, ,

Filme O Código Da Vinci — Sinal Seguro Que o Aparecimento do Anticristo Está Próximo

quarta-feira, 31 de agosto de 2011 33 comentários


Artigo de The Cutting Edge

O filme arrasa-quarteirão O Código Da Vinci, baseado no livro homônimo de Dan Brown, que alcançou um fenomenal sucesso de vendas, está programado para ser lançado nos cinemas em maio. O simples fato que a mentira propagada por esse livro/filme está sendo lançada repetidamente de forma tão poderosa é outro "sinal dos tempos" que nos diz que o aparecimento do Anticristo (o Cristo maçônico) está próximo.

Veja, o Anticristo não poderá aparecer até que um número significativo de pessoas em todo o mundo acredite na mentira da linhagem sangüínea apresentada poderosamente por esse filme produzido por Hollywood.

A combinação de O Código Da Vinci, de Dan Brown, e esse filme de mesmo nome é um dos mais chocantes eventos nos últimos tempos, pois será um instrumento muitíssimo eficiente para expor para a consciência das pessoas uma mentira crítica que será de importância fundamental para o Anticristo. Além disso, essa mentira ocorre em um tempo quando os eventos parecem estar se movendo em direção a mais globalismo do que nunca antes. Neste tempo tão crítico da história mundial, O Código Da Vinci expôs uma mentira obscura, oculta, de sociedade secreta, que somente podia ser lida em livros de Nova Era. Embora o livro O Santo Graal e a Linhagem Sagrada, de Baigent/Leigh/Lincoln, tenha vendido mais de um milhão de exemplares e programas de televisão tenham sido produzidos sobre esse assunto, todas essas antigas divulgações são pálidas e insignificantes quando comparadas com os quase vinte milhões de exemplares vendidos de O Código Da Vinci.

Como fazer as pessoas acreditarem nessa mentira é tão importante para o aparecimento do Anticristo, vamos agora examinar essas mentiras conforme relatadas no livro de Dan Brown. Tudo indica que o filme continuará a ensinar as mentiras do livro; portanto, vamos examinar o livro.

Aqui está uma lista das mentiras contadas em O Código Da Vinci:

* Jesus casou-se com Maria Madalena e teve um filho com ela. Após a crucificação de Jesus, Maria fugiu com seu filho — dependendo da ajuda de amigos — e foi para o país que hoje é conhecido como França. Posteriormente, esse filho casou-se e passou a integrar a nobreza francesa, de quem brotaram as monarquias da Europa, da Grã-Bretanha e até da Rússia. Para proteger e preservar essa linhagem sangüínea secreta — chamada de Linhagem dos Merovíngios — foi formada uma sociedade secreta chamada Priorado de Sião. Então, quando o Anticristo aparecer, poderá demonstrar sua linhagem merovíngia ininterrupta até Jesus. Como o capítulo do evangelho de Mateus apresenta a genealogia de Jesus Cristo, uma vez que o Anticristo estiver "plugado" em Jesus, terá automaticamente estabelecido que descende do rei Davi! Assim, será "cumprido" um componente crítico para qualquer um que queira convencer as pessoas que ele é o Messias judaico, isto é, que é um descendente direto do rei Davi.


Essa sociedade oculta existe hoje e está ativamente protegendo e preservando essas informações críticas.

* Ao ler o livro de Dan Brown, você precisa afivelar seu cinto de segurança, pois será exposto a uma mistura de verdade e erro, do tipo que provavelmente nunca viu antes. Você também encontrará conceitos religiosos gnósticos e de Nova Era que não conhecia. Em nosso vídeo "Secret Mysteries of America Beginnings" (disponível na seção BookStore do site Cutting Edge), revelamos as principais mentiras gnósticas que fundamentam o Código Da Vinci e vinculamos isso diretamente ao gnosticismo / Cavaleiros Templários inerentes no filme A Lenda do Tesouro Perdido. Neste momento de tempo, não há questão mais importante a compreender que os ensinos gnósticos que estão sendo promovidos por O Código Da Vinci.

* O livro de Brown é uma engenhosa apresentação psicológica que pretende apresentar todos os lados do assunto, mas faz isso de um modo a deixar a impressão com o leitor que todo o conceito — que Jesus possa ter sido casado com Maria Madalena e produzido um herdeiro que é agora a linhagem sangüínea das monarquias européias e britânica — possa afinal ser verdadeiro. Essa engenhosa apresentação psicológica é, na realidade, a operação do Princípio Dialético, que chamamos de "Plano das Seis Etapas Para a Mudança do Comportamento". Se você ainda não leu nosso tratado sobre esse método insidioso de silenciosamente mudar a mente, as atitudes e o sistema de valores das pessoas sem que elas tenham a menor noção do que está acontecendo, pedimos que pare agora e leia o artigo N1055.

* Na discussão do pintor Leonardo Da Vinci, ficamos sabendo o seguinte:

Foi um intelectual poderoso.

Acreditava que algum dia o homem poderia voar, e chegou a desenhar como isso seria possível.

Foi um estudante de anatomia e deixou alguns desenhos muito detalhados do corpo humano.


Da Vinci era um 'Homem da Razão", em um tempo de fervor religioso intenso. [Nota: Você pode ler essas palavras assim: "Perseguição religiosa irracional". Em outras palavras, Da Vinci viveu em um tempo quando a perseguição religiosa por parte da Igreja Católica era desmedida; portanto, ele tinha de esconder cuidadosamente qualquer mensagem que quisesse transmitir em suas obras de arte.

Esse é o tipo de homem que escondia significados mais internos em seus quadros, o tipo de homem que escondia em suas pinturas aquilo que deixava sair de seus cadernos de anotações. Em 1495, Da Vinci começou a pintar A Última Ceia. Em seu livro, Dan Brown diz às pessoas aquilo que devemos ver, isto é, referindo-se ao 'significado oculto' nessa pintura. Ele então aponta para um distinto "V" criado pelo ângulo do corpo de Jesus em um lado e o corpo de 'João' — ou seria o corpo de Maria Madalena? — no lado esquerdo. Brown diz corretamente que, na arte medieval, o 'V' era um símbolo feminino, o símbolo do órgão sexual feminino. A tese de Brown é que o 'João' sentado à direita de Jesus deve realmente ser considerado a representação de Maria Madalena. Realmente, quando você olha de perto para as feições, elas parecem ser distintamente femininas. A face é feminina e o cabelo é encaracolado, como o cabelo de uma mulher e muito loiro. Essa pessoa, declara Brown, é Maria Madalena.

Ela está sentada ao lado de Jesus — um lugar privilegiado à mesa.

Portanto, a questão da hora é óbvia — "Se essa pessoa é realmente Maria Madalena, quem deu a Da Vinci esse 'conhecimento secreto' que Maria foi casada com Jesus?

A resposta é uma sociedade secreta. Novamente, vemos o papel que as sociedades secretas tiveram no desenvolvimento das sociedades ocidentais, exatamente como demonstramos no vídeo "Secret Mysteries of America's Beginnings".

A sociedade secreta que passou esse "conhecimento perigoso" de uma geração a outra é em grande parte desconhecida; entretanto, no início dos anos 1960, dossiês secretos foram descobertos no Laboratório Nacional da França, chamados "Dossiers Secrets". Esses antigos documentos fazem várias referências detalhadas a um grupo chamado Priorado de Sião. Essa sociedade secreta ocultista listava os nomes de muitos grão-mestres nos séculos passados, incluindo alguns nomes muito famosos de pintores e 'pensadores' que alcançaram alta reputação e estima na história da Europa ocidental. Alguns desses homens foram:

Sir Isaac Newton
Monticelli
Leonardo Da Vinci — grão-mestre em 1510

A mensagem não dita, mas clara em toda essa relação de nomes — uma prática especialmente forte na Maçonaria — é que, se homens desse calibre foram membros de alto escalão dessa organização, então ela deve ser altamente respeitável. Logicamente, nada poderia estar mais longe da verdade, pois Satanás é o "príncipe deste mundo" e pode perfeitamente colocar seus homens em posições certas de toda sociedade em todas as épocas. Os cristãos com discernimento nunca devem se deixar enganar por esse argumento.

Os críticos fazem três perguntas importantes:

Existe o Priorado de Sião?

Como essa sociedade obteve essas informações? [Nota: O modo como essa frase está redigida implica que existem informações válidas a serem obtidas.].

O que ela tem a ver com as lendas chamadas de "Santo Graal"?

Evangelhos Gnósticos — A Parte Crítica da Mentira

Neste ponto, o livro levanta uma interessante — e falsa — questão: Existem "evangelhos secretos" que permaneceram enterrados durante séculos. Esses evangelhos contêm a informação que Maria Madalena era uma favorita de Jesus e que Ele repetidas vezes a beijava na boca! Uma das idéias interessantes que Brown apresenta é que ela foi casada com Jesus e teve uma criança com Ele. Após a crucificação, ela fugiu de Jerusalém com a ajuda de amigos e viajou de navio para o país que atualmente é conhecido como França. Os descendentes dessa criança casaram-se na nobreza francesa e formaram o Priorado de Sião. Embora não existam evidências de uma criança ou de uma linhagem sangüínea em qualquer documento histórico, muitos acham que as evidências possam ser encontradas nas lendas que circularam no oeste da França durante séculos. Uma dessas lendas é a do Santo Graal. Fugindo da perseguição, um barco sem remos aparece na costa da França, levando o "Santo Graal"! Assim, os aderentes da Nova Era acreditam que o "Santo Graal" não era apenas Maria Madalena, mas a própria criança.

Os dois formavam o verdadeiro Santo Graal, a linhagem sangüínea real de Jesus Cristo.

Os eruditos de Nova Era acreditam que o "vaso sagrado" que continha o sangue de Jesus era a própria Maria Madalena! É por essa razão que Leonardo Da Vinci pintou Maria Madalena ao lado de Jesus em seu quadro "A Última Ceia". Ela era o verdadeiro "Santo Graal", pois a criança sagrada que mais tarde se casou com o príncipe merovíngio teria vindo do corpo de Maria. A "Linhagem Sagrada" no título O Santo Graal e a Linhagem Sagrada refere-se à linhagem sangüínea criada quando a filha de Maria casou-se com o príncipe.

Agora, Brown volta a falar da sociedade secreta Priorado de Sião.

A linhagem sangüínea dos merovíngios é rastreada até Jesus e seus descendentes, isto é, Maria Madalena e sua criança. Essa linhagem sangüínea foi ameaçada pela Igreja Católica, de modo que a verdade teve de ser escondida. O Priorado de Sião recebeu a incumbência de proteger as informações sobre essa linhagem sangüínea.

Neste ponto, você pode fazer a pergunta: Por que não podia a verdade ser publicamente contada durante os tempos medievais?

A ortodoxia não permitiria isso; ela não toleraria um Jesus casado. A verdade era perigosa demais para ser dita abertamente, pois a Igreja sempre tinha reagido com violência. Logicamente, a "Igreja" referida aqui não é a genuína igreja cristã, mas a horrenda face inquisitorial da Igreja Católica Romana.

Evangelhos Secretos = Evangelhos Gnósticos

Agora, vamos discutir esses "evangelhos secretos" em maior detalhe, pois todo o Movimento de Nova Era — incluindo Dan Brown — claramente atribuem muita credibilidade a esses relatos totalmente contrários à Bíblia.

Escondidos no Egito durante séculos, esses "evangelhos secretos" foram descobertos em tempos recentes. Eles nos dizem alguma coisa sobre o relacionamento entre Jesus e Maria Madalena? A Bíblia cristã tem grandes omissões na história da vida de Jesus. A Igreja ordenou que todos os 'evangelhos secretos' fossem destruídos e destruiu todas as cópias, exceto uma. Essa única cópia permaneceu escondida no Egito até aproximadamente cinqüenta anos atrás. Os "Pergaminhos Megamantic" descreviam uma história alternativa de Jesus e Maria Madalena. Se a Igreja esforçou-se tanto para esconder e destruir esses "outros evangelhos", assume-se que a história que eles contavam era muito explosiva.

Os nomes de vários 'outros evangelhos' são citados, supostamente todos numa parte dessa cópia descoberta no Egito cinqüenta anos atrás. Os nomes deles são:

Evangelho de Tomé
Evangelho da Verdade
Evangelho de Filipe
Evangelho de Maria Madalena

Esses também são chamados de "evangelhos gnósticos" e tinham conhecimento especial de Jesus. O pergaminho que diz que Jesus beijava afetuosamente Maria Madalena está danificado. O rolo que diz 'Jesus estava beijando Maria Madalena na ______ (buraco no pergaminho). Ele poderia estar beijando qualquer parte do corpo, a mão, o pé, os lábios, você pode preencher com a parte do corpo que quiser. Mas, seja lá o que ele estava beijando, isso deixou os discípulos enciumados.

A implicação que Jesus estava beijando Maria Madalena com intenções sexuais é possível. O Evangelho de Filipe chama Maria Madalena de 'companheira'. Existem pessoas que acreditam nesses evangelhos gnósticos. Além disso, no Evangelho de Maria, Maria Madalena é uma figura muito forte na igreja primitiva.

Quando Pedro pede a Maria Madalena para dizer aos discípulos alguma coisa que o Salvador lhe tenha dito, Maria responde: "Contarei aquilo que ele escondeu de vós.' Ela então conta a Pedro que Jesus apareceu a ela em uma visão [após sua morte] e falou com ela. André faz objeções, dizendo que não acredita nessa história. Pedro intervém e diz, "Certamente, Jesus não amou uma mulher mais do que a nós." Maria chora e diz, 'Pedro, acreditas que inventei tudo isto?"

Como Maria Madalena caiu em desfavor? Maria foi uma vítima de uma luta de poder entre homens e mulheres na igreja primitiva. À medida que a igreja tornou-se dominada pelos homens — hierarquia masculina — Maria Madalena representava uma ameaça a essa liderança masculina. A hierarquia dominada pelos homens estava ameaçada. Quão diferente seria nossa percepção de Jesus se ele tivesse uma esposa. (Nota: Soa e parece muito piedoso aqui.) Se Jesus tivesse mulher e filhos, a Igreja teria tido uma atitude muito diferente em relação ao sexo. Entre os anos 100 e 150, as mulheres estavam marginalizadas e silenciadas nas igrejas; provavelmente foi por essa época que começou a circular a história que Maria fora uma prostituta. Afinal, os livros de história são escritos pelos vencedores.


Em uma entrevista recente, Dan Brown foi questionado:

Você acha que seu livro tocou em um nervo? A resposta dele:

"Os mistérios da espiritualidade, das origens das nossas religiões, são tópicos que ressoam em um nível muito profundo, no âmago da psiquê humana. Independente se você concorda ou não, os tópicos estão agora sobre a mesa e estamos falando sobre eles, tópicos que durante séculos foram tabus."

Maria é apresentada nesses "evangelhos gnósticos" de um modo muito forte. Você começa a falar somente de Maria Madalena, Jesus, e sexo, e perde o ponto mais importante que, vinte séculos atrás, tivemos um grande líder religioso chamado Jesus de Nazaré, que derrubou as barreiras dos viéses culturais, que tinha mulheres entre seus discípulos e amigos mais íntimos; essas mulheres não apenas preparavam o chá e varriam a casa após os homens saírem. Em muitos aspectos, Maria Madalena era uma apóstola, uma companheira, uma porta-voz de Jesus e do seu evangelho, como qualquer um dos homens.

Assim, O Código Da Vinci reescreve a história, substituindo-a pelo evangelho gnóstico humanista que glorifica a deusa, Maria Madalena. É feito um esforço de convencer as pessoas que Jesus não morreu de verdade, mas saiu da tumba, foi até a aldeia, casou-se com Maria Madalena, teve filhos com ela, e que Maria finalmente fugiu para a França, onde deu à luz uma menina que mais tarde casou-se com um príncipe merovíngio.

Como toda a nobreza da Europa, da Europa oriental e da Grã-Bretanha pode rastrear sua linhagem sangüínea até os reis merovíngios, qualquer um deles pode rastrear sua genealogia até Jesus se puder se conectar à filha de Maria Madalena.

O Gnosticismo — Uma Doutrina Satânica Renascida
O Gnosticismo de Acordo com a Doutrina Satânica

"A palavra gnóstico significa sabedoria, ou conhecimento, e é derivada do grego gnosis. Os membros da ordem afirmavam estarem familiarizados com as doutrinas secretas do cristianismo primitivo. Eles interpretavam os mistérios cristãos de acordo com o simbolismo pagão. As informações secretas e os dogmas filosóficos deles eram escondidos dos profanos e ensinados a um pequeno grupo de pessoas especialmente iniciadas." [The Secret Teachings of All The Ages, de Manly P. Hall, maçom do Grau 33, The Philosophical Research Society, 1988, pág. XXV, ênfase no original].

Jesus ensinava abertamente todos os princípios do reino de Deus. Veja como Ele explicou:

"Jesus lhe respondeu: Eu falei abertamente ao mundo; eu sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde os judeus sempre se ajuntam, e nada disse em oculto." [João 18:20].

Em outras passagens, a Bíblia declara que o reino é dado gratuitamente.

"Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?" [Romanos 8:32].

"Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus." [1 Coríntios 2:12].

Entretanto, o reino de Satanás não é dado gratuitamente, ou livremente; em vez disso, as doutrinas secretas que formam o reino do diabo são sempre escondidas do público e transmitidas somente a alguns poucos. Por essa razão, essas doutrinas malignas sempre tiveram grande apelo para a natureza inerentemente esnobe dos homens orgulhosos. Como a maioria dos líderes naturais tem muito orgulho de si mesmo, isso apela ao seu orgulho — isto é, a promessa que eles conhecerão coisas que estarão ocultas dos "profanos" — as pessoas comuns — tem conseguido atrair homens não redimidos para as sociedades secretas em todas as épocas nos últimos 4.000 anos.

Aqui, o autor maçom Manly P. Hall, acaba de dizer que o gnosticismo "escondia dos profanos e ensinava para um pequeno grupo de pessoas especialmente iniciadas". Esse fato torna o gnosticismo uma sociedade secreta, antes mesmo que você chegue às suas doutrinas blasfemas!

Observe também que os gnósticos afirmavam conhecer "doutrinas secretas" do cristianismo, isto é, uma "religião de mistérios". Satanás sempre atrai os não-salvos com promessas que o cristianismo contém "doutrinas secretas", pois esse é seu modo de contornar a firme verdade da Bíblia! Exatamente como Satanás sussurrou nos ouvidos de Eva, "É assim que Deus disse?", do mesmo modo sussurra nos ouvidos dos membros das sociedades secretas: "Deus realmente não disse"! Ou, dizendo aos poucos eleitos: "Estas são doutrinas ocultas das massas, que Deus sabia que não poderia revelar ao povo comum".

Assim, o ocultismo tem "doutrinas secretas" e "evangelhos gnósticos", e os "Anos Secretos de Jesus Cristo", todos dados de modo a contornar os verdadeiros ensinos da Bíblia Sagrada.

Finalmente, observe que os gnósticos interpretavam as verdadeiras Escrituras "de acordo com o simbolismo pagão". Em outras palavras, eles reinterpretavam as doutrinas cristãs fundamentais de acordo com as crenças e doutrinas satânicas, uma prática maliciosa chamada sincretismo. Portanto, o simbolismo deles refletia essas crenças pagãs. Deus proíbe expressamente a mistura de Sua verdade com a mentira de Satanás! Essa prática é chamada de "fermento", isto é, falsa doutrina. Veja o que o apóstolo Paulo disse sobre o fermento:

"Um pouco de fermento leveda toda a massa." [Gálatas 5:9].

Paulo lutou firmemente contra a heresia gnóstica em suas epístolas, pois percebia que a doutrina deles perverteria todo o conceito de fé e enganaria toda a igreja. Você verá um bom exemplo dessa realidade em nossa discussão aqui. Sem a doutrina gnóstica chamada Linhagem Sangüínea dos Merovíngios, o Anticristo não poderia surgir, o que demonstra o quão importante o gnosticismo foi e ainda é para Satanás.

Agora, vamos voltar para o maçom de Grau 33 Manly P. Hall para obtermos mais informações sobre o gnosticismo.

"Simão Mago, o mago famoso no Novo Testamento, é freqüentemente considerado o fundador do gnosticismo..." [Ibidem].

Agora, esta é uma notícia quente! Simão Mago foi o fundador do gnosticismo! Encontramos Simão Mago quando ele entra em conflito com os apóstolos Pedro e João. Na verdade, Simão era um bruxo, um satanista praticante, e quando viu os apóstolos realizando milagres que ele não podia realizar, assumiu que operavam aqueles milagres exercendo um grau de ocultismo mais elevado do que ele conhecia; esse foi o mesmo erro que os fariseus cometeram quando viram Jesus operando Seus milagres e assumiram que Ele estava recebendo poder diretamente de Belzebu, um dos príncipes do reino de Lúcifer. [Marcos 3:22; Lucas 11:15-19; Mateus 12:24-27] Jesus condenou essa idéia de forma tão enfática que criou uma nova categoria de pecado, o pecado imperdoável! Mas, esse fato de os fariseus chegarem a essa conclusão demonstra a realidade que eles eram membros de uma sociedade secreta.
Após Simão crer e ser batizado [Atos 8:9-13], ele ofereceu dinheiro para comprar o conhecimento oculto pelos quais os apóstolos realizavam os milagres, ao que Pedro respondeu energicamente:

"Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus." [Atos 8:20-21].

Portanto, embora Simão tivesse "crido" e sido batizado, seu coração não era íntegro diante de Deus. Muitos eruditos bíblicos acreditam que o arrependimento e profissão de fé de Simão não foram genuínos, mas foram feitos somente para que ele pudesse se aproximar dos apóstolos e aprender a origem do poder secreto deles. A tradição diz que Simão retornou aos seus caminhos antigos após deixar de obter a fonte do poder dos apóstolos. Veja:

"Por mais favoravelmente que este ou aquele outro erudito possam falar de Simão, assume-se em geral que ele foi de mal para pior, opondo-se aos apóstolos e à doutrina cristã, e enganando muitas cidades e províncias com a operação de suas mágicas." — Comentário de Adam Clarke.

Essa afirmação deve estar correta, pois aqui vemos o autor maçom de maior autoridade no século XX, Manly P. Hall, dizer que Simão Mago foi o fundador da sociedade secreta conhecida como gnosticismo.

Agora, vamos examinar alguns dos dogmas do gnosticismo para que você possa avaliar o modo terrível como ele tenta corromper a fé simples e preciosa que temos em Cristo Jesus nosso Senhor. Você verá que influência terrível um homem pode ter quando entrega-se ao poder do Maligno, pois Simão Mago desenvolveu uma falsificação muito engenhosa do cristianismo, criando doutrinas que permitirão a ascensão do Anticristo. Verdadeiramente, alguns homens continuam exercendo um grande poder mesmo depois de mortos!

Doutrinas Gnósticas


Vamos examinar as doutrinas gnósticas para que você possa ver quão perniciosas e anticristãs elas realmente são. Mais uma vez, vamos recorrer a Manly P. Hall:

"Os gnósticos estavam divididos em suas opiniões com relação ao Demiurgo, o criador dos mundos inferiores... Um grupo de gnósticos era da opinião que o Demiurgo era a causa de toda a miséria e uma criatura má... Alguns gnósticos eram da opinião que o Deus judaico, Jeová, era o Demiurgo. Esse conceito, sob um nome ligeiramente diferente, aparentemente influenciou a Sociedade Rosa-cruz medieval, que via Jeová com o Senhor do universo material em vez de como a Deidade Suprema..." [The Secret Teachings of All The Ages, Manly P. Hall, maçom do Grau 33, The Philosophic Research Society, 1988, ênfase no original].

Você pode imaginar a blasfêmia inerente nessa doutrina? Nessa crença, os gnósticos cumprem a profecia bíblica, crenças que o Anticristo apresentará ao mundo. Eles colocam o Deus Todo-Poderoso — Jeová Deus — na categoria de um deus inferior que apenas criou os "mundos inferiores". O que diz a profecia acerca do Anticristo?

"E este rei fará conforme a sua vontade, e levantar-se-á, e engrandecer-se-á sobre todo deus; e contra o Deus dos deuses falará coisas espantosas, e será próspero, até que a ira se complete; porque aquilo que está determinado será feito." [Daniel 11:36].

Logicamente, os maçons ensinam essa mesmíssima coisa sobre Jesus, exceto que vão um passo adiante para dizer que um deus inferior criou Jesus! Veja o que escreveu Albert Pike:

"Comunicando movimento ao caos, ela (a Mãe dos Viventes) produziu Ialdabaoth, o Demiurgo, o Agente da Criação Material... Ialdabaoth, para tornar-se independente de sua mãe, e para passar-se pelo Ser Supremo, criou o mundo e o homem, à sua própria imagem... a imagem de Ialdabaoth refletiu sobre a matéria, tornou-se a Serpente-Espírito, Satanás, a Inteligência do Mal. Eva, criada por Ialdabaoth..." [Morals and Dogma, Albert Pike, Ensinos Para o Vigésimo Sexto Grau, Príncipe de Misericórdia", pág. 563.].

Mais uma vez, vemos um exemplo em que a Maçonaria prova-se idêntica a todos os mistérios satânicos, exatamente como disse Pike (pág. 624, Vigésimo Oitavo Grau). Eles ensinam a doutrina do Demiurgo, e ensinam outras "coisas espantosas" sobre Deus."

Além disso, Pike prossegue e elogia os "cristãos gnósticos".

Após abordar as crenças específicas de vários grupos "cristãos gnósticos", Pike declara a crença comum deles: "... não há dúvida que todas as seitas gnósticas tinham mistérios e uma iniciação. Todas afirmavam ter uma doutrina secreta, recebida diretamente de Jesus Cristo, diferente das doutrinas dos evangelhos e das epístolas, e superior a essas comunicações, que aos seus olhos, eram meramente exotéricas. Essa doutrina secreta não era comunicada a qualquer um... no máximo uma pessoa em cada grupo de mil a conhecia." [Ibidem, pág. 542].

Agora, vamos retornar a Manly P. Hall para vermos mais algumas "coisas espantosas" em que os gnósticos acreditavam. Prepare-se para um choque:

"Para os gnósticos, o Cristo era a personificação do Nous, a Mente Divina, e emanava dos éons espirituais mais elevados. Ele desceu sobre o corpo de Jesus na ocasião do batismo e o deixou novamente antes da crucificação. Os gnósticos declaravam que o Cristo não foi crucificado, pois esse Nous Divino não poderia sofrer a morte, mas que Simão, o cirineu, ofereceu sua vida em substituição e que o Nous, por meio de seu poder, fez Simão assumir a mesma aparência de Jesus." [Hall, op. cit., pág. XXVI].

Esse ensino é definitivamente anticristão, pois separa o corpo físico de Jesus de Seu espírito, aqui chamado de "espírito da Consciência do Cristo". Retornando a Albert Pike, vemos que a Maçonaria ensina a mesmíssima doutrina. Jesus, o homem, de acordo com esse "fermento", não soube que era o Messias até Seu batismo. Quando a pomba desceu do céu, isso foi um símbolo que a "Consciência Crística" tinha vindo sobre Ele, e Ele soube que era o Messias judaico. Entretanto, esse espírito da "Consciência Crística" o deixou antes da crucificação. Novamente, esse é um ensino do Anticristo. Veja:

"E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo." [1 João 4:3].

Agora você sabe que o gnosticismo é claramente o "espírito" e uma doutrina do Anticristo. Tenha isso em mente ao contemplar o fato que o livro e o filme O Código Da Vinci citam os "evangelhos gnósticos" em seu desejo de autenticar a genealogia da linhagem sangüínea dos merovíngios, o que permitirá a ascensão do Anticristo.

Destarte, você pode ver a importância desse livro de Dan Brown e do filme de mesmo nome, O Código Da Vinci. Aos bilhões, as pessoas terão de acreditar nessa mentira para que o Anticristo possa aparecer e enganar a muitos, na verdade o mundo inteiro.

Estamos na iminência do aparecimento do Homem do Pecado.

Traduzido por Espada.eti

, ,

Harry Potter e a Pedra Filosofal — Análise do Filme


Artigo de The Cutting Edge

No fim de semana prolongado do feriado de Ação de Graças, fui assistir ao filme Harry Potter e a Pedra Filosofal, com o único objetivo de escrever uma análise definitiva sobre ele, de uma perspectiva cristã, é claro. Lembre-se que a Cutting Edge Ministries compreende a feitiçaria de Magia Negra, de modo que vemos as coisas que as outras pessoas simplesmente não vêem, ou recusam-se a ver.

O filme segue o plano geral do livro, mas sem todos os detalhes deliciosos inerentes de um livro. Entretanto, o filme glorifica a feitiçaria, a magia, a adivinhação, os encantamentos, as maldições, a vida na quarta dimensão, a comunicação com os mortos e a possessão demoníaca.

Vamos parar aqui e fazer uma consulta na Bíblia. Vamos examinar algumas Escrituras que devem fazer qualquer cristão, que tenha sua mente firmada na Bíblia, evitar ler os livros da série Harry Potter ou de assistir a esse ou a qualquer outro filme futuro.

"Quando entrares na terra que o SENHOR teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus." [Deuteronômio 18:9-13].

Como Harry Potter glorifica todas essas práticas abomináveis, não é preciso ser um cientista genial ou um erudito bíblico para entender que não devemos permitir a nós mesmos ou a nossos filhos lerem os livros ou assistirem aos filmes de Harry Potter. Além disso, como Deus disse que não quer que seus filhos aprendam as práticas abomináveis, as próximas Escrituras se aplicam perfeitamente:

"Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." [Filipenses 4:8].

"Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!" [Isaías 5:20].

Os livros de Harry Potter não somente glorificam exatamente aquilo que Deus proíbe, mas também invertem os padrões de Deus. Os defensores de Harry Potter literalmente estão chamando o bem de mal e o mal de bem. Os cristãos que defendem Harry Potter estão especialmente enganados, mas discutiremos essa questão posteriormente neste artigo.


Harry Potter é um filme emocionante que fará muitos jovens quererem imitar os personagens principais de algum modo, e fará alguns quererem realmente ingressar em um conciliábulo de feiticeiros. Já informamos em outro artigo que muitos conciliábulos tiveram grande procura de adolescentes que desejavam ser iniciados.


Todos vimos as crianças entusiasmadas formarem longas filas para participarem dos lançamentos dos últimos volumes da série, aguardando para terem suas frontes marcadas com a mesma "cicatriz produzida por feitiço" de Harry. Enquanto estamos nesse assunto, observei que o filme retratou a cicatriz de Harry acima de seu olho direito, não no meio da fronte, como eu tinha imaginado lendo o livro. Na página 18 do livro, a posição da cicatriz era "sobre a testa". Assumi que isso seria no meio da testa, pois foi nessa posição que vi os adolescentes receberem a pintura, imitando Harry Potter.


Nesse filme, a cicatriz produzida por feitiço de Harry está localizada acima do olho direito. É interessante que essa é a localização exata em que o sistema Mondex Visa das Filipinas retratou o microcircuito eletrônico implantado na fronte de uma pessoa em sua página inicial na Internet. [Veja http://www.mondexphil.com/default.htm] Talvez a localização exata da Marca da Besta será logo acima do olho direito; em caso afirmativo, o filme Harry Potter é um condicionamento perfeito que está sendo direcionado às crianças e adolescentes. Para aqueles de vocês que não conhecem a profecia bíblica acerca da Marca da Besta, permita-me explicar:

No livro do Apocalipse, Jesus Cristo prediz o aparecimento de duas "bestas" que serão capacitadas de forma sobrenatural. Em Apocalipse 13:1-10, vemos que o Anticristo será energizado pelo dragão (Satanás). Essa "besta" exigirá e receberá adoração da vasta maioria dos que habitam na Terra [verso 8]. Essa "besta" receberá poder político ilimitado durante todo o mundo nos três anos e meio finais do período de sete anos de seu reino. Essa "besta" também receberá o poder para matar o povo de Deus [verso 7]. Essa primeira besta é o Anticristo.

Em seguida, nos versos 11-18, vemos uma segunda besta entrando na cena mundial, também capacitada pelo "dragão", Satanás. Embora essa segunda besta seja religiosa em sua natureza, será considerada "cristã" [verso 11] e atuará em harmonia com a primeira besta. Essa segunda besta é o Falso Profeta.

Subitamente, porém, vemos essa segunda besta forçar a todos na Terra a receberem um tipo de marca. Vamos examinar essa profecia relevante:

"E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis." [Apocalipse 13:16-18].

Assim, é altamente relevante que Harry Potter tenha recebido uma "cicatriz produzida por um feitiço" em sua fronte, exatamente no lugar em que o Falso Profeta exigirá que todos os moradores da Terra recebam a Marca da Besta! É exatamente nessa posição que os entusiasmados fãs de Harry Potter estão recebendo a pintura de uma cicatriz em suas testas! Isso é condicionamento para a aceitação do Anticristo!

Isso também se aplica às outras formas de condicionamento para o Anticristo. Vamos relacioná-las agora e depois voltaremos para explicá-las:

A Pedra Filosofal (também chamada de Pedra do Feiticeiro)
O número 666
O unicórnio
A ave fênix
O número 11.

Todos esses símbolos do Anticristo estão presentes de uma forma significativa no livro, levando-nos a perguntar se o propósito do livro é preparar os corações e as mentes das crianças para aceitarem o Anticristo quando ele aparecer em breve! Como acredito que esse seja o caso, todos os pais que estão sendo lenientes com esse mal precisam considerar cuidadosamente como vão responder quando comparecerem diante do Tribunal de Cristo para prestar contas sobre como educaram seus filhos!

Vamos agora explicar cada um desses símbolos do Anticristo que aparecem no filme.

A Pedra Filosofal — A Pedra do Feiticeiro é o quinto e final estágio no ímpeto ocultista para obter a vida eterna. Nesse livro, a autora J. K. Rowling a explica corretamente: "O antigo estudo da alquimia preocupava-se com a produção da Pedra Filosofal, uma substância lendária com poderes fantásticos. A pedra pode transformar qualquer metal em ouro puro. Produz também o Elixir da Vida, que torna quem o bebe imortal. Falou-se muito da Pedra Filosofal durante séculos, mas a única Pedra que existe presentemente pertence ao Sr. Nicolau Flamel, o famoso alquimista e amante da ópera. O Sr. Flamel, que comemorou o sexcentésimo sexagésimo quinto aniversário no ano passado, leva uma vida tranqüila em Devon, com sua mulher, Perelle (seiscentos e cinqüenta e oito anos)" [HP e a Pedra Filosofal, pág. 190; ênfase acrescentada].

O Número 666 — Você percebeu que a autora Rowling atribuiu 666 à idade de criador da Pedra Filosofal? Você sabe o que isso significa? Como o número 666 é um símbolo do Anticristo e de sua Marca da Besta [Apocalipse 13:18] e como Rowling vincula esse número ao Elixir da Vida, Harry Potter está ensinando às crianças que o modo de obter a vida eterna [o Elixir da Vida] é obedecer ao Anticristo e receber sua Marca da Besta!

O Número 11 — Esse número é muito importante em todo o enredo. Harry e todas as outras crianças têm onze anos ao ingressarem na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Harry, Rony e Hermione tinham todos onze anos, o que forma a trindade satânica de '11' tão desejada pelos ocultistas — o '33'.

O número do cofre subterrâneo que continha a Pedra Filosofal antes de Hagrid tomá-la para que fosse guardada em Hogwarts era '713', e quando esses algarismos são somados da forma como fazem os ocultistas, o resultado é onze [7+1+3=11].

Deus atribui o número '11' ao Anticristo em Daniel 7:7-8, pois é o décimo primeiro chifre a emergir na cena mundial. Desde então, os ocultistas atribuíram o '11' ao Anticristo.

Unicórnio — Os ocultistas de todos os matizes acreditam que o unicórnio seja um símbolo do vindouro Mestre Mundial, o Cristo, que eventualmente aparecerá para levar a humanidade a um nível coletivo de consciência mais elevado e liderá-la durante um período de 1.000 anos de paz e segurança. A autora J. K. Rowling retrata o unicórnio como uma criatura mítica que vive pacificamente na Floresta Proibida. Hagrid leva Harry, Rony, Hermione e Malfoy a uma expedição para verem quem está matando o unicórnio.

"'— Olhem ali, estão vendo aquela coisa brilhando no chão? Prateada? Aquilo é sangue de unicórnio. Tem um unicórnio ali que foi ferido gravemente por alguma coisa. É a segunda vez esta semana. Encontrei um morto na quarta-feira passada. Vamos tentar encontrar o pobrezinho. Talvez a gente precise pôr fim ao sofrimento dele.' " ...

"Havia salpicos nas raízes de uma árvore, como se o pobre bicho tivesse se debatido de dor por ali. Harry viu uma clareira adiante, através dos galhos emaranhados de um velho carvalho. 'Olhe', murmurou, erguendo o braço para deter Malfoy. Alguma coisa muito branca brilhava no chão. Eles se aproximaram aos poucos. Era o unicórnio, sim, e estava morto. Harry nunca vira nada tão bonito nem tão triste. As pernas longas e finas estavam em ângulos estranhos onde ele caíra e sua crina espalhava-se nacarada sobre as folhas escuras."

"Harry dera um passo à frente, mas um som de algo que deslizava o fez congelar onde estava. Uma moita na orla da clareira estremeceu... Então, do meio das sombras saiu um vulto encapuzado que se arrastava de gatas pelo chão como uma fera à caça. Harry, Malfoy e Canino ficaram paralisados. O vulto encapuzado aproximou-se do unicórnio, abaixou a cabeça sobre o ferimento no flanco do animal e começou a beber o seu sangue. 'AAAAAAAAAAH!' Malfoy soltou um grito terrível e fugiu, seguido por Canino. A figura encapuzada ergueu sua cabeça e olhou diretamente para Harry." [HP e a Pedra Filosofal, pág. 220].

Como o unicórnio é um símbolo do vindouro Anticristo, essa cena significa que ele receberá uma ferida mortal; isso não é terrivelmente semelhante como a profecia bíblica sobre a ferida mortal do Anticristo em Apocalipse 13:3, em que todo o mundo fica maravilhado quando a Besta se recupera de sua chaga mortal?

Entretanto, o simbolismo de beber o sangue do unicórnio também é impressionante. Posteriormente no livro, descobrimos fatos pertinentes que nos permitem compreender plenamente o simbolismo que a autora J. K. Rowling está tentando retratar. Veja:

"'— Harry Potter, você sabe para que se usa o sangue do unicórnio?' '— Não', disse Harry surpreendido pela estranha pergunta. '— Só usamos o chifre e a cauda na aula de Poções.'"

"'— Porque é uma coisa monstruosa matar um unicórnio. Só alguém que não tem nada a perder e tudo a ganhar cometeria um crime desses. O sangue do unicórnio mantém a pessoa viva, mesmo quando ela está à beira da morte, mas a um preço terrível. Ela matou algo puro e indefeso para se salvar e só terá uma semivida, uma vida amaldiçoada, do momento que o sangue lhe tocar os lábios.' "

"Harry ficou olhando para a nuca de Firenze, que estava prateada de luar. '— Mas quem estaria tão desesperado? — pensou em voz alta. '— Se a pessoa vai ser amaldiçoada para sempre, é preferível morrer, não é?' "

"É, concordou Firenze -, a não ser que ela precise se manter viva o tempo suficiente para beber outra coisa, algo que vai lhe devolver a força e o poder totais, algo que significa que jamais poderá morrer. Sr. Potter, o senhor sabe o que está escondido na sua escola neste momento?"

"'— A Pedra Filosofal! É claro, o elixir da vida! Mas não percebo quem... Você está dizendo — Harry falou rouco — que aquele era o Voldemort?'" [HP e a Pedra Filosofal, pág. 223].

Isso significa que o maligno Lord Voldemort — cuja maldição de morte sobre Harry, sua mãe e seu pai tinha voltado contra ele mesmo quando Harry não morreu — está próximo da morte e está procurando beber o sangue do unicórnio para permanecer vivo por tempo suficiente para obter a vida eterna bebendo o Elixir da Vida '666'.

Essa é a doutrina específica de Nova Era que está sendo ensinada aqui: as pessoas terão de obter sua vida espiritual temporária do Cristo até que o tempo venha quando sua consciência individual terá sido elevada tanto que obterão sua própria divindade e viverão para sempre! Esse conceito é genuinamente de Nova Era e é coerente com a profecia bíblica, e a autora Rowling a retrata muito bem!

Agora, vamos retornar ao assunto dos símbolos do Anticristo nesse filme de Harry Potter:

Ave Fênix — Vemos a fênix em dois locais. Primeiro, ficamos sabendo que o Prof. Dumbledore tem a Fênix sob seus cuidados. Segundo, ficamos sabendo que a verdadeira varinha mágica que escolheu Harry contém um pêlo do unicórnio e a pena de uma fênix. Mais condicionamento para o Anticristo!

Esses são símbolos poderosos do vindouro Anticristo, e as crianças e adolescentes facilmente impressionáveis estão absorvendo esse simbolismo profundamente em suas almas! Esse livro utiliza de forma bem clara cinco símbolos diferentes do Anticristo. Você ainda acha que deve permitir que seus filhos preciosos assistam ao filme?

Valores do Anticristo Que São Ensinados


Nenhum padrão absoluto do bem ou do mal — O Professor Quirrell disse a Harry, "Não existe bem nem mal, só existe o poder, e aqueles que são demasiado fracos para o desejarem..." [pág. 248] Isso é feitiçaria padrão, e doutrina padrão dos Iluministas. Essa doutrina é a luz que guia o caminho para aqueles Iluministas que estão levando o mundo ao Reino do Anticristo. Essa doutrina é muito sedutora para as crianças imaturas que estão tentando crescer na nossa cultura atual; como a natureza da criança é inerentemente má, ela achará essa filosofia mais atraente que o evangelho de Jesus Cristo. Pais cristãos, acautelem-se!


Conversando com as Serpentes: Antes de conhecer sua herança familiar na feitiçaria e de ingressar na Escola Hogwarts, Harry foi com o tio Válter e a tia Petúnia ao zoológico. Ao olhar para uma serpente, Harry subitamente percebeu que podia compreender o que ela estava pensando; em breve, começou a realmente conversar com a serpente! Mais tarde na história e, especialmente em A Câmara Secreta, descobrimos que essa capacidade de conversar com as cobras chama-se ofidioglossia e é extremamente importante na prática da Magia Negra.

Motivo de Vingança: "Hagrid quase teve de arrastar Harry para longe do livro Pragas e Contrapragas (Encante os seus amigos e confunda os seus inimigos com as últimas vinganças: perda de cabelos, pernas bambas, língua presa e muitas, muitas mais) do Prof. Vindicto Viridiano. [HP e a Pedra Filosofal, pág. 73]. Em todos esses livros, buscar vingança e atacar seus inimigos está bem no alto da lista de prioridades de Harry Potter, de seus colegas e dos outros alunos. Você quer que seus filhos adotem essa atitude satânica? Observe que o primeiro nome do autor desse livro de vinganças é Vindicto, isto é, "vingador".

Além disso, em todo o filme, os personagens estão rotineiramente sob intenso temor e choque. Você quer que seus filhos estejam sujeitos a esses valores e atitudes?

Os alunos aprendem a depender da feitiçaria em todos os aspectos de suas vidas. As refeições são conjuradas, e não preparadas, os pratos são lavados por meio de uma conjuração, e até o hospital usa a feitiçaria para tratar os enfermos. Neville Longbottom, um dos alunos mais desengonçados, recebeu de sua avó uma bola de cristal que fica vermelha se você esquecer de fazer alguma coisa. Sob a liderança do Anticristo, as pessoas dependerão dele e do seu poder em todos os aspectos de suas vidas.

Possessão Demoníaca — "E para o horror de Harry, uma voz respondeu, e a voz parecia vir do próprio Quirrell. 'Use o menino, use o menino.'" [HP e a Pedra Filosofal, pág. 249]. Isso é possessão demoníaca padrão. Entretanto, como Harry logo descobriu, essa possessão demoníaca era um tipo de transformação, em que o corpo da pessoa é transfigurado na forma que o demônio que a está possuindo deseja.
Veja o diálogo:

"Harry se sentiu como se o visgo do diabo o tivesse pregado no chão... Petrificado, viu Quirrell erguer os braços e começar a desenrolar o turbante... Harry poderia ter gritado, mas não conseguiu produzir nem um som. Onde deveria estar a parte de trás da cabeça de Quirrell, havia um rosto, o rosto mais horrível que Harry já vira. Era branco-giz com intensos olhos vermelhos e fendas no lugar das narinas, como uma cobra."

"'Harry Potter...' — falou o rosto".

"Harry tentou dar um passo atrás mas suas pernas não obedeceram. 'Vê em que me transformei?' — disse o rosto. '—Apenas uma sombra vaporosa... Só tenho forma quando posso compartir o corpo de alguém... mas sempre houve gente disposta a me deixar entrar no seu coração e na sua mente... O sangue do unicórnio me fortaleceu, nessas últimas semanas... você viu o fiel Quirrell bebendo-o por mim na floresta... e uma vez que eu tenha o elixir da vida, poderei criar um corpo só meu... Agora... por que você não me dá essa pedra no seu bolso?"

Quando o professor Quirrell tentou tomar a Pedra Filosofal das mãos de Harry, a pele mágica no braço de Harry forçou a pele do professor a mudar de cor, para um cinza mórbido, e depois a se tornar rígido, finalmente partir em pedaços. Enquanto Harry olhava o que tinha acontecido, o espírito maligno de Voldemort sai do corpo do professor Quirrell, gira algumas vezes e passa pelo meio do corpo de Harry, derrubando-o ao chão. Em seguida, o espírito demoníaco de Voldemort sobe rapidamente as escadas e sai do recinto.

Essa retratação da possessão demoníaca foi a mais explícita que já vi. Se você pensa de forma contrária, provavelmente já está condicionado a esse tipo de cena vil devido aos muitos filmes de terror que assistiu. Essa retratação da possessão demoníaca foi também o momento mais assustador em todo o filme, e não é nada a que deveria ser apresentado a uma criança pequena.

Visão Satânica da Morte — "Afinal, para a mente bem organizada, a morte é a próxima grande aventura." [HP e a Pedra Filosofal, pág. 253] O Prof. Dumbledore está dizendo a Harry a visão satânica da morte.] Em vez de a morte ser uma separação eterna de Deus no inferno, como a Bíblia ensina, o satanista acredita na reencarnação. Eles acreditam que, quando uma pessoa morre, seu espírito entra no Grande Ciclo da Reencarnação, aguardando um corpo humano em que poderá iniciar sua "próxima grande aventura". É essa doutrina acerca da morte que você deseja que seus filhos aceitem?

Visão Satânica do Amor da Deusa — "Sua mãe morreu para salvar você. Se existe uma coisa que Voldemort não consegue compreender é o amor. Ele não entende que um amor forte como o de sua mãe por você deixa uma marca própria. Não é uma cicatriz, não é um sinal visível... ter sido amado tão profundamente, mesmo que a pessoa que nos amou já tenha morrido, ela nos confere uma proteção eterna. Está entranhado em nossa pele. Por isso Quirrell, cheio de ódio, avareza e ambição, compartindo a alma com Voldemort, não podia tocá-lo. Era uma agonia tocar uma pessoa marcada por algo tão bom." [HP e a Pedra Filosofal, pág. 255, o diretor Dumbledore está explicando para Harry a força do amor que o protegeu em sua luta contra Quirrell.].

Na feitiçaria de Magia Branca, esse tipo de amor da deusa é exatamente o que vai salvar a humanidade e nutrir todas as pessoas nas eras futuras. Esse tipo de amor sacrificial é uma falsificação vulgar do verdadeiro amor sacrificial de Jesus Cristo na cruz.

Conclusão

Em resumo, nenhum cristão deve permitir que seus filhos assistam a esse filme. Uma das partes mais inacreditáveis da controvérsia em torno de Harry Potter é que certos supostos líderes cristãos tomaram a iniciativa de defender o livro, aceitando-o imediatamente ou dando-lhe uma aprovação condicional. O que o apóstolo Paulo diz sobre o pecado tem grande importância aqui. Veja:

"Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais seus companheiros." [Efésios 5:6-7].

Paulo estava cansado das desculpas infindáveis que ouvia de alguns cristãos da igreja de Éfeso. Muitos deles estavam apresentando grandes desculpas para o pecado que queriam de toda a forma manter em suas vidas. Finalmente, o apóstolo Paulo, desabafando sua frustração, diz sob o poder do Espírito Santo: "Ninguém vos engane com palavras vãs".

Como Deus nunca muda [Malaquias 3:6 e Hebreus 13:8], podemos estar certos que as mesmas coisas que O deixaram irado há 3.400 anos, em Deuteronômio 18:10-11 também o deixam irado hoje, como as grandes abominações contidas nos livros de Harry Potter. Assim, o próximo ponto de Paulo é extremamente importante: "... porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência."

Finalmente, Paulo diz aos outros cristãos para não terem nada a ver com as pessoas que tentam desculpar seus pecados com "palavras vãs", isto é, com argumentos infundados! Jesus Cristo diz praticamente a mesma coisa em Apocalipse 18:4, logo antes de aniquilar a Babilônia econômica. "Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas".

Jesus Cristo também aponta seu dedo para os supostos cristãos que apresentam "palavras vãs" para o satanismo inerente em Harry Potter. "Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo." Jesus Cristo identificou certo número de judeus que diziam serem judeus, mas não eram, mas serviam à sinagoga de Satanás. Vamos aplicar essa asserção aos cristãos que estão tentando enganá-lo com seus argumentos infundados que Harry Potter é boa leitura. "Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mentem...".

Os assim-chamados cristãos, que tentam justificar o satanismo em Harry Potter, indubitavelmente se enquadram nessa categoria. Verdadeiramente, essa divisão a respeito de Harry Potter nos arraiais evangélicos claramente identifica a profunda apostasia que está ocorrendo no cristianismo. Como disse o apóstolo Paulo, o Anticristo não poderá aparecer sem que a apostasia ocorra primeiro. [2 Tessalonicenses 2:3-4].

Ou, como Jesus Cristo disse: "Quando porém vier o Filho do Homem, porventura achará fé na Terra?" [Lucas 18:8].

Se você ouvir um pastor ou um professor de Escola Dominical defender Harry Potter, sabe que precisa seguir a ordem de Jesus Cristo, "Sai dela, povo meu..." Ou, como disse o apóstolo João, "Não vos associeis com eles". Não permita que a porta seja fechada para que você não saia dessa igreja! Harry Potter pode ser um dos momentos e questões de definição no fim da Época da Igreja. Não fique do lado errado nessa questão.

O julgamento de Deus sobre este mundo por causa do conteúdo de Harry Potter não tarda. Como sei disso?

"E os outros homens, que não foram mortos por estas pragas, não se arrependeram das obras de suas mãos, para não adorarem os demônios, e os ídolos de ouro, e de prata, e de bronze, e de pedra, e de madeira, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar. E não se arrependeram dos seus homicídios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos." [Apocalipse 9:20-21].

Não cometa o pecado de defender ou de promover Harry Potter, pois estará lutando contra o próprio Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Megan Fox, Marilyn Monroe e Controle Mental


 Monroe se tornou uma espécie de "garota propaganda" para o setor de controle mental da indústria. É quase uma exigência para as que são "parte da agenda", aludir ao ícone loiro, de uma forma ou de outra, em photoshoots ou vídeos.

Megan Fox decidiu recentemente removê-la [Marilyn Monroe]. Suas razões para fazê-lo são bastante interessantes: Embora nunca diretamente citando "o controle mental", ela faz alusão a todos os sintomas da programação monarca exibidos por Monroe, afirmando que: "É um caráter negativo, como ela sofria de transtornos de personalidade e era bipolar. Eu não quero atrair esse tipo de energia negativa em minha vida."


Marilyn Monroe de fato tornou-se símbolo da programação monarca, pois era uma escrava. Lembre-se que transtornos de personalidades são comuns em vítimas monarcas. Muitos artistas também sobre esse controle começam a se interessar pela imagem de Monroe (se você já leu o suficiente sobre a programação monarca, você já sabe porque). Existem outros artistas que também mantêm uma fixação pela artista. A cantora Mariah Carey recentemente deu o nome a sua filha de Monroe, explicando que foi por causa da falecida atriz. Também, Mariah comprou o piano que pertenceu a Marilyn Monroe e fez várias alusões aos filmes de Marilyn em seus vídeos. Fonte


,

A Indústria da Música Exposta - Parte 6 - A Filosofia Satânica

domingo, 28 de agosto de 2011 69 comentários


Depois que um artista vende sua alma, sua vida se torna bastante conturbada. Muitos mudam seu comportamento, apresentam uma queda moral, envolvem-se em drogas, entram em depressão ou simplesmente aparecem mortos em circunstâncias suspeitas. Existem vários níveis de possessão. Quando um artista vende sua alma, esse demônio o acompanha, dando inspiração para a composição de suas músicas. As letras se tornam explicitamente satânicas e mensagens subliminares são embutidas. A maioria das músicas que escutamos hoje em dia está baseada na Filosofia Satânica, que é os ensinamentos ocultistas do mago Aleister Crowley. Assista ao sexto vídeo da série e veja como a indústria da música está engenhada para carregar e disseminar a filosofia de Thelema.



,

Mensagem Sublimnar no Comercial de Dr. Dre

domingo, 21 de agosto de 2011 29 comentários


Beats by Dr. Dre é uma marca de fones de ouvido, sons e pc criada pelo rapper Dr.Dre. Como parte de estratégia de maketing, esses aparelhos aparecem em clipes, filmes e outros meios de anúncio.

 Em Poker Face, os b's formam a sequência 666

A mesma sequência é percebida em Bad Romance ou outros vídeos

Criou-se certa especulação de que o logo da marca, a letra "b", foi intencionalmente criado para se parecer com o número "6" e assim formar a sequência numerológica 666, conhecida por ser o número satânico. Neste comercial, essa intenção fica bastante óbvia e clara.



, , ,

Quem é Baphomet?

quinta-feira, 18 de agosto de 2011 58 comentários


Baphomet é uma figura enigmática com cabeça de bode que é encontrada em várias lugares na história do ocultismo. Dos Cavaleiros Templários da Idade Média e os maçons do século 19 às correntes modernas do ocultismo, Baphomet nunca deixou de criar polêmica. Mas qual é a origem de Baphomet, e mais importante, qual é o verdadeiro significado desta figura simbólica? Este artigo analisa as origens do Baphomet, o seu significado esotérico e sua ocorrência na cultura popular.

Ao longo da história do ocultismo ocidental, o nome do misterioso Baphomet foi muitas vezes invocado. Embora ele tenha se tornado um nome comum no século XX, menções de Baphomet podem ser encontradas em documentos que datam desde o século 11. Hoje, o símbolo está associado com qualquer coisa relativa ao ocultismo, rituais de magia, bruxaria, satanismo e esoterismo. Baphomet aparece muitas vezes na cultura popular para identificar qualquer coisa relacionada com ocultismo.
A representação mais famosa do Baphomet é encontrada em “Dogme et Rituel de la Haute Magie” (Dogma e Ritual da Alta Magia), um livro de 1897 de Eliphas Lévi que se tornou uma referência padrão para o ocultismo moderno. O que esta criatura representa? Qual é o significado dos símbolos ao seu redor? Por que ela é tão importante no ocultismo? Para responder algumas dessas questões, devemos primeiro olhar para suas origens. Vamos primeiro apresentar a história de Baphomet e os vários exemplos de referências a Baphomet na cultura popular.
 
Origens do Nome
 
Há diversas teorias sobre as origens do nome de Baphomet. A explicação mais comum afirma que este nome é uma corrupção do nome de Mohammed em francês antigo do (que foi “latinizado” para “Mahomet”) – o Profeta do Islã. Durante as Cruzadas, os cavaleiros templários permaneceram durante longos períodos de tempo em países do Oriente Médio, onde se familiarizaram com os ensinamentos do misticismo árabe. Este contato com as civilizações orientais lhes permitiram trazer de volta para a Europa a base do que se tornaria o ocultismo ocidental, incluindo o gnosticismo, a alquimia, a cabala e o hermetismo. A afinidade dos cavaleiros Templários com os muçulmanos levou a Igreja a acusá-los de adoração de um ídolo chamado Baphomet, por isso há algumas ligações plausíveis entre Baphomet e Maomé. No entanto, existem outras teorias sobre as origens do nome.
Eliphas Levi, o ocultista francês que desenhou o famoso retrato de Baphomet argumentou que o nome havia sido derivado de uma codificação cabalística:

O nome do Baphomet dos Templários, que deve ser soletrado cabalisticamente para trás, é composto de três abreviações: Tem. ohp. AB., Templi omnium hominum pacts abbas, “o pai do templo da paz de todos os homens”.[1]

Arkon Daraul, um autor e professor da tradição Sufi e de magia, argumentou que o nome Baphomet veio da palavra árabe Abu fihama (t), que significa “O Pai do Entendimento”. [2]
Dr. Hugh Schonfield, cujo trabalho sobre os Manuscritos do Mar Morto é bem conhecido, desenvolveu uma das teorias mais interessantes. Schonfield, que havia estudado uma sistema de criptografia judeu chamado Atbash, que foi usado na tradução de alguns dos Manuscritos do Mar Morto, afirmou que quando se aplicou a cifra na palavra Baphomet, esta foi transposta para a palavra grega “Sophia”, que significa “conhecimento” e também é sinônimo de “deusa”.
 
Possíveis Origens da Figura
 
A representação moderna de Baphomet parece ter suas raízes em várias fontes antigas, mas principalmente em deuses pagãos. Baphomet tem semelhanças com deuses de todo o globo, incluindo do Egito, do norte da Europa e da Índia. Na verdade, as mitologias de um grande número de civilizações antigas incluem algum tipo de divindade com chifres. Na teoria junguiana (de Carl Jung), Baphomet é uma continuação do arquétipo deus-com-chifres, pois o conceito de uma divindade com chifres é universalmente presente na psique individual. Será que Cernunnos, Pan, Hathor, o Diabo (como descrito pelo cristianismo) e Baphomet têm uma origem comum? Alguns de seus atributos são muito semelhantes.

 O antigo deus celta Cernunnos é tradicionalmente representado com chifre na cabeça, sentado na “posição de lótus”, semelhante à representação do Baphomet de Levi. Embora a história de Cernunnos esteja envolta em mistério, ele é geralmente considerado o deus da fertilidade e da natureza.
 
Na Grã-Bretanha, Cerennunos foi nomeado Herne. O deus chifrudo 
tem as características de Sátiro de Baphomet, juntamente com sua ênfase no falo. 

Pan era uma divindade de destaque na Grécia. O deus da natureza era muitas vezes representado com chifres na cabeça e a parte inferior do corpo de um bode. Não diferentemente de Cerenunnos, Pan é uma divindade fálica. Suas características animalescas são a personificação dos impulsos carnais e de procriação dos homens.


Papa Silvestre II e o Diabo (1460). No cristianismo, o diabo tem características 
semelhantes às dos deuses pagãos descritos acima pois eles são a principal inspiração 
para essas representações. Os atributos incorporados por esses deuses se tornou a 
representação do que é considerado o mal pela Igreja.
 
O carta do Diabo do Tarot de Marselha (século 15). Esta carta mostra o 
diabo, com suas asas, chifres, seios e sinal da mão. É sem dúvida uma grande
influência na representação do Baphomet de Levi (detalhes mais adiante).

Robin Good-Fellow (ou Puck) é um elfo mitológico que seria a personificação 
do espírito da terra. Tendo vários atributos de Baphomet e outras divindades, 
ele é mostrado aqui na capa de um livro de 1629 rodeado por bruxas.

Pintura de Goya de 1821 El Aquelarre, ou El Gran Cabrón (O grande Bode) 
ou ainda “Witches Sabbath”. A pintura retrata um grupo de bruxas reunidas em 
torno de Satanás, retratado como uma figura meio-homem, metade bode. 

Uma figura semelhante a Baphomet na Catedral de Notre-Dame-de-Paris, 
que foi originalmente construída pelos Cavaleiros Templários.

 Baphomet de Eliphas Levi

Esta representação de Baphomet de Eliphas Levi em seu livro Dogmes et Rituels de la Haute Magie (Dogmas e Rituais da Alta Magia) tornou-se a representação visual “oficial” de Baphomet.
Em 1861, o ocultista francês Eliphas Lévi incluíu em seu livro “Dogmes et Rituels de la Haute Magie” (Dogma e Ritual de Alta Magia) um desenho que se tornaria a mais famosa representação do Baphomet: um bode humanóide alado com um par de seios e uma tocha em sua cabeça entre os seus chifres. A figura apresenta semelhanças numerosas com as divindades descritas acima. Ele também inclui vários outros símbolos relacionados com os conceitos esotéricos encarnado por Baphomet. No prefácio de seu livro, Levi diz:

“O bode na capa carrega o sinal do pentagrama na testa, com um ponto no topo, um símbolo de luz, e suas duas mãos formam o sinal do hermetismo, uma que aponta para a lua branca de Chesed, e a outra apontando para baixo para a lua negra de Geburah. Este signo expressa a perfeita harmonia da misericórdia com a justiça. Um de seus braços é de uma fêmea, e o outro de um macho como os do andrógino de Khunrath, os atributos dos quais tivemos que unir com os do nosso bode porque ele é um e o mesmo símbolo. A chama da inteligência que brilha entre seus chifres é a luz mágica do equilíbrio universal, a imagem da alma elevada acima da matéria, como a chama, que ainda que esteja amarrada à matéria, brilha acima dela. A cabeça do animal repulsivo exprime o horror do pecador, cuja atuação material é a única parte responsável que tem de suportar exclusivamente o castigo, porque a alma é insensível de acordo com sua natureza e só pode sofrer quando se materializa. A vara de pé em vez dos genitais simboliza a vida eterna, o corpo coberto de escamas simboliza a água, o semi-círculo acima dele significa a atmosfera e as penas logo em seguida acima representam a volatilidade . A humanidade é representada pelos dois seios e os braços andróginos desta esfinge das ciências ocultas.” [3]

Na representação de Levi, Baphomet representa a culminação do processo alquímico – a união de forças opostas para criar Luz Astral – a base da magia e, por fim, a iluminação.
Um olhar mais atento sobre os detalhes da imagem revela que cada símbolo é, inevitavelmente, equilibrado com o seu oposto. Baphomet em si mesmo é um personagem andrógino possuindo as características de ambos os sexos: seios femininos e uma haste que representa o falo ereto. O conceito de andrógeno é de grande importância na filosofia oculta, pois representa o mais alto nível de iniciação na busca de se tornar “um com Deus”.
O falo (pênis) de Baphomet é, na verdade o Caduceus de Hermes - uma haste com duas serpentes entrelaçadas. Este antigo símbolo tem representado o hermetismo durante séculos. O Caduceus esotericamente representa a ativação dos chakras, a partir da base da coluna vertebral para a glândula pineal, usando o poder serpentino (daí, as serpentes) ou Luz Astral.

O Caduceus como símbolo de ativação chakra.

A Ciência é real somente para aqueles que admitem e entendem a filosofia e a religião, e seu processo só será bem sucedido para o Adepto que atingir a soberania da vontade, e assim se tornar o Rei do mundo elementar: para o grande agente da operação do Sol, é aquela força descrita no símbolo de Hermes, da tábua de esmeralda, é o poder mágico universal; o espiritual, ardente, a força motriz, é o Od, de acordo com os hebreus, e a luz astral, de acordo com outros povos.
Aí está o fogo secreto, vivo e filosofal, da qual todos os filósofos herméticos falam com a reserva mais misteriosa: a Semente Universal, do qual o segredo por eles é mantido, e o qual eles representavam apenas sob a figura do Caduceu de Hermes. [4]

Baphomet é portanto, o simbolo da Grande Trabalho da alquimia onde as forças separados e opostas são unidas em perfeito equilíbrio para gerar a luz Astral. Este processo alquímico é representada na imagem de Levi pelos termos ‘Solve’ e ‘Coagula’ nos braços do Baphomet. Enquanto eles realizam resultados opostos, Solve (transformar sólido em líquido) e Coagula (transformar líquido em sólido) são duas etapas necessárias do processo alquímico – que visa transformar pedras em ouro, ou em termos esotéricos, um homem profano em um homem iluminado . As duas etapas estão no braços apontando em direções opostas, enfatizando sua natureza oposta.
As mãos de Baphomet formam o “sinal de hermetismo” – que é uma representação visual do axioma hermético “O que está em cima é como o que está embaixo“. Este ditado resume todos os ensinamentos e os objetivos do hermetismo, onde o microcosmo (homem) é como o macrocosmo (o universo). Portanto, a compreensão de um é igual a compreensão do outro. Esta Lei de Correspondência origina as Tábuas de Esmeralda de Hermes Trismegisto, onde foi declarado:

“O que está em cima é como o que está embaixo. E o que está embaixo é como o que está em cima, para realizar os milagres de uma só coisa”. [5]

O domínio dessa força de vida, a Vida Astral, é o que é chamado pelos ocultistas modernos de “magia”.

O cartão do Mágico do tarot exibindo o axioma hermético 
“O que está em cima é como o que está embaixo”

“A prática da magia – branca ou preta – depende da capacidade do adepto de controlar a força da vida universal – o que Eliphas Levi chama de “o grande agente mágico”, ou a luz astral. Pela manipulação desta essência fluídica os fenômenos do transcendentalismo são produzidos. O famoso bode hermafrodita de Mendes era uma criatura composta formulada para simbolizar a luz astral. Ele é idêntico ao Baphomet, o deus místico daqueles discípulos de magia cerimonial, os Templários, e estes provavelmente obtiveram este conhecimento dos árabes.” [6]

Cada uma das mãos de Baphomet aponta para luas opostas, que Levi chama de Chesed e Geburah – dois conceitos opostos tomadas da Cabala Judaica. Na Árvore cabalística da Vida, o Sefirot, Chesed está associada a “bondade dada aos outros”, enquanto Geburah refere-se à contenção “da própria vontade de conceder bondade aos outros, quando o destinatário do bem é considerado indigno e susceptível de abusar desta”. Estes dois conceitos são opostos e, como tudo na vida, um equilíbrio deve ser encontrado entre os dois.
A característica mais reconhecível de Baphomet é, naturalmente, a sua cabeça de bode. Esta cabeça monstruosa representa a natureza animal e pecaminosa do homem, suas tendências egoístas e seus instintos mais básicos. Oposto à natureza espiritual do homem (simbolizada pela “luz divina” em sua cabeça), este lado animal é independentemente visto como uma parte necessária da natureza dualista do homem, onde o animal e o espiritual devem se unir em harmonia. Também pode-se argumentar que a aparência grotesca geral do Baphomet poderia servir para afastar e repelir o profano que não é iniciado com o significado esotérico do símbolo.

Em Sociedades Secretas

Embora representação Levi de Baphomet de 1861 seja a mais famosa, o nome deste ídolo tem circulado por mais de mil anos, através de sociedades secretas e círculos ocultistas. A primeira menção registrada de Baphomet como uma parte de um ritual oculto apareceu durante a época dos Cavaleiros Templários.
 
Os Cavaleiros Templários
 
Baphomet presidindo um ritual Templário por Leo Taxil.
 
É amplamente aceito pelos pesquisadores ocultistas que a figura de Baphomet foi de grande importância nos rituais da Ordem dos Templários. A primeira ocorrência do nome de Baphomet apareceu em uma carta de 1098 do cruzado Anselmo de Ribemont afirmando:

“À medida que o dia seguinte amanheceu eles clamaram bem alto por Baphometh enquanto nós orávamos silenciosamente em nossos corações a Deus, então nós os atacamos e forçamos todos eles para fora dos muros da cidade.” [7]

Durante o julgamento dos Templários de 1307, onde Templários foram torturados e interrogados a pedido do Rei Felipe IV da França, o nome de Baphomet foi mencionado várias vezes. Enquanto alguns templários negaram a existência de Baphomet, outros o descreveram como sendo tanto uma cabeça decepada, ou um gato, ou uma cabeça com três faces.
Enquanto os livros destinados para consumo de massa muitas vezes negam qualquer ligação entre os cavaleiros templários e Baphomet, alegando que isso é uma invenção da Igreja para demonizá-los, quase todos os autores de renome no ocultismo (que escreveram os livros destinados aos iniciados) reconhecem a ligação. Na verdade, o ídolo é muitas vezes referido como o “Baphomet dos Templários”.

“Será que os Templários realmente adoraram a Baphomet? Será que eles ofereciam uma saudação vergonhosa às nádegas do bode de Mendes? O que foi realmente esta associação secreta e potente que colocou a Igreja e o Estado em perigo, e foi assim destruída? Não julgue nada levemente, pois eles são culpados de um grande crime, pois eles expuseram a olhares profanos o santuário da antiga iniciação. Eles se reuniram novamente e compartilharam os frutos da árvore do conhecimento, para que eles pudessem se tornar senhores do mundo. A sentença proferida contra eles é maior e muito mais antiga do que o tribunal do papa ou do rei: “No dia em que comeres dela, certamente morrerás”, disse o próprio Deus, como lemos no livro de Gênesis.
(…)
Sim, em nossa profunda convicção, o Grão-Mestres da Ordem dos Templários adoraram a Baphomet, e fizeram ele ser adorado por seus iniciados; sim, existia no passado, e pode haver ainda no presente, assembléias que são presidida por esta figura, sentado em um trono e com uma tocha flamejante entre os chifres. Mas os adoradores deste sinal não consideram, como nós, que ela seja uma representação do diabo: pelo contrário, para eles é a do deus Pã, o deus de nossas escolas modernas de filosofia, o deus da escola teúrgica de Alexandrina e do nossos próprios místicos Neo-platonistas, o deus de Lamartine e Victor Cousin, o deus de Spinoza e Platão, o deus das escolas gnósticas primitivas, o Cristo também do sacerdócio dissidente. Esta última qualificação, atribuída ao bode de Magia Negra, não surpreenderá aos estudantes de antiguidades religiosas que estão familiarizados com as fases de simbolismo e a doutrina nas suas várias transformações, tanto na Índia, Egito ou Judéia.” [8]

Maçonaria
 
Pouco depois do lançamento de ilustração de Levi, o escritor e jornalista francês Léo Taxil lançou uma série de folhetos e livros denunciando a Maçonaria, acusando os lodges de adoração ao diabo. No centro de suas acusações estava Baphomet, que foi descrito como o objeto de adoração dos Maçons.

“Les mystères de la franc-maçonnerie” (Os Mistérios da Maçonaria) 
acusou os maçons de satanismo e de adorar Baphomet. As obras 
de Taxil levantaram a ira dos católicos.

A capa do livro de “Les mystères de la franc-maçonnerie” que descreve 
um ritual maçônico presidido por Baphomet, que está sendo literalmente adorado.

Imagem anti-maçônico de Abel Clarin de la Rive, 1894.
 
Em 1897, depois de causar grande celeuma devido às suas revelações sobre a Maçonaria francesa, Léo Taxil convocou uma conferência de imprensa onde anunciou que muitas de suas revelações tinham sido fabricadas [9]. Desde então, esta série de eventos vêm sendo apelidada de “O Hoax de Léo Taxil”. No entanto, muitos argumentam que há possibilidade de que a confissão Taxil pode ter sido fruto de coação a fim de acabar com a polêmica envolvendo a Maçonaria.
Seja qual for o caso, a conexão mais provável entre a Maçonaria e Baphomet é através do simbolismo, onde o ídolo se torna uma alegoria para os profundos conceitos esotéricos. O autor maçônico Albert Pike argumenta que na Maçonaria, Baphomet não é um objeto de adoração, mas um símbolo, sendo que o seu verdadeiro significado só é revelado a iniciados de alto nível.

“É absurdo supor que homens de intelecto adoravam um ídolo monstruoso chamado Baphomet, ou reconheciam Mahomet como um profeta inspirado. Seus simbolismos, inventados séculos antes, para esconder o que era perigoso confessar, foram naturalmente incompreendidos por aqueles que não eram adeptos, e aos seus inimigos pareciam ser panteístas. O bezerro de ouro, feito por Aarão para os israelitas, foi um dos bois sob a camada de bronze, e o Querubim no Propiciatório, incompreendido. Os símbolos dos sábios sempre se tornam os ídolos da multidão ignorante. O que os chefes da Ordem realmente acreditavam e ensinavam, é indicado para os Adeptos pelas sugestões contidas nos Altos Graus da Maçonaria, e pelos símbolos que só os Adeptos entendem.” [10]

Aleister Crowley

O ocultista britânico Aleister Crowley nasceu cerca de seis meses após a morte de Eliphas Lévi, levando-o a acreditar que ele era a reencarnação de Lévi. Em parte por esta razão, Crowley era conhecido dentro da Ordo Templi Orientis (O.T.O), a sociedade secreta que ele popularizou, como “Baphomet”.
 
Uma foto autografada de Crowley como Baphomet.
Aqui está a explicação de Crowley da etimologia do nome Baphomet, tiradas de seu livro de 1929 “As Confissões de Aleister Crowley”:

“Eu tinha tomado o nome Baphomet como o meu lema na O.T.O. Por mais de seis anos eu tinha tentado descobrir a maneira correta de soletrar este nome. Eu sabia que ele deveria ter oito letras, e também que as correspondências numéricas e literais deveriam ser de modo que expressassem o significado do nome em tais maneiras que confirmassem o que os estudiosos haviam descoberto sobre ele, e também para esclarecer os problemas que os arqueólogos até agora não conseguiram resolver… Uma teoria do nome é que ele representa as palavras “Beta alpha phi eta mu eta tau epsilon omicron sigma”, O batismo de sabedoria; outro, que é uma corruptela de um título que significa “Pai Mitra”. Não é necessário dizer que o sufixo R apoiou a última teoria. Eu adicionei a palavra, tal como é soletrada pelo Mago. Ela totalizou 729. Este número nunca tinha aparecido no meu trabalho Cabalístico e, portanto, não significava nada para mim. Ele no entanto se justificava como sendo o cubo de nove. A palavra “chi eta phi alpha sigma”, o título místico dado por Cristo a Pedro como a pedra angular da Igreja, tem esse mesmo valor. Até agora, o Mago tem-se mostrado com grandes qualidades! Ele tinha resolvido o problema etimológico e mostrou por que os Templários deveriam ter dado o nome de Baphomet para seu chamado ídolo. Baphomet foi Mithras Pai, a pedra cúbica, que foi a pedra angular do Templo. ” [11]

Baphomet é uma figura importante na Thelema, o sistema místico que Crowley estabeleceu no início do século 20. Em uma de suas obras mais importantes, Magick, Líber ABA, Book 4, Crowley descreve Baphomet como um andrógino divino:

“O Diabo não existe. É um nome falso inventado pelos Irmãos Negros para implicar uma unidade na sua confusão ignorante de dispersões. Um diabo que tivesse unidade seria um Deus … “O Diabo” é, historicamente, o Deus de qualquer povo que alguém pessoalmente não goste … Esta serpente, Satanás, não é o inimigo do homem, mas Ele que fez Deuses da nossa raça, conhecendo o Bem e do Mal, Ele mandou “Conhece a ti mesmo!” e ensinou a Iniciação. Ele é “O Diabo” do Livro de Thoth, e Seu emblema é Baphomet, o Andrógino que é o hieróglifo de arcana perfeição… Ele é, portanto, Vida e Amor. Mas além disso a sua carta é ayin, o Olho, de modo que ele é Luz, e sua imagem Zodiacal é Capricórnio, o bode saltitante cujo atributo é a Liberdade.” [12]

A Ecclesia Gnóstica Catholica, o braço eclesiástico de Ordo Templi Orientis (OTO), recita durante a sua Missa Gnóstica “E eu acredito na Serpente e no Leão, Mistério do Mistério, em Seu nome BAPHOMET” [13]. Baphomet é considerado como a união do Chaos e Babalon, energia masculina e feminina, o falo e o útero.

A Igreja de Satanás
 
Embora não seja tecnicamente uma sociedade secreta, a Igreja de Anton Lavey de Satanás continua a ser uma ordem ocultista influente. Fundada em 1966, a organização adotou o “Sigil do Baphomet” como seu emblema oficial.

O Sigil de Baphomet, o símbolo oficial da Igreja de Satanás, apresenta o Bode de Mendes dentro de um pentagrama invertido.
O Sigilo do Baphomet foi, provavelmente, fortemente inspirado por esta ilustração de Guaita’s La Clef de la Magie Noire (A Chave para Magia Negra).


 Ilustrações de La Clef de la Magie Noire (1897)

 De acordo com Anton Lavey, os templários adoravam Baphomet como um símbolo de Satanás. Baphomet é destaque presente durante nos rituais da Igreja de Satanás, com o símbolo sendo colocado acima do altar ritualístico.
Na Bíblia Satânica, Lavey descreve o símbolo do Baphomet:

“O símbolo do Baphomet foi usado pelos Cavaleiros Templários para representar Satanás. Através dos tempos este símbolo tem sido chamado por muitos nomes diferentes. Entre elas estão: O Bode de Mendes, o Bode de Mil Jovens, O Bode Preto, O Bode de Judas, e talvez o mais adequado, O Bode Expiatório”.
Baphomet representa os Poderes das Trevas combinados com a fertilidade generativa do bode. Na sua forma “pura” o pentagrama é mostrado envolvendo a figura de um homem nos cinco pontos da estrela – três pontas para cima, duas pontas para baixo – simbolizando a natureza espiritual do homem. No satanismo o pentagrama também é usado, mas já que o satanismo representa os instintos carnais do homem, ou o oposto da natureza espiritual, o pentagrama é invertido para acomodar perfeitamente a cabeça do bode – seus chifres, representando dualidade, que é voltado para cima em tom de desafio, os outros três pontos invertidos, ou a trindade negada. As letras hebraicas em torno do círculo exterior do símbolo, que são dos ensinos mágicos da Cabala, soletram “Leviathan”, a serpente do abismo, e identificada com Satanás. Estas figuras correspondem aos cinco pontos da estrela invertida.” [14]

Na Cultura Popular
 
Principalmente devido à influência de Aleister Crowley e Anton Lavey na cultura popular, as referências a Baphomet podem ser encontrado em toda a cultura popular. Em alguns casos, como com bandas de heavy metal, as referências são bastante claras e inequívocas – estas bandas, de modo algum escondem a influência dessas escolas de ocultismo em suas imagens. Aqui estão alguns exemplos:

Banda de Death Metal Behemoth – Capa de Zos Kia Cultus
Banda de death metal The Black Dalia Murder – capa do álbum Ritual.

Marilyn Manson – Capa do álbum Anti-Christ Superstar

Rammstein’s Pussy se refere a androginia de Baphomet. O segundo 
homem da direita também faz o sinal da mão “O que está em cima é como o que está embaixo”.

Na cultura pop de massa (corporativa), as referências são muito mais vagas e escondidas. Destinadas a um público mais jovem, as referências existem, mas provavelmente não são reconhecidas e compreendidas conscientemente pela maioria de sua platéia. Aqui estão alguns exemplos.

Lady Gaga.


A cantora pop Kerli.


Captura de tela do popular jogo online Ragnarok.

Capa do álbum de “Baphomet” de Kiichi

Muitas referências mais obscuras podem ser encontrados por aqueles “que têm olhos para ver”.

Conclusão
 
Baphomet é uma criação composta simbólica da realização alquímica através da união de forças opostas. Ocultistas acreditam que através do domínio da força vital, a pessoa é capaz de produzir a iluminação da magia e do espirito. A representação de Eliphas Lévi de Baphomet incluia vários símbolos aludindo à elevação da kundalini – energia serpentina – que em última análise, leva à ativação da glândula pineal, também conhecida como o “terceiro olho”. Então, do ponto de vista esotérico, Baphomet representa este processo oculto.
No entanto, ao longo do tempo o símbolo passou a denominar muito mais do que seu significado esotérico. Através de controvérsias, Baphomet tornou-se, dependendo do ponto de vista, uma representação de tudo o que é bom no ocultismo ou tudo o que é de ruim no ocultismo. É, de fato, o “bode expiatório” final, o rosto da feitiçaria, magia negra e satanismo. O fato do símbolo ser bastante monstruoso e grotesco provavelmente ajudou a impulsionar o símbolo para o seu nível de infâmia, como nunca deixa de chocar religiões organizadas ao mesmo tempo que atrae aqueles que se rebelam contra elas.
Desde que ganhou amplo reconhecimento na cultura popular, a imagem de Baphomet é agora utilizada como um símbolo de qualquer coisa sobre ocultismo e ritualismo. Nos meios de comunicação de massas, que têm laços com sociedades secretas, a figura de Baphomet aparece nos lugares mais estranhos, muitas vezes para um público jovem demais para entender a referência oculta . Estaria Baphomet sendo utilizado na cultura pop como um símbolo do poder da elite oculta sobre as massas ignorantes?

1 - Eliphas Levi, Dogmes et Rituels de la Haute Magie (Dogma e Ritual da Alta Magia)
2- Arkon Daraul, A History of Secret Societies
3- Eliphas Levi, Dogme et Rituel de la Haute Magie
4- Albert Pike, Morals and Dogma
5- English translation of the Emerald Tablet
6- Manly P. Hall, The Secret Teachings of All Ages
7- Malcom Barber and Keith Bate, Letters from the East: Crusaders, Pilgrims and Settlers in the 12th-13th Centuries
8- Op. Cit. Levi
9- The Confessions of Léo Taxil, April 25 1897
10- Albert Pike, Morals and Dogma
11- Aleister Crowley, The Confessions of Aleister Crowley
12- Aleister Crowley, Magick, Liber ABA, Book 4
13- Helena and Tau Apiron, “The Invisible Basilica: The Creed of the Gnostic Catholic Church: An Examination”
14- Anton Lavey, The Satanic Bible
Fonte: Secreta Arcana