, ,

Filme "Videodrome - A Síndrome do Vídeo" e o Terror da Mídia de Massa

sexta-feira, 31 de agosto de 2012 10 comentários

"Videodrome - A Síndrome do Vídeo" é um dos filmes de terror de ficção científica dos anos 80 que contém terror, James Woods e fitas de vídeo Betamax. Acima de tudo, o filme transmite uma mensagem forte sobre a perversidade da mídia de massa, seus perigos para a psique humana e como ele é usada para manipular as massas. Este artigo irá analisar o significado do filme "Videodrome - A Síndrome do Vídeo" e como ele revela os aspectos sombrios da mídia de massa.

"Videodrome - A Síndrome do Vídeo" é um filme canadense sombrio e trata da história de um chefe desprezível de uma pequena rede de TV a cabo e sua descoberta de um sinal de transmissão ao vivo de torturas e assassinatos. Na medida em que o fascínio se transforma em obsessão, em seguida, em doença física, o filme descreve simbolicamente, de uma forma muito extrema e gráfica, o impacto da perversidade da mídia de massa sobre a psique humana, bem como as forças escuras por trás dela.

A estranha mistura de terror, assuntos tabu e comentários sociais fazem dele um filme original, mas preocupante de se assistir. Estou feliz porque eu não assisti o filme como uma criança, porque daí provavelmente teria pesadelos por dias. Trinta anos depois, embora os efeitos especiais de terror do filme "Videodrome - A Síndrome do Vídeo" parecerem muito cafonas e ridículos, uma coisa é certa: a sua mensagem não envelheceu nem um pouco. Na verdade, o significado metafórico das cenas torcidas no filme é tão real, relevante e chocante como sempre foi, o que provavelmente explica por que se tornou uma espécie de clássico.

"Videodrome - A Síndrome do Vídeo" foi produzido em 1983, mas pode-se argumentar que estava décadas à frente de seu tempo. Ele previu com sucesso o crescente controle dos meios de comunicação pelas forças sombrias, a vinda da televisão da realidade e da propagação, através de vários meios, como a Internet, e de todos os tipos de filmes extremos.

Enquanto muitos vêem o filme como uma crítica dos efeitos dos meios de comunicação, alguns afirmam que ele não é nada menos do que um manifesto da elite para revelar a forma como ela funciona.


"Este escritor sustenta que aquela parte da atual "Revelação do Método", a criptocracia emitiu recentemente uma espécie de manifesto Rosacruz, revelando exatamente o que a televisão está fazendo para nós e como será o futuro império do vídeo que eles estão planejando para nós. O nome desse manifesto é "Videodrome - A Síndrome do Vídeo", dirigido pelo canadense David Cronberg cujas outras obras incluem dois filmes sobre assassinos psíquicos, "Scanners - Sua Mente Pode Destruir", que apresenta o sigilo de Kennedy da cabeça explodindo e "O Vidente (The Dead Zone)".

- Michael A. Hoffman, Secret Societies and Psychological Warfare


Vamos olhar para o enredo do filme e como ele se relaciona no contexto de hoje.

Descobrindo o Videodrome

Max Renn é o presidente da CIVIC-TV, uma dessas redes de televisão vulgares que se especializam em programação de baixo nível, como shows "adultos" e filmes violentos de baixo nível. Ele está convencido de que o público está sedento por experiências de TV mais extremas e que sua rede deveria trazer isso para seus telespectadores.

Durante uma entrevista na TV, Max Renn argumenta que a TV  é como uma
 catarse, dizendo que ela é uma saída saudável para as nossas necessidades violentas 
e sexuais. Ele logo descobre em primeira mão que a sua teoria é completamente falsa.

Renn está ativamente à procura de algo novo e excitante para propor aos seus telespectadores. Para isso, ele tem um contato secreto: A TV pirata chamada "Harlan", que pode interceptar sinais de satélite de todo o mundo. O pirata mostra-lhe um programa de televisão que vai mudar sua vida.

Harlan mostra a Renn um sinal de televisão transmitindo nada mais do que abusos 
ultra-realistas, torturas e assassinatos realizados por indivíduos mascarados. Renn acredita 
que tudo é encenado e que é exatamente o tipo de programação que sua rede precisa.

Renn descobre mais tarde no filme que nada em Videodrome é encenado e que é, de fato, uma TV que mostra conteúdos extremos e que filma ao vivo atos violentos reais.

No "mundo real", o conceito de vídeos de conteúdo extremo é um tabu e controverso. No entanto, alguns pesquisadores revelaram a existência de redes subterrâneas de distribuição desse tipo de vídeos em organizações de elite. Tudo de rituais de sangue a abusos envolvendo escravos de mente controlada e menores são distribuídos e consumidos em círculos de alta colocação que operam acima da lei. Além disso, crimes que têm um aspecto ritualístico são às vezes gravados e vendidos a preço elevado.


"Aguns dos assassinatos do Filho do Sam foram filmados por membros ocultistas e cópias valem um alto preço em dinheiro vivo, drogas e outras mercadorias no circuito subterrâneo de filmes snuff".

- Michael A. Hoffman, Secret Societies and Psychological Warfare


As massas são introduzidas e dissensibilizadas ao gosto perverso e violento da elite ocultista  por meio da mídia de massa.


"Nada disso deveria ser chocante para qualquer observador de TV americana visto que uma versão desse processo pode ser vista nos vislumbres de assassinatos reais e outros horrores que são mostrados na TV aberta, no "noticiário" e nos "especiais", bem no "Videodrome". Vídeos de conteúdo extremo simulados já estão disponíveis em muitas de nossas alegres locadoras de bairro. Redes de televisão, abertas e fechadas, também transmitem o mais alto grau de voyeurismo brutal".

-Ibid


No filme, Max Renn está representando as massas. Mesmo que ele saiba que o Videodrome não é o show mais cativante na TV, ele ainda fica irresistivelmente atraído pelo seu material gráfico. Fascinação com sangue e luxúria é um reflexo primitivo e instintivo e tem sido usado como uma ferramenta para captar a atenção e controlar desde os tempos antigos (veja o Circo e os Jogos de Gladiadores no Império Romano). Além disso, quando não há objeções morais envolvidas, alguns estão dispostos a ser expostos a atos verdadeiramente malignos e torcidos para satisfazer um desejo que muitas vezes se transforma em uma obsessão.

No filme, Nicki, a mulher que Max está namorando, fica sexualmente excitada pela violência em Videodrome. Submetendo-se completamente ao chamado de seus impulsos mais baixos, o casal fica "ocupado", enquanto observa um cara sendo torturado. Visto que o sangue e o sexo são instintos primitivos que se destinam a assegurar a sobrevivência, vemos aqui que eles foram torcidos e distorcidos pela mídia de massa para manipular mentes mais fracas.

Assistir a Videodrome rapidamente produz efeitos negativos sobre Renn. Seu interesse no show rapidamente se transforma em uma obsessão. A fita que ele usa para entretenimento logo começa a consumi-lo.

A obsessão de Max por Videodrome provoca uma confusão entre
 realidade e ficção. Aqui, TV leva a vida e, literalmente, o chama.

Max começa a ter alucinações intensas. Ele não vê a diferença entre a televisão e a realidade. Ele logo percebe que Videodrome não é apenas "entretenimento".

Mais do que um Programa de TV

Ao pesquisar a origem de Videodrome, a fim de transmiti-lo em sua rede de TV, Renn descobre que ele é muito mais que um programa de TV. Um de seus amigos lhe diz que a ação no Videodrome não é encenada e que aqueles por trás disso são poderosos e perigosos. Enquanto o show simplesmente parece ser sobre violência, há muito mais por trás disso. O amigo de Max lhe diz:


"Tem alguma coisa que você não tem, Max. Ele tem uma filosofia. E é isso que o torna perigoso".


Esse conceito é muito verdadeiro em mídia de massa. Enquanto a maioria das pessoas não vivem de acordo com uma filosofia específica e não coloca um pensamento sobre o que assistir na TV, aqueles que estão no poder e aqueles que controlam as redes são muitas vezes motivados por fortes motivações filosóficas e políticas. Isso resulta em comunicação de "propaganda" (informação enganosa) para as pessoas que nem sequer percebem que estão assistindo "propaganda".

O homem por trás do Videodrome é o professor Max Oblivion, que só se comunica através das telas de TV.

"A batalha pela mente da América do Norte será travada na arena do vídeo. O 
Videodrome. A tela da televisão é a retina do olho da mente. Portanto, a tela da televisão
 é parte da estrutura física do cérebro. Portanto, o que aparece na tela da televisão
produz uma experiência primária nos espectadores. Portanto, a televisão é a 
realidade. E a realidade é menos do que a televisão. "

Oblivion é um idealista convencido de que a tecnologia, em especial a televisão, iria ajudar a humanidade a ter um melhor amanhã. Ele é diretor do “Cathode Ray Mission”, um abrigo que oferece uma "saudável dose" de televisão para aqueles que não podem pagar.

O escritório Oblivion é cheio de itens relacionados à religião e filosofia. Ele acredita que 
a mídia pode trazer salvação quase-espiritual e prometer vida eterna através da televisão.

Como é o caso no mundo real, o sonho altruísta do Professor Oblivion foi tomado por pessoas que só pensam em negócio. Ele é morto por uma organização sombria e potente, que quer usar o Videodrome para controlar e manipular as massas. Max logo descobre quem eles são.

A organização funciona atrás de uma empresa de fachada chamada 'Spectacular Optical'. 
O logotipo e o slogan do olho sinistro "Mantendo um olho no mundo" é bastante Illuminati.

Quando Renn atende o chefe da Spetacular Optical, ele é mostrado um vídeo introdutório que descreve a organização de um "cidadão global corporativo e entusiasmado que faz óculos de baixo custo para o Terceiro Mundo e sistemas de orientação de mísseis para a NATO (Organização do Tratado Atlântico Norte)". Em outras palavras, é o tipo de mega-corporação que seria parte da elite mundial do nosso mundo. Spetacular Optical também é quem faz o Videodrome.

O chefe da Spetacular Optical, Barry Convex, diz a Max que Videodrome é extremo porque a exposição à violência afeta o sistema nervoso e "abre receptores no cérebro e da coluna vertebral, que permitem que o sinal Videodrome entre" - e mexa com a mente das pessoas. Pode-se perguntar se há alguma base real por trás dessa teoria: Será que o sexo e a violência primordial cria uma resposta em nossos corpos que nos torna mais receptivos a outras mensagens e sinais? Mesmo que houvesse estudos sérios sobre o assunto, eu duvido que eles seriam divulgados ao público.

Max, então descobre que ele foi propositadamente enganado a assistir Videodrome porque Spetacular Optical precisava controlar sua rede de TV para transmitir seu sinal para as massas. Para isso, Max iria ser usado como um bode expiatório de mente controlada para matar os seus parceiros e entregar o Canal 83 à Spetacular Optical.

Quando os Programas Programam Você

Apesar de Max perceber que coisas estranhas estão acontecendo, sua exposição a Videodrome tornou-o totalmente impotente e à mercê daqueles que transmitem o sinal. O filme ilustra de uma questão bastante gráfica como os indivíduos podem facilmente passar por uma lavagem cerebral e serem controlados pelos meios de comunicação de massa.

O chefe da Spetacular Optical literalmente enfia dentro de Max uma fita, a fim de programar 
sua mente e controlar suas ações. Esta é uma forma bastante gráfica de representação de como
 os meios de comunicação em massa controlados pela elite programam seus telespectadores, figurativamente inserindo uma fita nas pessoas para passar sua agenda e 
fazer mensagens serem aceitas.

Controlado pela fita, Renn entra no escritório de sua rede de TV e tira seus parceiros. Ele, então, é mandado cuidar de Bianca Oblivion, a filha do Professor Oblivion. Lá, ele é detido e Bianca usa uma tela de TV para "desprogramá-lo". Ele é, no entanto, rapidamente reprogramado para matar o chefe da Spetacular Optical, Barry Convex. Max torna-se uma espécie de "quadro branco" visto que pode ser programado e reprogramado à vontade.

A TV de Bianca aponta de volta a Max a arma que ele está segurando. A mídia, portanto,
 tornou-se um reflexo dele e ele um reflexo da mídia. A TV então dispara em Max, que lhe
 permite ser livre da fita Videodrome e "renasce" de uma forma quase religiosa. 
O novo mantra de Max: "Morte a Videodrome, Viva a Nova Carne".

Max, então, vai cuidar de Barry Convex, que está em uma feira de óculos de leitura óptica e tal. O tema do show é de Medici, proeminente dinastia política de Florença, a família bancária e casa real do século 14. Essa escolha de tema é bastante interessante, considerando o fato de que a Spetacular Optical pode ser facilmente relacionada com a elite ocultista que chamamos de Illuminati.

A família de Medici pode ser vista como um protótipo das linhagens Illuminati de hoje, uma vez que tinha uma fortaleza sobre os assuntos monetários, culturais e até mesmo religiosos de seus súditos (a família produziu quatro papas). De um ponto de vista oculto,  as traduções de obras clássicas sobre os ensinamentos de Mistério (como o Corpus Hermeticum) dos de Medici são frequentemente ditos  reviverem o hermetismo, a Kabbalah e o Gnosticismo na Europa - todos os ensinamentos básicos das sociedades secretas de hoje. O tema da feira pode portanto associar a Spetacular Optical com a elite oculta.

O palco da feira contém duas citações: "O olho é a janela da alma" e "Amor vem
 ao olho". Considerando o fato de que essa organização controla as pessoas, fazendo
-os prestar atenção a atos de crueldade, essas palavras escondem um significado
 perturbador. Então, novamente, discurso duplo é uma especialidade da elite.

Quando Renn atira em Convex, descobrimos que ele é uma espécie de alienígena ou monstro, que é algo reminiscente do filme "Eles Vivem" (leia o artigo sobre "Eles Vivem" aqui).

Tonto e Confuso

Após a realização de sua missão assassina, Renn se esconde em um lugar abandonado. Ele mais uma vez encontra-se na frente de uma TV que fala diretamente com ele. Ela diz-lhe que "a morte não é o fim" e que pode "ajudá-lo". Aparecer na televisão é propor a vida eterna? Max, então, diz a TV o que muitas pessoas inconscientemente sentem.


"Eu não sei onde eu estou agora. Estou tendo problemas para encontrar meu caminho de volta."


Sua exposição a Videodrome (mídia de massa) o levou a perder os seus pensamentos e até mesmo seu livre arbítrio. A TV, que usa a imagem de Nicki para seduzi-lo e atrair sua atenção, responde:


"Videodrome ainda existe. É muito grande, muito complexo. Você o machucou, mas não o destruiu. Para fazer isso, você teria que ir para a próxima fase."


A TV então diz a ele que ele precisa tentar fazer de tudo para se tornar a "Nova Carne". Para fazer isso, ele tem que se matar. Vemos aqui como mídia de massa pode ser uma força manipuladora, usando sedução e retórica para influenciar o comportamento, mesmo que envolve disparar na cabeça. Em seguida, a TV diz: "Aqui, eu vou lhe mostrar".

A TV mostra a Max como atirar em si mesmo.

Logo depois, Max imita o que viu na televisão, diz: "Viva a Nova Carne" e atira na própria cabeça ... e o filme termina com esta nota inquietante:

Será que Max realmente "completou sua transformação" e tornou-se a nova carne? Provavelmente não. Como a maioria do que é dito na televisão, toda essa história de "Nova Carne" foi provavelmente um monte de mentiras usadas ​​para manipular sua mente confusa e empurrá-la para o suicídio. Ao atirar em Convex, Max se tornou um inimigo do Videodrome e, como a maioria  dos bodes expiatórios de mente controlada, ele foi empurrado para um "modo de auto-destruição", uma vez que ele deixou de ser útil para a organização.

Em uma escala maior, o final do filme transmite uma forte declaração sobre a influência dos meios de comunicação no mundo. Será que eles influenciam diretamente os pensamentos e ações das pessoas, mesmo que isso vá contra os seus melhores interesses? Esse filme diz que sim.

Conclusão

Embora a premissa de "Videodrome - A Síndrome do Vídeo" é de ficção científica, os seus anéis de mensagens subjacentes são ainda mais verdadeiros hoje do que em 1983, quando ele foi lançado. Com o advento de novas tecnologias, como a Internet e dispositivos móveis, que são hoje, mais do que nunca, cercados pelos sinais do Videodrome do mundo real que é a mídia de massa. Suas imagens e mensagens agora podem chegar até nós em uma variedade de maneiras, seguindo-nos em qualquer lugar que vá. Embora não seja tão "direto na sua cara" e extremo como no Videodrome do filme, a mídia de massa hoje ainda bate nesses dois instintos primitivos dos seres humanos que são difíceis para o ser humano ignorar: sede de sangue e reprodução. Esses dois instintos foram codificados em nosso DNA para a sobrevivência das pessoas e da propagação das espécies, mas eles são agora "pontos fracos" que podem ser facilmente desencadeados com estímulos específicos, causando reações imediatas e poderosas. Conforme as pessoas vão ficando insensíveis a imagens sexuais e violentas, a mídia de massa constantemente empurra novas formas, distorcidas e torcidas para capturar a atenção do espectador. Enquanto a exibição do tornozelo de uma mulher causou sensação há algumas décadas atrás, os usuários de Internet hoje exigem imagens mais extremas para manter-se excitados. Como Max diz no filme: "Eles precisam de algo áspero". Quanto tempo vai demorar até que todos os filmes extremos se tornem aceitáveis para consumo de massa? Alguns dizem que já estão sendo introduzidos ao mundo subterrâneo distorcido Illuminati, visto que um monte de vídeos de conteúdo extremo, na verdade, já estão nos meios de comunicação e as pessoas nem sequer percebem isso.

No entanto, como diz o filme, sangue e sexo não são o fim último, mas meramente um veículo para comunicar o aspecto mais importante de tudo: a Agenda. Isso é o que está em causa. É sobre a superficialidade, o materialismo, a sexualização de qualquer coisa, a destruição dos valores da família e muito mais. Todos os artigos no KIP mostram que por trás dos sinos, dos apitos, da sensualidade e dos doces olhares, uma mensagem está sendo comunicada - uma que vai com os melhores interesses da elite. Assistir a Lady Gaga em um vídeo da música vestida de biquíni e chicoteando um cara (que estranhamente se assemelha a uma cena em Videodrome) é uma boa maneira de cativar a atenção, mas, como temos visto em muitos artigos, há muitas mensagens que também estão sendo comunicadas. O sinal do Videodrome, que causa tudo, desde alucinações e tumores cerebrais é o condicionamento constante que é exercida pelos meios de comunicação de massa para forçar o mundo aceitar uma visão de mundo específica - que é um falso como uma alucinação.

Em Videodrome dos Illuminati, as massas estão constantemente expostas aos valores que precisam ser aceitos, a mentalidade que precisa ser adotada e ao simbolismo que precisa ser abraçado. De mega-rituais disfarçados de eventos atuais a propaganda disfarçada de entretenimento, os telespectadores vêem como Max Renn, com fitas inseridas direto na sua barriga. Não quer que sua mente acabe como a de Max? Remova a fita, jogue-a no lixo e pense por si mesmo.

Fonte: VC

Leia Mais:
"Eles Vivem" - Um Filme Estranho com Uma Mensagem Poderosa
 Os Illuminati Emburrecendo a Sociedade

,

Imagens Simbólicas (agosto/12)

quinta-feira, 30 de agosto de 2012 31 comentários

Cena do novo vídeo de B.O.B com Nicki Minaj, "Out of My Mind", é sobre Controle Mental até no próprio nome. Há vários elementos relacionados a "perder a cabeça", uma expressão bastante verídica em contexto de vítimas monarcas. Em outros momentos, Nicki e B.O.B ficam em frente a uma parede com o triângulo e o olho que tudo vê (como na imagem acima), símbolo da elite, e algumas frases como "eles são nós", "eles veem", como se fossem deixadas ali pelos manipuadores para aterrorizar suas vítimas. Também, em um momento da letra do rap, Nicki menciona o termo "Illuminati" explicitamente. Psicologia reversa.

Outra artista que está se tornando cada vez mais uma marionete
 Illuminati  - Azealia Banks. Esta roupa parece ser sua favorita.

Azealia no vídeo "Liquorice" com chifres de Baphomet. Parece estar gostando.

 Na capa da revista Paper com uma grande cabeça de Mickey entre suas pernas.

 A cabeça de Mickey é um simbolismo de controle mental Mk-Ultra.
 Lana Del Rey é mais uma que entra para o rol das 'neo-Marilyn Monroe'.

 Lana escondendo um olho.

Agora com estampa felina, será mais uma sex-kitten?

Parece que Rihanna quer deixar cada vez mais óbvio seu controle mental. 
Agora ela é flagrada com um camisa que diz "sex-kittens". Hmmm!

Celine Dion de coelhinho em ensaio para a revista Vogue. Foto pertubadora.

Cassie com um brinco um tanto...satânico.

O mágico e ilusionista Chris Angel com uma camiseta bastante reveladora.

  Praticamente todas as capas da Revista i-D fazem alusão ao "um olho".

 Mais uma...

Outra...

E se você pesquisar, verá que quase todas (ou todas) as capas são assim.
Adivinha  quem é o fotógrafo dessas capas?  Terry Richardson  - aquele
que mais espalha simbolismo em seus ensaios.

Anúncio da Dior também faz alusão ao olho + estampa felina.

Atores de "O Mistério de Anubis", fora os outros muito simbolismo da série.

Imagem do DVD de Jorge Vercillo com o Olho de Hórus bem flagrante. Será que o 
grupo que estampou aquilo ali é o mesmo que estampa esse símbolo por todo o mundo?

 A moda agora é a maçônica. Esta é a coleção de Robert Ventura Gibson.



Beyonce no vídeo "I Was Here", promovendo o símbolo da ONU, 
a organização que foi criada em prol da Nova Ordem Mundial
 dos interesses da elite.

Veja Mais:

,

Dave Mustaine Acusa Obama de Encenar o "Massacre em Batman"

domingo, 26 de agosto de 2012 14 comentários

Vimos no artigo O Tiroteio no Cinema em "Batman" foi um Assassinato Ritualístico Realizado por um Escravo de Mente Controlada que esse evento pode ter sido mais uma conspiração do governo, provavelmente para justificar algumas leis necessárias antes da NOM (como o desarmamento). O controle de armas (desarmamento) é uma forma de enfraquecer as massas e garantir que elas não poderão contra-atacar de nenhuma maneira quando um possível regime ditatorial surgir no cenário. Para convencer a população de que o desarmamento é necessário, o governo precisaria aterrorizá-la por meio de eventos que mostram sua vulnerabilidade perante esse tipo de tecnologia. Essa suspeita ganha mais força quando pessoas que conhecem bem os bastidores da indústria Illuminati, como Dave Mustaine, líder da banda Megadeth (veja o artigo Megadeth e Suas Letras de Música), durante um show em Cingapura, acusa o presidente americano de ter encenado os últimos tiroteios nos EUA (no cinema em Aurora e no templo Sikh), apenas com o intuito de passar uma legislação de controle de armas.


"Voltando para meu país, meu presidente, ele está tentando passar o controle de armas. Então, ele está encenando todos esses crimes, como se fosse o "Velozes e Furiosos"... Aurora, no Colorado, todas as pessoas que foram mortas ali, e agora as lindas pessoas no templo Sikh [...] Eu não sei onde eu vou viver se a América continuar indo do jeito que está indo, porque parece que ele está se transformando em uma América nazista".


Após esses comentários, Mustaine começou a ser criticado pela mídia de massa e a ser mostrado como um "louco" que apenas gosta de fazer declarações polêmicas, pois não seria a primeira vez que Mustaine estaria fazendo esse tipo de afirmações envolvendo o governo. Algum tempo atrás, ele disse que Obama não teria nascido nos EUA. É dessa forma que a mídia começa a tratar aqueles que acordam e tentam acordar os demais acerca do governo. Desde que Mustaine tornou-se cristão, ele tem usado seu trabalho para "educar seus fans" a respeito da NOM. Seu 12º álbum, "Endgame", tem uma mensagem importante por trás. "Trata-se de educar os nossos fãs e mostrar-lhes um pouco sobre o que está acontecendo dentro da administração anterior e que as coisas não mudaram em nada," disse Mustaine em 2009. "Tem mais a ver com pessoas que estão sendo governadas pelas pessoas que têm o dinheiro." Mas isso não é todo o conhecimento que o álbum quer proporcionar. "Eu acredito que é um governo mundial, uma moeda única", disse o músico. "É parte do plano mestre. É o que eu acredito. Eu comecei a acreditar quando eu me tornei um cristão. Eu sei que vai haver um cataclismo de todas essas coisas que estamos vendo agora, e ficará cada vez pior e pior. Estamos vendo o nosso país se desintegrar agora, e isso é assustador."

Leia Mais
O Tiroteio no Cinema em "Batman" foi um Assassinato Ritualístico Realizado por um Escravo de Mente Controlada 
Megadeth e Suas Letras de Música

,

As Vítimas de Controle Mental Expostas

quinta-feira, 23 de agosto de 2012 47 comentários

O Controle Mental Mk-Ultra foi, inicialmente, um projeto secreto e ilegal desenvolvido pela CIA por volta da II Guerra Mundial, visando criar escravos que agissem de acordo com a vontade de seus manipuladores, para fins corruptos do governo, assim como discutimos inúmeras vezes neste site. Muitas informações sobre esse projeto foram destruídas e, agora, tudo que temos é a versão "oficial" de que o Mk-Ultra foi apenas utilizado por um período de tempo, e que hoje não não existe mais. No entanto, durante a década de 80 e 90, muitas pessoas (vítimas que foram acordando de sua programação de controle mental) começaram a denunciar pessoas poderosas e famosas de estarem envolvidas em uma subseção do projeto Mk-Ultra (Projeto Monarca). Várias vítimas que conseguiram quebrar seu controle e recuperar suas memórias falam de como eram usadas pelo governo para realizar operações ocultas. Neste vídeo abaixo, veremos alguns trechos dos depoimentos de Cathy O'Brien e Brice Taylor. Seus relatos são coerentes com nossas postagens anteriores sobre o tema e mostram que o controle mental continuou sendo usado por muito tempo, pelo menos até os anos 90, e possivelmente está sendo utilizado até hoje, visto que nada mudou.


Leia Mais

, ,

O Simbolismo Oculto das Cerimônias de Abertura e Encerramento das Olimpíadas de 2012

sábado, 18 de agosto de 2012 70 comentários

Assistidas por quase um bilhão de telespectadores em todos os cinco continentes, as cerimônias olímpicas de 2012 foram, por algumas horas, o foco do mundo. Como é o caso da maioria dos eventos de alto perfil da mídia, mensagens da elite mundial, símbolos e de sua agenda faziam parte do show. Cerimônias olímpicas estão muitas vezes entre os eventos de televisão mais assistidos do planeta. Elas são uma oportunidade excepcional para os países sedes mostrarem sua grandeza por meio de um show grandioso, elaborado e maciço. O Jogos Olímpicos de Londres 2012 não foram exceção, visto que a história da Inglaterra, sua cultura e suas conquistas foram bastante comemoradas e aplaudidas. Alguns momentos foram maravilhosos, outros eram engraçados, alguns eram sombrios e até mesmo perturbadores. Outros momentos foram altamente simbólicos, refletindo a agenda da elite oculta. Visto que Londres é uma das capitais do poder do mundo, teria sido mais surpreendente se o simbolismo e filosofia dessa elite mundial não tivessem sido administrados durante as cerimônias.

Claro que nem tudo era simbólico, nesse sentido, e nem tudo estava na cara, mas ao longo das várias horas que as cerimônias duraram, uma boa dose de simbolismo foi comunicada a bilhões de telespectadores ao redor do mundo. Vamos olhar para os momentos mais simbólicos do Jogos Olímpicos de Londres 2012.
 
Cerimônia de Abertura

As cerimônias foram projetadas e coordenadas por Danny Boyle, diretor dos filmes "Trainspotting - Sem Limites" e "Quem Quer ser Milionário?". Entitulada de "Ilhas da Maravilha", a cerimônia de abertura focou na história da Inglaterra e as pessoas que a influenciaram. A jornada começou na Inglaterra antiga e mítica, em seguida, viajou por meio da revolução industrial, terminando nos tempos modernos. A história foi contada através de símbolos específicos e referências que lembram o lado oculto da Grã-Bretanha.
 
Terra Verde e Agradável

O show começa na Inglaterra pastoral, preenchida com agricultores e jogadores de críquete. Há também muitos símbolos que fazem alusão à sua sabedoria antiga mística. O foco do show é uma colina que dizem que tem propriedades mágicas: Glastonbury Tor.

A mítica colina espiral chamada Glastonbury Tor com vista para a Inglaterra 
pastoral. Essa recriação do Tor tem um carvalho gigante no topo, uma árvore 
considerada sagrada pelos druidas celtas e representantes da Divindade Suprema.

Glastonbury Tor é um dos mais antigos locais sagrados na Inglaterra. Acredita-se que ela está na intersecção de "linhas geográficas poderosas", a Tor está relacionada com muitas histórias místicas e lendas. Por exemplo, é pensado ser o Avalon da lenda do Rei Arthur e seus 12 cavaleiros, uma história que está esotericamente associada com o sol e os doze signos do zodíaco. Outra lenda diz que José de Arimatéia, o tio-avô de Jesus Cristo, que era um comerciante de estanho, trouxe o jovem Jesus em uma viagem para Glastonbury. Mais tarde, ele voltou ao local e atirou o cálice usado por Jesus durante a Última Ceia (o lendário Santo Graal) em Chalice Well - uma área de Glastonbury, que é dito ter poderes mágicos. Os arqueólogos também descobriram que a construção da abadia de Gastonbury está envolvida com geometria sagrada", conhecida pelos construtores das pirâmides do Egito e transmitida através da "sociedade dos pedreiros" (os criadores da Maçonaria moderna).

A "real" Glastonbury Tor, e, no topo, a Igreja de São Miguel. O morro é o local 
de peregrinações cristãs e os rituais sazonais praticados pelos magos, bruxas,
 rituais pagãos, e de ocultismo e diversos festivais espirituais.

Glastonbury também é um nome de um festival esporádico que é realizado em uma arena em forma de uma pirâmide com o topo iluminado, que foi construída bem no meio do nada, na rural Glastonbury.

Por que mais construiriam um palco em forma de pirâmide em um local 
cercado de vacas e ovelhinhas na área rural de um local no meio do nada?

A presença de Glastonbury Tor, no estádio Olímpico forneceu um tom definitivamente místico e esotérico para a cerimônia de abertura.

Enquanto compatriotas lavravam a terra e corriam ao redor dos mastros (que, aliás, têm um significado oculto cósmico e fálico), um jovem rapaz no meio da multidão levanta-se e canta parte de um clássico hino inglês , "Jerusalém" de William Blake.

William Blake é frequentemente descrito como um "visionário", cujos trabalhos artísticos foram fortemente inspirados pelo gnosticismo, Druidismo, Maçonaria (e sua descrição do "Grande Arquiteto" segurando um compasso maçônico está no topo do Rockefeller Center em Nova York). Enquanto algumas de suas criações tinham conotações cristãs, muitas vezes elas eram contadas a partir de um ponto de vista gnóstico e esotérico. Jerusalém refere-se à história apócrifa descrita acima de Jesus visitar a "terra verde e agradável" de Glastonbury com seu tio-avô, José de Arimatéia.


E aqueles pés em tempos antigos
Ande sobre o verde das montanhas da Inglaterra?
E era o Cordeiro santo de Deus
Viu as pastagens agradáveis ​​da Inglaterra?

E foi o semblante divino
Resplandecido em nossas montanhas nubladas?
E foi edificada Jerusalém aqui
Entre estes moinhos satânicos sombrios?


O poema pergunta se Jesus andou na Inglaterra e fundou a Nova Jerusalém (como descrito em Apocalipse) entre "estes satânicos moinhos sombrios". Essa expressão enigmática é dita para se referir à revolução industrial da Inglaterra e aos edifícios sombrios que vieram com ela. Coincidentemente, a próxima parte das cerimônias de abertura descreve exatamente isso: A construção dos "moinhos satânicos sombrios".
 
A Revolução Industrial

Após o canto dos hinos, homens de cartola entram na terra verde e agradável da Inglaterra e trazem mudanças importantes.

Os homens de cartola levantam da terra e cumprimentam-se. Esse pequeno grupo
 da elite vai coordenar a revolução industrial e colocar as massas para o trabalho.

Os caras de cartola são liderados pelo engenheiro civil Isambard Kingdom Brunel, que fica na base da Tor e dá um discurso citando "A Tempestade", de Shakespeare. A árvore de carvalho, em seguida, sobe do chão e centenas de trabalhadores emergem sob a Tor e começam a transformar a paisagem da Inglaterra.

Neste ponto, há alguns fatos que merecem ser destacados. Primeiro, a lenda do Rei Arthur estipula que o topo da Tor providenciava entrada para Annwn, a palavra antiga para o submundo. Em segundo lugar, o nome oficial do segmento na revolução industrial é Pandemonium, que é o nome da capital do Inferno na obra clássica de Milton, "Paraíso Perdido". A palavra "Pandemonium" é uma combinação do nome de Pan (o deus grego chifrudo) e a palavra "demônio", tornando-se "Pan-demônio". Esses indícios indicam que Londres não se tornou a Nova Jerusalém (uma metáfora para o céu), como afirmado pelo hino de Blake, mas literalmente o inferno na terra. E todo esse pandemônio foi provocado por um punhado de homens da elite que fizeram que milhares de trabalhadores aparentemente emergissem do submundo e construíssem a Inglaterra industrial.

Os camponeses do país trabalharam em condições 
infernais para trazer à realidade a visão da elite.

Agora é um fato estabelecido que a derrubada das monarquias e o impulso para a revolução industrial durante o século 18 foi fortemente influenciada por sociedades secretas como a Maçonaria Grande Oriente e os Illuminati da Baviera, que pediram por um "livramento da ciência" e uma "Nova Era da Razão". Os homens de cartola que coordenam a transformação podem ser associados aos grupos secretos que historicamente engenharam um novo sistema econômico, político e social durante o século 18.
 
O desdobramento da "Pandemonium" é descrito através de dois grupos muito distintos:
 os "pensadores" da Elite que decidem e supervisionam o projeto e os "trabalhadores" que
 trabalham no campo e tomam decisões. Tudo isso acontece no estádio Olímpico, que é
 cercado por triângulos gigantes com o topo iluminado - um símbolo clássico que
 representa uma elite dominante acima das massas.

O produto final da Pandemonium é uma grande e confusa massa cinzenta 
cheia de "moinhos satânicos" e sete chaminés fálicas cuspindo fumaça.
  
Deixe as Crianças em Paz

A próxima seqüência importante da cerimônia foi a homenagem ao Serviço Nacional de Saúde (NHS) e ao Great Ormond Street Hospital (GOSH). O conjunto combinado de crianças doentes em leitos hospitalares com personagens da literatura infantil inglesa teve um tom muito estranho e sombrio desde o início, quando começou com o tema de "O Exorcista", que é, no caso de você não saber, um filme sobre uma criança possuída pelo demônio. Escolha estranha.

A seqüência começa com crianças em leitos hospitalares que são colocadas para dormir por enfermeiras. Então J.K. Rowling aparece e lê uma citação de Peter Pan aludindo à Terra do Nunca, que se torna real nos "dois minutos antes de ir dormir". Eu não posso dizer se isso foi feito de propósito, mas muitos elementos desse conjunto, principalmente a mistura de crianças vulneráveis ​​em um hospital com contos de fadas e o conceito de borrar as linhas entre a realidade e ficção, estão todos associados com a programação de controle mental. Como o Mágico de Oz e Alice do País das Maravilhas, a história de Peter Pan é muito utilizada na programação de controle mental, em que vítimas são orientadas a fugir para "Terra do Nunca", enquanto induzidas à dissociação da realidade.

A criança lendo Peter Pan. Na página, vemos um Capitão Gancho assustador de pé ao 
lado ... um garoto amarrado à cama? De acordo com Franz Springmeier, a programação
Monarca usa uma técnica chamada de "Programação Peter Pan", em que o
 Capitão Gancho representa o manipulador.

Depois da aparição de J.K. Rowling, hordas de vampiros e vilões da literatura inglesa entram no palco, correndo atrás das crianças e as assustando bastante.

Como se sob o encanto desta figura gigantesca de Lord Voldemort, esta jovem  paira com sua
cama bem alto acima do chão. Será que isso representa dissociação gerada pelo trauma intenso?

Enquanto os personagens malvados correm atrás das crianças, as enfermeiras ficam completamente imóveis e impotentes como se estivessem declarando "os profissionais de saúde não podem fazer nada quando o controle mental  da elite está acontecendo a portas fechadas".

Por sorte, um monte de Mary Poppins descem e afugentam os personagens assustadores. Então, um bebê gigante e bem assustador aparece no palco.

É só eu que acho ou o bebê gigante tem um "corte" grande na testa - 
representando que seu cérebro foi extraído (controle mental)?

A combinação estranha de crianças em um hospital e contos de fadas poderia ter sido uma maneira inteligente de combinar dois aspectos importantes da cultura britânica. Também pode ser uma forma doentil de se referir ao controle mental Monarca. Dessa forma, vamos trazer o Mr. Bean!
 
Abide With Me

Logo antes do Desfile das Nações, a cerimônia apresentou um segmento sombrio que confundiu e perturbou mais do que alguns espectadores. Supostamente dedicado às vítimas dos atentados de 7/7 de Londres, ele teve a sensação de ter sido um ritual escuro. Além disso, mais uma vez, vemos uma criança inocente que está sendo predada por forças das trevas. Apesar do fato de o hino cristão "Abide With Me" estar tocando no fundo, a apresentação teve uma sensação estranha, como se estivéssemos a assistir algum tipo de sacrifício oculto de crianças.

A cena começa com um grupo de artistas dançando febrilmente sob uma bola gigante laranja parecida com o astro dom. Em seguida, um menino aparece, um pouco perdido e confuso. Um dos dançarinos aproxima-se do garoto e parece tomar algo precioso dele.

O dançarino tira do menino uma bola imaginária, que pode 
representar sua força de vida ou talvez sua alma.

Uma vez que o dançarino leva a alma da criança, ele zomba do garoto e leva sua alma para longe dele. O menino tenta trazê-la de volta, mas não adianta, ele não pode fazer nada. Aparentemente, cansado e resignado, o menino abraça o dançarino que roubou sua alma.

Os menino abraça o homem que o perseguia e é finalmente integrado ao "lado negro".

No final da cena, a criança está no meio dos dançarinos e levanta as mãos para o ar como se dizendo: "Eu renasço com o lado escuro". Dessa forma assustadora e perturbadora, vamos trazer os atletas!
 
Nações e Chamas

Como é sempre o caso, o Desfile das Nações é feito de forma muito ordenada, com cada país entrando no estádio, separadamente, em ordem alfabética (vamos ver como ele contrasta com a cerimônia de encerramento). Cada bandeira foi colocada aos pés da Tor e do carvalho mágico.

Uma vez que foi realizada, a cerimônia se concentrou na tocha todo-poderosa do "fogo que nunca morre". O simbolismo oculto por trás do portador da tocha carregando a chama olímpica foi discutido no artigo Londres 2012: O Revezamento da Tocha Olímpica e Prometeu, então não vou me debruçar sobre esse aspecto, embora seja muito significativo.

O show terminou com o acendimento da pira olímpica, que foi composta de pétalas que representam cada nação presente durante os Jogos Olímpicos.

Visto de cima, o Estádio Olímpico parecia um olho
 gigantesco, cujas pupilas estava sendo iluminadas.

Combinado com as estruturas piramidais sempre presentes em todo o Estádio, o evento tornou-se um grande tributo à elite Illuminati. Duas semanas mais tarde, a cerimônia de encerramento levou o simbolismo dos Illuminati para outro nível.
 
A Cerimônia de Encerramento

Ao contrário da cerimônia de abertura que refletia sobre o passado, a cerimônia de encerramento olhou para o futuro ... como previsto pela elite. Não ao contrário da cerimônia de abertura, o encerramento contou com um monte de música britânica, e eu tenho quase certeza que as gravadoras pagaram um preço alto para ter seus artistas tocando nesse único palco mundial. Eu vou pular as apresentações musicais e concentrar-me na mensagem principal da cerimônia de encerramento: Celebrando a Nova Ordem Mundial dos Illuminati.
 
Louvor Illuminati

Ao contrário da cerimônia de abertura, a cerimônia de encerramento falou sobre as nações que se misturam para formar uma comunidade gigante global - um dos objetivos da Nova Ordem Mundial. Enquanto, no início dos jogos, os atletas entraram no estádio por trás de sua bandeira nacional e uma faixa com o nome de seus países, tudo isso desapareceu na cerimônia de encerramento. Todos estavam misturados.

Em seguida, assistimos a um segmento estranho.

Os artistas utilizaram blocos para construir uma pirâmide no 
centro do palco... e começaram literalmente a reverenciá-la.

"Todos nós nos prostamos diante da pirâmide Illuminati todo-poderosa".
 Este flagrante Illuminati durou vários estranhos minutos.

Imagine

As apresentações musicais começaram com uma música específica, de John Lennon, "Imagine", e um verso específico dele - que foi considerado, por alguns observadores, como sendo um pouco fora do contexto na cerimônia olímpica.

Como que para enfatizar as palavras ditas nesse versículo, John Lennon foi mostrado cantando.
 

Imagine não haver países
Não é difícil de fazer
Nada para matar ou morrer
E nenhuma religião também
Imagine todas as pessoas vivendo a vida em paz

Você, você pode dizer
Eu sou um sonhador, mas eu não sou o único
Eu espero que algum dia você se junte a nós
E o mundo será como um só

Imagine que não há posses
Pergunto-me se você puder
Nenhuma necessidade de ganância ou fome
Uma irmandade de homens
Imagine todas as pessoas compartilhando todo o mundo


Sob o palco que representa todos os países se "unindo
 como um", as crianças cantam "Imagine".

No contexto dos Jogos Olímpicos, onde as pessoas vêm de todos os países e todas as religiões, esse verso fico um pouco fora de contexto. Mais importante, nenhum país, sem religiões, sem posses e "um mundo como um" é uma boa maneira para descrever o sistema socialista mundial que elite está tentando criar com a Nova Ordem Mundial. Será que Lennon estava imaginando um grupo secreto de políticos e banqueiros criando o seu mundo perfeito? Provavelmente não. Mas quando você for morto por um bode-expiatório MK-Ultra, a elite pode muito bem fazer o que quer com seu trabalho e imagem.
 
Vamos Adorar a Chama por Meia Hora

Depois de um monte de performances (mostrando bastante de Jessie J, por algum motivo), a cerimônia fortemente focou na pira olímpica. Antes de ser extinta, ela abre um pouco e uma ardente Fênix aparece acima dela.

Como se estivesse emergindo do fogo produzido pelas pétalas (representando 
as nações do mundo), uma Fênix aparece acima do palco.

O símbolo da Fênix, a ave que renasce de suas cinzas, é extremamente importante para as sociedades secretas ocultas e, consequentemente, a elite ocultista.


"A Fênix é a mais célebre de todas as criaturas simbólicas fabricadas pelos antigos mistérios com o propósito de ocultar as grandes verdades da filosofia esotérica. (...) Hermetistas medievais consideravam a Fênix como um símbolo da realização de transmutação alquímica, um processo equivalente à regeneração humana. O nome Fênix também foi dado a uma das fórmulas secretas alquímicas. (...) Nos Mistérios era costume referir-se a iniciados como fênix ou homens que haviam nascido de novo, pois assim como o nascimento físico dá a consciência do homem no mundo físico, então o neófito, depois de nove graus no ventre dos Mistérios, nasceu em uma consciência do mundo espiritual. Esse é o mistério da iniciação a que Cristo se referiu quando disse: "Aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus" (João 3.3). A Fênix é um símbolo apropriado dessa verdade espiritual. "
- Manly P. Hall, Ensinamentos Secretos de Todas as Idades
 

Enquanto a Fênix representa o renascimento espiritual em um nível individual, ela também pode representar o renascimento do mundo inteiro a partir de suas cinzas - como uma Nova Ordem Mundial.

Este mural gigantesco situado no interior da Câmara do Conselho de Segurança
 da ONU, de Nova York, apresenta uma Fênix surgindo de um mundo em cinzas.

Logo após a aparição da Fênix acima da pira olímpica, a boy band Take That executou uma canção com um título meramente simbólico, considerando o contexto: dominar o mundo.
 
Com uma Fênix elevando-se acima de todas as nações como pano de fundo, Take 
That canta "Rule the World" (Dominar o mundo). Isso está ficando bastante evidente.

Após a canção, um grupo de bailarinos vestidos como fênix saltaram ao redor, como se estivessem reverenciando e dando homenagem ao pássaro de fogo sobre eles.

Louvando a Fênix de uma forma ritualística e celebratória.

À meia-noite, a pira olímpica e as pétalas que representam cada país vão lentamente se extinguindo, mas a Fênix, que representa a elite ocultista da Nova Ordem Mundial, permanece acesa acima dela. Em outras palavras, enquanto as nações do mundo desaparecem lentamente, uma Nova Ordem Mundial vai emergindo. Então, vamos ouvir o The Who!
 
Conclusão

As Cerimônias Olímpicas tradicionalmente mostraram a história da nação anfitriã e sua cultura, mas também celebra aqueles por trás dos jogos: a elite oculta. Uma vez que Londres é uma capital de poder do mundo com uma rica história oculta que vai desde os Templários à influentes lojas maçônicas, e não esquecendo dos ocultistas proeminentes que aconselham a realeza, como John Dee e Sir Francis Bacon, você acha surpreendente ver esse aspecto da História sendo referido  simbolicamente?

Embora, obviamente, nem tudo durante as cerimônias olímpicas esteja relacionado ao simbolismo dos Illuminati, havia uma abundância de elementos inseridos durante o passar da mensagem. No final, os Jogos Olímpicos, como muitos outros eventos de mídia, transformaram-se em um ritual em que todo o mundo celebrou os mega-objetivos e o simbolismo da elite mundial. Então, vamos trazer as Spice Girls!

Fonte: VC

Leia Mais:
Londres 2012 - O Revezamento da Tocha Olímpica e Prometeu
Londres 2012 - Invasão Alien Durante os Jogos ou Ataque de Falsa Bandeira