, ,

"O Mundo Fantástico de Oz" - Um Filme Disney Assustador que é Claramente Sobre Controle Mental

sábado, 20 de dezembro de 2014 Leave a Comment

A produção Disney de 1985 "O Mundo Fantástico de Oz" é descrita por muitos críticos como um dos filmes infantis mais aterrorizantes já feitos. Embora muitas de suas cenas sejam realmente um pesadelo para as mentes dos jovens, há um fato que é ainda mais preocupante: O filme é na verdade sobre uma menina que está sendo submetida ao mundo sádico do controle mental baseado no trauma.

Quando "O Mundo Fantástico de Oz" foi lançado em 1985, o filme teve uma recepção um tanto fria. Enquanto os telespectadores estavam esperando uma sequela do clássico "O Mágico de Oz" de 1939, o filme se destinou a uma experiência muito mais sombria. Embora "O Mágico de Oz" destaque munchkins cantando sobre pirulitos, "O Mundo Fantástico de Oz" apresenta Dorothy sendo levada para um hospital psiquiátrico imundo, amarrada em uma cama de eletrochoque... e, em seguida, as coisas pioram.

Descrito por um crítico de cinema como "sombrio, assustador e às vezes aterrorizante", "O Mundo Fantástico de Oz" é um desses filmes que faz pensar por que eles foram comercializados para as crianças. No entanto, quando se compreende o significado subjacente do filme, as coisas fazem mais sentido. O filme é secretamente sobre o controle mental baseado no trauma, a prática mais sádica conhecida pelo homem, de modo que aqueles por trás desse filme provavelmente tiveram um prazer sádico em assustar os jovens espectadores ao redor do mundo. 

"O Mundo Fantástico de Oz" descreve simbolicamente o processo horrível de controle mental baseado no trauma vivido por uma jovem. Também conhecido como MKULTRA, o controle mental é sobre submeter vítimas a trauma que é tão intenso que faz com que elas dissociem, ou desconectem-se, da realidade como um mecanismo de resposta para proteger a sua mente consciente. O manipulador do escravo, em seguida, cria um alter-persona programável que ele possa manipular. (Se você não tem ideia do que estou falando, leia este artigo: O Controle Mental Monarca - Suas Origens e Técnicas). Através da fantasia, "O Mundo Fantástico de Oz" descreve o processo de programação de uma menina que dissociou da realidade para um mundo criado pelo seu manipulador.

"O Mágico de Oz": A Ferramenta de Programação Favorita da Elite Oculta

Em meu artigo sobre "O Mágico de Oz", eu expliquei como o filme foi usado no MKULTRA como uma ferramenta de programação em escravos de controle mental. Da mesma forma que Dorothy vai "além do arco-íris" para fugir para a Terra de Oz, os escravos MK, que estão sendo brutalmente torturados, são ditos para irem "além do arco-íris" e dissociar da realidade para escapar do trauma insuportável. 


"O Mágico de Oz foi escolhido no final de 1940 para ser a base para a programação de controle  mental baseada no trauma da comunidade Illuminati de Inteligência. Como uma forma de reforçar o efeito da programação, os escravos monarcas são condicionados para colocarem itens de gatilho em suas vidas."

– Fritz Springmeier, The Illuminati Formula to Create a Mind Control Slave
 

Embora O Mágico de Oz tenha sido escolhido e distorcido para tornar-se uma ferramenta de programação, "O Mundo Fantástico de Oz" foi feito por encomenda para se tornar um ode ao controle mental. Baseado em L. Frank Baum "A Terra de Oz" e "Ozma de Oz" (livros 2 e 3 da série), a produção Disney adicionou vários elementos-chave ao conto para torná-lo sobre controle mental. Por exemplo, nos livros, Dorothy não é enviada para um hospital psiquiátrico para ser eletrocutada. Por que esse fato inquietante foi adicionado ao filme? "O Mundo Fantástico de Oz" segue o mesmo roteiro básico como vários outros filmes usados no controle mental, como "Alice no País das Maravilhas", "Labirinto - a Magia do Tempo" e até "Coraline": Uma menina curiosa que escapa da realidade para explorar uma terra de fantasia cheia de diversão e aventura, onde se aplicam regras. No entanto, no mundo MK, a terra de fantasia é realmente um símbolo para a dissociação - o lugar onde a mente foge a fim de lidar com o trauma.

Vamos olhar para a estranheza perturbadora que é "O Mundo Fantástico de Oz". 

"O Mundo Fantástico de Oz"  

O filme começa onde "O Mágico de Oz" parou. Dorothy está em seu quarto e fica pensando na terra mágica de Oz. A tia Em está preocupada porque a menina não conseguiu ter uma boa noite de sono. O que ela faz sobre essa situação? Ela decide levá-la para um "terapeuta" que se especializa em eletrocutar seus pacientes de volta à razão. Ótima maneira de cuidar das crianças, não é?

  Antes de Dorothy sair, ela encontra uma chave com o símbolo de Oz. Ela
 representa a chave para a sua personalidade núcleo - seu verdadeiro eu. 

 Na clínica, vemos o Dr. Worley segurando a chave. Isso representa
 ele assumindo sua mente e tornando-se seu manipulador MK.

Dr. Worley diz a Dorothy "Eu sei exatamente o que vai animá-la!", E apresenta-lhe a sua máquina de eletroconvulsoterapia. 

  Dr. Worley diz a Dorothy que sua máquina tem olhos e uma boca. Isso 
prediz o fato de que esta máquina se tornará um personagem real no mundo
 distorcido de Oz - o mundo para o qual Dorothy será levada para dissociar.

 Enquanto olha para a máquina, Dorothy vê o reflexo de uma outra menina. A 
máquina de eletrochoque é a porta de entrada para a sua alter-persona Ozma.

  O enfermeira-chefe, vestida com um vestido preto
 assustador, leva Dorothy para o quarto dela.

Enquanto Dorothy anda pelos corredores escuros e assustadores da instituição, podemos ouvir "pacientes" gritando e lamentando. Esse lugar não é nada menos do que um sítio de programação MKULTRA. O controle mental não existia no século 19 (o tempo em que o filme se passa), e esta parte inteira do filme foi adicionada pela Disney. 

 Depois de ser mantida em isolamento por um tempo, 
Dorothy é forçosamente amarrada a uma cama. 

Dorothy é levada para uma sala onde o médico-chefe (manipulador de mente) está esperando com sua máquina de eletroconvulsoterapia.

  Dorothy está sendo preparado para o eletrochoque. 

Dorothy no entanto parece ter sorte. Bem quando Dr. Worley liga a máquina, a energia acaba. Neste momento, estamos sob a impressão de que Dorothy foi evitada de ser eletrocutada devido a uma queda de energia perfeitamente cronometrada. No entanto, como o resto de todo o filme vai nos dizer claramente, que esse não foi o caso. Dorothy tinha infelizmente sido eletrocutada, mas isso é sutilmente implícito. Na verdade, o choque foi tão violento e intenso que a levou a dissociar da realidade. As luzes que saem na sala simbolizam sua personalidade núcleo saindo. Deste ponto em diante, as "aventuras" de Dorothy representam ela passando pelos estágios da programação de controle mental, estando completamente dissociada. O que acontece com Dorothy imediatamente após o apagão é relevante.

 O alter persona de Dorothy aparece do nada para recuperá-la.

Quando Dorothy pergunta a Ozma sobre as pessoas que ela ouve gritar, Ozma responde que elas são "doentes que foram danificados e trancados em um porão". Em outras palavras, eles são escravos MK. 

Oz - A Terra da Dissociação

Ozma leva Dorothy para a Terra de Oz - que representa a psique interior do escravo dissociado. Completamente criada e manipulada pelo manipulador, Oz faz com que Dorothy seja uma estranha em sua própria mente. As coisas que ela vê e percebe são uma versão completamente distorcida da realidade vivida por Dorothy na instituição mental. 

Várias pistas indicam que, apesar de estar na Terra de Oz, Dorothy ainda está fisicamente na instituição mental. Em primeiro lugar, todas as pessoas que vemos na instituição existem na Terra de Oz... como uma versão assustadoramente maluca da percepção de um escravo MK dissociado.

  A enfermeira-chefe da instituição torna-se Mombi a bruxa
 má na terra de Oz. O enfermeiro que amarrou Dorothy
 numa cama é um Wheeler em Oz.

A enfermeira-chefe é a "Grand Dame" do controle mental dos Illuminati, uma figura maternal sádica. 


"Uma Grande Dame Illuminati ajudará os programadores garantir que o script seja dado à criança e que um surto psicótico não ocorra fazendo a vítima perder a sua mente." 

– Fritz Springmeier, The Illuminati Formula to Create a Mind Control Slave
 

O enfermeiro é um programador secundário que é muitas vezes responsável por torturar e traumatizar a vítima. Por esta razão ele é percebido como o cabeça dos Wheelers, um bando de idiotas imprevisíveis que usam máscaras aterrorizantes. 

  Essa coisa surge do nada, acompanhada de um som alto. Uma 
ótima maneira de dar às crianças que assistiram o filme pesadelos. 

 Dr. Worley é o Rei Nome em Oz.

Em termos de controle mental, Dr. Worley é o principal manipulador, o principal programador do escravo MK. Por esta razão, Dorothy o percebe como o Rei Nome. Ele governa a Terra de Oz, porque ele governa a mente de Dorothy. 

Há mais indícios que indicam que Dorothy nunca deixou a instituição. A implicação dessas pistas é bastante triste. Os amigos que ela faz em Oz são realmente objetos vistos ao redor da instituição no início do filme. Por exemplo, seu "melhor amigo" em Oz é realmente a máquina de eletrochoque.

  Tik Tok, o amigo mecânico amável de Dorothy é realmente a máquina 
de eletrochoque. Isso implica que Dorothy foi programada para acreditar que 
a coisa que está a torturando é um amigo. Essa é a vida de um escravo MK.

  O filme estabelece uma ligação clara entre Tik Tok e a máquina 
de eletrochoque ao focar-se na chave borboleta de ambos,
em diferentes pontos do filme.

Tik Tok foi parte do livro original escrito por L. Frank Baum, mas a ligação com a máquina de eletrochoque foi adicionada pelas boas pessoas da Disney que estavam, obviamente, com a intenção de dar a essa história uma toque MKULTRA perturbador.

 A abóbora no quarto de Dorothy na clínica
 torna-se sua amiga Cabeça de Abóbora em Oz.

Uma Aventura que conduz ao Controle Mental

Depois de fugir da instituição com Ozma, Dorothy acaba em Oz - Oz representa seu mundo interior, sua psique como uma escrava MK dissociada. Como uma estranha em sua própria cabeça, Dorothy é constantemente vigiada, da mesma forma que os escravos MK sentem-se vigiados a todo o momento.

  Na terra de Oz, pedras, paredes e todo o resto têm olhos. 
Eles constantemente espionam Dorothy e informam o Rei Nome. 

Dorothy encontra rapidamente a importante Estrada de Tijolos Amarelos, que vai levá-la para a Cidade Esmeralda. No mundo do controle mental, a Estrada de Tijolos Amarelos é o caminho indicado pelo manipulador para o escravo percorrer durante a programação.


 Os escravos monarcas são ensinados a seguir a estrada de tijolos amarelos. Não importa as coisas terríveis pela frente, o escravo monarca deve seguir a estrada de tijolos amarelos, que é definida para eles pelo seu mestre. A Estrada de Tijolos Amarela é o escape em que os alters foram treinados para voar e sair do seu mundo interior levando o seu corpo. A Estrada de Tijolos Amarela também se refere à atribuição a qual um alter é dado. Seguir a estrada de tijolos amarelos é ir pela estrada que lhe foi atribuída no comando. A programação Estrada de Tijolos Amarela é colocada na mente da criança através da história de O Mágico de Oz. Lembre-se das palavras-chave, "Siga a estrada de tijolos amarelos."

– Fritz Springmeier, The Illuminati Formula to Create a Mind Control Slave


 Embora Dorothy - e os telespectadores - sejam levados a acreditar que a 
Estrada de Tijolos Amarelos é o caminho para a terra das maravilhas, na verdade
 é o caminho que o manipulador tem preparado para o escravo percorrer 
durante a programação.

A Estrada de Tijolos Amarela leva Dorothy para um lugar abandonado, onde todo mundo é transformado em pedra.

  Mulheres transformadas em pedra, com as cabeças cortadas.

Trazer a Terra de Oz de volta à vida torna-se a missão de Dorothy. E é isso que seu manipulador quer que ela faça.

Mombi - A primeira Fase da Programação

Depois de sacudir os Wheelers assustadores, Dorothy entra no castelo de Mombi, a bruxa do mal (que também é a enfermeira-chefe na instituição mental). O encontro de Dorothy com Mombi implica que Dorothy está sendo programada pela enfermeira-chefe na clínica.

O castelo inteiro está repleto de espelhos - até o piso.

O castelo representa o mundo interior do escravo MK que está programado para espelhar-se ad-infinitum.


"Espelhos, e muitos deles, são importantes na programação oculta, porque eles criam imagens. Eles criam tantas imagens internas que não se sabe para onde ir. Na programação de escravos monarcas, os espelhos são usados bastante. Dentro da mente do escravo monarca, inúmeras imagens de espelho são feitas. O escravo vê milhares de espelhos em todos os lugares em sua mente."
 - Ibid.
 

Mombi mostra Dorothy sua coleção de cabeças ... e tira ela. 
 
 Mombi seleciona uma nova cabeça. 

Além de está cena ser perturbadora para as crianças, ela contém puro simbolismo MK. A coleção de cabeças representa vários alter-personas que podem ser programados para o escravo.

Após seu encontro traumático com Mombi, Dorothy escapa do castelo espelhado. Ela está pronta para a etapa final de sua programação: Lidar com o Rei Nome, também conhecido por Dr. Worley.

O Rei Nome

O Rei Nome vive em uma caverna subterrânea escura, o que indica o quanto ele está enraizada no mundo interior de Dorothy. A princípio, ele aparece para ela como um rosto rochoso na parede.

  O Rei Nome está, literalmente, embutido na parede, o que 
indica que ele é parte do tecido da psique de Dorothy como
 uma escrava MK dissociada.

Como o manipulador, ele faz todas as regras do seu mundo interior e controla sua estrutura. Nós o vemos derrubar paredes, criar portais e convocar todos os tipos de coisas. Como um verdadeiro manipulador, ele começa a exibir um lado razoável, e até mesmo compassivo.

 Dorothy está sendo consolada pelo manipulador que está a programando. 

O Rei Nome diz a Dorothy "Eu sei exatamente o que vai animá-la!", o que é a mesma coisa que Dr. Worley disse a Dorothy antes de mostrar-lhe a máquina de eletrochoque. Como um verdadeiro manipulador, o Rei Nome propõe um "jogo" a Dorothy, que é mais uma outra programação. Conforme o jogo avança, o Rei Nome se separa da parede e se torna mais humano.

À medida que Dorothy interage com o Rei Nome, ele se torna cada
 vez mais humano, o que representa o manipulador se tornando cada
 vez mais presente dentro da cabeça do escravo. 

O lado paciente e razoável do Rei Nome, entretanto, não durou muito tempo. Como um verdadeiro manipulador MK, uma vez que o jogo acaba, ele se transforma em um monstro terrível que tem o poder de destruir todo o ser do escravo.

  O Rei Nome se transforma em um monstro de pedra gigantesco. Note que ele tem
 um olho. Como afirmei cerca de 9400 vezes neste site, o simbolismo do "um olho"
 é muito importante no mundo da programação monarca. 

Quando o Rei Nome se transforma em um monstro gigante, ele derruba todas as paredes da caverna - transformando-a em um inferno de fogo. Estamos testemunhando simbolicamente Dorothy passando por um trauma intenso pelo seu manipulador.

 Quando Dorothy tenta escapar da caverna, essas "coisas 
demoníacas" saltam para fora das paredes e tentam agarrá-la.

Dorothy consegue escapar da caverna e consegue trazer a Terra de Oz de volta à vida. Será que ela derrotou seus inimigos? Embora pareça ser o caso, ela realmente apenas seguiu o script de sua programação. O objetivo final da programação MK é a fragmentação da personalidade núcleo em alter personas - e é exatamente isso o que acontece.
 
Comemorando a Programação 

Depois de derrotar o Rei Nome, toda a Terra de Oz volta à vida. Embora pareça ser uma coisa boa, isso na verdade representa a mente dissociativa de Dorothy se tornando um solo fértil para a programação de alter-personas. Durante as celebrações, Dorothy encara um espelho e seu alter persona, Ozma, aparece para ela.

  Ver uma pessoa diferente no espelho é um símbolo 
MK poderoso. Vemo-lo várias vezes durante o filme. 

  Ozma então toca Dorothy e caminha através do 
espelho. A persona núcleo de Dorothy se divide. 

Quando Ozma sai do espelho, ela se torna "real". A programação de Dorothy está completa e Ozma, seu alter persona programado, está plenamente presente em sua mente. Ozma diz a Dorothy:


"Estarei olhando você de vez em quando, e se você quiser voltar a Oz, vou fazer isso acontecer."


 Em outras palavras, Ozma agora faz parte do ser de Dorothy e ela pode retornar para a Terra de Oz (dissociação) a qualquer momento.

Ao voltar a Kansas, Dorothy entende que, embora ela esteja de volta à realidade, sua programação ainda está dentro dela.

  Enquanto olha para o espelho (de novo), Dorothy vê 
Ozma. O alter-persona faz parte de sua vida... para sempre. 

Conclusão

Embora "O Mundo Fantástico de Oz" já fora considerado um dos filme mais assustadores comercializados para crianças, entender seu significado subjacente o torna simplesmente maligno. Através de um conto enganoso, "O Mundo Fantástico de Oz" leva os espectadores assistirem à história da menina que está sendo levada para um hospital psiquiátrico para ser torturada, traumatizada e programada por manipuladores sádicos. É possível até imaginar esse filme sendo usado como uma ferramenta de programação em escravos MK reais.

Usando livros de L. Frank Baum como uma fonte primária, a Disney adicionou um grande número de novos elementos para a história para transformá-la em um verdadeiro ode ao controle mental. Entender o verdadeiro significado de "O Mundo Fantástico de Oz" é entender a mentalidade real da Disney e aqueles por trás dos meios de comunicação em geral. Eles são os reis Nome e eles nos veem como Dorothy. Hora de parar de seguir a estrada de tijolos amarelos como escravos irracionais e fazer o nosso próprio caminho.



Fonte: VC

Veja Mais
Filme "Espelhos do Medo" - Não é Terror, é Controle Mental 
"O Amigo Oculto": O Filme mais Explícito de Controle Mental Monarca?  

17 comentários »

  • Matheus said:  

    Essa versão é posterior... A primeira versão é a mais bizarra. Foi lançada em VHS, DVD e agora em Blu ray.

    Dizem que um anão do elenco se suicidou na cena da floresta.

  • ~le~ Nicholas Mont said:  

    Que loucura! Tudo faz sentido quando visto pelos olhos de Daniel, AKA Danizudo. Parabéns, cara!

  • Sandreanny Crystine said:  

    Danizudo por favor analise o filme "Frozen".
    Desde já grata!

  • Isabela said:  

    Antes de ver o filme (pela televisão), eu havia lido a versão em quadrinhos. Foi publicada no Almanaque Disney, N° 176, 23/01/86. É mais assustadora do que o filme.

  • ALESSANDRA said:  

    Não sei como os pais permitam que crianças participem de filmes como esse. Li que essa atriz tinha 9 anos na época das filmagens. Penso na Dakota gravando Amigo Oculto. Essas crianças devem ficar perturbadas!!!

  • Karol Carvalho said:  

    Oi Danizudo , se vc puder se comunicar cmg seria otimo , tenho infinitas ideias a te falar que sevirão para te aconselhar e ajudar , espero que chege a ler essa mensagem . Se puder , me mande um e-mail .

  • Cherrygim said:  

    Algumas questões:
    - Bonecos (demônios) de pedra são exatamente iguais aos 'anjos caídos' vulgo demônios da ridícula versão de Noé lançada neste ano;
    -Boneco redondo, me lembrou o boneco do filme animado robot (robos)
    fora as apelações à bruxaria pelo cabeça de abobora, espelhos. esta apelação ao ocultismo para transformar tudo isso em coisas e pensamentos normais.... gente que construção demoníaca, e pensar que desde muito tempo a industria do cinema faz isso...deve ter sido feito bem na época de execução do mk ultra na década de 50 e 60 é isso?

  • Cherrygim said:  

    Algumas questões:
    - Bonecos (demônios) de pedra são exatamente iguais aos 'anjos caídos' vulgo demônios da ridícula versão de Noé lançada neste ano;
    -Boneco redondo, me lembrou o boneco do filme animado robot (robos)
    fora as apelações à bruxaria pelo cabeça de abobora, espelhos. esta apelação ao ocultismo para transformar tudo isso em coisas e pensamentos normais.... gente que construção demoníaca, e pensar que desde muito tempo a industria do cinema faz isso...deve ter sido feito bem na época de execução do mk ultra na década de 50 e 60 é isso?

  • Michael Carvalho Silva said:  

    Os filmes da Disney são conhecidos por manipular a mente e as emoções do público através de mensagens subliminares. Isso é uma prova contundente de que a Disney em si não passa de um instrumento da máfia conhecida como os Iluminatti.

  • Anônimo said:  

    Danizudo, já deu uma olhada na letra da musica "goodbye yellow brick road" do Elton John? Tava lendo essa matéria do filme e me lembrei da musica. Me espantei com o título e com a letra.

  • Anônimo said:  

    Esse filme parece com o clipe"wide awake" da katy Perry .

  • Bruna Bacelar said:  

    Simplesmente demoníaco.
    Porém esse artigo me fez lembrar de uma versão desse filme, de 1978, produzido pela Motown Productions e Universal, e estrelado por Diana Ross como Dorothy e Michael Jackson (sim, Michael Jackson) como o Espantalho.
    Muitas coisas me chamam atenção nesse filme, mas a que mais me chamou atenção foi uma fala do Espantalho. Pode parecer uma simples frase, mas pra quem conhece a vida e obra de MJ (e as circunstâncias de sua "morte"), essa frase passa a ter um grande significado. Ainda mais agora vendo a análise dessa versão da Disney de 1985.
    Na história, o Espantalho é conhecido por não ter cérebro. Porém na versão do MJ, o Espantalho retira do meio de sua palha, tiras de papel com citações.
    E uma delas diz: “Success, fame and fortune, they're all illusions. All there is that is real is the friendship that two can share.”
    (Sucesso, fama e fortuna, são todos ILUSÕES. Tudo ali que é real é a amizade que dois podem compartilhar)
    Como eu disse, pode parecer uma simples frase. Mas analisando todo o contexto.......

  • Anônimo said:  

    sunch punck é bem parecido só que mais explicito

  • wdac93 said:  

    É incrível como tudo por ser distorcido e insterpretado da maneira mais 'conveniente' possível. Mais incrível ainda é que um bando de pessoas sem estudo esem informações claras simlesmente compartilham esse tipo de bobagem. Odeio esse tempo de internet onde nada se discute, simplesmente curtimos e passamos adiante dando valor de 'verdade' ao conteúdo. Esse filme é pertubador e aborda o tema do eletrochoque como uma forma de tratamento sádica mas não existe relação com controle mental. O rei Nome e a bruxa Mombi são derrotados do final e nenhum dos dois conseguem o que querem: expulsar Dorothy de Oz para que nao lembre jamais de sua viagem e sua cabeça respectivamente...o doutor inclusive morre e e a enfermeira vai presa... devemos lembrar inclusive que a razão a qual Dorothy foi a clínica foi para que parasse de falar de Oz, voltasse a dormir e vivesse como uma menina normal. A insônia é uma metáfora poderosa no filme (por que vc nao analisou isso?) Pq não era conveniente para a sua teoria louca Iluminati...ahahaha

  • Tabytha Menezes said:  

    Faz uma analise da musica "la la la" do nauthing boy, fala sobre oz e é pertubadora..

  • Binho said:  

    ridículo... tudo pra você é "controle de mente"

  • Leave your response!

    NÃO serão aceitos comentários que:

    - Forem desagradáveis;
    - Contiverem LINKS, SPAM, endereços eletrônicos;
    - Usarem CAPS excessivamente;

    Seus comentários poderão levar algumas horas para aparecer nesta página. Eles não serão necessariamente respondidos pelo autor.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste site.