, , ,

Filme 'Jogos Vorazes' - Uma Amostra da Nova Ordem Mundial

quinta-feira, 5 de abril de 2012 Leave a Comment

O filme "Jogos Vorazes" acontece em um futuro distópico, onde as massas pobres e miseráveis ​​vivem sob a tirania de uma elite rica e de alta tecnologia. Será que o filme está descrevendo o tipo de sociedade elitista que estão tentando estabelecer para a Nova Ordem Mundial? Vamos então analisar as características do mundo apresentado em "Jogos Vorazes" e como elas se relacionam com os planos para uma Nova Ordem Mundial. Empurrado por uma campanha de marketing gigantesca, esse filme não demorou muito antes de se tornar uma sensação mundial, especialmente entre adolescentes e jovens adultos. Às vezes referido como "a nova saga Crepúsculo", "Jogos Vorazes" tem componentes semelhantes à febre desse primeiro livro (ou seja, uma jovem dividida entre dois rapazes), mas o último ocorre em um contexto muito diferente.

Situado em um futuro distópico (porque o futuro é sempre "distópico"?), "Jogos Vorazes" pinta um quadro bastante sombrio do mundo de amanhã, seja de um ponto social, econômico ou um ponto de vista político. Em suma, é um grande pesadelo onde uma elite rica se sustenta por de trás de uma população faminta. Enquanto isso, a perversidade e o voyeurismo da mídia de massa são levados a níveis absurdos e são usados pelo governo como uma cola para manter a sua ordem social injusta intacta. Será que o filme "Jogos Vorazes" está dando aos adolescentes uma amostra de um futuro não muito distante? Não é preciso bola de cristal para ver que a elite está tentando levar o mundo a tal direção. Vamos analisar o mundo ficcional, mais ainda possível futuro, de "Jogos Vorazes".

A NOM para Adolescentes

"Jogos Vorazes" ocorre em um contexto que vai impressionante ao encontro das descrições da Nova Ordem Mundial, como planejadas pela elite global de hoje. Uma das principais características da Nova Ordem Mundial é a dissolução regular de estado-nação para formar um governo mundial único, a ser governado por um poder central. Em "Jogos Vorazes", esse conceito é totalmente representado, pois a ação acontece em Panem, uma nação totalitária, que engloba o território norte-americano. Os Estados Unidos e Canadá teriam se mesclado em uma única entidade, um passo que muitos prevêem que vai acontecer antes da criação integral da NOM.

O Presidente de Panem aborda a Nação.

Em Panem, os conceitos de democracia e liberdade desapareceram da América para serem substituídos por uma ditadura de alta tecnologia com base na vigilância, monitoramento, doutrinação da mídia de massa, opressão policial e uma divisão radical de classes sociais. A grande maioria dos cidadãos de Panem vivem nas condições terceiro-mundistas do país e estão constantemente sujeitos a fome, pobreza e doença. Essas difíceis condições de vida são, aparentemente, o resultado de um acontecimento devastador que gerou um completo colapso econômico na América do Norte. No Distrito 12, casa do herói Katniss Everdeen, os moradores vivem em condições semelhantes à era pré-industrial, onde famílias de mineiros de carvão viviam em barracos improvisados ​​e comiam roedores nas refeições.

Enquanto as massas olham em como se vivia em 1800, elas são, no entanto, subjugadas à regra high-tech de Capitol, que usa a tecnologia para monitorar, controlar e doutriná-las. Câmeras de vigilância, chips RFID e hologramas 3D são abundantemente utilizados pelo governo para manipular a vontade de uma população fraca e sem instrução (embora haja sinais de solidariedade e rebeldia entre os camponeses). Para preservar a ordem social frágil, a Capitol depende de uma força policial maciça que está sempre pronta para reprimir qualquer tipo de revolta. Os trabalhadores muitas vezes são jogados em  campos de civis onde eles são mostrados vídeos de propaganda [propaganda, aqui, refere-se ao conceito de informação, geralmente com intuito de manipular] patrocinados pelo Estado. Panem é, portanto, um estado policial de alta tecnologia governado por uma elite poderosa que busca manter as massas em situação de pobreza e submissão. Como vimos em artigos anteriores nesse blog, todos esses conceitos também são bem representados em outras formas de mídia; parece haver um esforço consciente para normalizar as idéias de um estado policial de alta tecnologia como a única evolução normal do sistema político atual.

Vivendo em contraste nítido com o proletariado, a elite em "Jogos Vorazes" habita na brilhante cidade Capitol e se entrega em todas as extravagâncias e tendências da moda. Esse escalão superior da sociedade enxerga o resto da população como uma raça inferior para ser ridicularizada, domesticada e controlada. Todos os recursos valiosos foram tirados das pessoas que vivem nos distritos para o lucro de Capitol, criando uma divisão clara e intransponível entre pessoas comuns e a elite. O conceito de uma elite opulenta governando uma massa empobrecida e emburrecida (tornando-se assim facilmente governável) é um aspecto importante da Nova Ordem Mundial e é claramente retratado em "Jogos Vorazes". A confiança do governo na mídia de massa e na alta tecnologia de vigilância para manter a população sob controle é algo que nós já estamos vendo e, se continuar nessa direção, o mundo de "Jogos Vorazes" em breve se tornará realidade. Há um outro conceito importante para a elite ocultista que está no coração de "Jogos Vorazes": os sacrifícios de sangue para espalhar o medo e ganhar poder.

Sacrifícios de Sangue para a Elite

Katniss escolhida como uma 'tributo' de seu distrito.

O governo de Panem criou os jogos vorazes a fim de lembrar as massas da "grande traição" que cometeram por terem se envolvido em uma rebelião. Como punição por sua insubordinação, os doze distritos de Panem devem oferecer a Capitol um menino e uma menina entre as idades de 12 e 18 para fazer parte dos  "Jogos Vorazes". Os adolescentes devem lutar até a morte em uma arena ao ar livre em um evento do tipo gladiador romano, pois é televisionado em todo o país. As regras dos jogos refletem o desprezo da elite e total falta de respeito pelas massas. O nome dos jogos em si é um lembrete do estado de fome perpétuo que a classe mais baixa é propositalmente mantida pelos governantes a fim de melhor controlá-la.

Os meninos e meninas que são selecionados para participar dos "Jogos Vorazes" são chamados de "tributos", um termo que geralmente descreve um pagamento proferido por um vassalo ao seu senhor e, portanto, reflete a servidão da massa a seus governantes. Desde tempos imemoriais, os sacrifícios de sangue eram considerados a maior forma de "tributo" aos deuses e, em um nível oculto, foram ditos  exercer o poder mais potente a ser explorado pelos governantes e feiticeiros. Da mesma forma que cartagineses antigos sacrificavam crianças ao deus Moloque, habitantes de Panem tem que sacrificar seus filhos para Capitol. "Jogos Vorazes" são, portanto, uma versão moderna desses rituais anuais que as massas tinham que participar para evitar a ira de seus superiores. A nação inteira de Panem é forçada a assistir o ritual de sacrifício que está ocorrendo em Capitol, incitando até medo, raiva e sede de sangue dentro deles, ampliando o poder do ritual. Nós já vimos em artigos anteriores que a matança de pessoas específicas torna-se um evento de mídia que vira, na verdade, mega-rituais que toda a nação participa. "Jogos Vorazes" reflete esse conceito de mega-ritual altamente divulgado.

'Tributos' para "Jogos Vorazes" tornam-se propriedade do Estado e são revogados todos os direitos.

Em "Jogos Vorazes", a morte ritualística dos jovens escolhidos das massas é vendida como um evento esportivo, uma celebração a nível nacional que é empacotada como um reality show. Os pobres não apenas participam desses eventos humilhantes como até mesmo torcem para seus favoritos. Por que aceitam tudo isso? Uma das razões é que a mídia de massa pode fazer as pessoas aceitar qualquer coisa ... é divertido.

Apelando para os Instintos mais Básicos

Os jogos são transmitidos para a nação, sob a forma de um reality show completo, com os anfitriões de TV que analisam a ação, entrevistam os "tributos" e julgam a sua performance. Os "tributos" são tão doutrinados nessa cultura que eles prontamente aceitam as regras do jogo e ficam totalmente dispostos a começar a matar para ganhar esses Jogos. As massas também participam ativamente do evento, torcendo por seus representantes distritais, apesar de todo o evento celebrar o seu próprio sacrifício. Isso reflete um fato triste mas é a verdade sobre os meios de comunicação: qualquer tipo de mensagem pode alcançar as pessoas se conseguir captar a sua atenção. Há duas coisas que automaticamente, quase que irresistivelmente agarram a nossa atenção: sangue e sexo, os remanescentes dos nossos instintos primitivos. A violência pura do evento atrai a atenção das massas, que se esquecem de que os Jogos são feitos para ser um lembrete da servidão das pessoas a sua elite. Esse conceito já é bem conhecido e plenamente explorado na mídia de massa hoje, visto que mensagens patrocinadas pela elite são constantemente vendidas aos consumidores como "entretenimento".

Em um ponto em "Jogos Verozes", a morte de uma menina choca as pessoas pobres a tal ponto que traz um breve momento de lucidez e solidariedade entre eles, pois a morte destaca a atrocidade dos Jogos. A transmissão ao vivo dessa morte leva a uma violência ascendente em seu distrito, os moradores perceberam que eles eram participantes dispostos a algo terrível. A revolta foi rapidamente sufocada no entanto pela força policial sempre presente do Estado. Além disso, a fim de evitar mais problemas sociais, os produtores do show introduziram um novo elemento para o show: o amor entre Katniss Everdeen e Mellark Peeta, a menina e o menino do distrito 12. Com a introdução de amor (e consequentemente sexo) no show, os produtores conseguiram acalmar as massas e as trouxeram de volta ao seu estado habitual de ficar em silêncio. Essa parte do filme reflete como a mídia de massa é utilizada pelos poderes que existem hoje. No mundo da  série "Jogos Verozes" prova que histórias que habilmente apresentam os ingredientes de sexo e violência facilmente conseguem prender a atenção das pessoas. E, apesar de "Jogos Verozes" parecer estar denunciando a perversidade da violência nos meios de comunicação, com certeza está  trazendo mais ainda aos cinemas.

Dessensibilizar a um Novo Tipo de Violência

Embora não haja escassez de violência em Hollywood, o filme "Jogos Verozes" cruza uma fronteira que raramente é vista nos filmes: violência por menores de idade e para menores. Nesse filme, vemos crianças com idade entre 12 e 18 esfaqueando-se violentamente, cortando, estrangulando, atirando e quebrando o pescoço de outras crianças - cenas que raramente são vistas em filmes de Hollywood. Embora seja certamente um caminho para o filme capturar a atenção do público-alvo do filme (que passa a ser adolescentes com idades entre 12 a 18) "Jogos Verozes" traz à tona uma nova forma de violência que antes era muito perturbadora para ser retratada no cinema . Mas, em particular no cenário matar-ou-morrer de "Jogos Verozes", os telespectadores facilmente ultrapassam essa barreira psicológica e encontram-se gritando durante o filme coisas do tipo: "Venha Katniss pega o seu arco e atire na cabeça daquele *****! ".

Conclusão

"Jogos Verozes" está situado no mundo que é exatamente o que é descrito como a Nova Ordem Mundial: uma elite rica e poderosa, uma massa explorada e "emburrecida" de pessoas, dissolução das democracias em alguns órgãos estatais de polícia, vigilância de alta tecnologia, meios de comunicação utilizados para propaganda e um monte de rituais de sangue. Há de fato nada otimista no futuro distópico descrito em "Jogos Verozes", até mesmo a dignidade humana seria revogada, visto que as massas são forçadas a assistir a sua própria morte, uns dos outros, como se fossem animais enjaulados. Dito isto, há pouca ou nenhuma diferença entre cinéfilos que assistem ao filme "Jogos Verozes" e as massas no filme que testemunham a crueldade dos Jogos. Ambos são participantes dispostos a ver um evento que retrata o seu próprio sacrifício sob o olhar divertido da elite. Além disso, pode-se argumentar que o filme realiza as mesmas funções que os Jogos no filme: distrair a massas com sangue e sexo, enquanto lembrando-as do poder da elite.

Será que "Jogos Verozes" está tentando avisar um jovem apático dos perigos de permitir que o sistema atual  transforme-se em um pesadelo totalitário? Ou será que está simplesmente programando-o para enxergar a vinda de uma Nova Ordem Mundial como uma inevitabilidade? Isso é um bom tema de debate. Mas, ao ler o que foi dito nos meios de comunicação sobre o filme, há um debate ainda mais ardente sobre "Jogos Verozes": Você é do time de Peeta ou do time de Gale?

Fonte: Vigilant Citizen

Posts relacionados:

55 comentários »

  • Favorite said:  

    Perfeito ! ,Sinceramente concordo com tudo , QUANDO EU VI A CONCLUSÃO , parece que veio de uma vez todo o sentido !

  • Leandro said:  

    Eu assiti esse filme domingo passado, e eu a ideologia dele muito parecida com a do Big Brother.

  • Bruno said:  

    Tudo isso ficou aparentemente óbvio pra mim no momento em que li o livro de "Jogos Vorazes" e fiquei sabendo de sua ideia contextual. Depois de tantos artigos já lidos aqui, eu já deva estar basicamente "vacinado" em relação ao que é empurrado pela mídia em nossas mentes, no cotidiano. Isso sim é algo positivo. Gosto de ler este blog porque realmente me faz pensar para os lados, fugindo dessa alienação implantada propositadamente pela elite global. Parabéns pelo trabalho, Dani.

  • Mr.Anderson said:  

    Verdade, estão condicionando as pessoas a aceitarem isso quando de fato aparecer....acabam por gostar da ficção de tal forma, que quando trouxerem para a realidade, não havera problema nem um.

    Ótima matéria Danizudo!

    Não é possível add um botão que permita que seus posts sejam compartilhados no Google+?

  • Amanda said:  

    Dani,

    Assisti esse filme e fiquei esperando você fazer um post sobre ele. Tinha certeza de que faria.
    Com exceção de mim, que já conheço como as coisas funcionam e do meu amigo, que apesar de não acreditar nos Iluminatis nem na NOM, tem um pouco de visão política e social, o resto assistia deslumbrado, de boca aberta, torcendo, vibrando...A maioria adolescentes, que riam, tiravam uma completamente alienados como se trata-se apenas de um filme divertido de ação.
    Não sei o que é mais triste, se é saber dos planos dos iluminatis ou se é saber que as pessoas nem vão perceber o domínio imposto.
    Quando eu era mais jovem e lia apocalipse ou ouvia falar do fim do mundo, principalmente da marca da besta, eu dizia pra mim mesma: As pessoas jamais vão aceitar isso, mas hoje entendo que tudo tem sido preparado desde a fundação dos tempos para as pessoas aceitarem com passividade e nem perceberam o quanto estão sendo dominadas.
    Lamentável,
    Mesmo estando tão evidente as pessoas acham um absurdo, acham loucura quando a gente fala.
    Mesmo esse meu amigo que assistiu o filme comigo, ele consegue fazer uma analogia do filme com a época da ditadura, com a época do Stalin e de diversos regimes passados, mas não acha que eu tô ficando maluca quando eu falo que isso é futuro e não passado.
    Mesmo com os BBB´s da vida por aí e com toda aquela tecnologia no filme ele não consegue associar.
    Triste.

  • PVictor said:  

    Eu li o livro e vi o filme, e concordo com voce, mas se for pelo livro talvez ela, a autora esteja tentando avisar alguma coisa a nós, mas no filme eles jogam na cara o que pode se tornar o futuro. Bom eu vi o filme e sinceramente isso me fez pensar, jovens se matando, antes de ler seu post eu ja pensei dessa maneira. É cruel e ate hoje estou meio cambaleado pelo filme, mas sinceramente, eu gostei do filme e entendi razoavelmente seu significado, mesmo assim nao consigo explicar muito bem o que eu entendi, mas ai vai da cabeça de cada um.

  • Nathali Figueira said:  

    Sinceramente. Sem saber o que fazer. Sinto nojo de viver qdo acordo. E vejo que o mundo no qual vivemos eh a sodoma moderna e nem preciso seguir pq jah disse muito. Fico relamente triste, de saber que Deus nos deixou aqui a ver navios nas maos de um diabo perverso e seu povo. ;(((((((9

  • Éden said:  

    Confesso que quando vi o cartaz já imaginei algo bem familiar. Não vi o filme ainda, não sei se devo, por questões de curiosidade pode ser que sim.

  • Maquir Alves said:  

    Demorou einh! Já estava achando que você não ia mais fazer um post sobre o Jogos Vorazes kkkkkkkk Brincadeira. Ficou ÓTIMO!!! Sinceramente, quando conheci a história do livro/filme fiquei fascinado, realmente eu cai que nem um patinho, mas foi ai que eu cai na real e percebi a mensagem por de trás da história e lendo este post tudo se encaixou. Só sei que eu não quero estar aqui na Terra quando esse show de horror acontecer!!!! Deus abençoe e que você continue com esse seu maravilhoso trabalho! Abraços!!

  • Um Iluminado said:  

    Ai vai d pensamento de cada um. A bíblia pra min não tem importância nenhuma, então sinceramente, que a nova ordem mundial venha e nos faça feliz ;)muito contrário do q vcs pensam, tem muita gente torcendo para que isso ocorra, porque isso é para um mundo melhor...

  • V said:  

    Sobre "Jogos Vorazes", a única conclusão que podemos ter é que a autora tem grande conhecimento sobre a verdade. Eu concordo com o comentário da a Nathalie. Constantemente fico decepcionada com a realidade, é difícil ver jovens que só pensam em sexo em um mundo como o nosso. Se as coisas continuarem como estão, e eu tenho certeza que continuarão, o mundo caminhará para um futuro pior do que em "Jogos Vorazes". É exatamente como digo: "As pessoas serão condenadas pela ignorância."

  • Bruna said:  

    Não vi o filme, mas muitas pessoas que assistiram disseram que é muito bom... Tudo passa despercebido de quem não sabe da verdade, infelizmente.

  • bruno said:  

    Não discordo totalmente, mas o filme pode estar passando apenas uma visão, uma crítica. Mostrando principalmente (e claramente) a dualidade entre o avanço e a regressão da sociedade, entre armas e tecnologia e práticas primitivas ou feudais.

  • Atalaias do Pai said:  

    Ainda não assisti o filme, mas o trailer já diz bastante sobre ele. Vivemos sim essa perversão e voyeurismo da mídia. Diga-se de passagem as novelas que sempre levam a população a torcer pela morte de alguém, ou pela sobrevivência de outro, seja lá qual a forma usada para isso.
    O governo, claramente, não investe em uma educação que, de fato, eduque. Não sei se caminhamos a passos lentos para esse tipo de futuro, ou se já estamos introduzidos sutilmente nele. Uma coisa é fato, o mundo tem que ser preparado para o advento do anticristo, e a política é uma coluna fundamental pra isso. Me preocupa o fato dos cristãos ainda olharem desconfiados para esse assunto tão tratado na Bíblia. Muitos ainda andando às bordas do conhecimento, com medo de realmente mergulhar, ter as escamas retiradas dos olhos.

  • ÔnixDesigner - Desenhos Gráficos said:  

    ...é parece que Satã está com pressa... agora até as crianças de 12 anos... sempre estiveram sujeitas à violência no cine... mas agora a direção dele é direta às eles... está correndo contra o tempo... pouco tempo lhe resta... vem logo Senhor Jesus... vem logo amém!

  • Jimmy said:  

    Jogos vorazes apresenta essa realidade de forma sútil, embora não tanta, mas, Dani, veja o motoqueiro fantasma 2. Saí indignada do cinema, pois foi bem "escancarada" a verdade que eles relatam sobre a vinda do anticristo, e o pior é que parece que ninguém percebe. Vi que a elite global deita e rola por cima de nós, jogando o futuro na nossa cara, sem que alguém "desperte do transe"

  • Unknown said:  

    eu vi esse filme esses dias, e assim que eu vi eu já saquei que era coisa de Nova Ordem Mundial! Eu fiquei chocada quando eles começaram a se matar.

    gostei da matéria, eu deduzi que teria algo falando sobre isso no blog, muito bom!

  • O filho da Eth said:  

    Muito bom trabalho, Dani, você revelou uma verdade oculta, que eu ainda não tinha descoberto

  • ayme said:  

    pra ver como o mundo já está dominado, um filme violento desse, com jovens e crianças se matando e td mundo acha q ñ tem nada é até bonito.

  • Katie said:  

    Absolutamente errado, a série The Hunger Games é recheada de crítica social, de nenhuma maneira está desensibilizando ou tentando fazê-lo. As mortes nos jogos são retratadas com pesar e a personagem Katniss é traumatizada por tais mortes, não se deixando levar pelo que a Capital quer dela.

  • Mariane said:  

    eu estava esperando essa analise do danizudo confesso, sou leitora da trilogia e duranta a minha leitura pude perceber mensagens de alertas, até de lavagem cerebral q o personagem Peeta sofre nas mãos da capital.Concordo em partes, e acho q o filme pode até ser pra propagar essa ordem , mas os livros acho q são mais para criticar e mostrar o q estar por vim um aviso digamos assim.

  • Paula M said:  

    Concordo, em partes, com o Post. Acredito que o que experimentaremos no futuro seja a realidade expressa em jogos vorazes. É um fato eminente caso nada seja feito. O filme talvez seja somente uma forma de introduzir na cabeça das massas a normalidade de uma sociedade dessa forma, porém, os livros nos dão um alerta claro e a todo momento se posiciona contra tal forma de Controle. Acredito que os livros em sua essência sejam um aviso a respeito do que o mundo pode vir a se tornar, com o controle das massas, as modas bizarras, a sede insaciável de poder e os sacrifícios humanos, tudo isso com um desfecho de revolução e inconformismo da população diante de tudo isso. Uma população que triunfa diante de tal elitismo e sociedade organizada como a NOM.
    Entretanto, sua versão para cinema tornou possível também uma alteração de sua intenção, adaptando o que parecia ser uma "revolta" contra o sistema se tornou uma forma de inserção do sistema na cabeça dos adolescentes e futuros participantes ativos dessa futura NOM.

  • Talissa Tayná said:  

    Achei muito interessante a matéria e com certeza jogos vorazes é mais um plano da elite obscura p/ as mentes que não se permitem conhecer a realidade em que o mundo está vivendo... Confesso que é muito difícil, principalmente quando se é adolescente, se desligar das coisas mundanas e dessas constantes sagas que a indústria do entretenimento lança. Depois que passei a conhecer mais sobre tudo isso, meu alerta é total e confesso que tenho me surpreendido comigo mesma. Agradeço por vc ser um desses que tem esperança na humanidade e que com Fé e confiança no Nosso Deus Amado tudo podemos!Continue progredindo e nos alertando daquilo que sem querer permitimos passar despercebido. Beijão, valeu!

  • Bruna Thiele said:  

    Lendo o livro dá para se ter uma ideia bem diferente do filme, detalhes que não foram colocados no filme que focavam em outras coisas além de apenas violência. Vocês deveriam ter lido o livro antes de comentar.

  • thatha said:  

    Hey, Dani! Tenho muitos amigos que amam esse livro quase tanto quanto os livros do Rick Riordan, você poderia fazer uma análise sobre os livros dele?

  • Demonhunterx said:  

    Me preocupa muito quando as pessoas se tornam telespectadoras assiduas e fieis de suas propria mazelas morais. A NOM, com suas agendas satanicas, caminha a passos largos de um grande predador para o que mais anseia: o seu governo anti-cristo!

  • Helena Urashima said:  

    Nos primeiros 5 minutos do filme, eu já estava apavorada, chocada. Eu vi, naqueles instantes, a NOM, na minha frente. Por isso, corri para te mandar um e-mail, dando a sugestão de uma análise da história.

    Depois de ver o filme, fiquei fascinada pela história e fui atrás de ler os livros.
    E pasme, tenho a mesma opinião que o PVictor, o qual comentou acima: é como se a autora estivesse nos alertando, tentando abrir nossos olhos para o que acontece e acontecerá se não fizermos nada. E sim, no último livro, ela dá uma "solução", que não é nada fácil, mas ainda sim é algo...

    Fico triste porque quando tento falar sobre a NOM ou tento conversar com meus amigos sobre o futuro ou sobre o que já está acontecendo, eles levam na brincadeira, ou acham que estou "no mundo da lua". Isso me deixa frustrada... =/

  • Rodrigo Santana said:  

    Tinha que ter falado do livro. Eu acho q ele veio para alertar em relação ao livro. Mas como o filme foi feito por Hollywood, ai já é olhado por outros olhos.

  • UmCaraInteressante said:  

    Eu penso bastante que o livro é abridor de mentes a respeito da perversidade do governo e como ele faz toda a barbaridade que eles praticam parecer algo lindo e engraçado.
    Bem intenso. Estou no capítulo 10, logo antes de começarem os Games.
    Acho que nem verei o filme, deve ser cheio de mensagens subliminares. O livro parece mais puro, mas não tenho certeza absoluta.

    Enfim, ótimo post danizudo! Continue assim!

  • Brian said:  

    Cara... Não tenho certeza se voce quis saber a fundo, mesmo, sobre o filme/livros. A história NÃO É SÓ O REALITY. ele é apenas um elemento de uma coisa bem maior: o governo totalitário da Capital. Na verdade, os livros ajudam a formar uma opiniao e a pensar: tudo isso tá errado! Ninguem pode querer controlar ninguém. E, como vc disse, os jogos são, realmente, como os tributos aos deuses gregos. Mas isso deve ser pq THG é baseado nas histórias de Teseu e o labirinto da mitologia grega. E a população NAO GOSTA DOS JOGOS. NINGUÉM GOSTA, ALÉM DOS CIDADÃOS DA CAPITAL. Eu acho q vc já deve ter ido ver o filme pensando em como ele deve ser "repulsivo". Tente ler o livro ou ver o filme novamente. Mas dessa vez, sem um preconceito. Esvazie tudo o que voce acha e tente ler a mensagem que os livros passam: uma guerra, nao termina bem pra NENHUM dos dois lados. As sequelas são pra sempre.

  • Internauta JJ said:  

    Amanda, você disse que fica chocada por as pessoas não entenderem que estão sendo manipuladas, sobre isso leia 2 Tessalonicenses capítulo 2 e versículos 9 ao 17, que você entenderá claramente. Para a Nathally eu recomendo que você leia o artigo sobre a copa de 2011 neste mesmo blog, pois ao comentar esse artigo ele explica de uma maneira bem clara que o objetivo deles é produzir nas pessoas esse tipo de pensamento que você manifestou. O problema aqui não é Deus, Nathally. Mas é aquele para quem essas pessoas trabalham. Deus sabe cuidar bem dos seus, mas a maior parte da humanidade, mesmo sofrendo, nem se interessa em ouvir a voz dele. Continua assim Danizudo! A luz resplandece nas trevas e as trevas não a compreenderam(Jo 1.5).

  • RoDrHabbo said:  

    Hunnnnn o que me fez gostar do post foi que voce comentou sem expressar favoritismo ou parcialidade, isso é muito bom! No final cita a fonte, e mesmo não sabendo se voce tirou tudo de lá, vou comentar.
    (atenção, spoilers!)
    Quando li o livro pela primeira vez (e isso foi antes de ver o filme) imaginei de cara voce escrevendo um post sobre isso, e apesar de eu não levar a sério a maioria das coisas que são escritas no blog (principalmente porque voce sempre toma partido do lado religioso) eu o leio de vez em quando, e até gosto porque me mostra pontos de vista diferentes, adoro ter várias vertentes de pensamento, saber o que as pessoas acham, emfim. Para não desviar mais do assunto, o livro é narrado em primeira pessoa, a personagem principal, Katniss Everdeen, e a autora não pode deixar mais claro a posição da personagem contra o governo sobre Panem. Eles são descritos como ridículos, violentos, desiguais e exploradores. Como outra pessoa disse acima, a morte não é tratada passivamente, mas causando indignação por parte dos habitantes do país. A menina que morre na arena, Rue, é um claro exemplo disso, pois Katniss se afeiçoa a ela, e depois ela é brutalmente tirada, o que não nos deixa nem um pouco contentes. Katniss descreve o Presidente Snow, o presidente de Panem, como inescrupuloso, detestável e terrível, citando várias vezes o cheiro de sangue que ela sente ao chegar perto dele. Um dos personagens, Peeta Mellark, o companheiro de distrito de Katniss na arena, em certo momento diz mais ou menos "se for morrer , eu quero morrer como eu mesmo, não quero ser mais uma peça no jogo deles", mostrando que não seria suscetível à ditadura imposta pela Capital. Eles dois saem vivos da arena, e descobrem que existe um décimo terceiro distrito, se rebelando em segredo contra a Capital. Eles se juntam a eles, e após uma guerra conseguem tirar o poder das mãos da Capital, mostrando que o povo tem poder sobre o governo.
    Seguindo minha linha de raciocínio, é óbvio que o livro trata de uma grande revolução feita pelo povo contra a forma de governo, ou como voces acreditam, os Illuminatis.
    Dizer que o filme tem perspectiva diferente do livro não é muito verdade, pois é uma adaptação quase perfeita, exceto algumas cenas do Presidente Snow enquanto ela está na arena, impossíveis de serem citadas no livro, pois é em primeira pessoa.
    Em relação ao apelo do sexo, Katniss entende que o motivo de tentarem juntar ela e Peeta é exatamente esse, distrair a atenção do público,e ela joga o jogo, usando as estratégias da Capital ao seu favor para que ganhe os jogos e saia viva junto com Peeta.
    No final do primeiro livro, quando eles estão prestes a sair da arena, recebem o comunicado que apenas um deles pode vencer, ou seja, teriam de matar um ao outro. Katniis se rebela e mostra que, se os dois não podem vencer, então não haverá um vencedor, e então eles tentam se suicidar comendo frutas venenosas. A Capital revoga o comunicado no mesmo momento, mostrando-se fraca ante um ato de rebeldia que os desmoralizaria diante do país.
    Como conclusão, bem, acho que deixei claro o que penso. SE os Illuminatis existem, e esse livro quer dizer alguma coisa, a posição nos deixa bastante contra o tal governo ditatorial, mostrando que unidos poderemos lutar e vencer os que aparentemente são mais fortes.

  • _aLPINO said:  

    Qual seria a diferença do time de Peeta e de Gale??

  • Raquel Oliveira said:  

    Assisti este filme ontem. Eu até gostei mas achei o final vago, não entendi com qual dos dois rapazes a Katniss decidiu ficar e também achei que ela se vendeu. Pensei que no final a Katniss lideraria uma revolução contra a Capital, mas isso não aconteceu e ficou parecendo que ela aceitou toda aquela palhaçada numa boa. Espero que em Jogos Vorazes 2 eles tentem passar uma mensagem mais positiva no final.

  • Prof. Raquel Costa said:  

    Danizudo, li este post e achei genial!
    Parabéns e continue assim: um abençoador!
    Abraços.

  • Poliana Aparecida da Silva said:  

    Ainda não assisti o filme , vou ver se alugo na locadora nesse fim de semana. Porém eu li os 3 Livros da Série Jogos Vorazes , Em Chamas e Esperança , concordo com os comentários acima que a autora , sabe demais e atravéz dos livros está tentando alertar as pessoas de todo mundo. Os livros são muito bons e esclarecedores sobre a Nova Ordem Mundial ... Recomendo ...

  • gecy S. M. said:  

    Gostei muito do material apresentado, Parabéns!
    Ainda não tive a oportunidade de assistir o vídeo e compara a esse material e o livro.

    Mas, há um erro:
    Katniss Everdeen, ela não é chamada para ser a tributo. Ela decide tomar o lugar de sua irmã (Prim) de apenas 12 anos, irmã que teve seu nome isncrito pela primeira vez na colheita, e isso acontece devido uma "brecha" existente nas normas do capitol quando se refere à Colheita

  • Douglas Lage said:  

    Como a maioria ai, acho que é claro a mensagem do livro, ela é um 'alerta' ou até forte crítica ao sistema. É uma trilogia EXCELENTE em todos os aspectos, não sei como isto será mostrado no decorrer do cinema, até achei que no filme eles pegaram mais leve, deixaram um pouco mais vago e focaram muito nos jogos, que obviamente é o ponto chave mas serve de pano para a mensagem do sádico controle. Nenhum cidadão aceita a Capitol, nem seus próprios moradores que provavelmente só aceitam por estar também submetidas a propaganda de seu sistema e acha tudo 'normal', existe uma elite contratadora de todos. Eu tb qnd li associei ao site muitas coisas, citaram ali aos abusos para controle que Peeta é submetido no livro 2 e é verdade, não tem como não se lembrar de tantas coisas escritas por aqui. Mas, o livro não é ruim em nenhum aspecto, principalmente a quem tem acesso a informações como deste site, pode enxergar a PROFUNDA mensagem por trás dele. Eu gostei de seu relato Dani porque ele deixou em aberto, e estou ansioso para ver sua abordagem no decorrer desta série. ! Mas aos que leram apenas o post ou apenas viram ao filme, leiam tb o livro e vão ter uma boa visão de tudo. não vão se arrepender.

  • kelvin maldonado said:  

    Me edentifico muito com Danizudo ;)

  • Carol Mesquita said:  

    É essencial a leitura da trilogia para entender todo o contexto. Sem dúvidas creio que haja uma tentativa de mostrar para a sociedade que estamos andando num caminho sem volta mas creio que também seja uma crítica muito forte aos padrões adotados pela elite. A revolução do povo, dos mais fracos e o descortinar de toda sujeira imposta pela liderança do país não deixam de ser importantes. A escolha entre o time de Peeta e Gale é inevitável pois trata-se também de um romance onde os mesmos disputam o coração de Katniss mas momento algum usam de violência para isso. Recomendo a leitura!!!

  • Têka said:  

    Muito legal o site,parabéns! Não sei se vocês ja viram no filme OS Miseráveis,quando um dos atores que interpreta o fugitivo Jean Valjean começa a cantar pedindo auxílio a Deus por trás se pode ver em um poster gigante o Olho que Tudo Vê...descaradamente!!!II Isso acontece em 1:54:48.

  • Bruno Lima Art said:  

    " Um cego guiando o outro "
    Adorável ver a ignorância de vocês !

  • Ticiane Otaviana said:  

    Pq peeta vai ser vitima de uma lavagem cerebral????

  • Cassio Butini said:  

    Meu Caro(a) Escritor(a), gostei do seu post, porém devo lhe dizer que discordei de algo. Eu li os três livros, assisti o primeiro e segundo filme e possivelmente assistirei os próximos. Mas no entanto, a autora de Jogos Vorazes se baseou em fatos já existentes, como por exemplo realitys shows e cenas de guerra em que passava na TV enquanto ela trocava de canal, e juntando essas duas coisas ele teve a brilhante ideia de criar os livros Jogos Vorazes. E a questão "porque o futuro é sempre 'distópico'?", eu lhe digo que é algo estratégico para conseguir audiência. Porém não acredito que o futuro da humanidade, seja "mil maravilhas", até porque o mundo nunca foi perfeito, e poderá piorar cada vez mais.

  • Josué Costa said:  

    Os filmes/livros falam TUDO isso que vocês falaram. Leiam os três livros, eles são retratados pela Katniss. O Livro critica tudo isso, e não incentiva. vocês leem a sinopse ou assistem o filme uma vez e já quer falar que o filme incentiva a violência, que os adolescentes torcem pra Katniss matar um alguém, mas mal sabem que no segundo livro ela ainda sofre por matar o menino la no primeiro. O Livro é uma critica ao nosso mundo, onde o governo impõe as coisas mais bizarras do mundo, mas a mídia encobre tudo isso com reality shows fúteis (big brother...), mas vocês só querem ver o lado obvio da carta, certo? Ja pararam pra pensar que talvez a autora esteja nos alertando sobre essa nova ordem mundial?

  • S.Misto said:  

    Super concordo, sou fã de jogos vorazes especialmente por causa desse lado crítico, porem só fui ver esse lado NOM depois de ler esse post, n vejo em nenhum momento jogos vorazes como algo ruim onde só tem violência mas sim uma boa crítica, só queria saber aonde isso se encaixa pq pra quem leu os livros sabe oq acontece no terceiro livro

  • Anônimo said:  

    danizudo fala sobre Em chamas!!!!!!@@@@@&&&&&&&#####

  • Anna Julia Pinho Wueba Wueba said:  

    Eu entendi que jogos vorazes existirá,e muitas pessoas irão morrer de uma forma cruel.o texto tirou as minhas dúvidas se os jogos existiriam ou não. Parabéns foi ótimo.

  • Garota da Janela de Vidro said:  

    Sim, nós sabemos que muitos querem que isso ocorra, mas será mais uma forma de domínio. Se você não segue ou não acredita no que eles te mostram, é "game over", então defina esse " mundo melhor" que você mencionou.

  • Pedro Bittercourt said:  

    Sim muito. E tu tá por dentro que big brother e tudo "roteirinho" né?

  • Anônimo said:  

    Será que ninguem percebe que este filme mostra a verdadeira intenção deste pessoal, ou seja destruir o mundo, o nosso mundo, eles querem que o mundo seja somente deles e de mais ninguém, ai vejo estes jovens idiotas dizendo: "filme doido, adoro isso, se for verdade vai ser legal" são como idiotas, são podres de mente, não percebem que vão morrer debaixo dos sapatos caros destas "pessoas", vão ter que ser escravos, vão sofrer e morrer dolorosamente só isso

  • Anônimo said:  

    na verdade snow tinha que ter morrido dolorosamente junto com toda a ordem mundial inteira, sem restar nenhum, livrando o mundo da crueldade

  • Anônimo said:  

    só tinha que ficar vivo as pessoas inocentes de tudo isso, só as crianças, pessoas e jovens vitimas da tirania e crueldade dessa raça desgraçada de ricaços sem escrúpulos, e sem moralidade

  • Madi LMonster said:  

    Olha , o primeiro filme é totalmente isso , mas logo no segundo e nos outros dois filmes , o filme muda completamente. Em a esperança , não existe mais arena e jogos vorazes. Acho que precisa dar mais uma estudada

  • Anônimo said:  

    Eu acabei de assistir o filme e me veio uma curiosidade muito grande, "será que isso realmente pode acontecer ?" por fim essas palavras ecoaram em minha cabeça e eu resolvi pesquisar sobre, eu sei que nunca acharei respostas concretas sobre isso mais Suzanne Collins a autora, deve ter um pensamento totalmente diferenciado do qual ainda não sabemos, ou talvez ela tenha o escrito para propor um alerta do que acontecera com o mundo se não cuidarmos dele, o que é totalmente improvável pelo fato de o mundo não depender só de alguns de nós.

  • Leave your response!

    NÃO serão aceitos comentários que:

    - Forem desagradáveis;
    - Contiverem LINKS, SPAM, endereços eletrônicos;
    - Usarem CAPS excessivamente;

    Seus comentários poderão levar algumas horas para aparecer nesta página. Eles não serão necessariamente respondidos pelo autor.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste site.