Blink 182 - Simbolismo Maçônico

sexta-feira, 30 de setembro de 2011 30 comentários

O símbolo maçônico no recente clipe de Blink 182, "Up All Night", está claro e explícito. É seguro dizer que o guitarrista da banda um maçom.



Veja Mais
VMA 2011 - Uma Celebração da Indústria da Música Illuminati Atual 
Lady Gaga - Análise em Born This Way

,

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban — Análise do Livro — Parte 2


6. Lista de Livros Necessários Para os Alunos do Terceiro Ano [págs. 49-50].

A. O Livro Invisível da Invisibilidade — Isso é possível, mas somente para um feiticeiro de alto nível e com um elevado nível de possessão demoníaca.

B. Esclarecendo o Futuro. O livro utilizado nas aulas de Adivinhação. O gerente da livraria recomendou esse livro e ficou satisfeito em saber que seria usado naquele ano em Hogwarts. Ele disse que o livro era "um bom guia para todos os métodos básicos de adivinhação do futuro, quiromancia, bolas de cristal, tripas de aves..." [pág. 49]. Você quer que seu filho aprenda como adivinhar examinando as tripas das aves sacrificadas? Veja como Deus advertiu os israelitas sobre esse tipo de satanismo: "Quando entrares na terra que o SENHOR teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR teu Deus não permitiu tal coisa." [Deuternômio 18:9-14]. Os pais que permitem que seus filhos leiam os livros de Harry Potter estão ensinando os benefícios da adivinhação, em clara rebelião aos mandamentos de Deus! Não se deixe enganar.

C. Presságios de Morte: O Que Fazer Quando Se Sabe Que Vai Acontecer o Pior — Observo muita ênfase na morte nos livros de Harry Potter, exatamente como há uma ênfase em coisas mortas e na morte no satanismo. Deus diz, "... todos os que me odeiam amam a morte." [Provérbios 8:36b].

D. Transfiguração Para o Curso Médio — Como dissemos no artigo referido anteriormente, sempre que você vir um encantamento ou maldição que muda a realidade de alguma forma, duas coisas são necessárias para fazê-la funcionar: Sacrifício humano e severa possessão demoníaca. É isso que você quer que seu filho passe a copiar?

E. O Livro Padrão de Feitiços — Terceira Série [pág. 50].

F. O Livro Monstruoso dos Monstros — Usado na aula Trato das Criaturas Mágicas. Esse livro era assombrado por poderosos demônios; eles arranhavam e cortavam os alunos que tentavam abri-lo e até mesmo rasgavam todo o livro. A maioria dos alunos mantinha os demônios dentro das capas do livro, amarrando o livro com um pedaço de corda ou com um cinto [págs. 18, 95].

7. Cursos do Currículo

A. Adivinhação — Esse é o terceiro ano do curso de Adivinhação, de modo que Harry e seus amigos precisam entrar em assuntos realmente de Magia Negra, todos os quais são condenados por Deus [Deuteronômio 18:10-14, citado anteriormente] Observe que Deus prescreveu a Pena de Morte para qualquer pessoa que pratique as artes da Adivinhação; no entanto, aqui, Harry Potter está estudando o assunto e levando milhões de crianças e adolescentes a quererem praticar essa arte satânica. [pág. 49]. Um dos assuntos estudados na Adivinhação eram os Presságios do Fogo [pág. 88].

"Juntos, eles subiram a escada para a sala escura e abafada da torre. Brilhando em cada mesinha havia uma bola de cristal cheia de uma névoa branco-pérola. Harry, Rony e Hermione se sentaram juntos à mesma mesa bamba... 'Resolvi começar a bola de cristal mais cedo do que tinha planejado' — disse a professora. 'As Parcas me informaram que o exame de vocês em junho tratará do orbe, e estou ansiosa para oferecer-lhes muita prática... A vidência com a bola de cristal é uma arte particularmente requintada' — disse em tom sonhador. 'Por isso não espero que vocês vejam alguma coisa ao procurarem examinar pela primeira vez as profundezas infinitas do orbe. Vamos começar praticando o relaxamento da mente consciente e da visão exterior... para vocês poderem limpar a visão interior e a supraconsciência. Talvez, se tivermos sorte, alguns de vocês consigam ver alguma coisa antes do fim da aula." [pág. 240].

Novamente, essa descrição de como preparar a mente para remover todos os pensamentos e criar uma mente limpa é bem descritiva e precisa, de modo a ensinar seu filho a fazer isso sozinho. Os espíritos familiares podem então contactar o praticante.

Mais tarde nessa aula de Adivinhação, a professora fica irritada com dois alunos. "Vocês estão perturbando as vibrações da vidente", reclamou com eles [pág. 241].


Possessão Demoníaca de Sibila Trelawney, a Professora de Adivinhação


No fim do ano, a Prof. Trelawney surpreende seus alunos entrevistando-os um de cada vez no exame final. Harry fez o melhor que pôde para responder às perguntas. "Aliviado, Harry se levantou, apanhou sua mochila e se virou para ir embora, mas, então, ouviu uma voz alta e rouca às suas costas. 'Vai acontecer hoje à noite.' Harry se virou depressa. A professora ficara dura na cadeira; seus olhos estavam desfocados e sua boca afrouxara. 'Desculpe, disse Harry'. Mas Sibila não pareceu ouvi-lo. Seus olhos começaram a girar. Harry se sentiu invadido pelo pânico. Ela parecia que ia ter uma espécie de acesso. O garoto hesitou, pensando em correr até a ala hospitalar — e então a professora tornou a falar, com a mesma voz rouca, muito diferente da sua voz habitual:

"O Lord das Trevas está sozinho e sem amigos, abandonado pelos seus seguidores. Seu servo esteve acorrentado nos últimos doze anos. Hoje à noite, antes da meia-noite... O servo vai se libertar e se juntar ao seu mestre. O Lorde das Trevas vai ressurgir, com a ajuda do seu servo, maior e mais terrível que nunca. Hoje à noite. Hoje à noite... o servo... vai se juntar... ao seu mestre..."

A cabeça da professora se pendurou sobre o peito. Ela fez um ruído gutural. Harry continuou ali, os olhos grudados nela. Então, de repente, a professora Sibila aprumou a cabeça. 'Desculpe, querido' — disse com voz sonhadora —, 'o calor do dia, entende... cochilei por um momento...'" [págs. 261-2].

Essa é uma descrição de uma poderosa possessão demoníaca que você poderá encontrar em qualquer outro livro sobre ocultismo. Quando lemos que a professora "ficou dura na cadeira... seus olhos ficaram desfocados, começaram a girar... sua boca afrouxou" — você sabe que está vendo possessão demoníaca, pois é assim exatamente que ocorre. Um demônio poderoso tomou o controle temporário da Prof. Trelawney e estava falando por meio dela. O demônio estava falando com uma voz que não era a da professora e, quando ela despertou, não se lembrava de nada.

Essa é uma descrição real de uma possessão demoníaca real.

B. Trato das Criaturas Mágicas — Durante essa aula, o professor, Hagrid, apresenta aos alunos o hipogrifo, um criatura combinada, e um dos heróis do livro. Essa criatura "tinha o corpo, as pernas traseiras e a cauda de um cavalo, mas as pernas dianteiras, as asas e a cabeça parecida de uma coisa que lembrava águias gigantescas, com um bico cruel cinza-metálico e enormes olhos laranjas-vivos. As garras das patas dianteiras tinham quinze centímetros de comprimento e um aspecto letal." [pág. 96].

C. Aritmancia — A arte da adivinhação por meio dos números. [pág. 52].

D. Estudo das Runas Antigas — Runas são um conjunto de alfabetos utilizado pelos antigos povos escandinavos, mas os ocultistas as usam para empregar poder mágico ou para ter significado secreto. Adolf Hitler atribuía grande importância ao significado divinatório das antigas runas.

E. Feitiços — Professor Flitwick.


8. Atitudes, Valores e Emoções


A. Ódio — "Um ódio que ele jamais conhecera começou a crescer dentro dele como veneno." [pág. 175]. Raiva, medo e ódio permeiam os livros de Harry Potter, produzindo esses sentimentos ao planejar ações de revanche contra aqueles que lhe fizeram mal.

B. Terror — "Rony estava sentado na cama, as cortinas rasgadas dos dois lados, uma expressão de absoluto terror no rosto." [pág. 216].

C. "Harry sentia o corpo tremer, não com medo, mas com uma nova onda de fúria." [pág. 278].


9. Os Dementadores — Os Guardas da Prisão de Azkaban

Quando li em HP e a Câmara dos Segredos sobre a Prisão de Azkaban para bruxos realmente maus, que precisavam ser removidos do mundo por questão de segurança aos demais magos e bruxos de Magia Branca e até mesmo dos trouxas, pensei sobre o poder que esses bruxos maus deveriam ter. Qual tipo de poder precisaria ser necessário para manter esses poderosos magos e bruxos praticantes de Magia Negra em uma prisão? Recebi a resposta nesse livro que estamos examinando, e ela o deixará tão chocado quanto deixou a mim.

Na página 60, antes mesmo de chegar à Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, Harry ouve uma discussão sobre o maligno Sirius Black, entre o Sr. e Sra. Weasley. O Sr. Weasley dizia: "Dumbledore não gosta dos guardas de Azkaban... Nem eu, se você quer saber... mas quando se está lidando com um bruxo como Black, por vezes a gente tem que se aliar até com gente que se prefere evitar." [pág. 60]. Em outras palavras, os guardas da Prisão Azkaban são praticantes da mesma Magia Negra que os prisioneiros que estão aprisionados por praticá-la! Os praticantes de Magia Branca que administram a Realidade de Fantasia nos livros de Harry Potter precisam passar noites acordados preocupados que os guardas um dia unirão forças com os prisioneiros e virão à procura dos líderes de Magia Branca. Entretanto, como aprendi posteriormente, esses guardas possuem um determinado tipo de malignidade tão singular que torna essa possibilidade bem rara.

Eles se alimentam da alma de seus prisioneiros!

Os guardas na Prisão Azkaban são chamados de Dementadores. Veja a descrição deles:

"Parado à porta, iluminado pelas chamas trêmulas na mão do professor, havia um vulto de capa que alcançava o teto. Seu rosto estava completamente oculto por um capuz. Harry baixou os olhos depressa, e o que ele viu provocou uma contração em seu estômago. Havia uma mão saindo da capa e ela brilhava, um brilho cinzento, de aparência viscosa e coberta de feridas, como uma coisa morta que se decompusera na água... Mas foi visível apenas por uma fração de segundo. Como se a criatura sobre a capa percebesse o olhar de Harry, a mão foi repentinamente ocultada nas dobras da capa preta. E então a coisa encapuzada, fosse o que fosse, inspirou longa e lentamente, uma inspiração ruidosa, como se estivesse tentando inspirar mais do que o ar à sua volta. Um frio intenso atingiu todos os presentes. Harry sentiu a própria respiração entalar no peito. O frio penetrou mais fundo em sua pele. Chegou ao fundo do peito, ao seu próprio coração... Os olhos de Harry giravam nas órbitas. Ele não conseguiu ver mais nada. Estava se afogando no frio. Sentia um farfalhar nos ouvidos, que lembrava água correndo. Estava sendo puxado para o fundo, o farfalhar aumentou para um ronco que aumentava. Então, vindos de muito longe, ouviu gritos, terríveis, apavorados, suplicantes. Ele queria ajudar quem gritava, tentou mexer os braços, mas não conseguiu... um nevoeiro claro e denso rodopiava à volta dele, dentro dele." [pág. 73].

Como descobrimos mais tarde, esses dementadores estavam começando a sugar a alma de Harry. Embora Harry tenha sentido um efeito maior, por causa de sua poderosa Feitiçaria Hereditária, os outros também sentiram o terror. Rony disse: "Eu me senti esquisito, disse Rony, sacudindo os ombros, desconfortável. Como se eu nunca mais fosse sentir alegria na vida..." [pág. 74] Ele também descreve como Harry ficou enquanto estava sentindo a terrível sensação descrita anteriormente: "Pensei que você estivesse tendo um acesso ou coisa parecida... Você ficou todo duro, escorregou do assento e começou a se contorcer" [pág. 74].

Mais tarde, na escola, vários alunos estão tendo uma discussão sobre os Dementadores. "— Nem eu fiquei muito feliz — comentou Jorge. — Eles são um horror, aqueles dementadores... Meio que engolem a gente por dentro, não acha? — disse Fred. Papai teve que ir a Azkaban uma vez, lembra Fred? E comentou que foi o pior lugar em que esteve na vida, voltou de lá fraco e abalado... Eles sugam a felicidade do lugar, esses dementadores. A maioria dos prisioneiros acaba endoidando." [pág. 84].

Durante uma partida de quadribol, Harry está indo atrás do pomo, a captura do qual daria automaticamente a vitória para a Grifinória. Ele estava voando tão depressa quanto sua vassoura mágica lhe permitia ir, "Então uma onda de frio terrivelmente familiar o assaltou, penetrou seu corpo, no mesmo instante em que ele tomava consciência de algo que andava lá embaixo no campo... Antes que tivesse tempo para pensar, Harry desviou os olhos do pomo e olhou para baixo. No mínimo cem dementadores apontavam os rostos encapuzados para ele. Era como se houvesse água gelada subindo até o seu peito, cortando os lados do seu corpo. E então ele ouviu outra vez... Alguém gritava, gritava dentro de sua cabeça... uma mulher... 'O Harry não, o Harry não, por favor, o Harry não!' 'Afaste-se, sua tola... afaste-se, agora...' 'O Harry não, por favor não, me leve, me mate no lugar dele...' Uma névoa anestesiante rodopiava enchendo o cérebro de Harry... Que é que ele estava fazendo? Por que é que estava voando? Precisava ajudá-la... Ela ia morrer... Ia ser assassinada... Ele foi caindo, caindo sem parar pela névoa gelada. 'Harry não! Por favor... tenha piedade... tenha piedade...' Uma voz aguda gargalhava, a mulher gritava, e Harry perdeu a consciência.'' [pág. 148].

Harry cai de sua vassoura e seus amigos pensam que ele está morto. Ao se levantar, ele começa a ver várias cenas rápidas. Quando estava internado no hospital, disse aos seus amigos que foram visitá-lo: "— Foi a coisa mais apavorante que já vi na vida... vultos negros encapuzados... frio... gritos..." [pág. 148]. Enquanto Harry estava no hospital, tinha sonhos terríveis. "Harry dava breves cochilos, mergulhando em sonhos cheios de mãos podres e pegajosas e súplicas fossilizadas, acordando de repente para voltar e pensar na voz da mãe." [pág. 153].


O Prof. Lupin, de Defesa Contra as Artes das Trevas, descreve assim os dementadores: "— Os dementadores estão entre as criaturas mais malignas que vagam pela Terra. Infestam os lugares mais escuros e imundos, se comprazem com a decomposição e o desespero, esgotam a paz, a esperança e a felicidade do ar à sua volta. Até os trouxas sentem a presença deles, embora não possam vê-los. Chegue muito perto de um dementador e todo bom sentimento, toda lembrança feliz serão sugados de você. Se puder, o dementador se alimentará de você o tempo suficiente para transformá-lo em um semelhante... desalmado e mau. Não deixará nada em você exceto as piores experiências de sua vida." [pág. 155].

Portanto, os dementadores não têm alma, e alimentam-se da alma de suas vítimas!

Finalmente, Harry pergunta ao Prof. Lupin por que os dementadores tinham ido ao jogo. Lupin responde: "— Estão ficando famintos... Dumbledore não permite que eles entrem na escola, então o suprimento de gente com que contam secou... Acho que eles não conseguiram resistir à multidão em torno do campo de quadribol. Toda a excitação... as emoções exacerbadas... é a idéia que fazem de um banquete." [pág. 156].

Harry então tem a oportunidade de perguntar ao Prof. Lupin uma coisa que o intrigava há muito tempo. " '- Que é que tem por baixo do capuz do dementador?' O professor baixou a garrafinha pensativo. 'Hummm... bem, as únicas pessoas que realmente sabem não estão em condições de nos responder. Veja, o dementador tira o capuz somente para usar sua última arma, a pior.' '- Que é qual?' '- O beijo do dementador' — disse Lupin com um sorriso enviesado. 'É o que dão naqueles que eles querem destruir completamente. Suponho que devam ter algum tipo de boca sob o capuz, porque ferram suas mandíbulas na boca da vítima... e sugam sua alma.' Harry sem querer cuspiu um pouco de cerveja amanteigada. '- Quê... eles matam...?' '- Ah, não' — disse Lupin — 'Fazem muito pior. A pessoa pode viver sem alma, sabe, desde que o cérebro e o coração continuem a trabalhar. Mas perde a consciência do eu, a memória... tudo. Não tem chance alguma de se recuperar. Apenas... existe. Como uma concha vazia. E a alma fica para sempre... perdida.'... Harry ficou confuso por um instante com a idéia de alguém ter a alma sugada pela boca." [pág. 202] Esse é o tipo de nojeira moral que permeia esse livro!


Descobre-se finalmente que Sirius Black está atrás de Harry para protegê-lo do real animago que serve a Lorde Voldemort e que estava tentando matar Harry. Harry também descobre que Sirius é seu patrono. Sirius descreve os dementadores: "'Os dementadores não conseguem enxergar, sabe...' — Ele engoliu em seco. '- Aproximam-se das pessoas se alimentando de suas emoções... Eles percebem que os meus sentimentos eram menos... menos humanos, menos complexos quando eu era cachorro...' " [pág. 299]. Sirius então revela como consegui passar pelos dementadores e fugir da prisão. "Então, uma noite, quando abriram a porta para me trazer comida, eu passei por eles em forma de cachorro... Para eles é tão mais difícil perceberem emoções animais que ficaram confusos..." [págs. 299-300].

Os dementadores cercam Harry quando ele tenta proteger Sirius de ser capturado. Esta é a descrição dos dementadores tentarem lhe dar um "beijo", para sugar sua alma para fora do corpo por meio da boca: "Ele sentia que os dementadores o observavam, ouvia a respiração deles vibrar como um vento maligno ao seu redor. O dementador mais próximo parecia estar avaliando-o. Então ergueu as duas mãos poderosas... e baixou o capuz para trás. Onde devia haver olhos, havia apenas uma pele sarnenta e cinza, esticada por cima das órbitas vazia. Mas havia uma boca... um buraco escancarado e informe, que sugava o ar com o ruído de uma matraca que anuncia a morte. Um terror paralisante invadiu Harry, de modo que ele não conseguia se mexer nem falar. Seu Patrono piscou e desapareceu... Mas um par de mãos pegajosas e fortes, de repente, se fechou em torno do pescoço de Harry. Forçaram-no a erguer o rosto... Ele sentiu seu hálito... Ia se livrar dele primeiro... Harry sentiu seu hálito podre... Sua mãe gritava em seus ouvidos... Ia ser a última coisa que ele ouviria..." [pág. 310].

Então, subitamente, Harry foi salvo pela fórmula mágica contra dementadores que aprendera nas aulas com o Prof. Lupin. Harry conseguiu se salvar e conservar sua alma.

10. Sirius Black — O Prisioneiro Fugido Procurado Pelos Dementadores

"No chão, ao lado do gato, agarrando a perna estendida num ângulo estranho, encontrava-se Rony. Harry e Hermione correram para o amigo. 'Rony... você está bem? Onde está o cão?' 'Não é um cão' — gemeu Rony. Seus dentes rilhavam de dor — '— Harry é uma armadilha...' '— Ele é o cão... ele é um animago [bruxo capaz de se transformar em um animal]... Com um estalo, o homem nas sombras fechou a porta do quarto. Uma massa de cabelos imundos e embaraçados caíam até seus cotovelos... Se seus olhos não estivessem brilhando em órbitas fundas e escuras, ele poderia ser tomado por um cadáver. A pele macilenta estava tão esticada sobre os ossos do rosto, que ele lembrava uma caveira. Os dentes amarelos estavam arreganhados num sorriso. Era Sirius Black." [pág. 273].

Não é uma terribilíssima descrição do homem tão profundamente maligno e tão entregue às Artes das Trevas que os horrendos dementadores estão compromissados em pegá-lo para poderem sugar sua alma? Pais e mães cristãos: é esse realmente o tipo de imagens que vocês querem que seus filhos estejam absorvendo em suas mentes?

11. Diversos Eventos Repugnantes

A. Um "jogo de bruxos" parecido com o de bolas de gude, em que as bolas espirram um líquido fedorento na cara do outro jogador quando ele perde um ponto. [pág. 47].

B. Rony comprou uma nova varinha mágica feita de salgueiro, contendo um fio de cauda de unicórnio. [pág. 51] O unicórnio é um símbolo ocultista do Anticristo e um dos principais símbolos dos Iluministas para ele. Novamente, vemos um grande condicionamento das crianças a aceitar os valores e atitudes do Anticristo quando ele aparecer.

C. A professora de Adivinhação sentiu que Harry possuía o "Sinistro", "o cão gigantesco e espectral que assombra os cemitérios! Meu querido menino, é um mau agouro, o pior de todos, agouro de morte!" [pág. 91]. Na página 93, Rony diz a Harry e a Hermione: "... se Harry viu um Sinistro, isso é... é ruim. Meu tio Abílio viu um e... e morreu vinte e quatro horas depois!... Os Sinistros deixam a maioria dos bruxos mortos de medo!" Hermione responde: "Eles vêem o Sinistro e morrem de medo. O Sinistro não é um agouro, é a causa da morte!" [págs. 93-94].

Novamente, o espectro da morte permeia todo o livro. O que Deus diz: "Todos os que me odeiam amam a morte." [Provérbios 8:36b].

D. O bicho-papão, conforme descrito anteriormente, é uma criatura transformista que muda para a forma que mais amedronta sua vítima. Nesse livro, a autora J. K. Rowling faz o bicho-papão transformar-se em várias criaturas repulsivas:

1. A coisa que Neville Longbottom mais temia era o Prof. Snape, de modo que era essa a forma do bicho-papão quando saiu do armário em direção a ele. Neville então lança um encantamento para transformá-lo na figura de sua avó: "Snape tropeçou; usava um vestido longo, enfeitado de rendas e um imenso chapéu de bruxo com um urubu carcomido de traças no alto, e sacudia uma enorme bolsa vermelho-vivo. Houve uma explosão de risos; o bicho-papão parou, confuso..." [pág. 115].

2. Em seguida, o bicho-papão vira para outro aluno: "... onde o bicho-papão estivera havia agora uma múmia com as bandagens sujas de sangue; seu rosto tampado estava virado para Parvati e a múmia começou a andar para a garota muito lentamente, arrastando os pés, erguendo os braços duros... Uma bandagem se soltou aos pés da múmia; ela se enredou, caiu de cara no chão e sua cabeça rolou para longe do corpo" [pág. 115].

3. Em seguida, o bicho-papão aparece para outro aluno. "Craque! Onde estivera a múmia surgiu uma mulher de cabelos negros que iam até o chão e um rosto esverdeado e esquelético — um espírito agourento. Ela escancarou a boca e um som espectral encheu a sala, um grito longo e choroso que fez os cabelos de Harry ficarem de pé... O espírito agourento emitiu um som rascante, apertou a garganta com as mãos; sua voz sumiu. Craque! O espírito agourento se transformou em um rato, que saiu correndo atrás do próprio rabo, em círculos, depois... craque! — transformou-se em uma cascavel, que saiu deslizando e se contorcendo até que — craque! — se transformou em um olho único e sangrento... O olho se transformou em uma mão decepada, que deu uma cambalhota e saiu andando de lado como um caranguejo... Craque! Muitos alunos gritaram. Uma aranha gigantesca e peluda, com quase dois metros de altura, avançou para Rony, batendo as pinças ameaçadoramente..." [págs. 115-116].

E. Barretes Vermelhos — Estudados em Defesa Contra as Artes das Trevas. "Criaturinhas malfazejas que lembravam duendes e rondavam os lugares onde houvera derramamento de sangue — masmorras de castelos e valas dos campos de batalha desertos — à espera para abater a porrete os que se perdiam." [pág. 118].

F. Kappas — Também estudados em Defesa Contra as Artes das Trevas. "Seres rastejantes das águas, que lembram macacos com escamas, palmípedes cujas mãos comichavam para estrangular os banhistas desavisados que penetravam seus domínios." [pág. 118].

G — Grindylow (Demônio aquático) — Também estudado em Defesa Contra as Artes das Trevas. "Ele entrou na sala de Lupin com o professor. A um canto havia uma enorme caixa de água. Um bicho de cor verde-bile e chifrinhos pontiagudos comprimia a cara contra o vidro, fazendo caretas e agitando os dedos longos e afilados... 'O truque é deixar as mãos deles sem ação. Reparou nos dedos anormalmente compridos? Fortes mas muito quebradiços." [pág. 154].

H. "Malfoy passou a maior parte da aula seguinte de Poções, a que assistiram juntos na masmorra, fazendo imitações dos dementadores; Rony finalmente se descontrolou e atirou um enorme e gosmento coração de crocodilo em Malfoy, que o atingiu no rosto, o que fez Snape descontar cinqüenta pontos da Grifinória." [pág. 153] Observe duas coisas nessa citação: Primeiro, os alunos estavam constantemente atormentando um ao outro, vingando-se um do outro; segundo, a aula foi dada na masmorra, claramente um local muito deprimente para os alunos, afinal, as masmorras destinavam-se à prática da tortura e execução dos prisioneiros.

I. Em uma loja de doces em um vilarejo fora de Hogwarts, um lugar chamado Dedosdemel, alguns doces interessantes estavam à venda. Tenho certeza que chamarão sua atenção. [págs. 162-165].

1. Doces que tinham efeitos especiais, por causa de feitiços colocados neles:

Chicles de baba e bola (que enchiam a loja de bolas azulonas e se recusava a estourar durante dias).

Diabinhos negros de pimenta ("sopre fogo em seus amigos!").

Ratinhos de sorvete ("ouça seus dentes baterem e rangerem").

2. Doces classificados como "Sabores Incomuns":

Pirulitos com gosto de sangue — Hermione imagina que sejam para vampiros.

Cachos de baratas.

Lesmas gelatinosas.

Picolés ácidos — Faziam um furo que atravessava a língua.

Delícias gasosas.

3. Sabão de ovas de sapos e uma xícara que mordia o nariz [pág. 226].

J. O beijo do dementador — Quando um dementador deseja destruir completamente uma pessoa, "ele levanta seu capuz e ferra suas mandíbulas na boca da vítima... e suga sua alma, deixando uma concha vazia. E a alma fica para sempre... perdida." [pág. 202].

K — Casa dos Gritos, "o lugar mais mal-assombrado da Grã-Bretanha... até os fantasmas de Hogwarts evitam a casa." [226].

L. Durante uma partida de quadribol, entre Grifinória e Sonserina, vemos uma descrição da bandeira de Sonserina. Lembre-se que Sonserina é a única casa dedicada à Magia Negra. "Atrás das balizas da Sonserina, porém, duzentos torcedores se cobriam de verde; a serpente prateada da casa refulgia em suas bandeiras e o Prof. Snape estava sentado na primeira fila, vestindo verde como os demais, exibindo um sorriso muito sinistro." [pág. 247] Verde é a cor favorita de Satanás.

12. Números Ocultistas Usados no Enredo

A. Harry está com treze anos; treze é o número de Satanás de rebelião e de depravação.

B. Harry é colocado no quarto número 11 no Caldeirão Furado, onde passa as duas semanas finais das férias de verão. O número onze é considerado um dos números mais importantes e sagrado para os ocultistas. [pág. 43].

C. Ao ser capturado, Sirius Black ficou preso temporariamente na sala do Prof. Flitwick, no sétimo andar, décima-terceira janela a contar da direita na Torre Oeste. [pág. 316].

13. Crenças Iluministas

A. A Linhagem Sanguínea da Família é o fator mais importante na determinação da força da feitiçaria. " '— A coisa toda está ligada ao sangue, como eu ia dizendo ainda outro dia. O sangue ruim acaba aflorando.'" [pág. 29]. Falando aqui sobre a feitiçaria hereditária na família de Harry Potter.

B. Os feiticeiros poderosos crêem que podem viajar no tempo, passando pelos portais das dimensões. No entanto, isso é feitiçaria extremamente poderosa. O feiticeiro é grandemente enganado ao passar por uma experiência que o convence totalmente que entrou em um período passado ou futuro no tempo e experimentou certos eventos enquanto esteve naquele reino. Os feiticeiros extremamente poderosos acreditam que já voltaram atrás no tempo.

Para salvar Sirius Black, Hermione usa a corrente enfeitiçada que recebeu, e arrasta Harry a um portal do tempo, de volta ao passado. " '- Voltamos nos tempo', sussurrou ela, tirando a corrente do pescoço de Harry no escuro. '- Três horas'... 'Chama-se vira-tempo', sussurrou Hermione — 'Ganhei da Prof. McGonagall no primeiro dia depois das férias. Estou usando desde o início do ano para assistir a todas as minhas aulas.'" [págs. 317-18] Harry fica admirado, pois sempre se perguntara como Hermione conseguia ter várias aulas programadas para exatamente a mesma hora em todo o semestre. Quando Hermione e Harry voltam três horas atrás no tempo, conseguem resgatar o hipogrifo antes de ele ser executado, e usam sua capacidade de voar para salvar Sirius Black.

Resumo

Dos três primeiros livros, o terceiro é o mais deprimente, mas sombrio e mais cheio de feitiçaria real. A autora Rowling afirmou recentemente que cada um dos quatro livros ficará cada vez mais pesado. Bem, esse livro foi claramente mais sombrio que os dois anteriores e prenuncia o que ainda há de vir. A autora também continua a demonstrar seu domínio na 'Arte', misturando tanto conhecimento de feitiçaria comum e rara nesse livro.

Além disso, seu livro gira em torno dos guardas da Prisão de Azkaban, os dementadores. Essas horrendas criaturas não tinham alma e, portanto, buscavam almas humanas para se alimentar delas. Elas dão o Beijo do Dementador, que suga a alma da vítima humana lentamente, pela boca. A presença dos dementadores permeia grande parte do livro, e realmente lança um encantamento demoníaco em todo ele.

Verdadeiramente, a pessoa que ler esse livro está participando no "cálice dos demônios". Veja o que diz a Escritura em 1 Coríntios 10:21-22:

"Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou irritaremos o Senhor? Somos nós mais fortes do que ele?"

Nenhuma pessoa que se considere cristã pode ler esse livro sem participar do cálice de Satanás. Portanto, engana-se aquele que pensa que pode ler os livros de Harry Potter e depois ser aceito pelo Senhor em sua mesa. Tentar fazer isso é "irritar o Senhor", fazendo-o tomar medidas corretivas contra nós.

Acreditamos firmemente que Satanás esteja usando esses livros de Harry Potter para fascinar as crianças para seu reino, e condicioná-las a aceitar seus valores e atitudes. Assim, quando o Anticristo aparecer, encontrará milhões de crianças e adolescentes prontos para aceitá-lo, adorá-lo e finalmente aceitar sua marca.

O simples fato de dezenas de milhões de crianças e adolescentes estarem entusiasmados por essa forma de satanismo é prova concreta que estamos no fim dos tempos.


 Fonte: Espadaeti

,

A Obsessão com Crepúsculo

quinta-feira, 29 de setembro de 2011 35 comentários



"Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela." [Gênesis 3:1-6].

O fruto proibido é o mais doce ao paladar: "Edward não é como os outros rapazes que Isabella conheceu... Bem depressa, eles ficaram envolvidos em um arrebatador e heterodoxo romance — heterodoxo, pois Edward não é realmente como os outros rapazes. Ele pode correr mais depressa do que um leão das montanhas. Ele pode fazer um carro em movimento parar usando unicamente suas mãos. Ah, ele também não envelhece desde 1918. Como todos os vampiros, ele é imortal... Mas ele não tem dentes afiados... E também não bebe sangue humano, embora ele e sua família sejam singulares entre os vampiros nessa escolha de estilo de vida." [1].


A autora recebe a mensagem: "Isabella e Edward foram, literalmente, vozes em minha mente. Elas simplesmente não se silenciavam. Eu ficava até as altas horas da noite tentando digitar todas as coisas que apareciam em minha mente... Este tem sido um verdadeiro trabalho de amor, amor por Edward e por Isabella e todos meus demais amigos imaginários..." [2].

The Wall Street Journal: "Crepúsculo é voltado para a alma coletiva dos adolescentes e certamente encontrará seu caminho até eles." [3].

Mensagem de correio eletrônico de pais preocupados: "Tenho visto muitas jovens cristãs lendo este e outros livros de Stephanie Myers. Eles são tão malignos! Minha filha me diz que a maioria das moças na escola cristã está lendo esses livros." Outro pai escreveu: "Todas as jovens na escola estão lendo esses livros. Sim, é uma escola cristã.".

Se eu tivesse o objetivo de solapar o cristianismo, incitar a rebelião contra os pais, erradicar os valores bíblicos e alastrar o caos moral, faria os adolescentes lerem os livros da série Crepúsculo. Eu os faria afundar suas mentes e emoções no redemoinho emocional tenebroso do ocultismo sensual. Além disso, eu não os advertiria das conseqüências.

Obviamente, meu objetivo real é o oposto: expor esse ataque à fé bíblica e equipar os potenciais leitores com informações que os ajudem a resistir à tentação de participar na jornada coletiva para o reino da mudança de mente do ocultismo. Os pontos a seguir mostram a furiosa guerra espiritual que certamente se intensificará nos próximos anos:

1. Vampiros e lobisomens estão enraizados nas culturas pagãs de todo o mundo. As várias expressões históricas dessas criaturas míticas são manifestações pavorosas e sedentas de sangue de espíritos malignos. Ligadas às trevas, elas eram vistas como criaturas sobrenaturais da noite. As formas mais familiares de hoje foram criadas pelo folclore, pelos contos de fadas e por vilões memoráveis, como o Conde Drácula. Ambas as criaturas foram reimaginadas em formas mais humanizadas por meio dos livros da série Harry Potter e das populares Crônicas Vampirescas, da escritora Anne Rice.

Entretanto, elas não são benignas. O amor arrebatador de Isabella pelo misteriosamente atraente Edward pode ser ficção, mas a obsessão sentida pelas leitoras adolescentes que 'vibram' com Isabella é muito real!! As jovens fãs da série se identificam com o dilema de sua situação, sentem seus temores e 'experimentam' a paixão. Elas gostam da história porque ela desperta emoções fortes e inesquecíveis — o tipo de emoções cativantes que podem melhor ser compartilhadas dentro do grupo de amigas, não com os pais.

Durante o processo, elas também aprendem a desejar os estímulos místicos e paranormais que pertencem ao reino proibido que Deus chama de mal. Conhecendo bem nossas inclinações humanas, Ele nos adverte a evitar todas as formas reais ou imaginárias de ocultismo:

"E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as. Porque o que eles fazem em oculto até dizê-lo é torpe." [Efésios 5:11-12].

"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei." [2 Coríntios 6:14-17].

2. A fantasia e a imaginação podem transformar as crenças e valores mais rapidamente do que a realidade. Muitos de nossos leitores defendem seu amor pelo entretenimento ocultista com a seguinte justificativa: "Conheço a diferença entre a realidade e a fantasia." Mas isto não importa! Quer você conheça ou não, a ficção persuasiva e a experiência virtual podem modificar as mentes e implantar memórias duradouras mais eficientemente do que uma experiência real!

As fantasias populares, com suas emoções ilimitadas e imagens inesquecíveis superam o pensamento lógico. As sugestões sutis delas enfrentam pouca resistência consciente. Concebidas para despertar as sensações e produzir fortes respostas emocionais, elas criam novas realidades nas 'mentes abertas' atuais! Como escreveu Chris Dede, um professor na Universidade de Harvard, que é um líder global no desenvolvimento de programas de tecnologia educacional: "A imersão sensorial ajuda os aprendizes a entenderem a realidade por meio da ilusão." [4].

Mas que tipo de realidade os aprendizes encontrarão por meio da ilusão? E como essas ilusões moldam suas vidas? As seguintes Escrituras nos dão uma pista:

"Não comas o pão daquele que tem o olhar maligno, nem cobices as suas iguarias gostosas. Porque, como imaginou no seu coração, assim é ele. Come e bebe, te disse ele; porém o seu coração não está contigo." [Provérbios 23:6-7].

"Mas não ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos, antes andaram cada um conforme o propósito do seu coração malvado; por isso trouxe sobre eles todas as palavras desta aliança que lhes mandei que cumprissem, porém não cumpriram." [Jeremias 11:8].

"Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela." [Mateus 5:27-28].

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna." [Gálatas 6:7-8].

3. Deus nos diz: "Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem." [Romanos 12:9] Quando a juventude de hoje ama a experiência emocional do ocultismo popular, está dessensibilizando seus corações e suas mentes para o mal, está virando as verdades de Deus de cabeça para baixo. Além disso, com uma pequena ajuda da indústria da propaganda, ela já está virando os valores da nação de cabeça para baixo. Tudo isso se encaixa com os planos dos líderes globalistas e daquela antiga serpente em Gênesis.

Marilyn Fergunson escreveu o seguinte em A Conspiração Aquariana: "Somente poderemos ter uma nova sociedade se mudarmos a educação da nova geração." [5] Esse processo requer que as pessoas rejeitem os sábios limites que Deus estabeleceu e "aborreçam" aquilo que Ele chama de bem. Essa mudança está ocorrendo agora! [6].

"Tu amas mais o mal do que o bem, e a mentira mais do que o falar a retidão." [Salmos 52:3].

"Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!" [Isaías 5:20-21].

4. O ocultismo supostamente benigno de Crepúsculo produz dissonância cognitiva. Os cristãos comprometidos (em contraste com os cristãos culturais) enfrentam uma forma de confusão mental e moral quando são confrontados com valores incompatíveis. Como a cosmovisão de Crepúsculo se choca com a verdade bíblica, os leitores são forçados a fazer uma escolha: Darão ouvidos aos valores ensinados no lar ou à mensagem tantalizadora desses livros e do filme?

Muitos escolhem o caminho da contemporização. Essa dissonância moral leva os cristãos a modificarem seus valores de modo a solucionar o conflito. Afinal, eles não querem perder seus amigos ou a aprovação do grupo. Todavia, o único modo para obter a vitória com Deus é estar disposto a tomar uma posição pela verdade — seja lá qual for o custo.

"Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério." [2 Timóteo 4:2-5].

5. A conseqüência da contemporização é um novo sistema de crenças. Uma visitante nos escreveu o seguinte: "Esses livros criam uma dependência parecida com as drogas. Se conseguem cativar os cristãos, que deveriam saber melhor, imaginem o que poderão fazer com os leitores que não são cristãos.".

Ela está certa. Como os viciados, os leitores/fãs de Crepúsculo aprendem a desejar mais e mais do mesmo gênero — ou algo ainda mais chocante e sensacional. O único sistema de crenças que conheço que pode apoiar esses anseios sensuais e espirituais é a atual "Nova Espiritualidade" [7] que está surgindo com as mensagens canalizadas de autores ocultistas como Neale Donald Walsch, Marianne Willianson e Barbara Marx Hubbard. Promovendo deuses falsos e práticas estranhas à Bíblia e usando nomes como "Abraão", "Deus" e um falso "Jesus", eles complementam as mentiras originais da serpente.

Os ventos da mudança estão fazendo a fé e os valores que estiveram por trás do sucesso dos EUA se desvanecerem rapidamente. Preenchendo o vácuo está uma ideologia amoral, sedenta de poder e dependente de emoções que se choca com tudo o que era valorizado em nossa nação. Não é surpresa que estejamos enfrentando anarquia social e moral. Mas nosso Deus ainda reina! Ele continua a ser um refúgio para aqueles que O buscam!

"Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade... Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados. Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido." [2 Timóteo 3:1-14].

6. Redefinindo o mal. Poucos leitores/fãs de Crepúsculo vêem sua nova paixão como algo maligno. Afinal, Edward é um vampiro relativamente bom, não é? Embora deseje o sangue de Isabella, ele consegue reprimir sua vontade. Outros vampiros (e alguns lobisomens) na saga são frios assassinos, mas Edward é um bom moço! Não é? Além disso, a história deu origem a uma nobre missão.

De acordo com um artigo intitulado "Fã de Crepúsculo sabe que não são apenas os vampiros que precisam de sangue", a caloura de faculdade Kayla Urban desenvolveu uma obsessão por vampiros. Ela também é uma doadora de sangue com fixação pela campanha de doação em sua cidade. Para ela, a mistura de fãs/leitores das histórias de vampiros de Crepúsculo e a necessidade de mais doadores de sangue parecem ser uma combinação lógica. [8] A missão dela é nobre, como são também muitos dos projetos de serviço coletivo atuais. Tudo depende de quem define os padrões de certo e errado — Deus ou o homem! Enquanto o padrão de Deus é como uma âncora em uma tempestade, os valores do homem mudam com os ventos. Pois,

"Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" [Jeremias 17:9].

Desde o princípio, a natureza humana buscou alternativas para Deus e Suas diretrizes. A enganação espiritual deu origem aos vastos sistemas de crença ocultistas e à incessante manipulação pelas forças das trevas. Assim, os sacrifícios pagãos — uma corrupção devastadora do plano perfeito de Deus para Seu povo — se tornaram a norma em todas as partes do mundo habitado. A nota [9] pode ajudar a explicar a proibição de Deus à "comunhão com as trevas... e os ídolos", incluindo os vampiros sedentos por sangue.

Quando o sangue é drenado do homem ou de um mamífero, a vida termina. Nos sacrifícios no Antigo Testamento (agora substituídos pela morte e ressurreição de Jesus Cristo), um cordeiro sem mácula morria em lugar do povo de Deus. A morte vicária servia como expiação (pagava a pena pelo pecado), trazendo redenção. Por um período limitado de tempo, o pecado era coberto, o perdão era concedido e a pessoa santificada podia alegremente retornar à santa presença de Deus.

Em contraste, os rituais pagãos freqüentemente envolviam sacrifícios humanos. As forças demoníacas que estavam por trás de Moloque, Baal e outros deuses requeriam sangue humano. O coração pulsante podia ser arrancado de uma vítima ainda viva, seu sangue colocado em uma tigela e oferecido ao "deus" sedento de sangue por aqueles que esperavam receber seus favores. Outros bebiam sangue humano para obter a força de suas vítimas. A cruel e repugnante deusa hindu Káli — com seus cabelos de serpente, colar de crânios humanos e uma comprida língua sangüinária — nos faz lembrar a perene fascinação do homem pela morte, pela crueldade, pelos símbolos da serpente e pelas forças tenebrosas do mal.

Os frios e pálidos vampiros sedentos de sangue do passado eram expressões dessas forças cativantes. Hoje, os modelos mais elegantes e charmosos tornam todas elas ainda mais sedutoras.

O sacrifício humano é proibido na Bíblia. Na verdade, Deus advertiu repetidamente o povo de Israel a não beber sangue, pois o sangue é a vida. Mas o povo não deu ouvidos. Quando eles começaram a copiar os cruéis sacrifícios de crianças de seus vizinhos pagãos, Deus levantou os exércitos de Babilônia para conquistar a terra e exilar seus habitantes.

A morte auto-sacrificial de Jesus Cristo (o cordeiro santo e imaculado de Deus) difere radicalmente desses sacrifícios pagãos. Ele quis entregar Sua vida como expiação pelos nossos pecados e depois ressuscitou vitoriosamente da morte — trocando assim a antiga solução temporária para a depravação humana por uma redenção. Libertos do pecado, aqueles que crêem são unidos a Ele pelo Espírito Santo, um dom glorioso concedido àqueles que O amam, confiam Nele e O seguem.

"Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando ao SENHOR teu Deus, dando ouvidos à sua voz, e achegando-te a ele; pois ele é a tua vida, e o prolongamento dos teus dias; para que fiques na terra que o SENHOR jurou a teus pais, a Abraão, a Isaque, e a Jacó, que lhes havia de dar." [Deuteronômio 30:19-20].

7. O caminho de Deus para a paz e a vitória. Quando escolhemos seguir Seus caminhos, Ele nos dá um coração para O amarmos, olhos espirituais que possam conhecer e amar Sua Palavra, o conforto de Sua presença, e uma confiança em Seu cuidado constante — independente das circunstâncias ao nosso redor. As emoções enganosas de Crepúsculo são mais do que ruins quando comparadas com as maravilhosas riquezas que nosso Pastor promete àqueles que voltam suas costas para o mal e caminham com Ele.

"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." [Filipenses 4:6-8].

Comentário da Leitora Jane, de Lake Forest, Califórnia

É quase impossível encontrar uma adolescente em nossa cidade que não tenha lido Crepúsculo. Agora, estou encontrando mulheres mais velhas, entre 20 e 30 anos que também estão lendo. Cada uma delas já assistiu ao filme...

Minha filha de 17 anos achou o filme constrangedor e ridículo. Ela ficou pasma ao ver as garotas gritarem extasiadas pelo personagem imaginário, Edward.

Acho que parte daquilo que você ressaltou, é que ler um livro, permitir que nossa mente traga à vida a palavra impressa e personificá-la de acordo com cada um de nós, é muito mais poderoso e duradouro do que as rápidas imagens visuais em um filme. As imagens podem não corresponder à forma como imaginamos ao ler o livro. A resposta de minha filha NÃO foi característica das outras pessoas que assistiram ao filme. Elas gostaram; elas estão dispostas a aceitar qualquer lixo como alimento para suas mentes...

Perguntei a um rapaz quantos homens estavam no cinema. "Quer que eu inclua os homossexuais inflamados?" "Não." "Havia somente um homem, eu. Você também precisava ver os gritos deles em aprovação a Edward.".

Eu não tinha percebido o súbito aumento no número de garotas que estão se tornando doadoras de sangue. Tenho certeza que a Cruz Vermelha não está interessada em saber, mas eu estou. Enquanto eu estava na Igreja da Comunidade de Saddleback, muitas vezes, a lógica apresentada para alguns projetos estúpidos, caros e sem base bíblica era: 'Se uma pessoa for salva, terá valido a pena.' À medida que observava e aprendia, vi muitas pessoas não salvas; elas ou se afastavam enojadas, estavam ali somente por que era gratuito ou divertido, ou pior, pensavam que estavam salvas, mas não recebiam o pleno evangelho de Jesus Cristo.

Assim, fico de cabelos em pé quando ouço desculpas fajutas para comportamento indesculpável. Todas essas ações levam exatamente para aquilo que você indicou — CONTEMPORIZAÇÃO. Chamo este lugar onde vivemos de 'Vale da Contemporização'. Agora, tenho de dizer que vivemos no país da contemporização.

Acredito que seu artigo ajudará os pais a terem uma pista sobre o comportamento de seus filhos adolescentes (tanto das meninas em busca de amor proibido, quanto de rapazes seguindo o modelo de Edward, o ímã de garotas).

Quem imaginaria que haveria um retorno do gênero romântico/horror? Acredito agora que muitas 'filhas dos homens' puderam na verdade sucumbir aos desejos dos demônios. Como é trágico observar que tantos escolham permanecer ignorantes e buscar ativamente as trevas e o mal. Você já observou o quão audazes e beligerantes os homossexuais se tornaram?

Sim, já observei. Isto me faz lembrar Sodoma e Gomorra — e do julgamento que se seguiu.

Notas Finais

,

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban — Análise do Livro — Parte 1

quarta-feira, 28 de setembro de 2011 13 comentários


Uma Breve Sinopse

No final do livro HP e a Câmara Secreta, Harry e seus amigos tomam conhecimento da existência de uma prisão especial para bruxos que, por serem muito maus, tiveram de ser removidos do mundo. O nome dessa prisão era Azkaban e, segundo se dizia, o lugar era terrível. Todo o terceiro ano de Harry na escola envolverá a luta contra o mal mais hediondo imaginável — um prisioneiro que fugiu e que planeja matar Harry — e os guardas da prisão vieram a Hogwarts para tentar fazer a recaptura. Para Harry, toda a seqüência de eventos é quase mais do que ele pode suportar, mesmo sendo ele um bruxo com tradição familiar muito poderosa; afinal, ele ainda só tem treze anos de idade.

Por doze longos anos, a pavorosa fortaleza de Azkaban manteve em detenção um infame prisioneiro chamado Sirius Black, condenado por ter matado treze pessoas com uma única maldição. Acredita-se que ele seja o herdeiro aparente do Senhor das Trevas, Voldemort. Agora ele escapou, deixando somente duas pistas sobre o lugar para onde possa estar indo: Os guardas de Azkaban ouviram Black falando durante o sono, "Ele está em Hogwarts... ele está em Hogwarts." Harry Potter não está seguro, nem mesmo sob a proteção das muralhas da sua Escola de Magia, e cercado por seus amigos. A derrota que Harry Potter infligiu a Lord Voldemort também resultou na queda de Sirius Black.

Além disso, existem indícios da existência de um traidor entre eles. No entanto, em um final surpreendente, Harry descobre que seu inimigo não é Sirius Black! Na verdade, Sirius Black foi encarcerado por lançar uma maldição e matar trezes pessoas e foi mantido aprisionado em Azkaban por doze anos, mas era inocente. Harry descobre que Sirius é seu Protetor e que realmente cuida dele.


Novamente, vemos que o mundo normal, em que vivem as pessoas que não praticam a magia [chamadas de trouxas] é retratado de forma muito negativa, enquanto que o mundo da fantasia dos magos e dos bruxos é mostrado com aventuras emocionantes. A diferença é suficiente para fazer uma pessoa que esteja lendo o livro desejar ser um mago ou um bruxo. Por exemplo, vemos que "Tia Petúnia, que era ossuda e tinha cara de cavalo... era a mulher mais bisbilhoteira do mundo e passava a maior parte da vida espionando os vizinhos sem graça, que nunca faziam nada de errado." [pág. 21].

Harry Potter e seus amigos constantemente olham com desdém para qualquer pessoa que sinta o dever de obedecer as regras e as leis da escola e da sociedade. Aqui, podemos ver como Rowling planta a idéia na cabeça de seus jovens leitores que as pessoas que nunca fazem nada de errado são "sem graça", implicando assim que é divertido desrespeitar as leis! Pais cristãos: é esse o tipo de mensagem que querem dar aos seus filhos?

Nota Específica Para a Compreensão: A autora J. K. Rowling constantemente retrata ambos os tipos de realidade em que o satanista opera: o mundo real e o mundo da fantasia. Entretanto, os ocultistas definem a fantasia de forma muito diferente da que você ou eu fazemos. Precisamos compreender essa diferença para entendermos totalmente o que está ocorrendo nesses livros de Harry Potter. Explicamos essa diferença nas realidades em seguida:

1. Ambos os mundos são reais, e existem lado a lado, em paralelo. Fantasia é o mundo que o satanista constantemente busca acessar, um mundo repleto de aventuras emocionantes com magia disponível para eles a cada passo. O satanista considerará seu mundo de fantasia mais emocionante, mais gratificante e mais 'real' que seu mundo real. É por isso que Harry diz a Dobby, após ser aconselhado a não retornar à escola: "Mas eu tenho que voltar... É só o que me anima a viver. Você não sabe o que passo aqui. O meu lugar não é aqui. O meu lugar é no seu mundo, em Hogwarts." [HP e a Câmara Secreta, pág. 20].

2. Definição de "Sobrenatural" — "Relativo à existência fora do mundo natural; especialmente não atribuível às forças naturais." Portanto, todas as atividades no mundo de fantasia ocultista são 'sobrenaturais'. Assim, a garantia dada por Chuck Colson aos pais cristãos que os livros de Harry Potter são inofensivos porque "não é feito nenhum contato com o mundo sobrenatural" é totalmente falsa!

Outro portal de entrada a partir da realidade dos trouxas para a realidade da fantasia é mostrado. Para entrar no Beco Diagonal a partir do mundo real, os bruxos tinham de entrar no bar Caldeirão Furado, que os trouxas não podiam ver! Uma vez dentro do Caldeirão Furado, os bruxos podiam entrar no Beco Diagonal, e adquirir toda a parafernália necessária para realizar suas 'artes'. [pág. 46].

Para ir da realidade dos trouxas para a realidade ocultista da fantasia, podia-se também embarcar no trem Expresso de Hogwarts; você tinha de ir à plataforma nove e meia, que era totalmente invisível aos trouxas. "'Percy primeiro' — disse a senhora Weasley, consultando nervosa o relógio no alto, que indicava que tinham apenas cinco minutos para desaparecer pela barreira sem serem vistos. Percy adiantou-se com passos firmes e desapareceu. O senhor Weasley o seguiu; depois Fred e Jorge. " [pág. 62].
Áreas Específicas de Observação e de Interesse

1. Contato com o Mundo Sobrenatural Enquanto Está na Realidade dos Trouxas


A. Arthur Weasley, chefe da Seção de Controle do Mau Uso dos Artefatos dos Trouxas no Ministério da Magia, vive na realidade dos trouxas. Ele ganhou um prêmio em um sorteio para levar sua família em férias ao Egito. O filho mais velho dele trabalha lá, no Banco Gringotes, como "desfazedor de feitiços". A família Weasley ficou chocada com os feitiços que os velhos magos egípcios lançavam nos túmulos para protegê-los. [págs. 14-15].

B. O Nôitibus Andante. Quando Harry Potter saiu da casa dos Dudleys após lançar uma maldição na Tia Guida, ele simplesmente colocou seus pertences em um malão, apanhou a gaiola da coruja Edwiges, e saiu. Ele caminhou bastante, arrastando o malão e finalmente sentou-se, espumando de raiva e escutando o galope desenfreado do seu coração. Subitamente, um ônibus de três andares, roxo berrante, materializa-se do nada, chegando à realidade dos trouxas vindo da realidade da fantasia. O Nôitibus percorre o mundo dos trouxas, procurando magos ou bruxos que estejam perdidos e que precisem de transporte sobrenatural para sair de alguma situação difícil. Por alguma razão, nenhum trouxa consegue ver ou ouvir o ônibus, mesmo quando ele entra na realidade dos trouxas. [págs. 33-34].

2. Contato com Espíritos Sobrenaturais Enquanto Está na Escola de Magia e Bruxaria

A. "A festa terminou com um espetáculo apresentado pelos fantasmas de Hogwarts. Eles saltavam de repente das paredes e dos tampos das mesas e voavam em formação. Nick Quase Sem Cabeça, o fantasma da Grifinória, fez grande sucesso com uma encenação de sua própria decapitação incompleta." [pág. 132].

B. "Todas as velas se apagaram ao mesmo tempo. [no dormitório]. A única luz agora vinha dos fantasmas prateados, que flutuavam no ar em sérias conversas com os monitores, e do teto encantado, que reproduzia o céu estrelado lá fora." [pág. 136]. Observe que esses "fantasmas prateados" conversavam com os líderes dos alunos, os monitores. Novamente, você pode ver como a "garantia" dada por Chuck Colson aos pais que "nenhum contato é feito com o mundo sobrenatural" é ridícula.

3. Cores Usadas 

Rowling usa cores muito vívidas em todo o livro, e na maior parte do tempo, a cor é coerente com as cores que os feiticeiros usam. O uso dessas cores vívidas também permite que ela retrate a realidade da fantasia da feitiçaria como o lugar mais interessante que há para se viver. O Mágico de Oz usa a mesma técnica; quando Dorothy está no seu mundo real em Kansas, a cor é preto-e-branco, mas quando entra na realidade da fantasia, as cenas explodem com as mais maravilhosas cores.


A. Verde — É a cor favorita de Satanás, e a vemos extensamente utilizada no livro.

1. "Lalau voltou do primeiro andar, seguido de uma bruxa meio esverdeada e embrulhada em uma capa de viagem." [pág. 36].

2. Os carros limusine especiais do Ministério da Magia eram verdes-escuros e cada um era dirigido por bruxos vestidos de veludo verde-vivo [pág. 63]. A professora de Adivinhação usava longos brincos de esmeralda. [pág. 88].

B. "Dois enormes sapos roxos que engoliam com um ruído aquoso um banquete de moscas varejeiras" em uma loja de bruxos no Beco Diagonal. [pág. 53].

C. "Lesmas venenosas, de cor laranja, subiam lentamente pelas paredes do aquário." [pág. 53].

D. "... em cima do balcão, um gaiolão de ratos negros e luzidios que brincavam de dar saltos se apoiando nos longos rabos lisos". [pág. 53].

E. O Expresso de Hogwarts, que leva os alunos à escola, era vermelho. [pág. 63].

F. A professora de Adivinhação tinha planejado uma sala de aula muito esquisita. "O ambiente era iluminado por uma fraca luz avermelhada... As cortinas às janelas estavam fechadas e os vários abajures estavam cobertos por xales vermelho-escuros... As prateleiras em torno das paredes circulares estavam cheias de penas empoeiradas, todos de velas, baralhos de cartas em tiras, incontáveis bolas de cristal prateadas e uma imensa coleção de xícaras de chá." [pág. 87].


4. Feitiços, Encantamentos Mágicos, Poções e Truques



A. Feitiço Para Congelar as Chamas [pág. 9].

B. Poção Redutora [págs. 3, 104-6]. Um dos alunos, Neville Longbottom, não utilizou os ingredientes corretos e sua poção ficou cor laranja em vez de verde-ácido brilhante. [pág. 106]. O professor disse: "Você não me ouviu dizer, muito claramente, que só precisava pôr um baço de rato? Será que eu não disse, sem nenhum rodeio, que um nadinha de sumo de sanguessuga era suficiente?" [pág. 106].

C. Encantamento Para Curar Feitiços Acidentais [pág. 42].

D. A vassoura Firebolt, um novo modelo para a prática do quadribol, vem com um encantamento de irrefreável ação. Esse encantamento evita que alguém da platéia lance uma maldição sobre uma das vassouras, fazendo seus freios travarem. [pág. 46].

E. Poção do Amor [pág. 62].

F. Feitiço Fidelius. [pág. 169] "Um feitiço extremamente complexo — explicou com a sua vozinha fina -, que implica esconder o segredo, por meio da magia, em uma única pessoa viva. A informação é guardada no íntimo da pessoa escolhida, ou fiel do segredo, e torna-se impossível encontrá-la, a não ser, é claro, que o fiel do segredo resolva contar a alguém."

G. Feitiço do Patrono. "O feitiço que vou tentar lhe ensinar faz parte da magia muito avançada, Harry, muito acima do Nível Normal de Bruxaria. É o chamado Feitiço do Patrono... quando funciona corretamente, ele conjura um Patrono, que é uma espécie de antidementador, um guardião que age como um escudo entre você e o dementador." [pág. 194].

H. Venenos Indetectáveis [pág. 199] — Harry e seus amigos estavam estudando esse assunto na aula de Poções para uso posterior como magos e bruxos. O único objetivo de uma poção indetectável é matar um inimigo, algo que nenhuma criança cristã deveria contemplar, muito menos ver o herói estudando como fazê-lo.

I. Feitiço Para Animar — Não é interessante que as pessoas que rejeitam o evangelho de Jesus Cristo precisem conjurar um "feitiço para animar"? [pág. 239].

5. A Autora J. K. Rowling Retrata o Satanismo Corretamente

A. A maldição de Voldemort sobre os pais de Harry também foi direcionada contra Harry, e foi lançada para matá-lo juntamente com seus pais. Embora a maldição tenha matado os pais de Harry, não o matou; portanto, "... o feitiço do bruxo, em vez de matá-lo, tinha se voltado contra o próprio feiticeiro. Quase morto, Voldemort fugira..." [pág. 13] Rowling retrata o satanismo com precisão. Um feiticeiro ou bruxo precisa ter muito cuidado contra quem lança uma maldição, e sob quais circunstâncias. Se o poder da magia da vítima for maior que o da pessoa que está lançando a maldição, ou se a maldição não for lançada corretamente, ela volta contra a pessoa que a lançou. Novamente, Rowling demonstra uma clara compreensão da feitiçaria real, e a descreve corretamente.


B. Rowling compreende o significado dos sapos, gatos e corujas para o ocultista, e usa-os de forma coerente em seus livros. Examine esta gravura do deus Baal, obtida em um antigo livro satânico, Witchcraft and Alchemy [Feitiçaria e Alquimia]. Os satanistas sempre reverenciaram os gatos por causa de suas supostas "nove vidas", que é um símbolo da reencarnação. Os gatos também são símbolos do espírito familiar de um feiticeiro.

Eles reverenciam o sapo porque seus olhos esbugalhados representam a natureza Tudo-Vê de Lúcifer. Os sapos também são freqüentemente usados em muitas das poções que os bruxos preparam. Eles reverenciam as corujas como um símbolo da sabedoria e da onisciência ocultista — novamente, por causa dos grandes olhos. Nos livros de Harry Potter, as corujas são usadas para enviar cartas, levando comunicados de um bruxo a outro, novamente coerente com a representação ocultista desse animal.

C. Rowling retrata a Visão Interior corretamente. A professora de Adivinhação usava sua Visão Interior para ver o futuro e interpretá-lo. Isso também é chamado de Terceiro Olho; veja a definição do Dicionário de Nova Era: "Órgão de intuição, localizado entre as pestanas; sexto chakra dividido em cinco categorias pelos tibetanos: 1. Olhos dos Instintos, faixa acima do normal de visão, como um pássaro. 2 Olhos Celestiais, captam o céu, a Terra, e o nascimento futuro; 3. Olhos da Verdade, captam as épocas do mundo; 4. Olhos Divinos, captam milhões de épocas do mundo; 5. Olhos da Sabedoria, ou Budas, captam a eternidade" [pág. 200]. Assim, Rowling está correta na descrição da professora de Adivinhação como alguém que precisa fazer uso da Visão Interior. Você quer que seu filho fique tão entranhado nos livros de Harry Potter que busque a prática da abertura da Visão Interior? Na realidade, um satanista somente abre sua Visão Interior por meio da meditação ocultista, o que resulta em possessão demoníaca.

D. A professora de Adivinhação percebe que Hermione tem "não tem muita aura ao redor" [pág. 91]. Os satanistas crêem que cada pessoa tem uma aura à sua volta, definida pelo Dicionário de Nova Era como uma "tênue luz em volta da pessoa". Muitos ocultistas hoje em dia ganham uma boa vida alardeando sua capacidade de ler a aura das pessoas. Já vi gravuras que mostram o corpo de uma pessoa cercado por uma luz brilhante.

E. A professora de Transformação ensina os alunos sobre os animagos (bruxos que podiam se transformar à vontade em animais), e sequer estava olhando quando ela própria se transformou, diante dos olhos deles, em um gato malhado com marcas de óculos em torno dos olhos". [pág. 92] Estamos sendo especialmente condicionados a aceitar os animagos por meio dos programas da televisão, filmes, desenhos animados, livros, e até mesmo brinquedos, que representam as pessoas que se metamorfoseiam em vários animais. Satanás está condicionando, condicionando nossas crianças a aceitarem muitas de suas práticas insidiosas. O aparecimento do Anticristo não deve estar muito longe.

F. Rowling retrata corretamente uma das mais insidiosas realidades do mundo da possessão demoníaca, o fenômeno chamado Transformação. Nesse fenômeno, o mais poderoso dos demônios que estão possuindo o indivíduo subitamente muda a forma da pessoa para qualquer tipo de demônio que ele seja. Lupin, um dos professores da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, transforma-se em lobisomem.


"O garoto viu a silhueta de Lupin. O professor enrijecera. Então as pernas de Harry começaram a tremer... Ouviu-se um rosnado medonho. A cabeça de Lupin começou a se alongar. O seu corpo também. Os ombros se encurvaram. Pêlos brotavam visivelmente de seu rosto e de suas mãos, que se fechavam transformando-se em patas com garras... Quando o lobisomem se empinou, batendo as longas mandíbulas, Sirius desapareceu do lado de Harry. Transformara-se. O enorme cão semelhante a um urso saltou para frente. E quando o lobisomem se livrou da algema que o prendia, o cão agarrou-o pelo pescoço e puxou-o para trás, afastando-o de Rony e Pettigrew. Atracaram-se, mandíbula contra mandíbula, as garras se golpeando..." [pág. 307].

Entretanto, Lupin, o professor de Defesa Contra as Artes das Trevas e ele próprio um lobisomem, ensinou seus alunos sobre Transformação usando um tipo especial chamado. Bicho-Papão. "Esse tipo de transformista é capaz de assumir a forma que achar que pode nos assustar mais". [pág. 112].

Estamos sendo condicionados a aceitar a realidade das transformações. Muitos programas na televisão e filmes no cinema estão mostrando esse tema. Um ex-satanista me disse que, durante o período da Tribulação, os carcereiros que estarão vigiando as prisões para os cristãos dissidentes se transformarão da forma humana para a de um réptil. Não queremos de modo algum ficar de fora do Arrebatamento!

G. "Porque o castelo não está protegido só por parede, sabem. Recebeu todo tipo de feitiço, para impedir as pessoas de entrarem escondidas. Ninguém pode simplesmente aparatar aqui." [pág. 136]. Os feiticeiros e bruxos regularmente lançam encantamentos de proteção sobre si mesmos e sobre suas casas, para se protegerem contra os espíritos "maus" Além disso, esse fenômeno chamado "aparatar" é Viagem Astral, em que o espírito do mago ou do feiticeiro deixa o corpo por um breve período de tempo e viaja para outro lugar, ou no Mundo Real ou no Mundo da Fantasia. Logicamente, o que ninguém diz é que, quando um mago viaja astralmente, um demônio precisa ficar em seu corpo para mantê-lo vivo até que o espírito do mago/feiticeiro retorne. A Bíblia nos dá a instrução neste ponto: "E Abraão expirou, morrendo em boa velhice e farto de dias; e foi congregado ao seu povo." [Gênesis 25:8].

Novamente, tenho a vaga impressão que nenhum desses ministérios cristãos que avaliaram os livros da série Harry Potter como apropriados para as crianças, realmente leram algum desses livros!

CONTINUA AQUI

Fonte: Espadaeti