, ,

A Vida Oculta de Marilyn Monroe, Uma Escrava Monarca de Hollywood Original - Parte 2

domingo, 9 de junho de 2013 Leave a Comment

Na segunda parte desta série de duas partes, vamos analisar o fim da carreira de Marilyn Monroe e as circunstâncias em torno de sua morte - que foram típicas de uma vítima de controle mental. Examinaremos também o seu legado no submundo sombrio do MK-Ultra e como ela se tornou um símbolo para a Programação Monarca em Hollywood.

Nota: É recomendado que você leia a primeira parte desta série
 
A primeira parte desta série de artigos descreve o lado oculto da infância de Marilyn Monroe e as suas origens na indústria do entretenimento. Enquanto Monroe projetava a imagem de um símbolo sexual glamourosa, a realidade do seu dia-a-dia era praticamente o oposto: ela foi controlada, abusada, explorada e ainda traumatizada por vários manipuladores, enquanto vivia em condições semelhantes a prisão. Sua situação difícil lentamente a levou a um colapso mental total e, quando ela aparentemente perdeu sua utilidade para aqueles que a controlavam, ela perdeu a vida em circunstâncias muito estranhas.
 
O legado de Monroe ainda está aí, no entanto, e de certa forma ela é mais relevante hoje do que em qualquer outra época na indústria do entretenimento... mas por razões ruins. Há agora um grande número de escravos de controle mental em Hollywood, e aqueles nos bastidores fizeram de Marilyn Monroe o símbolo máximo da programação Beta. Existem várias Marilyn Monroes em Hollywood nos dias de hoje, todas projetando uma imagem sexualizada ao serem submetidas ao mesmo controle e dificuldades assim como Monroe era. E todos eles se associam com Monroe em um momento ou outro em sua carreira. É uma coincidência? Se você ler minha série de artigos Imagens Simbólicas, você provavelmente sabe que o uso da imagem de Monroe é muitas vezes repetido em um tipo específico de celebridade... e demais para ser simplesmente uma coincidência.
 
Vamos então analisar o fim da carreira de Monroe, as circunstâncias de sua morte e como sua imagem é explorada pela indústria Illuminati de hoje.
 
Modelo Presidencial 
 
No auge de sua carreira, Marilyn se envolveu com a figura mais poderosa do mundo: O Presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy. Enquanto alguns historiadores classificam sua relação como um "affair", os pesquisadores em controle mental monarca afirmam que ela era, na verdade, uma modelo presidencial - o mais alto "nível" das escravas de programação Beta, que são usadas ​​para "serviços" presidenciais.
 
Se for verdade, a existência de modelos presidenciais é um conceito bastante preocupante, pois prova o poder e a importância do Controle Mental Monarca nos círculos da elite.


"As modelos presidenciais" foram/são supostamente usadas por grandes artistas e políticos como brinquedos sexuais; bonecas de mente controladas e programadas para realizar atos perversos variados a mando de seus "manipuladores". Supostamente, Marilyn Monroe foi a primeira escrava sexual monarca que alcançou o status de "celebridade". Para aqueles não familiarizados com o termo "modelo presidencial", vou encaminhá-los ao The Control of Candy Jones by Donald Bain e Long John Nebel. Enquanto a história progride, Long John Nebel - uma personalidade de rádio de Nova Iorque nos 50's -70's - descobriu através de hipnose que sua esposa, Candy Jones, foi vítima desse tipo de projeto de controle mental, uma das muitas escravas de controle mental MK-ULTRA, programadas  por "psiquiatra-espiões" da CIA e utilizados por altos dignitários para realizar suas fantasias sexuais perversas, dentre outras funções variadas, como a de serem usadas como mulas de drogas e mensageiras para essa vasta rede de pessoas poderosamente influentes e moralmente deficientes. Mais coisas vieram à luz a esse respeito disso nos últimos anos por meio de acusações semelhantes desembolsadas ​​amplamente na Internet, bem como tais livros altamente controversos como Trance Formation In America por Mark Phillips e Kathy O'Brien, onde a Sra. O'Brien diz seus próprios contos conturbados de MK-ULTRA e abuso monarca."
 
- Adam Gorightly, “An Interpretation of Kubrick’s Eyes Wide Shut”


De acordo com pesquisadores de controle mental, Marilyn foi a primeira grande modelo presidencial, uma situação que exigia que seus manipuladores exercessem controle extremo sobre o que ela dizia e fazia em público.


"Tiraram Marilyn de qualquer contato com o mundo exterior para garantir que seu controle mental fosse funcionar. Eles estavam com medo de que algo pudesse dar errado com a primeira escrava Presidencial que foi autorizada a ser altamente visível para o público".

- Fritz Springmeier, The Illuminati Formula to Create a Mind Control Slave


 Marilyn cantando "Happy Birthday Mr. President" para JFK em 19 de 
maio de 1962. Neste momento icônico da história dos EUA, Monroe canta 
para o presidente com uma voz sexy enquanto usava um vestido colante,
 sem nada por baixo. Quando se conhece o "lado oculto da história", este 
evento foi realmente sobre uma escrava de Programação Beta cantando
para o Presidente que ela servia - para o mundo inteiro ver.

As grandes escravas Monarcas são muitas vezes identificadas com joias e pedras para identificar seu status. É dito que modelos presidenciais seriam identificadas com diamantes.


"Para ter sinais de reconhecimento, os escravos Monarca usam diamantes para significar que são modelos presidenciais. (...)

 Esmeraldas significam drogas, rubis significam prostituição, diamantes (ou imitações), modelo de trabalho presidencial."

 - Ibid.
 

 No filme "Os Homens Preferem as Loiras", Monroe executa a 
famosa canção "Os diamantes são os melhores amigos de uma 
moça". Houve algum duplo significado para essa música? 

Fato relevante: o vestido usado por Monroe cantando "Happy Birthday Mr. President" continha mais de 2.500 pedras (imitação) de diamante. Era uma maneira de identificá-la como uma modelo presidencial? Uma coisa é certa, por trás dos sorrisos e dos diamantes, as coisas eram extremamente ruins para Marilyn durante esse período de tempo. Na verdade, essa performance presidencial foi realmente uma de suas últimas aparições públicas, visto que ela foi encontrada morta a menos de três meses depois.

Perdendo o Controle aos Poucos

Os últimos meses da vida de Marilyn foram caracterizados com comportamentos erráticos, anedotas estranhas e vários relacionamentos "íntimos" com indivíduos de alta potência. Como ela estava cada vez mais mostrando sinais de sofrimento mental grave, ela também teve casos com vários homens (JFK, seu irmão Bobby Kennedy, Marlon Brando e outros) e de acordo com a biografia de Marilyn Monroe: "My Little Secret" por Tony Jerris, com algumas mulheres também.

Como uma escrava Beta, ela também foi usada sexualmente por pessoas do setor. No livro de June de DiMaggio "Marilyn, Joe and Me", o autor descreve como ela foi forçada a atender homens velhos e que ela tinha de se dissociar completamente da realidade (um aspecto importante da programação MK) para ser capaz de aguentar os atos repugnantes.


 "Marilyn não podia conter as emoções quando ela tinha que dormir com homens velhos enrugados para sobreviver no negócio. Ela teve que se proteger praticamente desligando (as emoções) durante esses tempos - como se estivesse fazendo um papel, a fim de remover-se do horror da situação. Quando esses altos magnatas de alto custo dominavam seu corpo e alma, ela não podia pagar por uma vida própria. Houve momentos, ela me disse, quando ela chegou em casa exausta de um dia de sessão e um poderoso velhote telefonara para ela e sua pele arrepiara. Depois de alguns dos horrores de seu sexo de estúdio, ela vinha e ficava em nosso chuveiro por uma hora ou mais. Ela queria lavar a terrível experiência que ela teve de suportar."

 - June DiMaggio, Marilyn, Joe and Me
 

Nos últimos meses de sua vida, teria sido muito difícil de trabalhar com Marilyn e seu comportamento fez observadores se preocuparem com sua situação. Durante as filmagens de seu último filme concluído, "The Misfits", Monroe estava com uma "doença grave" que nunca foi divulgada, mas teria sido tratada por um... psiquiatra. Em outras palavras, o controle mental.


"Monroe estava frequentemente doente e incapaz de se apresentar, e longe da influência do Dr. Greenson, ela retomou seu consumo de pílulas para dormir, e álcool. Um visitante do set, Susan Strasberg, descreveu mais tarde Monroe como "mortalmente ferida de alguma forma", e, em agosto, Monroe foi levada para Los Angeles, onde ela foi internada por dez dias. Os jornais relataram que ela tinha estado perto da morte, embora a natureza de sua doença não fosse divulgada. Louella Parsons escreveu em sua coluna de jornal que Monroe era "uma garota muito doente, muito mais doente do que no início se pensava", e revelou que ela estava sendo tratada por um psiquiatra." 

 - Wikipedia, "Marilyn Monroe"


Em 1962, Marilyn começou a filmar Something’s Got to Give, mas ela estava tão doente e não confiável ​​que ela finalmente foi demitida e processada pelo estúdio 20th Century Fox por meio milhão de dólares. O produtor do filme, Henry Weinstein afirma que o comportamento de Marilyn durante as filmagens foi horrível:

 
"Muito poucas pessoas experimentam o terror. Todos nós experimentamos ansiedade, tristeza, mágoas, mas isso era puro terror primal". 

- Anthony Summers, “Goddess”
 

Weinstein observou que Marilyn não estava tendo "dias ruins" normais ou alterações de humor. Ela estava se sentindo um "puro terror primal" - algo que os produtos de controle mental baseado em trauma muitas vezes acabam experimentando.

O Último Ensaio

 No final de junho de 1962, Marilyn posou para uma sessão de fotos com o fotógrafo Bert Stern para a revista Vogue. Seis semanas depois, ela foi encontrada morta. Há algo preocupante sobre essas imagens, pois mostram uma sensual, mas ainda uma Monroe envelhecida, bêbada e com olhos que perderam um pouco de seu brilho. Se foi intencional ou não, esse ensaio é simbólico por vários motivos.

 No livro de Stern "The Last Sitting", o fotógrafo decidiu incluir fotos que foram
 riscadas por Marilyn porque foram consideradas insatisfatórias. Agora, sabendo 
que ela seria "deletada" algumas semanas mais tarde, provavelmente porque
 já era considerada insatisfatória pelos seus manipuladores, há algo de
 profético sobre essas imagens.

  Sabendo o que iria acontecer com ela algumas semanas depois 
desta filmagem, o véu vermelho no rosto e esses olhos fechados podem
 simbolicamente representar o sacrifício de Marilyn pela indústria. 

 A sessão de fotos aconteceu no Bel Air Hotel e,
 supostamente, havia uma grande quantidade de álcool 
ali. Há também rumores de que Marilyn e o fotógrafo 
tenham se tornado "íntimos" durante a sessão. 

Esse ensaio, feito no momento mais difícil de sua vida - depois de um "aborto", um divórcio, uma viagem forçada para um hospital psiquiátrico, e todos os tipos de abuso, também será lembrado como o mais revelador e íntimo. Como a vida de Marilyn ficou mais difícil, ela também se tornou cada vez mais sexual - que é o que os escravos de programação Beta são programados para fazer. No entanto, como outros escravos MK, ela não viveu após os 40.

Sua Morte
 
Marilyn Monroe foi encontrada morta por seu psiquiatra Ralph Greenson em seu quarto em 5 de agosto de 1962. Apesar de sua morte ter sido classificada como um "provável suicídio", devido ao "envenenamento barbitúrico agudo", ainda é uma das teorias da conspiração mais discutidas de todos os tempos. Realmente, há um grande número de fatos que apontam para um assassinato, mas a verdade sobre sua morte nunca foi oficialmente reconhecida. Desde a morte de Marilyn, um grande número de outras celebridades perderam suas vidas em circunstâncias semelhantes. Para aqueles que estão cientes do lado obscuro da indústria do entretenimento, o modus operandi da elite oculta tornou-se bastante claro.

No caso de Marilyn, a evidência é bastante surpreendente. Na verdade, tanta evidência foi destruída que é difícil não acreditar em uma armação. Jack Clemmons, o primeiro oficial da polícia de Los Angeles, que investigou a cena da morte, afirmou que acredita que ela foi assassinada. Muitos outros detetives disseram a mesma coisa, mas nenhuma acusação de assassinato foi levantada.

Três pessoas estavam presentes na casa de Marilyn no momento de sua morte: a governanta Eunice Murray, seu psiquiatra Dr. Ralph Greenson, e seu internista Dr. Hyman Engelberg. A investigação em torno da morte de Marilyn revelou que o Dr. Greenson chamou a polícia mais de uma hora após Dr. Engelberg ter declarado sua morta. O comportamento dos três presentes na cena foi descrito como "errático". Aqui estão as partes do calendário oficial de eventos daquela noite fatídica.


7-7:15 pm: Joe DiMaggio Jr., filho do jogador de beisebol Joe DiMaggio (e, portanto, o ex-enteado de Monroe) telefona para ela para falar de seu noivado rompido com uma menina em San Diego. DiMaggio Jr. disse em entrevista que Monroe parecia alegre e otimista. Em serviço com os fuzileiros navais na Califórnia, DiMaggio foi capaz de colocar a hora da chamada, porque ele estava assistindo o sétimo tempo do jogo de Orioles-Los Angeles Angels, que aconteceu em Baltimore. De acordo com registros do jogo, o sétimo tempo aconteceu entre 10 e 10:15, horário local; assim, Monroe recebeu o telefonema por volta das 7 horas, horário da Califórnia. 

 07:30-19:45: Peter Lawford (cunhado do Presidente Kennedy) telefona Monroe para convidá-la para jantar em sua casa, um convite que ela havia rejeitado antes naquele mesmo dia. De acordo com Lawford, a fala de Monroe foi arrastada e estava se tornando cada vez mais indecifrável. Depois de lhe dizer adeus a conversa terminou abruptamente. Lawford tentou ligar de volta, mas recebeu um sinal de ocupado. Os registros telefônicos mostram que esta foi a última chamada que a linha principal de Marilyn Monroe recebeu naquela noite.

08:00: Lawford telefona Eunice Murray, que está passando a noite na casa de hóspedes de Monroe, em uma linha diferente, perguntando se a empregada poderia dar uma olhada nela. Depois de alguns segundos, Murray retorna ao telefone dizendo a Lawford que ela está bem. Não convencido, Lawford tenta durante toda a noite entrar em contato com Monroe. Lawford telefona seu amigo e advogado Milton A. "Mickey" Rudin, mas é aconselhado a manter-se afastado da casa de Monroe para evitar qualquer constrangimento público que poderia resultar se Monroe estivesse sob a influência de alguma coisa.

10:00: a governanta Eunice Murray passa pela porta do quarto de Monroe e mais tarde testemunha que viu a luz acesa por baixo da porta, mas decidiu não perturbar Monroe.

03h00: Eunice Murray chama o psiquiatra pessoal de Marilyn, Dr. Greenson, na segunda linha telefônica, ela não consegue acordar Monroe. Ela tem certeza de que algo está muito errado depois de espreitar em sua janela de grade do quarto.

03h40: Dr. Greenson chega e tenta arrombar a porta, mas não consegue. Ele olha pela janela e vê Monroe deitada na cama segurando o telefone e aparentemente morta. Ele quebra o vidro para abrir a porta trancada e verificá-la. Ele chama Dr. Hyman Engelberg. Há alguma especulação de que uma ambulância pode ter sido chamada para a casa de Monroe neste momento e, posteriormente, essa informação foi desmentida.

04h30: A polícia foi chamada e chega poucos minutos depois. Os dois médicos e Murray são questionados e indicam a hora da morte em mais ou menos meia noite e 30 minutos. A polícia nota que o quarto está extremamente arrumado e a cama parece ter roupa limpa em cima. Eles afirmam que Murray estava lavando lençóis quando eles chegaram. A polícia nota que a mesa de cabeceira tem vários frascos de comprimidos, mas o quarto não possui nenhum meio para engolir as pílulas já que não havia garrafas e a água estava desligada. Monroe era conhecida por vomitar pílulas, mesmo quando bebia água para poder engoli-las. Mais tarde, um copo é encontrado deitado no chão ao lado da cama, mas a polícia afirma que ele não estava lá quando o quarto foi revistado. 

05h40: O agente funerário Guy Hockett chega e observa que os sinais de morte indicam a hora da morte entre 09:30-23:30. Depois, a hora é alterada para coincidir com as declarações de testemunhas.

06:00: Murray muda a sua história e agora diz que ela voltou para a cama à meia-noite e só chamou o Dr. Greenson, quando ela acordou às 3 da manhã e notou que a luz continuava acesa. Ambos os médicos também mudam suas histórias e agora afirmam que Monroe morreu por volta de 3h50. A polícia nota que Murray parece bastante evasiva e extremamente vaga e que ela acabava mudando a sua história várias vezes. Apesar de ser uma testemunha-chave, Murray viaja para a Europa e não é questionada novamente.

 - Wikipedia, "A morte de Marilyn Monroe"
 
   
Para resumir alguns acontecimentos estranhos que aconteceram naquela noite: a polícia foi chamada mais de uma hora depois de Monroe ter sido encontrada morta, o quarto foi limpo pela empregada e lençóis foram alterados depois de ela ter sido encontrada morta, havia vários frascos de comprimidos em sua quarto, mas sem água, um copo mais tarde foi encontrado no chão, mas não estava lá quando o quarto foi revistado primeiro, o tempo de morte dado pelas testemunhas mudou várias vezes. Finalmente, a principal testemunha (e uma possível suspeita), Eunice Murray deixa o país e nunca é questionada novamente.

  Frascos de comprimidos encontrados junto ao corpo de Monroe.

As circunstâncias que rodearam a autópsia de Monroe também são extremamente desconfiáveis, visto que a conclusão dos relatórios mais importantes mostram claramente que engolir comprimidos não foi a causa de sua morte. Além disso, parece haver um claro esforço para suprimir todas as provas que possam levar à verdadeira causa da morte de Monroe.


 "O patologista, Dr. Thomas Noguchi, não conseguiu encontrar nenhum vestígio de cápsulas, pó ou a descoloração típica causada por Nembutal no estômago ou intestino de Monroe, indicando que as drogas que a mataram não haviam sido engolidas. Se Monroe tivesse tomado durante um período de tempo (o que pode explicar a falta de resíduo), ela teria morrido antes de ingerir a quantidade encontrada em sua corrente sanguínea. Monroe foi encontrada deitada de bruços. Há também evidências de cianose, uma indicação de que a morte tenha sido muito rápida. Noguchi pediu o toxicologista por exames de sangue, fígado, rins, estômago, intestino e urina, que teriam revelado exatamente como as drogas entraram no sistema de Monroe. No entanto, o toxicologista, depois de examinar o sangue, não acreditou que precisasse verificar outros órgãos, tantos órgãos foram destruídos, sem serem examinados. Noguchi depois pediu por outras amostras, mas as fotografias médicas, os slides desses órgãos que foram examinados e o exame mostrando hematomas no corpo haviam desaparecido, o que torna impossível investigar a causa da morte.

O relatório toxicológico mostra altos níveis de Nembutal (38-66 cápsulas) e hidrato de cloral (14-23 comprimidos) no sangue de Monroe. O nível encontrado foi o suficiente para matar mais de 10 pessoas. Um exame do corpo descartou injeção intravenosa como a fonte das drogas. O legista Dr. Theodore Curphey supervisionou a autópsia completa. Além da causa da morte, conforme indicado na certidão de óbito, os resultados nunca foram tornados públicos e nenhum registro dos resultados foi guardado."

 - Ibid.


Em 1985, o jornalista britânico Anthony Summers investigou as circunstâncias da morte de Monroe. Ele conseguiu obter uma entrevista com a empregada doméstica Eunice Murray para uma reportagem da BBC. Ela inadvertidamente admitiu alguns fatos condenatórios.


"Para um programa da BBC, Eunice Murray inicialmente repetiu a mesma história que ela tinha dito a Robert Slatzer em 1973 e à polícia em 1962. Ela aparentemente percebeu a equipe de câmera começando a arrumar as coisas e, em seguida, disse: "Por que, na minha idade, eu ainda tenho que falar sobre isso?" Ela não sabia, mas o microfone ainda estava ligado. Murray passou a admitir que Monroe havia conhecido os Kennedys. Ela contou que na noite da morte da atriz, "quando o médico chegou, ela não estava morta." Murray morreu em 1994 sem revelar mais detalhes."

 - Ibid.
 

Apesar de todos esses fatos, a verdade sobre a morte de Marilyn ainda não está a céu aberto. Como é o caso de muitas outras mortes de celebridades, há uma aura de mistério em torno dela e um monte de perguntas não respondidas. Em outras palavras, sua morte se encaixa no perfil de um típico  assassinato da elite oculta que tem o poder sobre a aplicação da lei para não revelar a verdade.

Alguns pesquisadores tentaram descrever os fatos exatos de quem instigou o assassinato. Alguns citam o Kennedys, a CIA, seus psicólogos ou outros indivíduos. Talvez seja mais prudente dar um passo atrás e olhar para o quadro mais amplo: a maioria das pessoas ao redor de Monroe faziam parte do mesmo sistema. Não foi uma única pessoa que decidiu matá-la, ela era uma escrava MK que foi "descartada". Como muitos outros depois dela, ela foi uma celebridade explorada quando ainda era útil e eliminada quando sua programação começou a falhar.


 "O significado mais profundo aqui é que todos as escravas Monarca são dispensáveis ​​se cruzarem a linha, e muitas dessas vítimas supostamente foram "descartadas", de tal forma depois de uma certa idade e não são mais desejáveis ​​como prostituta/escravas, ou se de algum modo se libertarem de sua programação e for considerada um "risco"."

 - Op. Cit. Gorightly.
 

O Símbolo da Programação Beta na Indústria do Entretenimento de Hoje 

 Enquanto Marilyn Monroe tornou-se rapidamente um ícone gigantesco que representa tudo o que é sexy e glamouroso em Hollywood, ela também se tornou, no mundo sombrio do MK-Ultra, um símbolo de programação Beta em Hollywood. Hoje, mais do que nunca, muitas jovens atrizes criadas na indústria do entretenimento seguem os passos de Marilyn - como se tudo fosse planejado para elas. Manipuladas por manipuladores, elas são levadas para a fama e fortuna, mas também passam por controle mental baseado em trauma, abuso, exploração, colapsos e, às vezes, a morte prematura. Em todos os casos, essas celebridades são feitas para encarnar Marilyn Monroe em uma fase de sua carreira, como se fosse um requisito doentil pelos marionetistas MK, que fazem questão de identificar os seus escravos para as massas sem noção. Quantos vídeos ou ensaios apresentando grandes estrelas são ditos "encarnar" Marilyn Monroe? Demais para ser coincidência. Em alguns casos, a semelhança não é só estética. Aqui estão alguns exemplos.

Britney Spears 

Um dos casos mais evidentes de controle mental na indústria do entretenimento de hoje é Britney Spears. De sua infância como um Mouseketeer a sua vida adulta vivendo sob a tutela de seu pai e seu noivo (seus manipuladores), Britney sempre foi acompanhada de perto por figuras poderosas. Como tantos outros escravos, ela passou por avarias, abuso de substâncias, e é muitas vezes descrita como uma "zumbi drogada" por aqueles mais próximos a ela.

  Britney "encarna" Marilyn Monroe, completo com um visual loiro platinado. Suas
 mãos estão amarradas, que pode representar seu estado na indústria do entretenimento. 

  Nesta performance de palco, Britney recria o icônico momento Monroe e seu vestido.

Britney está supostamente "obcecada" com Monroe. De acordo com Wonderwall, Britney exige que uma coleção de DVD de Marilyn Monroe esteja em todos os seus quartos de hotel. Ela também visita o túmulo de Marilyn regularmente e quer ser enterrada no mesmo cemitério. Será que os escravos beta são programados para adular Marilyn?

Anna-Nicole Smith 

A vida de Anna-Nicole Smith foi muito semelhante à de Monroe, até o final trágico. Famosa por suas curvas e sua persona "loira burra" popularizada por Monroe, sua vida no centro das atenções era típico de uma escrava Beta. Nos últimos anos de sua vida, ela estava em um relacionamento com seu advogado Howard K. Stern - que atuou mais como um manipulador MK do que um marido. Neste vídeo, vemos Anna-Nicole demonstrando um comportamento estranho... perfeitamente possível uma alter-persona programada sendo ligada. A triste cena é filmada por Stern, que parece ter provocado o episódio.


Anna-Nicole também teve que passar por alguns acontecimentos extremamente traumáticos. Por exemplo, em 2006, logo após dar à luz sua filha, seu filho de 20 anos, veio visitá-la... e misteriosamente morreu logo em seu quarto de hospital. A causa de sua morte nunca foi clara, mas, como sempre, a razão dada pelos meios de comunicação é "drogas". Isso foi um sacrifício pela elite ocultista para traumatizar Anna-Nicole Smith, a escrava Beta? Uma coisa é certa, o evento mudou completamente o resto de sua vida. (Note que Monroe perdeu dois bebês em gestação e alega que eles foram "tirados dela" por pessoas não identificadas).

Menos de três semanas depois da morte de seu filho, Anna-Nicole "se comprometeu" com o manipulador Howard. K. Stern em uma cerimônia oficial. Cinco meses depois, Smith foi encontrada morta em um quarto de hotel na Flórida. Ela perdeu a vida aos 39 anos, devido a uma "combinação de drogas". Em suma, a semelhança de Smith para Monroe não era apenas física, ela foi programada para reviver a vida de Monroe.

 Anna-Nicole Smith, em uma recriação do filme de
 Marilyn Monroe "Os Homens Preferem as Loiras".

  Uma das inúmeras ocasiões em que Smith
 foi feita parecer exatamente como Monroe. 

Outras Celebridades da Programação Beta como Monroe 

Aqui estão outras personalidades com personas Beta que estão associadas com Marilyn Monroe:

  Lindsay Lohan recriou o ensaio  "The Last Sitting" com o mesmo fotógrafo Bert Stern.

 Como Monroe, Lohan é um símbolo sexual, cujas viagens para centros 
de reabilitação (centros de reprogramação) e comportamentos erráticos 
frequentes são uma reminiscência da quebra de controle de Monroe. 

Megan Fox posa com um livro sobre Marilyn 
Monroe, enquanto mostra sua "tatuagem Monroe". 

  Depois disso, Fox no entanto removeu a tatuagem. Ela declarou em uma
 entrevista: "Eu vou removê-la. É um rosto negativo, pois ela sofria de transtornos
 de personalidade e era bipolar. Eu não quero atrair esse tipo de energia negativa 
em minha vida. "Será que ela aprendeu a verdade sobre Monroe e o que 
ela representa na indústria do entretenimento MK-Ultra?

 Katy Perry está definitivamente sendo usada para empurrar a Agenda
 Illuminati - incluindo o simbolismo de programação Beta. Aqui ela está
 posando como Monroe, com um quadriculado maçônico atrás. 

Courtney Stodden tem todos os quesitos de uma escrava Beta. Ela se casou com
 seu manipulador quando tinha 16 anos e ele tinha 51 anos. Seus vídeos on-line são 
todos sobre ser uma "sex-kitten" Beta e exibir múltiplas personalidades. 

  Nicki Minaj muitas vezes imita o visual de Marilyn Monroe. 

 Em seu vídeo "National Anthem", Lana Del Rey recriou o 
"Happy Birthday Mr. President" de Marilyn Monroe. As imagens
 em muitos de seus vídeos aludem à programação Beta. 

  Lana Del Rey em pé na frente de uma imagem de Marilyn Monroe.

Embora seja normal para celebridades ser inspirado por uma estrela icônica, como Marilyn Monroe, sua imagem é sistematicamente utilizada nas estrelas empurrando a Agenda Illuminati. Assim como outros símbolos descritos neste site, o símbolo de Monroe é usado para representar a presença da programação Beta na cultura popular.

Conclusão

Nesta série de duas partes de artigos, nós analisamos a juventude de Marilyn Monroe, a carreira, a morte e seu legado. Em todas essas etapas, a vida de Monroe foi impressa com trauma, abuso e controle mental. Como uma vítima de programação Beta, quando ela ainda não estava trabalhando em um projeto, ela foi literalmente usada para "serviços íntimos". No fim de sua vida, Marilyn foi modelo presidencial de JFK, uma situação que poderia ter sido explosiva se revelada ao público. Ambos morreriam pouco depois em circunstâncias que permanecem extremamente sombrias e suspeitas.

Mesmo depois da morte de Monroe, sua imagem continua a ser usado ad nauseam para identificar aqueles que estão seguindo seus passos pelo mesmo sistema que controlava toda a sua vida. Porque é que as figuras mais emblemáticas de nossa cultura pop muitas vezes acabam vivendo vidas trágicas? Será que é porque há algo de muito errado na indústria do entretenimento? Vou deixar Marilyn Monroe resumir a situação.


"Hollywood é um lugar onde eles te pagam 50 mil dólares por um beijo e 50 centavos pela sua alma".

 - Marilyn Monroe
 

Fonte: VC

Leia Mais
A Vida Oculta de Marilyn Monroe, Uma Escrava Monarca de Hollywood Original - Parte 1
Lil Wayne "Love Me" - Um Vídeo glomourizando a Programação Sex-kitten

35 comentários »

  • Luan Carvalho said:  

    A Amy Lee já se fantasiou de Marilyn Monroe no Halloween. Será que isso é relevante? As vezes, eu me pergunto se ela também está nessa lista de artistas manipuladas e se é por isso que ela não gosta da Industria, Fama ou Hollywood. Será que ela descobriu o que a Industria era e saiu correndo? É, ela e o Evanescence sumiram, mesmo no terceiro album.

  • Romolo Cruz said:  

    A mais triste de todas as histórias é sem dúvida de marilyn.. e saber que tantas outras estão no mesmo caminho, lindsay, britney, amanda bynes, lana, katy perry..e por ai vai. é muito triste, mais é o que a fama faz, a alma e a vida pelo glamour. Apenas triste.

  • blineblack said:  

    gostaria que você fizesse uma analise mais a fundo da Mariah Carey, eu sei que você já fez, mais seria mais legal se fosse mais detalhado.

  • **LORENA** said:  

    A vida de Marilyn Monroe,foi uma das histórias mais chocantes e macabras que eu ja li.Sua beleza se tornou realmente sua prisão perpetua.Uma história triste e muito dolorosa para ela,a parte do hospício me arrepiou,muita crueldade.Infelizmente,como ela muitos outros estão sendo ou se deixam manipular pra atingir a grande massa e os objetivos da elite . Temo pelo futuro,mas temo mais á Deus .Que permaneçamos na fé com muita esperança. Danizudo,obrigada! Sou grata por seu esclarecimentos sobre estes e todos outros assuntos que você aborda!

  • ContraIlluminati said:  

    Eu acredito em tudo, mas é algo tão cruel que pareço não querer acreditar mas esta é a verdade da vida. Conheço amigos que tentam isto a vida toda "Fama,DInheiro & Luxo" mas não conseguem, porque eles não encontraram o meio de comunicação certo no caso ILLUMINATI !

  • Beatriz Ribeiro said:  

    Acho que nem todas as celebridades morrem tão cedo, observe a Madonna por exemplo, ela passou dos 40, hj tem mais de 50 anos e desde o começo de sua carreira até hj ela se veste como Marilyn.

  • Bruxa said:  

    A Britney Spears é o que mais se aproxima da Marilyn, ela vive em uma "prisão".

  • Aline Rodrigues said:  

    Você sabe de algum controlado no Brasil? Poderia fazer uma análise, se houver. A Xuxa seria uma controlada brasileira?

  • Marianee said:  

    Tá, não pude deixar de perceber o "Murray" né. Mesmo sobrenome do Dr que cuidou de Michael Jackson. Engraçada coincidência

  • Lilian Melo said:  

    Ñ sei se Lana del Rey se enquadra perfeitamente.
    Se vc pesquisar sobre os clipes dela verá que ela gosta de filmagens antigas, gosta do clássico, suas músicas são nostálgicas, portanto ñ me surpreende ela querer homenagear essa figura tão célebre e que até os dias de hoje o mundo sabe de quem se trata. Claro que na atualidade tudo é levado em duplo sentido, mas no caso de National Anthem, realmente foi uma homenagem já que Lana sempre declarou sua admiração por Marilyn, fato exposto desde a época em que se apresentava por Lizzy Grant. Em uma de suas músicas ela cita Marilyn como sua mãe. Possa ser que seja uma Simbologia Delta, mas também possa ser que realmente Lana seja fã de Marilyn.

  • Paola Bermanelli said:  

    Meu Deus... Mulheres tão talentosas... Não sei o que leva elas a acharem que precisam vender suas almas para conseguir sucesso...

  • Vinícius Novaes said:  

    Ótimo estudo Danizudo....continue na batalha ai pra que aqueles que não enxergam possam ver!! Deus é mais !!

  • Diego Silva said:  

    Danizudo, percebo que muito se fala da Britney e que a mesma é o caso mais evidente de Controle MK, porém algo me intriga. A Britney já passou pelo seu lado problemático, atravessando essa "linha", pois ela já escreveu uma música chamada "rebellion" que é estranhamente ligada a mídia oculta.
    Em anos mais obscuros, 2007 mais precisamente, ela pareceu quebrar esse controle, mas não foi descartada. Em sua recente tour Femme Fatale é visível o quanto ela estava sendo controlada, até pelo mesmo Jaison, seu ex-noivo.
    Gostaria que você fizesse uma análise baseado no estado atual da Britney, pois ela está aparentando estar confiante, está sendo muito requisitada pela mídia, sendo que ela já passou dos 30. Por conta disso me pergunto sobre o seu futuro.

  • Mitchie K. said:  

    Taylor Swift se fantasia de Marilyn na sua nova turne RED TOUR,enquanto canta uma música perturbadora chamada ''The Lucky One'' DANI da uma analisada nessa música q vc vai ficar chocado

  • Nany Black Gospel said:  

    " Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?"Marcos 8.36

  • Luan said:  

    Queria que fizesse uma analise com algumas celebridades antes de Marilyn, um exemplo é Carmen Miranda que morreu nas mesmas circunstancias de Marilyn (inclusive no mesmo dia 5 de agosto).

  • eduardo melgueiro said:  

    Nossa, ninguem merece a vida que ela teve, e pensar que a outros que seguem o mesmo caminho

  • eduardo melgueiro said:  

    Ninguem merece essa vida pertubadora q ela teve

  • Rebeca Lorane Grauer said:  

    E por falar em Lana Del Rey, você poderia fazer uma análise dela e do national anthem ;)

  • Clara Gianni said:  

    Acompanho Lana Del Rey desde o início do ano passado e de uns tempos para cá, fiquei bastante alarmada em perceber que seu estilo é uma perfeita cópia "vintage" de Marilyn Monoroe (até mais que muitas artistas pop por aí) até pelo tom de voz e o ritmo sessentista de suas músicas. National Anthem foi o que mais me assustou, pois se lermos a letra da música com atenção, é possível perceber que trata-se de um retrato do que é ser modelo presidencial:

    "Sou seu hino nacional
    Deus, você é tão lindo
    Leve-me até os Hamptons
    Bugatti Veyron

    Ele ama romantizá-las
    Abandono precipitado
    Mantenha-me refém
    Alto escalão"

    [...]

    "Você disse "seja legal", mas eu já sou a mais legal
    Eu disse para você ser realista
    Você não sabe com quem está lidando?
    Hum, você pensa em me comprar montes de diamantes?"

    [...]

    "Nas nossas drogas e no nosso amor
    E nos nossos sonhos e nossa fúria
    Turvando as linhas entre realidade e fantasia
    Sombria e solitária, eu preciso de alguém para me abraçar
    Ele fará isso muito bem
    Eu sei disso, eu sei disso
    Me deixa segura no seu hotel de torre de sinos"

    Se não pudesse ser mais explícito, Lana revive a cena do aniversário de JFK como Marilyn (como foi mostrado na foto do post) e na maior parte do vídeo interpreta sua esposa, Jackie Onassis, chegando a recriar a morte do próprio Kennedy no vídeo. Detalhe: a crítica especializada julgou a voz de Lana como sendo um tanto quanto mecânica e superficial ao interpretar a música.

    Ainda na questão de influência de Marilyn na indústria do entretenimento, é interessante perceber que a capa do single Bad Romance, de Lady Gaga, é estranhamente semelhante à foto em que Monroe aparece segurando um véu vermelho sobre o rosto.

  • felipe-falco said:  

    Posso não esta certo, mais acho que muitas celebridades hoje em dia não são escravas, e fazem que questão de espalhar a agenda Illuminati, diferente de marilyn que foi vitima de controle mental.

  • Gostosa Safada said:  

    Boa noite, bom dia, Danizudo!
    Assisti hoje o filme "O Grande Gatsby" no cinema e posso lhe dizer uma coisa, nunca vi peça tão illuminati quanto. Era uma coisa escancarada de forma tão óbvia, que achei engraçado ver como o resto do cinema, agia com naturalidade sobre tantos símbolos. Havia um outdoor no filme com dois olhos, que apareceu umas 10 vezes, há uma personagem que remete de maneira extraordinária Marilyn, festas e orgias com piso maçônico e a letra "G" como símbolo de "Gatsby", ou seria G.A.D.U.? Se puder analisar, ficaria bastante feliz.

    Grata, uma assídua leitora.

  • val said:  

    Toda vez q leio algum artigo aqui sobre o controle mental,sempre é comentado nos posts q a vitima passa por abusos pra poder ser programado. Dai eu fico tentando entender sobre a Beyonce, q é uma das personalidades mais presente na midia internacional. E tipo participou da posse do Obama nas duas ocasioes do mandato dele. É amiga intima da familia. Faz musica, faz filmes,faz modas. Enfim,ach oq tudo q ela podia alcancar, ela conseguiu.Acho q essa mulher ja atingiu todos os estagios da fama e do "glamour "E tipo a imagem q ela passa pra o mundo q a vida dela é perfeita. A familia sempre por perto. Se ela vai pra uma turne mundial,a familia vai junto. Parece q q sao muito unidos.Parece q a vida dela é uma mar de rosas.Ai eu fico tentando entender como a elite conseguiu uma brecha pra provocar um abalo e programa-la. Porq ela tem os pais q a ama,a irma, parentes sao fazem parte do aparato de producao dela.Em paralelo a isso,sabemso q tudo tme seu preço.Niguem tem uma vida toa perfeita assim.Em relacoa a Marilin foi facil perceber e entender q ela pode ter sido programada mesmo,lenvado e mconta a infancia triste e tal.Mas sobre a Beyonce fico tentando imaginar aonde acharma uam brecha pra programa-la Enfim,alguem pode me tirar essas duvidas? Comentar? Porq o Danizudo na comenta ,ele so posta os temas. Pessoal q sempre le,deixa ai seus comentarios ,por favor. De como uma pessoa q parece ter tido uam infancia feliz, uma adolescencia feliz foi traumatizada pra conseguir a fama extrema. Mundial!Cada vez mais ela traz simbolos iluminatis,maconicos nos trabalhos dela.A turne mundial tem o nome de mrs Carter. O sobre nome dela de casada. sera o Jay see o manipulador dela? Antes era o pai dela q era o empresari odela e q fez tudo pra lançar ela na midia

  • Srta. Haruno said:  

    Muito bom! Adorei essa série sobre a vida de Marilyn, apesar de triste. Hoje em dia, vemos muito o rosto de Marilyn por aí.. inclusive, tem uma amiga minha que tem várias camisetas com o rosto da Marilyn estampado sem nem saber quem era. Ás vezes penso que algumas artistas não estão sendo controladas diretamente como Marilyn foi. elas apenas estão repetindo algo que não sabem, por que achão ser comum no mundo pop, como simbolismos e etc. O problema é que isso pros Illuminati é ótimo. Quanto mais divulgação melhor, ainda mais sem eles precisarem estar metendo a mão diretamente.

  • Caroline Dourado said:  

    Respondendo pra Val. Não creio que Beyonce seja manipulada, creio que ela aceita tudo d bom grado,pois fama e dinheiro é fácil de aceitar.Ela realiza os planos da agenda pois vendeu sua alma,ela faz clipes que abordam o tema do controle mental mas não creio que a mesma seja controlada, é mais uma safada que vendeu a alma pro diabo e esta de prontidão para lhe servir. É minha humilde opniao.se vc pesquisar,vai ver q o sucesso q ela tem hj n era pra ser dela, e sim de Aaliyah, a ex do jay z que foi sacrificada em agosto de 2001,pq não aceitou o pacto. =/

  • Caroline Dourado said:  

    E o motivo da vida de Beyonce parecer perfeita é simples; a propaganda é a alma do negócio.Eles ganham mto dinheiro por conta do "casamento", a filha, a imagem de artista bem sucedida,isso vende e rende.Todos sabem q ela e o marido são satanistas,entao não é de surpreender que obtenham sucesso mundano,mas no interior ninguém sabe o q se passa,n sei se pessoas como ela conseguem dormir,ter paz..eis o alto preço q se paga pela fama e por se vender.Ela vive brigando com o peso,usando meia calça pra esconder as pernas feias,vive de peruca,photoshop,isso é ser feliz?nao sei..mas espero ter ajudado.

  • Caroline Dourado said:  

    Danizudo,percebi um estereotipo de Marilyn é o que a atriz Geena Davis faz no filme; Despertar de um pesadelo, no qual ela é uma assassina de mente controlada, que tem até mesmo o cabelo loiro platinado,porém engravida de um alvo e é descartada,assumindo outra personalidade,dócil porém essa personalidade começa a falhar e a persona delta reaparece. Interessante como o estereotipo está em todos os ramos da mídia para nos familiarizar com o tema ¬¬

  • val said:  

    Obrigado carolina dourado por comentar sobre a Beyonce. Concordo com quase tudo q voce falou. Realmente tudo tem seu preço. E ela é muito cobrado pra manter a imagem de estrela mundial perfeita. So discorco q ela nao foi programada. Pra mim foi sim. E acho isso pelo fato dela receber um espirito no palco. q ela chama de alter ego. Basta ver ela dando entrevistas. Primeiro q quando ela fala ela parece estar escolhendo as palavras la dentro da mente dela. E acho isso muito esquisito. E segund o porq ela parece ser extremamente timida.mas n o palco fica mega dinamica e extrovertida. E ja li q n o controle mental é feito uam especie de super abalo mental ,q pode ser feito atraves de um trauma, pra poder inserir os alter egos( na verdade,demonios). Por tudo isso,pela especie de dupla personalidade q ela parece ter,ach o q ela foi programada sim. So q varios artistas do passado e da atualidade ,passaram por traumas dentro da familia ,ou pela falta de uma estrutura familiar, como foi o caso da Marilin moroe. ja a Beyonce ,pelo menos o q se sabe atraves da midia,é q ela veio de um lar,familia feliz. Os pais dela so se separaram depois , quando ela ja estava co m a carreira solida.JA O michael Jackson teve uma infancia muito triste. ele foi espancado pelo pai dele. Tanto q morreu odiando o pai dele. Entao acredito q ele foi uma presa facil pra ter a mente desconstruida e influenciada pela elite que manda e dita as regras do mundo da musica.

  • thatha said:  

    Danizudo, já ouviu falar sobre o livro Belas Maldições de Neil Gaiman e Terry Pratchett? Gostaria que você fizesse uma análise sobre o conteúdo do livro que me deixou meio intrigada com o significado...Desde já obrigada pelas postagens!

  • Vinicius Soares said:  

    vc poderia fazer a analise de We can't stop? miley cyrus está descontrolada.

  • Moises Garcia said:  

    É impressionante como eles tratam o ser humano como um "objeto descartavel" usam e depois "jogam" no "lixo"

  • Alcino Junior said:  

    É possivel algum artista fazer sucesso e naum passar por algum tipo de controle? Eles sabem aonde estão entrando?E as familias? Porque tudo isso é loucura, perversão, eles estão sendo destruidos e influenciando gerações a se distruirem...eu tiro isso por mim sempre achei que o slogan sexo, drogas e rock´n roll fosse o maximo, mas hoje eu percebo que eu tava sendo manipulado pela midia, esse estilo de vida é um inferno, mas eu achava glamouroso, graças a Deus que percebi isso logo, e tento seguir os ensinamentos da biblia, vamos orar a Deus por essas vitimas, ninguem pode julga las, só Deus.

  • Maris Bestilleiro said:  

    Na verdade,se ela realmente foi manipulada,quem manipulou foi a família,por isso estão sempre juntos!

  • Leave your response!

    NÃO serão aceitos comentários que:

    - Forem desagradáveis;
    - Desviarem do assunto;
    - Contiverem LINKS, SPAM, endereços eletrônicos;
    - Usarem CAPS excessivamente;
    - Insistirem para que o autor os responda;

    Seus comentários poderão levar algumas horas para aparecer nesta página. Eles não serão necessariamente respondidos pelo autor.