 numa cama é um Wheeler em Oz.

A enfermeira-chefe é a "Grand Dame" do controle mental dos Illuminati, uma figura maternal sádica. 


"Uma Grande Dame Illuminati ajudará os programadores garantir que o script seja dado à criança e que um surto psicótico não ocorra fazendo a vítima perder a sua mente." 

– Fritz Springmeier, The Illuminati Formula to Create a Mind Control Slave
 

O enfermeiro é um programador secundário que é muitas vezes responsável por torturar e traumatizar a vítima. Por esta razão ele é percebido como o cabeça dos Wheelers, um bando de idiotas imprevisíveis que usam máscaras aterrorizantes. 

  Essa coisa surge do nada, acompanhada de um som alto. Uma 
ótima maneira de dar às crianças que assistiram o filme pesadelos. 

 Dr. Worley é o Rei Nome em Oz.

Em termos de controle mental, Dr. Worley é o principal manipulador, o principal programador do escravo MK. Por esta razão, Dorothy o percebe como o Rei Nome. Ele governa a Terra de Oz, porque ele governa a mente de Dorothy. 

Há mais indícios que indicam que Dorothy nunca deixou a instituição. A implicação dessas pistas é bastante triste. Os amigos que ela faz em Oz são realmente objetos vistos ao redor da instituição no início do filme. Por exemplo, seu "melhor amigo" em Oz é realmente a máquina de eletrochoque.

  Tik Tok, o amigo mecânico amável de Dorothy é realmente a máquina 
de eletrochoque. Isso implica que Dorothy foi programada para acreditar que 
a coisa que está a torturando é um amigo. Essa é a vida de um escravo MK.

  O filme estabelece uma ligação clara entre Tik Tok e a máquina 
de eletrochoque ao focar-se na chave borboleta de ambos,
em diferentes pontos do filme.

Tik Tok foi parte do livro original escrito por L. Frank Baum, mas a ligação com a máquina de eletrochoque foi adicionada pelas boas pessoas da Disney que estavam, obviamente, com a intenção de dar a essa história uma toque MKULTRA perturbador.

 A abóbora no quarto de Dorothy na clínica
 torna-se sua amiga Cabeça de Abóbora em Oz.

Uma Aventura que conduz ao Controle Mental

Depois de fugir da instituição com Ozma, Dorothy acaba em Oz - Oz representa seu mundo interior, sua psique como uma escrava MK dissociada. Como uma estranha em sua própria cabeça, Dorothy é constantemente vigiada, da mesma forma que os escravos MK sentem-se vigiados a todo o momento.

  Na terra de Oz, pedras, paredes e todo o resto têm olhos. 
Eles constantemente espionam Dorothy e informam o Rei Nome. 

Dorothy encontra rapidamente a importante Estrada de Tijolos Amarelos, que vai levá-la para a Cidade Esmeralda. No mundo do controle mental, a Estrada de Tijolos Amarelos é o caminho indicado pelo manipulador para o escravo percorrer durante a programação.


 Os escravos monarcas são ensinados a seguir a estrada de tijolos amarelos. Não importa as coisas terríveis pela frente, o escravo monarca deve seguir a estrada de tijolos amarelos, que é definida para eles pelo seu mestre. A Estrada de Tijolos Amarela é o escape em que os alters foram treinados para voar e sair do seu mundo interior levando o seu corpo. A Estrada de Tijolos Amarela também se refere à atribuição a qual um alter é dado. Seguir a estrada de tijolos amarelos é ir pela estrada que lhe foi atribuída no comando. A programação Estrada de Tijolos Amarela é colocada na mente da criança através da história de O Mágico de Oz. Lembre-se das palavras-chave, "Siga a estrada de tijolos amarelos."

– Fritz Springmeier, The Illuminati Formula to Create a Mind Control Slave


 Embora Dorothy - e os telespectadores - sejam levados a acreditar que a 
Estrada de Tijolos Amarelos é o caminho para a terra das maravilhas, na verdade
 é o caminho que o manipulador tem preparado para o escravo percorrer 
durante a programação.

A Estrada de Tijolos Amarela leva Dorothy para um lugar abandonado, onde todo mundo é transformado em pedra.

  Mulheres transformadas em pedra, com as cabeças cortadas.

Trazer a Terra de Oz de volta à vida torna-se a missão de Dorothy. E é isso que seu manipulador quer que ela faça.

Mombi - A primeira Fase da Programação

Depois de sacudir os Wheelers assustadores, Dorothy entra no castelo de Mombi, a bruxa do mal (que também é a enfermeira-chefe na instituição mental). O encontro de Dorothy com Mombi implica que Dorothy está sendo programada pela enfermeira-chefe na clínica.

O castelo inteiro está repleto de espelhos - até o piso.

O castelo representa o mundo interior do escravo MK que está programado para espelhar-se ad-infinitum.


"Espelhos, e muitos deles, são importantes na programação oculta, porque eles criam imagens. Eles criam tantas imagens internas que não se sabe para onde ir. Na programação de escravos monarcas, os espelhos são usados bastante. Dentro da mente do escravo monarca, inúmeras imagens de espelho são feitas. O escravo vê milhares de espelhos em todos os lugares em sua mente."
 - Ibid.
 

Mombi mostra Dorothy sua coleção de cabeças ... e tira ela. 
 
 Mombi seleciona uma nova cabeça. 

Além de está cena ser perturbadora para as crianças, ela contém puro simbolismo MK. A coleção de cabeças representa vários alter-personas que podem ser programados para o escravo.

Após seu encontro traumático com Mombi, Dorothy escapa do castelo espelhado. Ela está pronta para a etapa final de sua programação: Lidar com o Rei Nome, também conhecido por Dr. Worley.

O Rei Nome

O Rei Nome vive em uma caverna subterrânea escura, o que indica o quanto ele está enraizada no mundo interior de Dorothy. A princípio, ele aparece para ela como um rosto rochoso na parede.

  O Rei Nome está, literalmente, embutido na parede, o que 
indica que ele é parte do tecido da psique de Dorothy como
 uma escrava MK dissociada.

Como o manipulador, ele faz todas as regras do seu mundo interior e controla sua estrutura. Nós o vemos derrubar paredes, criar portais e convocar todos os tipos de coisas. Como um verdadeiro manipulador, ele começa a exibir um lado razoável, e até mesmo compassivo.

 Dorothy está sendo consolada pelo manipulador que está a programando. 

O Rei Nome diz a Dorothy "Eu sei exatamente o que vai animá-la!", o que é a mesma coisa que Dr. Worley disse a Dorothy antes de mostrar-lhe a máquina de eletrochoque. Como um verdadeiro manipulador, o Rei Nome propõe um "jogo" a Dorothy, que é mais uma outra programação. Conforme o jogo avança, o Rei Nome se separa da parede e se torna mais humano.

À medida que Dorothy interage com o Rei Nome, ele se torna cada
 vez mais humano, o que representa o manipulador se tornando cada
 vez mais presente dentro da cabeça do escravo. 

O lado paciente e razoável do Rei Nome, entretanto, não durou muito tempo. Como um verdadeiro manipulador MK, uma vez que o jogo acaba, ele se transforma em um monstro terrível que tem o poder de destruir todo o ser do escravo.

  O Rei Nome se transforma em um monstro de pedra gigantesco. Note que ele tem
 um olho. Como afirmei cerca de 9400 vezes neste site, o simbolismo do "um olho"
 é muito importante no mundo da programação monarca. 

Quando o Rei Nome se transforma em um monstro gigante, ele derruba todas as paredes da caverna - transformando-a em um inferno de fogo. Estamos testemunhando simbolicamente Dorothy passando por um trauma intenso pelo seu manipulador.

 Quando Dorothy tenta escapar da caverna, essas "coisas 
demoníacas" saltam para fora das paredes e tentam agarrá-la.

Dorothy consegue escapar da caverna e consegue trazer a Terra de Oz de volta à vida. Será que ela derrotou seus inimigos? Embora pareça ser o caso, ela realmente apenas seguiu o script de sua programação. O objetivo final da programação MK é a fragmentação da personalidade núcleo em alter personas - e é exatamente isso o que acontece.
 
Comemorando a Programação 

Depois de derrotar o Rei Nome, toda a Terra de Oz volta à vida. Embora pareça ser uma coisa boa, isso na verdade representa a mente dissociativa de Dorothy se tornando um solo fértil para a programação de alter-personas. Durante as celebrações, Dorothy encara um espelho e seu alter persona, Ozma, aparece para ela.

  Ver uma pessoa diferente no espelho é um símbolo 
MK poderoso. Vemo-lo várias vezes durante o filme. 

  Ozma então toca Dorothy e caminha através do 
espelho. A persona núcleo de Dorothy se divide. 

Quando Ozma sai do espelho, ela se torna "real". A programação de Dorothy está completa e Ozma, seu alter persona programado, está plenamente presente em sua mente. Ozma diz a Dorothy:


"Estarei olhando você de vez em quando, e se você quiser voltar a Oz, vou fazer isso acontecer."


 Em outras palavras, Ozma agora faz parte do ser de Dorothy e ela pode retornar para a Terra de Oz (dissociação) a qualquer momento.

Ao voltar a Kansas, Dorothy entende que, embora ela esteja de volta à realidade, sua programação ainda está dentro dela.

  Enquanto olha para o espelho (de novo), Dorothy vê 
Ozma. O alter-persona faz parte de sua vida... para sempre. 

Conclusão

Embora "O Mundo Fantástico de Oz" já fora considerado um dos filme mais assustadores comercializados para crianças, entender seu significado subjacente o torna simplesmente maligno. Através de um conto enganoso, "O Mundo Fantástico de Oz" leva os espectadores assistirem à história da menina que está sendo levada para um hospital psiquiátrico para ser torturada, traumatizada e programada por manipuladores sádicos. É possível até imaginar esse filme sendo usado como uma ferramenta de programação em escravos MK reais.

Usando livros de L. Frank Baum como uma fonte primária, a Disney adicionou um grande número de novos elementos para a história para transformá-la em um verdadeiro ode ao controle mental. Entender o verdadeiro significado de "O Mundo Fantástico de Oz" é entender a mentalidade real da Disney e aqueles por trás dos meios de comunicação em geral. Eles são os reis Nome e eles nos veem como Dorothy. Hora de parar de seguir a estrada de tijolos amarelos como escravos irracionais e fazer o nosso próprio caminho.



Fonte: VC

Veja Mais
Filme "Espelhos do Medo" - Não é Terror, é Controle Mental 
"O Amigo Oculto": O Filme mais Explícito de Controle Mental Monarca?