, , ,

As Mensagens Ocultas (e não tão ocultas) no "De Olhos Bem Fechados" de Stanley Kubrik - Parte 1

segunda-feira, 8 de julho de 2013 Leave a Comment

"De Olhos Bem Fechados" foi promovido como um filme de suspense estrelado pelo casal da vez na época: Tom Cruise e Nicole Kidman. Embora os atores estarem em lugar de destaque no filme, foram as coisas a sua volta que contaram a história verdadeira de "De Olhos Bem Fechados". A atenção de Stanley Kubrik aos detalhes e simbolismo deu ao filme todo uma outra dimensão - que não pode ser vista por aqueles que têm os "olhos bem fechados". Esta série de múltiplas partes vai analisar o simbolismo oculto do último filme de Kubrick.

Eu me lembro quando eu assisti ao "De Olhos Bem Fechados" pela primeira vez em 1999. Rapaz, como eu odiei. Eu odiei o quão devagar era o filme, eu odiei como Nicole Kidman tentou se parecer bêbada ou drogada e eu odiei ver Tom Cruise andar por Nova York parecendo-se preocupado. Eu acho que reagi da mesma maneira que os críticos na época em que o filme saiu e pensei: "Esse filme é chato e não há nada de interessante nele". No entanto, naquela época, eu acho que meus olhos eram "bem fechados". Mais de uma década depois, equipado com um pouco mais de conhecimento e paciência, eu assisti novamente o filme... e minha mente entendeu. Na verdade, como a maioria dos filmes de Stanley Kubrick, um livro inteiro poderia ser escrito sobre o filme e os conceitos que o aborda. "De Olhos Bem Fechados" é de fato não apenas sobre um relacionamento, é sobre todas as forças externas e influências que definem essa relação. Trata-se do eterno vai-e-vem entre os princípios masculino e feminino em um mundo moderno confuso e decadente. Além disso, mais importante ainda, é sobre o grupo que governa esse mundo moderno - a elite secreta que canaliza essa luta entre os princípios masculino e feminino em um meio específico e esotérico. O filme porém não especifica nada, tudo é comunicado através de símbolos sutis e misteriosos enigmas. 

Stanley Kubrick morreu inesperadamente apenas cinco dias após a apresentação da edição final do filme à Warner Bros fazendo do "De Olhos Bem Fechados" seu canto final. Considerando que "De Olhos Bem Fechados" retrata uma sociedade secreta ocultista que elimina aqueles que cruzam seu caminho, algumas teorias surgiram sobre a morte de Kubrick e sua natureza suspeita. Será que ele iria revelar algo ao público muito em breve? Talvez. 

Vejamos os principais temas da última criação de Kubrik. 

O Casal Moderno

As estrelas do "De Olhos Bem Fechados" foram o par do momento em 1999: Tom Cruise e Nicole Kidman. Aqueles que estavam esperando o filme ser uma espécie de experiência voyeurista mostrando cenas quentes do casal, provavelmente ficaram muito decepcionados. O público teve ao invés um casal egoísta, frio e profundamente insatisfeito, que parecia estar amarrado junto, não por puro amor, mas por outros fatores, como a conveniência e aparências. Embora o casal seja muito "moderno" e de "classe alta", as forças que os mantêm juntos são o resultado de um comportamento básico, primordial e quase animalesco. Se olharmos para o comportamento instintivo dos seres humanos e animais, os machos procuram principalmente por mulheres que têm boas qualidades fértis enquanto as fêmeas procuram um provedor forte. Resquícios desse comportamento ainda existem hoje, visto que os homens tendem a exibir riqueza e poder para atrair as fêmeas, enquanto as fêmeas mostram sua beleza para atrair os machos. Em "De Olhos Bem Fechados", o casal segue perfeitamente esse script instintivo.

O personagem de Tom Cruise é chamado Dr. Bill... como na nota de um dólar. Várias vezes durante o filme, Dr. Bill mostra seu dinheiro ou seu "crachá médico" às pessoas para levá-las a fazer o que ele quer. Bill faz parte da classe alta e suas relações com as pessoas da classe baixa são muitas vezes resolvidas com dinheiro.

 A fim de conseguir que este taxista o espere na frente da mansão da elite,  Dr. Bill 
rasga uma nota de cem dólares e promete-lhe dar a outra metade quando ele voltar. 
O lema de Dr. Bill é, provavelmente, "Todo mundo tem um preço". Será que a
 sua própria mulher tem um preço?

Interpretado por Nicole Kidman, Alice perdeu o emprego no mundo da arte e agora é totalmente bancada pelo salário do marido. Embora ela viva uma vida muito confortável, Alice parece estar extremamente entediada com a vida de uma mãe que vive dentro do lar. O nome Alice é provavelmente uma referência à personagem principal de Alice no País das Maravilhas - um conto de fadas sobre uma menina privilegiada, que está entediada com sua vida, e que vai "através do espelho" para chegar ao País das Maravilhas. Em "De Olhos Bem Fechados", Alice é frequentemente mostrada olhando para o espelho - cuidando de si mesma ou ... talvez procurando algo mais para a vida.

 Alice é frequentemente mostrada na frente do espelho e se arrumando. No
 início do filme, quase todos os que falam com ela mencionam sua aparência. 
Sua filha Helena (talvez em homenagem à Helena de Tróia, a mulher
 mais bonita do mundo) segue seus passos.

  As imagens promocionais para o filme apresentam
 Alice beijando Bill, mas olhando para si mesma 
no espelho, quase como se estivesse vendo uma
 realidade alternativa.

Embora o casal mostre sinais de cansaço, Bill e Alice colocam suas "máscaras felizes" quando é hora de participar de eventos sociais. Como as pessoas da elite que eles se socializam, existe uma grande diferença entre a fachada que eles colocam e a realidade.

Reunindo-se com a Elite

Bill e Alice vão a uma festa elegante dada por Victor Ziegler, um dos pacientes ricos de Bill. A julgar pela casa de Victor, ele simplesmente não é rico, mas é parte da ultra-elite. Embora a sua festa seja muito elegante e frequentada por pessoas altamente cultas, não demorou muito para os telespectadores perceberem que essa fachada esconde um lado negro nojento. Além disso, pequenos detalhes inseridos por Kubrik dão dica para uma ligação entre a festa a um ritual oculto que ocorre no final do filme.

Ao entrar na festa, a primeira coisa que vemos é esta 
decoração de Natal peculiar. Esta estrela de oito pontas com 
um círculo em seu centro se encontra em toda a casa.

 A estrela na casa de Zeigler é quase idêntica 
ao antigo símbolo da estrela de Ishtar. 

Conhecendo a atenção de Kubrik ao detalhe, a inclusão da estrela de Ishtar nesta festa não é um acidente. Ishtar é a deusa babilônica da fertilidade, do amor, da guerra e, principalmente, da sexualidade. Seu culto envolvia prostituição sagrada e atos ritualísticos - dois elementos que vemos claramente no final do filme.


 "Os Babilônios davam a Ishtar oferendas de comida e bebida no sábado. Eles, então, se juntavam em atos ritualísticos de fazer amor, que por sua vez invocavam o favor de Ishtar sobre a região e seu povo para promover a contínua saúde e fecundidade."

 - Deusa Ishtar, Anita Revel
 

Ishtar foi considerada a "cortesã dos deuses" e teve muitos amantes. Embora inspirada na cama, ela também foi cruel para os homens que se apegavam a ela. Esse conceito constantemente reaparece, especialmente com Alice.

Durante a festa, Bill e Alice se separam e ambos são confrontados com a tentação. Alice encontra um homem chamado Sandor Szavost que pergunta a ela sobre a "Arte de Amar" de Ovid. Esse livro, escrito durante os tempos da Roma Antiga, era essencialmente um guia de "Como Trair Seu Parceiro" e era popular entre a elite da época. O primeiro livro abre com uma invocação a Vênus - o planeta esotericamente associado com a luxúria. Interessante, pois Ishtar (e seus equivalentes em outras culturas semíticas) foi considerada a personificação de Vênus.

 Sandor bebe da taça de Alice. Esse truque foi tirado diretamente
 da obra "A Arte do Amor", e envia à Alice uma mensagem que não é
 muito subliminar: "Eu quero trocar fluidos com você."

O nome de Sandor pode ser uma referência ao fundador da Igreja de Satanás que é Anton Szandor Lavey. Será que essa é uma maneira de Kubrik dizer que esse homem que insiste em fazer Alice trair seu marido é parte da elite oculta e de seus modos decadentes? O homem húngaro é aparentemente experiente em programação neuro-linguística (PNL), visto que ele continua a dizer frases bem calculadas a fim de fazer Alice trair seu marido. A julgar pelo estado de embriaguez de Alice, Sandor lhe dá um discurso sobre a futilidade da vida conjugal e da necessidade de buscar o prazer.

Enquanto isso, Bill está conversando com duas modelos paqueradoras que lhe dizem que querem levá-lo para "onde o arco-íris termina". Embora o significado dessa frase enigmática nunca seja explicitamente explicado no filme, os símbolos falam por si.

Arco-íris por Todos os Lados

Arco-íris e luzes multicoloridas aparecem ao longo do filme, desde o início até o fim.

 O nome da loja onde Bill aluga seu traje é chamada de "Arco-íris".
 O nome da loja abaixo dela: "Debaixo do Arco-íris". Acho que Kubrik
 está tentando nos dizer algo... algo envolvendo arco-íris.

Como se para enfatizar o tema multicolor do arco-íris, quase todas as cenas do filme contêm luzes de Natal multicoloridas, dando à maioria dos cenários um clima nostálgico de luzes e brilho.

Quase toda vez que Bill entra em um quarto, a primeira 
coisa que vemos são as luzes de Natal multicoloridas. 

  Às vezes, as luzes de Natal são o foco da atenção. 

Essas luzes unem a maioria das cenas do filme tornando-as parte da mesma realidade. No entanto, existem algumas cenas selecionadas, onde não há absolutamente nenhuma luz de Natal. A principal delas é no palácio Somerton - o palácio onde o ritual da sociedade secreta ocorre.

 Acentuadamente contrastando com o resto do filme, Sommerton 
é completamente desprovido de luzes multicoloridas. Tudo nesse
lugar é uma acentuada oposição ao "mundo exterior".

Em "De Olhos Bem Fechados", há, portanto, dois mundos: o das luzes de Natal, cheio do "mundo do arco-íris", onde as massas passeam, tentando sobreviver e o outro mundo..., "onde o arco-íris termina" - onde a elite se reúne e realiza seus rituais. Simplesmente por ver o contraste entre os dois mundo, sentimos um fosso quase intransponível entre esses dois mundos. O filme vai mostrar claramente como os do "mundo do arco-íris" não podem entrar no outro mundo.

Então, quando as modelos pedem para Bill ir "onde termina o arco-íris", elas provavelmente se referem a ir "onde a elite se reúne e realiza rituais". Também pode significar onde elas vão ser escravas de programação Beta dissociadas. O conceito de arco-íris pode também se referir ao controle mental monarca (leia este artigo para obter mais informações), visto que as mulheres que tomam parte em rituais de elite são muitas vezes produtos de controle mental Illuminati. No vocabulário MK-Ultra "ir além do arco-íris" significa dissociar da realidade e entrar em outra persona (mais sobre isso depois).

 As modelos pedem para Bill deixar o "mundo do arco-íris" (há uma árvore
 de Natal bem atrás deles) para entrar nos rituais nojentos da elite oculta.

Atrás da Cortina

O flerte de Bill com as modelos é interrompido quando Ziegler o chama para o seu banheiro. Lá, temos uma primeira visão de "onde o arco-íris termina" - a verdade sombria sobre a elite.

 Bill vai com Ziegler a seu banheiro gigantesco, que está vestido e acompanhado 
de uma mulher nua... que não é sua esposa. A mulher está inconsciente. 

Se voltarmos um pouco, quando Bill e Alice entra pela primeira vez na festa, eles foram recebidos por Ziegler e sua esposa em uma sala cheia de luzes de Natal. Mas quando Bill vai "aonde termina o arco-íris" (aviso que não há luzes de Natal no banheiro), vemos a verdade feia: Ziegler não é um homem casado e respeitável - ele está com uma escrava de programação Beta em overdose. Quando a mulher ganha consciência, Ziegler fala com ela, uma questão paternal estranha, destacando o fato de que ele é o mestre e ela é a escrava. O ambiente luxuoso dessa cena é a maneira de Kubrik dizer que a extrema riqueza não necessariamente se iguala a uma moral elevada.

Ziegler, em seguida, pede para Bill manter tudo o que acabou de ver um segredo. O mundo "onde o arco-íris termina" nunca deve ser revelado ao outro mundo. Ele opera em seu próprio espaço, tem suas próprias regras e depende da ignorância das massas.

Casamento Questionável

Embora Alice tenha no final rejeitado os avanços de Sandor, ela foi, no entanto, incitada por eles. No dia seguinte, Alice diz a Bill que ela poderia ter o traído na festa. Quando Bill diz à esposa que ele ama e confia nela, ela se solta completamente. Ela então começa a lhe contar uma história sobre como uma vez ela estava pronta para traí-lo com um oficial naval que ela conheceu em um hotel. Essa história cruel traz a "Ishtar" dentro de Alice, visto que ela provoca em seu marido sentimentos de ciúme, insegurança, traição e até humilhação. Em suma, Alice propositadamente convocou o lado negativo das relações. Essa conversa faz com que Bill embarque em uma viagem estranha ao redor da cidade de Nova York, que tem vários níveis de significados e que o leva a exatamente o oposto do casamento: cópula anônima, mascarada com estranhos em um ambiente ritualístico. A estranha jornada de Bill será novamente analisada na segunda parte desta série de artigos.

Conclusão da Parte I 

A primeira parte desta série de artigos sobre o "De Olhos Bem Fechados" tomou um amplo olhar para o casal moderno formado por Bill e Alice, que tem o "privilégio" de se reunir com o alto escalão de Nova York. Enquanto tudo parece grande na superfície, Kubrik diz rapidamente aos telespectadores para não serem enganados pelas aparências e não ficar impressionado com exposições de riqueza e de cultura. Porque por trás do "mundo do arco-íris" existe uma realidade sombria e perturbadora, que Kubrick expõe de muitas maneiras sutis ao longo do filme.

Embora Bill e Alice sejam simplesmente "convidados" ao círculo de elite, eles ficam, no entanto, fascinados e atraídos por ela. Eles veem nesse estilo de vida uma forma de satisfazer as suas necessidades sombrias e secretas. Na próxima parte desta série, vamos olhar para o significado oculto da jornada de Bill - uma história contada por símbolos sutis salpicados no filme.

Fique atento para a parte II desta série sobre o filme "De Olhos Bem Fechados".

Fonte: VC

Leia Mais
Filme "O Bebê de Rosemary" e o Lado Oculto de Hollywood
Aleister Crowley - Seus Laços com a Elite e Seu Legado

27 comentários »

  • Lucas Ribeiro said:  

    Fala sobre essa espionagem de mensagens do governo americano, ja passou ate na tv

  • Gabriel said:  

    Faz do filme truque de mestre (Now you see me)

  • João said:  

    Quando sairá a 2ª parte?

  • gessia said:  

    tive ke ver 2 vzs esse filme,qdo ele entra na mansao nesse ritual grotesco,agente sente varios sentimentos,de medo,de nojo,uma coisa satanica,sem pudor,ai nem sei,me lembrei do livro do daniel mastral,filhos do fogo,e tem um novo livro do montenegro rituais satanicos ou coisa assim,muito sinistro,infelizmente realidade,alta sociedade nao presta,sao frios,sem escrupulos.um abraco da alemanha.to curiosa p. o final.

  • gessia said:  

    tive ke ver 2 vzs esse filme,qdo ele entra na mansao nesse ritual grotesco,agente sente varios sentimentos,de medo,de nojo,uma coisa satanica,sem pudor,ai nem sei,me lembrei do livro do daniel mastral,filhos do fogo,e tem um novo livro do montenegro rituais satanicos ou coisa assim,muito sinistro,infelizmente realidade,alta sociedade nao presta,sao frios,sem escrupulos.um abraco da alemanha.to curiosa p. o final.

  • Daiona Ev. said:  

    Já esperava que você fizesse uma análise desse filme "explicitamente ocultista"... Quando o vi passando na tv, lembrei-me imediatamente do Danizudo. Toda essa bagagem envolvendo os rituais da Elite Oculta, enfim, é um ótimo "objeto de estudo analítico".

  • Daiona Ev. said:  

    Já esperava que fizesse uma análise desse filme "explicitamente ocultista". Quando por acaso o vi na tv (justamente na parte em que se passava o ritual), lembrei-me automaticamente de você. É um ótimo objeto de estudo analítico crítico! rs' Espero que a segunda parte seja tão boa quanto a primeira! Parabéns! Deus abençoe e proteja sempre! ;)

  • Natália said:  

    Por isso que todas as pessoas estão cegas infelizmente!!!!!!

  • الأمثل المكان said:  

    Só um detalhe: você está completamente enganado sobre biologia. Na natureza, em geral, as fêmeas escolhem os machos mais fortes e bonitos (veja os pássaros machos exibindo suas penas, macacos esticando os pêlos, etc.). Isso subconscientemente mostra o macho mais fértil e/ou com melhor genética. Fêmeas quase nunca mostram sua beleza para atrair machos. No geral, na maior parte das espécies as fêmeas cuidam dos filhotes sozinhas após o acasalamento, sendo inútil um "bom provedor macho" já que elas mesmas proverão pelos filhotes. Já os machos praticamente NUNCA escolhem as fêmeas, muito menos por motivos de fertilidade. A realidade é bem contrária - quando uma fêmea entra no cio, machos disponíveis se aglomeram.
    Obviamente nada disso é generalizado, mas esta é uma regra básica para a maior parte das espécies. Isso não conta para espécies monogâmicas - mas ainda nelas, a fêmea escolhe o macho pela aparência e desenvoltura, os machos apenas se mostram disponíveis para qualquer fêmea no cio; após isso, podem se tornar um casal pelo resto da vida.
    É um problema quando os humanos misturam um ponto de vista fissurado por nossas regras e costumes socioculturais com biologia. Oras, voltando nem mesmo 2.000 anos atrás e, no Ocidente, os homens eram os que ainda ostentavam a beleza física, sendo considerados, até entre sí mesmos, mais bonitos fisicamente que as mulheres, sempre se enfeitando com pó de arroz branco e plumas e coisas do gênero, haha. Obviamente, em outras culturas a beleza feminina estava sendo a mais enfatizada neste mesmo período - podemos ver como a cultura faz o homem. Os homens também foram os primeiros a criar danças sensuais para cortejar mulheres, quando ainda estávamos deixando de ser neanderthais - podemos verificar isso em desenhos em cavernas.
    O ponto é: fêmeas buscando machos pelo poder de prover é exceção à regra na natureza; e machos escolhendo fêmeas ainda mais!
    Me desculpe, mas minha mente de sociólogo muitas vezes quase se quebra quando me deparo com afirmações não verdadeiras.

  • Desejo de menina said:  

    analise esse clip pra mim Thirty Seconds To Mars - Up In The Air tem muitos simbolismos

  • paulo joão said:  

    Já tinha imaginado(depois de ler muita coisa aqui) que o filme tinha ligações com a elite oculta e seus rituais satânicos.E o filme ainda pega leva com o esse tema.Falando nisso, gostaria que você falasse se a aberração que li recentemente na internet das bonecas humanas.Isso é real?

  • musicalista said:  

    vc é o cara danizudo!! parabéns! pessoal evite dar valor a artistas que são envolvidos com a elite!! pesquisem antes de curtir eles!

  • mari said:  

    eu estava mesmo esperando ansiosamente uma análise sobre esse filme *-*

  • nildo said:  

    A Bíblia diz que as portas do inferno não prevaleceram contra a sua igreja..ou seja, não tem do que temer, se isso tá acontecendo... é vontade de Deus. temos que ligar para as almas perdidas, se ficarmos só ligando pra as coisas que Danizudo diz.. nós vamos para o inferno.

  • Marianne Renoir said:  

    Seria ótimo fazer análises da filmografia do Kubrick. Quase todos os seus filmes parecem apresentar mensagens sobre a elite ocultista e controle mental: Laranja Mecânica, O Iluminado, Dr. Fantástico e Nascido para Matar.

    Outro diretor que apresenta em seus filmes o controle mental de forma bem explicita é David Lynch, principalmente em seu filme Cidade dos Sonhos, onde conta a história de uma decadente "atriz" de Hollywood. A série dirigida por ele, "Twin Peaks", também tem bastante referências ocultistas.

    Abraços

  • Matheus Conde said:  

    Faz do filme truque de mestre (Now you see me) [2]

  • Vinicius said:  

    Quando sai a segunda parte? aproveita e faz uma analise sobre "o iluminado" tem umas coisas ocultas e muita gente não consegue achar respostas.Tu acha que o Kubrick estava querendo trazer a tona coisas sobre as sociedades, ocultas ou ele fazia parte delas?

  • nielsen said:  

    parte 2 por favor .

  • Vinni Corrêa said:  

    Li todas as partes em outro site e vim aqui para poder dizer que sua crítica, apesar de possuir pontos interessantes, também é lamentável por apenas elogiar e não levantar as falhas grotescas e cenas mal feitas do filme.
    Quando vi este filme notei algo de estranho pois muito dele não parece ser Kubrik. Após assistir soube que o diretor havia morrido um pouco antes de entregar a versão final, o que deixa margens para que o filme sequer tenha sido terminado. E é mesmo o que parece. Creio eu que Kubrik não tenha terminado o filme, pois percebi de cara que ele estava inacabado. Senão Kubrik teria cometido um erro horrível ao fazer o pior filme da sua carreira.
    Sua crítica é vazia justamente nos momentos mais falhos do filme. Por exemplo, você diz que de cara sabemos que a escrava que elege Bill é a Amanda. Desculpe-me, mas onde há essa clareza? Não há qualquer evidência que faça com que a prostituta do banheiro saiba que é o Bill ali naquele traje. Não há qualquer pista que leve a ela saber que era ele ali. E se agrava ainda mais pelo fato de que ela estava em péssimas condições no banheiro para se lembrar dele sem máscara, quem dirá mascarado e encapuzado. Essa parte mostra claramente como o fillme estava inacabado e muito provavelmente a Warner efetuou modificações e completou o filme.
    Outra cena ridícula é a chegada de Bill ao show do amigo. Ele chega justamente no momento da última música. Muito propício para o diálogo. Aliás, o cara sabendo que tipo de gente era jamais teria aceitado dar a senha a ele, ainda mais que havia 10 anos que não se viam.
    Outra cena grotesca é a perseguição de um cara a Bill pelas ruas de nova iorque. De repente ele para em uma banca, compra um jornal e justamente lê a notícia que o interessa. Não apenas isso, já saca que é a Amanda e ainda por cima desvenda, melhor do que qualquer policial, de que era ela a mulher que o avisou do perigo. Aliás, escrevo isso antes de poder rever a cena e de confirmar se o corpo da escrava era parecido com o da prostituta do banheiro, pois nas duas vezes que eu assisti me parecia um tanto diferente.
    Enfim, há diversas cenas ainda muito ruins e mal feitas como a do sonho que teve a personagem de Nicole Kidman. No final das contas o filme ficou extremamente confuso pq muitas das cenas sequer tinham uma boa conexão. O que é muito estranho para um filme de Kubrik.
    Fora muitos diálogos maçantes e totalmente desnecessários, que um bom editor teria cortado sem dó.

  • Anônimo said:  

    Belo texto

  • Anônimo said:  

    Tive q tocar uma pra esse filme. Queria ser da alta sociedade pra fazer orgias assim hahaha

  • Caroline Ribeiro said:  

    Sem mencionar que a acima do nome da loja Raibow, consta a especificação da loja "costume rentai", que em japonês rentai significa pornografia! ;)

  • Unknown said:  

    Muito boa essa análise, fera. Deve ter dado um trabalhão.

  • Unknown said:  

    Acho que fui a única pessoa que gostou do filme na época em que ele foi lançado, rsrsrs! É uma excelente adaptação da Traumnovelle do Arthur Schnitzler.

  • Anônimo said:  

    Não,está escrito "costume rental" que significa "aluguel de fantasias"

  • Leave your response!

    NÃO serão aceitos comentários que:

    - Forem desagradáveis;
    - Contiverem LINKS, SPAM, endereços eletrônicos;
    - Usarem CAPS excessivamente;

    Seus comentários poderão levar algumas horas para aparecer nesta página. Eles não serão necessariamente respondidos pelo autor.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste site.